Reportagens de Critica Investigação e Opinião
REPORTGENS, CRÍTICAS E INVESTIGAÇÕES DO CYBER-RERPORTER + SECRETO DO MUNDO Blog Nacionalista e Monárquico (UM AVISO: AQUI NÃO VAI ENTRAR O NOVO ACORDO ORTOGRÁFICO BLOG MONÁRQUICO E NACIONALISTA)
19
Set 16

Desde há muito me questiono cada vez que vou aos mercados, supermercados e hipermercados porque raios o peixe é sempre mais caro do que a carne sabendo-se que teoricamente o peixe não tem despesas com a criação sendo as únicas despesas o transporte, o salário dos pescadores, o combustível do barco (que é subsidiado) e os ordenados dos enventuais empregados das vendas.

E agora até existe peixe de viveiro que massifica a produção de peixe e que em teoria iria o tornar mais barato do que a carne sobretudo numa cidade como Lisboa que é beijada pelo mar e está rodeada de portos de pesca na sua área metroplitana o que não justifica os preços exigidos por peixes de grande consumo como o carapua, a faneca, a cavala e outros que chegam a estar mais caros do que o marisco.

As autoridades de fiscalização como a ASAE e a Autoridade da Concorrência estão a dormir na parada e estes abusos acontecem há décadas e depois aparece a DGS a apelar ao consumo de peixe fresco, mas o senhor director da DGS ganha muito mais do que o salário médio do comum dos portugueses e várias vezes o RSI e quem está limitado a um tecto máximo de rendimento mensal de cerca de 900 euros e se tem família, não se pode dar ao luxo de comer peixe fresco ou até mesmo congelado que este chega a estar ao preço do bife dos Açores.

A isto temos que acrescentar a crise crónica da república portuguesa que foi intensificada pelo tri da troika graças a um governo socialista como das outras duas vezes em que maldita troika meteu aqui os pés também graças a governos socialistas que prometeram tudo e no fim nada deram a não ser para os seus e o resto que se lixe como é habitual no poder político da república.

Não sei como ainda não resolveram esta situação do preço do peixe sobretudo quando esta situação é uma situação que se arrasta ao longo dos anos e não é pelo facto de algumas espécies de pescado estarem defeso ou não, simplesmente o peixe fresco e boa parte do congelado é caro todo o ano e nem com promoções chega a ficar mais barato do que a carne apesar de Portugal ser abençoado com um mar relativamente fértil e esta situação não justifica os preços elevados do peixe em Portugal, sobretudo nas cidades do litoral.

Nesta nação do rouba quem quer e quem pode e onde os maiores ladrões são sempre inocentes mesmo com prova de culpa como o caso do 44 de Évora que tem uma legião de seguidores como fosse um Papa ou um homem digno da canonização quando nunca pssou de um reles corrupto da república capaz de rivalizar com Alves dos Reis no talento de corromper e burlar o Estado em vários milhões.

As supostas autoridades de fiscalização alimentar e económica estão mais preocupadas com as bolas de berlim nas praias ou com os restaurantes que andam a aldarbar os fregueses em vez de atacarem uma negociata que já leva décadas que é o caso dos intermediários no comércio de peixe que fazem com que o peixe seja muito mais caro do que a carne apesar de Portugal ser um dos países da Europa com mais mar e que não se justifica as diferenças pornográficas entre o custo do peixe da carne a não ser que as autoridades de fiscalização recebam algum por baixo da mesa para fechar os olhos a esta peixarada que retira o peixe da nossa mesa e depois ainda temos que levar com as xaropadas da DGS quando a culpa poderá estar no próprio Estado em si.

Como sempre as minhas perguntas: Porque não investigam este caso de especulação com o preço do peixe? Porque a DGS em vez de falar, ajuda a agir? Quem ganha com esta especulação? Porque ela existe?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

 

 

 

publicado por tron às 14:53
|  O que é? | favorito
sinto-me:
música para pensar: Liar - Queen
21
Nov 13

Na minha vida mais ou menos curta tenho assistido de tudo um pouco em termos de protestos nas ruas de Lisboa e não só e que a televisão se torna muitas vezes, para não dizer quase todas como veículo de transmissão do que acontece nas ruas da capital lusitana em vez de eu correr riscos e ainda levar cacetada da polícia sem ter culpa de nada.

Mas nada me preparou ou mesmo treinou para o desfecho da manifestação de todas as forças de segurança interna existente em Portugal, unidas conta mais cortes que lhes vão ser impostos pelo presente desgoverno da ditadura Passos Coelho, cortes numa área onde falta tudo mesmo desde clips para segurar as folhas até ao gasóleo ou gasolina para as viaturas de serviço e outros meios materiais que virtualmente colocam a polícia e as restantes autoridades paralisadas devido a falta de meios e a esta falta de meios se juntam os crónicos baixos salários que com o novo orçamento ainda vão ficar mais baixos.

A resposta daqueles que podem fazer greve tem aparecido como greves do SEF e da PJ ao trabalho extraordinário e serviço de piquete, enquanto os outros apenas podem vir para rua ou quanto muito fazerem greve à multa porque de resto poucos meios têm para lutar pelos seus interesses, mas chegou aquele dia em que é o toca a reunir e zarpar e hoje aconteceu este mesmo dia, quando as forças de segurança interna resolveram ocupar as escadarias da assembleia da república, apenas parando junto aos sentinelas da guarda de honra do parlamento e porque se formou um cordão da polícia de choque que ao contrário do que aconteceu em 1989 com o infame caso dos secos e molhados, se limitou a recuar até a entrada do parlamento para assegurar a segurança e evitar sem violência a invasão do parlamento.

Embora este tomar de escadas do parlamento tenha sido feito sob o grito de invasão, esta não chegou a acontecer porque faltou o quase ou então houve bom senso das partes, todavia o aviso ficou para quem o quser ouvir e ver; o povo no seu todo está farto de austeridade e hoje se ultrapassou uma linha não digo vermelha, mas sim amarela alaranjada a tombar para o vermelha que serve de aviso que os limites estão ser ultrapassados e que tal austeridade não leva a lado nenhum e que chegou a hora se se mudar o estado a que chegamos porque até a na Grécia já mandaram a troika passear e nem sei porque Portugal não tendo os problemas dos gregos não faz o mesmo.

Chegou o momento sim, o momento em que temos que acabar com o estado a que chegamos como diria o Capitão Salgueiro Maia, e infelizmente tenho que dar pelo menos alguma razão ao Dr. Mário Soares quando este disse que está na hora o presidente e do primeiro-ministro sairem pelos seus meios porque a coisa ainda vai ficar feia porque até já anunciam mais cortes e se para evitar ditaduras e extremismos se tem que derrubar a república e restaurar uma possível monarquia, então em nome de Abril e da democracia que se acabe com a república porque esta nação não precisa de extremistas e nem sei como foi possível o presidente da república ter ficado a dormir quando as forças da ordem rugiram bem alto como verdadeiros leões selvagens e cheios de raiva e que foram rugidos da mesma proporção do tamanho das estáutuas do dito felino símbolo do Sporting Clube de Portugal que está na base das escadarias do parlamento e hoje o parlamento merecia ser invadido sim e pelo visto Portugal está a aprender umas coisas com os brasileiros porque há não muito tempo aconteceu uma situação semelhante em Brasília.

Esta invasão como eu já disse é uma mensagem que está na hora dos senhores do poder da república verem quem manda mesmo na nação e que está na hora de outras forças que dizem ser a garantia da constituição se juntarem e fazerem o mesmo ou algo parecido ou algo mais profundo que fique tão marcado na nossa história que chegue ao ponto de ser mais um feriado no calendário.

E ficam as minhas perguntas de sempre: O que vai sair daqui ? Vamos assistir a mais manifestações como a de hoje ? Será que o poder da república entendeu a mensagem ? Quando é que deixam de cortar aos pequenos e cortam aos grandes ? Será que se aprendeu hoje alguma coisa ? Como foi possível o presidente  da república ter ficado calado ? Será que para que a nação se mantenha democrática, temos que derrubar a república ? Até onde chegou este rugido ? Para que nos serve a república e o seu presidente ?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

publicado por tron às 23:42
|  O que é? | favorito
sinto-me:
música para pensar: I Want It All, We Will Rock You, I Want to Break Free- Queen
08
Set 13

Com este título vocês podem pensar que devido a alguns problemas de saúde recentes que esteja assim um pouco para o alterado ou ensonado, mas não estou e este artigo de hoje é nascido de um trabalho de campo que levou alguns meses a ser pensado e compilado tudo na minha moleirinha sem qualquer bloco de notas porque gosto de fazer os trabalhos de campo assim, usando a minha cabeça como bloco de notas e indo com o propósito mesmo de investigar o assunto que me possa aguçar a escrita e o apetite.

Como não escondo de ninguém gosto de dar umas caminhadas por Lisboa, porque além de fazer bem a saúde por um ponto, por outro é muito económico porque assim não tenho que gastar dinheiro em transportes públicos porque por enquanto ainda fazer umas quantas "maratonas" andando a pé ainda é de graça e não paga qualquer taxa municipal até ordem em contrário e um dos meus pontos quase fixos de caminhadas é a zona da Baixa de Lisboa e ando sempre com os olhos abertos sempre a procurar de algo que possa servir de assunto de reportagem aqui para este velhinho recanto.

E algo que acho muito estranho que aocntece todos os dias na Baixa Pombalina em especial no Verão e nos dias de jogos internacionais de futebol em Lisboa sejam eles da selecção ou do clubes da cidade que é a venda de haxixe e cannabis com todo a vontade por parte de ciganos que poderiam estar a trabalhar e a produzir para a nação, mas que recebem o RSI que lhes vai financiar o negócio, assunto o qual já falei aqui neste recanto.

E como não bastassem os ciganos a vender droga na Baixa, muitas vezes com a omissão da polícia que vira os olhos enquanto os ciganos fazem ou tentam fazer os seus negócios, existem também o caso que é verdadeiramente paradigmático de como não deve ser gerida uma cidade capital de uma qualquer nação neste mundo que se diz mundo e este caso é o caso dos africanos e africanas que vendem produtos alimentares sem quaisquer rotulagens ou condições de embalagem e conservação e que na volta fazem câmbio de euros por dólares americanos ou francos CFA e vice-versa aos seus patrícios sem pagarem qualquer taxa ao Estado ou mesmo licença e quando olho da forma como os produtos alimentares que estes cidadãos vendem ao público aos olhos de todos me dá a volta ao estômago.

Estes alimentos que vão desde feijões, milho e outros vegetais secos, até legumes e frutas frescas e óleo de palma re-emablado em tudo que é garrafa e garrafão, até em embalagens que foram de lixívia ou sabão para a loiça, mas nunca embalagem devida e os vegetais estão em sacos de plástico mais usados e sujos que as meias de um futebolista depois de um jogo com prolongamento e penalties ou os vegetais chegam a estar no chão e quase sempre com moscas por cima além do  câmbio clandestino que é feito aos olhos de todos mesmo em frente do Palácio da Independência e da sede nacional da Ordem dos Advogados e com uma esquadra de polícia bem próxima do local (irónico !?)

E o xis ou busílis do problema não está só aí, o problema é que outras etnias ou raças que não sejam nem ciganos nem pretos, perdão, africanos; quase nao podem fazer sequer troca de cromos a entrada da estação de comboios do Rossio ou se vender fruta ou mesmo calendários de futebol porque aí a polícia já salta que nem uns cães a apreender mercadoria por falta de licença e de taxas, quando até nos cromos não existe propriamente trocas comerciais e a venda ambulante de fruta como se vendia junto a estação ferroviária e que de vez enquando estão nos Restauradores cumpre mais as normas de venda e de higiene do que aquilo que se passa no Largo de S. Domingos, embora as actividades no Largo de S. Domingos corram na maior da liberdades sem quaisquer caçadas policiais, mas se for um asiático ou um branco a vender alguma coisa ... a polícia aparece sempre... mas vender drogas, alimentos sem condições ou câmbio clandestino não faz a polícia sair da esquadra e eu gostava de saber porquê....

E ficam as perguntinhas de sempre e quase sempre sem qualquer resposta: Porque as autoridades não dão caça aos ciganos que vendem drogas na Baixa de Lisboa ? Porque a ASAE não faz uma visita ao pseudo-comércio feito por africanos no Largo de S. Domingos ? Porque são capazes de apreender a fruta a um vendedor branco e não vão apreender óleo de palma vendido em garrafas de lixívia ? Como deixam que se faça câmbios de forma clandestina sem que nada aconteça aos infractores ? Quanto nos custa a nós este verdadeiro mercado negro ? Porque não acabam com isso ? Será que há alguém sem serem os pseudo-comerciantes negros que ganhe alguma coisa ? Que país é afinal Portugal ? Para que nos serve a república e o seu presidente ?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

publicado por tron às 23:42
|  O que é? | favorito
sinto-me:
música para pensar: Polícia - Titãs
16
Jun 13

Neste tempos presentes de agitação inaudita por causa da introdução de carne de cavalo no lugar de carne de vaca em vários pratos preparados e/ou pré-cozinhados de carne e que deveriam de ter carne de vaca, assim vendendo uma carne mais barata como fosse cara, agora apareceu no grupo Auchan (Jumbo/ Pão de Açúcar) bacalhau com natas que não é bacalhau, mas sim um desconhecido peixe-caracol que pouco se sabe sobre o dito peixe.

O pouco que consegui saber foi que existem várias espécies do  dito peixe-caracol e que uma delas é um parasita do caranguejo real e não se sabe qual o valor nutricional do peixe ou as consequências do seu consumo para a saúde pública e apenas o que se sabe é que a sua venda é proibida em Portugal e não se sabe como tal peixe entrou na cadeia de distribução, a desoberta da existência deste peixe foi feita pela equipa do DN que comprou bacalhau com natas marca Polegar (marca do grupo Auchan) e depois de encomendar análises a um laboratório privado onde fo descoberta mais esta fraude alimentar que é a segunda dos tempos mais recentes depois do caso da carne de cavalo por vaca.

Todavia este caso é mais grave porque enquanto o outro foi uma troca de carnes apenas sendo uma simples fraude alimentar onde os alimentos envolvidos eram alimentos legalizados e com todas as normas de conservação, este caso é a troca de um peixe tradicional como o bacalhau por outro que ainda por cima é proibido em Portugal e ninguém conhece ou se faz mal ao ser humano  porque apesar dos peritos dizerem que não faz mal, não se tem a certeza pois que este peixe nunca foi vendido em Portugal e até é proíbido.

Estas fraudes alimentares estão a aparecer e aumentar de uma forma que se pode classificar como grave porque ao fim das contas são sempre os mesmos que as fazem e ngnuém faz nada para o evitar logo de cabeça antes que alguma reportagem de um meio de comunicação social ou um teste da DECO ou algo semelhante descobrisse e ao mesmo tempo se poderia punir de forma exemplar os infractores sem que as entidades de fiscalização tivessem que aguentar com mais um atestado de estupidez porque a ASAE e entidades equivalentes adormeceram e bem e deixaram que a coisa acontecesse e aquilo que entendo por entidade de fiscalização não é só punir infarcções mas sobretudo preveni-las como é o caso dso revisores dos comboios ou fiscais das empresas de transportes públicos privadas ou públicas e mesmo no caso do jumbo/Pão de Açúcar ter ficha na ASAE esta mesma ASAE não agiu de forma preventiva e um simples jornal acabou de mostrar aos olhos de todos que as entidades de fiscalização andam completamente a dormir e deixam que as infracções se repitam.

Não sou consumidor de pré-cozinhados, no entanto fico com muita desconfiança da restauração no seu todo porque podem usar pré-cozinhados sem os clientes saberem e estes estarem adulterados de alguma forma podendo por em perigo a saúde pública da nação e quando as entidades de fiscalização não sabem agir de forma preventiva, então estamos tramados e sujeitos a comer toda a mixórdia que possam andar a vender como fosse gato por lebre com toda a liberdade do mundo, numa nação já de si deblitada pela crise e pela austeridade.

E ficam as minhas perguntas de sempre: Aonde pára a ASAE ? Será que ainda se pode comer em segurança ? Porque a ASAE não actua de forma preventiva ? Porque se adultera comer ? Porque todos se calam ? Em quem podemos confiar para comprar o nosso comer ? Afinal o que comemos na realidade ? Para que serve a ASAE e todas as outras entidades de fiscalização ?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

publicado por tron às 23:26
|  O que é? | favorito
sinto-me:
música para pensar: Sem Eira nem Beira - Xutos & Pontapés
11
Out 11

Na sequela do artigo que tinha a frase do dia publicado ontem, hoje trago mais detalhes que são verdadeiramente escabrosos para um país que se diz estado de Direito que afinal não o parece ser com atitudes desta natureza que se pode afirmar que Portugal é um estado de direito, quando na realidade nunca o foi mesmo depois da revolução.

E entrando nos detalhes: um inspector da ASAE levou com um processo disciplinar em cima, acontece que o processo nunca teve pernas para andar, ou seja, era sem fundamento e tem corrido desde 2009 sem qualquer tipo de conclusão e como tal acabou arquivado, mas o pior desta cena ainda está para vir quando este mesmo funcionário foi pedir a certidão do processo e as respectivas cópias do processo quando lhe foi exigido 892,98 euros  o que equivale a 7,38 euros por cada cópia das 121 páginas do processo e um salário de inspector da ASAE é a fortuna de 860 euros, portanto menos 30 euros do que é exigido no custo do documento; e o sindicato da ASAE está em cima da dita instutição para que todos os processos levantados contra os seus funcionários sejam custeados a quem os coloca e não aos seus funcionários.

Todos acham este preço exagerado em especial  quando eu sei de expriência pessoal que uma fotocópia não custa mais do que DEZ CÊNTIMOS e se for em quantidade como este caso os  preços podem descer para valores que rondam os 4/5 cêntimos e não 7 euros porque no meu tempo de empregado de centro de cópia, 7 euros por uma cópia era quando se tiravam fotocópias com algum tamanho de uma fotocopiadora especial usada para copiar/imprimir plantas de casas e 7 euros era quase uma cópia com dois metros de comprimento de papel aproximadamente e não 121 páginas como neste verdadeiro roubo.

Está mesmo visto que não existe honra entre ladrões e dada a fama de ladrões que têm os inspectores da ASAE, roubam tanto ao ponto de se roubarem a si mesmos quando um deles pretende se defender perante a justiça; de facto a justiça portuguesa e as entidades de fiscalização estão infectas de um vírus chamado incompetência que cada vez empesta mais tudo que é do Estado e o governo nada quer fazer, bem estamos em Portugal adianta reclamar alguma coisa.

E ficam as minhas perguntas: Que justiça é esta ? Porque  este funcionário tem que gastar um salário em fotocópias ? Os toners estão assim tão caros ? Quem inspecciona a ASAE ? Que abuso é  este ? Aonde existe democracia em Portugal ?  Para que nos serve a república e o seu presidente ?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

publicado por tron às 22:21
|  O que é? | favorito
sinto-me:
música para pensar: Chamem a Polícia - Trabalhadores do Comércio
10
Out 11

Amanhã vou falar deste assunto mas leiam primeiro o lead:

 

 

Situação denunciada pelo sindicato

                            Funcionário da ASAE obrigado a pagar 900 euros para ter acesso a cópias de processo disciplinar                           

 

 

Sem comentários esta notícia do Público

publicado por tron às 23:10
|  O que é? | favorito
sinto-me:
música para pensar: Chamem a Polícia - Trabalhadores do Comércio
05
Jan 11

Na Austrália foram muito mais inteligentes que os portugueses otários que cairam na conversa dumas pulseras de neoprene com um holograma parecido com aquele que o IGAC coloca nos DVD verdadeiros chamadas Pwer Balance e que os chineses já começaram a vender cópias (olha os espertos) que custam mais de 20 euros (as verdadeiras) e que em teoria serviam para equilibrar o corpo humano e que davam mais força.

Pois bem, o equivalente australiano do Instituto do consumidor descobriu o embuste das Power Balance e obrigou o seu representante a devolver todo o dinheiro as pessoas que cairam na conversa das Power Balance, e atenção que não foi o primeiro país porque já em Espanha e em Itália foram tomadas medidas semelhantes que além da devolução a empresa é obrigada a dizer que as mesmas pulseiras não funcionam e não servem para mais nada a não ser enfeitar o pulso.

Mas acontece que os inúteis do IC em Portugal ainda não se mexeram e muitos milhares de euros se fizeram à pala das cópias e dos originais e até mesmo na altura do encerramento da última edição da Volta a Portugal em Bicicleta vi á uma barraca de venda destas mesmas pulseiras e olhei para a máquina de pagamento multibanco que tinha um verdadeiro lençol de pagamentos feitos, tantos eram os otários que tinham comprado estas mesmas pulseiras em cerca de meia hora que eu tinha lá passado.

Agora imaginem a proporção de vendas deste mega-embuste em Portugal e quanto o nosso estadozito não mamou em sede de IVA e por isso se cala muito bem caladinho por enquanto os portugueses forem otários, a exploração e o roubo continua há-de continuar; pois bem porque estamos numa república onde roubar é profissão de muitos e onde as vítimas são aos milhões qual gado a caminho do matadouro e nada é feito neste país onde se rouba e rouba legalmente sem que nada seja feito e este caso das Power Balance é apenas é o mais recente caso de roubo legalizado de entre muitos que têm acontecido e basta ver as tele-vendas para ver a quantidade de embustes que são vendidos e quantidade de otários que caem neles e não é só nas tele-vendas, basta ir a um qualquer supermercado ou "loja de descontto" (aka. minipreço, lidl, entre outras) para também se conseguir achar alguns destes embustes para os quais a mui temida ASAE fecha os olhos não sabe com que interesse ou com que objectivo, mas de certeza que não deve ser nem para fazer cumprir a lei ou para proteger o consumidor, mas com toda a ceretza para impor alguma norma ou para sacar uma chuva de multas quando os embustes forem enfiados a algum grande da nossa política ou da nossa sociedade.

Enfim estamos em Portugal e não num país seriamente desolvido como o Brasil ou Espanha, e daí estes embustes continuarem eternamente enquanto ouvberem otários e quem engane sem quem pare os enganadores....tristeza de país que tem inteligência neste ponto, perdão estupidez extrema.

E ficam as minhas de perguntas de sempre: Quando é que acabam os embustes ? Será que Portugal irá algum dia ser um país só com gente honesta ? Será que o Instituto do Consumidor, ASAE e instituiçoes afins servem para alguma coisa ? Qaunto é que o Estado mamou em sede de IVA a conta só deste embuste ? Temos um Estado ladrão ? Quem pune os grandes ladrões em Portugal ?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

publicado por tron às 14:36
|  O que é? | favorito
sinto-me:
música para pensar: Stone Cold Crazy - Queen
Novembro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
links
blogs SAPO