Reportagens de Critica Investigação e Opinião
REPORTGENS, CRÍTICAS E INVESTIGAÇÕES DO CYBER-RERPORTER + SECRETO DO MUNDO Blog Nacionalista e Monárquico (UM AVISO: AQUI NÃO VAI ENTRAR O NOVO ACORDO ORTOGRÁFICO BLOG MONÁRQUICO E NACIONALISTA)
28
Fev 17

Estão cada vez mais transformando, as zonas típicas de Lisboa em em guetos apenas reservado para turistas com dinheiro no bolso e com esta transformação estão a despejar famílias que estão nestes bairros históricos há dezenas de anos para que as suas casas sejam transformadas em hostels ou apartamentos de luxo que devido aos seus preços estão condenados à partida a servirem de cenário a uma cidade oca e de fantasia qual Veneza na actualidade.

O caso da Mouraria é um paradigma nesta situação porque têm sido esvaziados prédios inteiros, famílias inteiras são deslocadas em nome do turismo e dos apartamentos de luxo que ninguém compra e estes vampiros do turismo, estes viciados nesta nova heroína chamada turismo em dose bruta, se esquecem que a Constituição exige como direito fundamental a habitação condigna, não para turistas, mas para os portugueses e nem o desgoverno da república e muito menos o Taliban Turismo Medina querem saber deste direito. Apenas pensam em tratar das hemorróidas aos turistas com a língua.

Nem sei que livros de Direito andaram a ler os políticos da nossa praça, mas de certeza que não foram os livros correctos porque o que se passa na Mouraria e outros bairros históricos de Lisboa vai contra todos os princípios legais instituídos tanto antes como depois do 25 de Abril porque se está a violar de forma clara e descarada uma das prerrogativas principais da revolução dos cravos que é a habitação condigna.

As sucessivas leis dos despejos, perdão, leis do arrendamento urbano tanto por Santana Lopes (aka. Sacana Lopes) Adolf Sócrates Pinto de Sousa e Merkel Dog Passos Coelho, colocaram os inquilinos destes mesmos bairros e não só em situações precárias o que levou os mais desafogados a meterem-se em créditos para compra de casa e os outros com o pé na rua ou acabarem por terem que ir morar para casa de familiares ou em quartos manhosos, muitos deles clandestinos, financiados por IPSSS como a SCML e outras semelhantes.

Esta situação se evitaria se os presidentes da república depois de Mário Soares tivessem sido mais activos e cumprissem com aquilo que juram quando tomam posse, estas leis dos despejos tinham sido sumariamente chumbadas pelo Tribunal Constitucional e obrigaria os sucessivos governos depois de Guterres a repensarem antes de agirem, mas como aqui o burgo das grandes ondas da Nazaré e dos pastéis de nata se consola a ver os Big Brothers e as novelas, vai votando sempre nos mesmos calhoadas mesmo sabendo que eles vão contra os seus prórpios direitos.

Esta nova heroína que viciou muitos presidentes de câmara e de junta de freguesia do estado-nação mais antigo do mundo está agora a mostrar as suas consequências mais graves depois dos elevadores da Carris (Lisboa) se terem transformado de transportes públicos em guetos segregados apenas para turistas, sobretudo o de Santa Justa e o mesmo está a acontece com os eléctricos que praticamente servem mais turistas do lisboetas.

E como já se pensa nas festas da cidade que outra chance que os agarrados no turismo têm para se injectarem com ainda mais droga, se estão a esquecer que quem faz o ponto máximo destas mesmas festas são os moradores dos bairros e os membros das colectivdades de cultura e recreio dos mesmos bairros e se os moradores originais do bairro saírem dos mesmos bairros e estes forem substituídos por turistas gourmet ou como chamam no Brasil, Turistas Nuttela, como seriam feitas as marchas; que apesar de serem uma criação do Estado Novo entraram na cultura lisboeta de forma irreversível de forma que nem a revolução dos cravos apagou e ainda conseguiu capitalizar depois de 1976 como prova de uma nação estável e pacífica.

Não estou a ver alemães ou espanhóis a cantarem odes as sardinhas assadas ou ao fado sem saberm a ponta de um chavelho de português ou mesmo do significado das letras e ouvir fado com sotaque alemão deve soar pior do que ouvir um espanhol ou um português a cantarem as músicas do malogrado austríaco Falco ou dos metaleiros Rammstein ou os músicos do cavalinho terem nomes nomes tão lusos como Pablo, Smith, Fritz ou outros parecidos.

Se os partidos com assento na assembleia da república não travam esta situação, então têm que ser punidos de forma exemplar, e a melhor punição é nas próximas eleições municipais serem corridos dos seus cargos e darem o lugar a outros que não fazem parte da assembleia da república e que no caso de Lisboa pensem na cidade e não nesta nova heroína chamada turismo que já tem uma legião de viciados que apenas prejudicam a cidade e os seus habitantes.

E ficam as minhas perguntas de sempre: Até onde este novo ópio dos poderosos vai levar Lisboa? O que é feito do direito da Constituição da República que defende a habitação condigna para o povo e não a habitação turística? O que é preciso fazer para que este vício do turismo acabe? Quando é que os eleitores criam tomates e votam nos outros que não fazem parte do sistema? O que têm feito os presidentes da república depois de Mário Soares? Será que a república ainda nos serve para alguma coisa?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

publicado por tron às 14:03
|  O que é? | favorito
sinto-me:
música para pensar: Liberdade - Sérgio Godinho
11
Jun 16

Li um artigo no Diário Económico que me deixou preocupado com o seu conteúdo sobre  a questão do enriquecimento ilícito sobretudo dos políticos e como ónus ou a chamada inversão do ónus da prova foi usada para evitar que os políticos da república seja punidos pelos seus crimes sobretudo os económicos e a causa deste meu artigo é a entrevista da Procuradora-Geral da República, Joana Marques Vidal.

Está para ser debatido um diploma do Bloco de Esquerda que defende a apreensão de bens de políticos no caso de haver discrepâncias nas suas declarações fiscais quando estiverem a exercer funções políticas como medida de combate ao enriquecimento ilícito. Acontece que os rendimentos dos políticos ao contrário dos rendimentos dos comuns dos mortais não é totalmente tributado em sede de IRS e parte dos rendimentos são declarados na repartição de finanças e outra no Tribunal Constitucional e devido a esta divisão de declarações parte dos rendimentos dos políticos escapa ao fisco.

Este diploma apenas menciona os rendimentos obtidos quando os políticos estão na activa e não menciona os redimentos obtidos quando eles penduram as chuteiras da política da república porque estes então ainda podem fazer inveja a Cristiano Ronaldo ou a outro qualquer astro do futebol actual e a PGR questiona se este projecto-lei do BE viola a lei fundamental, o que põe a pensar se a lei fundamental da república defende que haja roubo feito por parte dos políticos da república podre, velha e senil.

O caso dos enrequecimentos ilícitos não são de hoje e já têm barbas e sempre que há uma qualquer medida legislativa que aparecem de todos os partidos e coligações menos do PS (estranho) e são sempre travados de todas as maneiras e mais algumas deixando no ar um pivete a corrupção generalizada na república que não há lixívia capaz de remover o pivete e a infecção chamada corrupção a não ser que haja uma forma de eliminar o germe chamado república que era considerado um colchão cheio de percevjeos pelo grande escritor Ramalho Ortigão.

E estes percevejos estão presentes todos os dias no nosso dia-a-dia e conseguem ser sempre eleitos para cargos políticos e quando penduram as chuteiras conseguem sempre arrajar forma de ainda ganharem mais dinheiro do que ganharam nos tempos em que estavam na política activa e aí ninguém os toca graças as redes de interesses criadas nos tempos em que eles estavam no poleiro da república, redes que duram uma vida inteira e nunca são questionadas por muito estranhas que possam ser.

E assim vai a glória republicana onde se rouba de todas as maneiras e mais algumas e estes obstáculos é a prova que nesta nação se rouba com a permissão da lei desde que se tenha um cargo político de relevância e ao mesmo tempo se consigauma entrada para aquelas sociedades secretas das quais muito se fala e pouco se sabe e as mesmas não fazem parte das chamadas declarações de interessses dos titulares de cargos políticos porque se sabe que 90% dos políticos pertencem a maçonaria e não se conta os que têm ligações a Opus-Dei.

Assim se rege uma república que cada dia que passa está mais podre cheia de interesses estranhos e que apodrecem cada vez mais a suposta democracia conquistada a muito custo numa distante Primavera nos anos 70 do século XX, mais precisamente no mês de Abril do ano da Graça do Senhor de 1974 e estes mesmos interesses a minam todos os dias com o apoio do sistema político da república e com o socorro sempre presente do sistema judicial.

Como sempre as perguntas: Porque os políticos não podem ser penhorados? São mais do que Deus? Quando é que vão caçar o enrequicimento ilícito? Quem manda mesmo em Portugal? Que interesses estão protegidos? Afinal para que nos serve a república e o seu presidente?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

publicado por tron às 19:40
|  O que é? | favorito
26
Mai 16

Que beleza de gerigonça que nós temos e não estou a falar dos cortes nos colégios, mas sim de eventos mais graves que estão a vista de todos e são graves sobretudo porque violam de forma descarada a Lei Fundamental como está a acontecer na zona da Mouraria.

Para os mais distantes da realidade alfacinha, a Mouraria era o antigo gueto muçulmano nos tempos da dinastia de Borgonha ou Afonsina que foi sendo desmantelado ao longo do tempo, mas o nome ficou e a comunidade islâmica portuguesa que ficou quase reduzida a zero com a Inquisição, ganhou força depois do fim da Inquisição, mas sempre bem integrada em Portugal e aumentou sobretudo com a descolonização e com os imigrantes das antigas províncias ultramarinas por um lado e por outro lado através da imigração de outras nações cujos cidadãos assentaram arraiais em Portugal.

 Mas esta massa muçulmana se adaptou bem sem precisar de tenças da CML para construir a Grande Mesquita de Lisboa na zona da Praça de Espanha e até mesmo para mesquitas mais pequenas que funcionam em casas de fieis ou pequenos edifícios mantidos as custas dos próprios fieis o que é normal num estado que se afirma laico como é o caso da república portuguesa.

Aliás a ajuda estatal a qualquer credo religioso está proibido por lei e as únicas ajudas que podem ser dadas a instituições religiosas é quando estas prestam serviços as comunidades locais como serviços de saúde, escolas ou similares ou apoios a terceira idade, de resto quem quiser ajudar uma seita ou religião ajude do seu próprio bolso, seja de forma directa ou seja via declaração de IRS.

É uma vergonha o que presidente da CML, quem nem sequer foi eleito, mas sim nomeado pelo actual Führer da república quando este se lançou ao assalto ao poder com a ajuda da esquerda espartaquista e este mesmo presidente da CML não está a meter o socialismo na gaveta, mas sim está a meter a constituição na casa de banho para que esta sirva de papel higiénico porque esta é usada pelo poder da república não bitola para a criação de legislação, mas sim como arma de arremesso no combate político que não raras vezes é reles nesta nação que quase tem mil anos.

Curioso ver os partidos políticos da república sejam de que espectro forem, calados e submissos, perante uma arbitrariedade contra uma comunidade empobrecida e que está aos poucos a recuperar a sua própria auto-estima e devido a paranóia pelas pracetas e praças para os turistas e pelo verde, o Sr. Medina da CML vai tirar casas a habitantes de Lisboa usando a ferramenta do chamado Interesse Público, mas qual será o interesse público de uma mesquita e de uma praça ou praceta para as turistas mostrarem as coxas no pino do Verão sobretudo numa Sexta Feira para deixar os ânimos alterados com os imans ou mullahs que não vão gostar de  ver tanta coxa ao léu.

Religiões a parte, começo a pensar se o Sr. Medina não estará a pensar a mandar abaixo parte da Rua Palma para fazer uma super praça devido a sua paranóia com praças e com espaços verdes e que tem traços de megalomania que lembra as ideias de Adolf Hitler quando queria transformar Berlim na temida Germânia projectada por Albert Speer; e parece que, as aulas de história estão esquecidas para estes doutores da mula russa que cedem a interesses e não pensam no povo comum que não precisa nada disto, mas sim precisa de casa, educação e pão para não falar na saúde.

Esta megalomania ecologista do Sr. Medina vai-nos sair do coiro, ou seja, dos nossos impostos e ao mesmo tempo que se viola o príncipio da lacidade do Estado e a chamada gerigonça e os seus defensores estão calados enquanto alguns portugueses vão ficar sem casa e alguns imigrantes bem intergrados na comunidade vão ficar sem o seu negócio, o seu ganha-pão e os seus pseudo-defensores estão silenciosos, cúmplices com este crime que usa a ferramenta do chamado interesse público.

Como sempre as minhas perguntas: Qual o interesse público numa nova praça em Lisboa ou numa nova mesquita? Será Fernando Medina um taliban infiltrado? Aonde está a lacidade do Estado? Que interesses existem nestas ideias de Medina?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

 

publicado por tron às 13:50
|  O que é? | favorito
sinto-me:
música para pensar: Mr. Crowley - Ozzy Osbourne
12
Jun 14



No fundo mesmo em terceiro plano está o prédio que na loja acolhia a Associação ILGA, o prédio em si era de habitação e é da propriedade da CML que correu com os okupas que cuidavam dos andares desocupados e que seriam teoricamente para habitação, emparedou as portas e o edifício está a cair quando se sabe que existe casas suficentes em Lisboa e que estão devolutas e que tiravam todos os sem-abrigo das ruas e também serviam para aqueles desgrçados que vivem em pensões terem o direito a ter uma casa porque este direito é reconhecido pela constituição da república embora esta só tenha servido não o povo mas sim os interesses de uns quantos mostrando a face pura e dura da república que no caso português não tem servido para nada.

publicado por tron às 23:55
|  O que é? | favorito
sinto-me:
música para pensar: Esta Lisboa que eu Amo - Simone
05
Jun 14

Este desgoverno da sociedade sem responsabilidade limitade Coelho & Portas S/A, além de parecer ter saído da república de Weimar, deve estar metido em alguma coisa estranha, daqueles que fazem ver elefantes cor-de-rosa ou fazia viajar os Pink Floyd ou os Beatles quando estes compunham as letras mais entrincadas ou em camadas que por vezes até nos fazem viajar sem darmos por isso.

O Tribunal Constituicional chumbou três artigos do Orçamento do Estado 2014 por estes violarem a Constituição, acontece que um orçamento com chumbo já de si é algo de grave, agora ser o sexto chumbo em apenas 3 anos de governo o que dá uma média de um chumbo a cada dois meses e isto prova que este desgoverno consegue um facto que eu em 10 anos de blogosfera não esperava ver: um governo pior do que o do Sucateiro embora se saiba que muitas das contas que estamos a pagar agora são dos tempos do Sucateiro Sócrates; mas isto não justifica as violações sistemáticas da Constituição, que no caso de existir um presidente da república modelo Ramalho Eanes significava que o governo seria corrido senão a primeira violação ia logo de vela na segunda e se se quisesse manter no poleiro nos 4 anos que dura o mandato completo teria que este governo andar bem direitinho segundo a Lei Fundamental e pelo que sei no Semi-Presidencialismo quem manda é o presidente e não o primeiro-ministro (ver o caso da França).

E fazendo uma simples e directa analogia com o mundo do futebol e com as colectividades no seu todo: quando numa assembleia-geral ordinária (leia-se de rotina) o documento chamado relatório e contas (orçamento executado durante um determinado espaço temporal, em regra é um ano) é chumbado, resta a direcção do clube ou colectividade fazer uma de duas coisas: ou demite-se e há eleições ou então apresenta um novo relatório e contas e como parece que este desgoverno aém de violar os estatutos de Portugal, ou seja, a Constituição; também tem parte do Relatório e Contas chumbado em parte como tal está na hora de algo acontecer e este acontecer é o primeiro ministro apresentar a demissão e passar a batata quente para as mãos do fantoche ou múmia de Belém que tem mesmo que tomar uma decisão em tempo útil.

Mas quem disse que a novela fica por aqui; e não fica porque tanto o desgoverno como a maioria parlamentar pediu a aclaração do acordão que chumba parte do Orçamento de Estado e para cúmulo da ironia, os pedidos de aclaração foram retirados na última reforma do Código Civil, que foi feita pelo presente desgoverno e no programa de debate da Sic-Notícias os três membros do painel de debate: António Costa do PS (sim o mesmo da CML); Pacheco Pereira do PSD e Lobo Xavier do CDS vão contra as reacções de Passos Coelho em relação aos juízes do Palácio Ratton; embora Lobo Xavier compreenda que possa existir conflito entre as entidades de fiscalização (aqui o TC) e o governo porque até é algo normal numa democracia, não se compreende como Passos Coelho venha dizer que se têm que escolher melhor os juízes do TC (dando a ideia que ele o governo era que tinham que escolher os juízes e assim sendo, estes mesmos juízes ainda tinham menos força que a Câmara Corporativa nos tempos do Estado Novo).

Por isso, tenho que dar o braço a torcer a oposição e afirmar que está a  hora deste desgoverno se ir embora porque a nação precisa de alguém que saiba governar de acordo com a lei fundamental e não contra ela e para isso já nos bastou o Sucateiro Sócrates que bem que abusou da Lei Fundamental e se estas violações são sistemáticas este governo para bem da nação tem que ser retirado do poder de preferência a bem e esta ideia tem tant força que se fala na demissão de Passos Coelho dentro do chamado núcleo duro do PSD.

E ficam as minhas perguntinhas de sempre: Para quando as eleições antecipadas ? Será que Passos Coelho se vai demitir ? Quais as consequências para a nação ? Será que vamos ficar pior ou melhor ? Qual será a reacção do presidente da república ? O que nos espera o futuro ? Para que nos serve a república e o seu presidente ?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

publicado por tron às 23:47
|  O que é? | favorito
sinto-me:
música para pensar: I Want It All, I Want To Break Free, We Will Rock You- Queen
21
Nov 13

Soares "Não desgrace mais Portugal, senhor Presidente da República"

 

 

Ao contrário do que se antecipava dias antes da conferência Em Defesa da Constituição, apenas uma personalidade do centro-direita compareceu ao apelo de Mário Soares: Pacheco Pereira.

 

 

 

 

 

 

 

 

(Fonte: Público)

publicado por tron às 23:50
|  O que é? | favorito
sinto-me:
música para pensar: E depois do Adeus - Paulo de Carvalho
13
Nov 13

Rui Machete mais uma vez falou em demasia, mas desta vez acertou pelo menos em parte quando numa visita a Índia disse que para Portugal se safar de um novo resgate, o déficit não poderia passar dos 4,5% e se forem vistas as economias que não tiveram resgate ou que o mandaram passear pelo menos em parte têm todas juros abaixo deste limite quase "mágico".

E todos pensamos que foi mas uma léria do inútil ministro dos negócios estrangeiros, mas afinal não foi porque o próprio FMI disse que nas duas últimas avaliações o presente desgoverno acordou com o falor de 4% para o déficit, apesar do chefe da delgação o indiano Subir Lall ter negado a existência de números mágicos para a resolução do problema português da dívida pública e das finanças da nação, mas o busílis da questão não está por Rui Machete ter dito finalmente algo de relativamente acertado o que é uma raridade quase utópica, mas sim nas palavras do Sr. Lall que deve pensar que aqui em Portugal se está na sua terra natal e ele, o Sr. Lall deve ser de uma casta superior talvez um Xátria e pensa que os portugueses no seu todo em especial o chamado operário ou quadro baixo não passa de um Sudra ou de um  Dalit (intocável, sem casta) e que tem que trabalhar por uma malga de arroz (literalmente) porque este mesmo senhor disse que os trabalhadores não especializados ganham dinheiro a mais em Portugal.

E este senhor, coitado deve mesmo pensar que Portugal é a Índia do sistema de castas e que os das castas mais inferiores têm que trabalhar na base da malga de arroz porque num país com o salário mínimo e os salários da função pública congelados há 4 anos seguidos a caminho do quinto ano de congelação, com um salário mínimo que nem passou dos 500 euros, um salário médio que fica entre os 600 e os 800 euros (sem descontos) e com as rendas de casa a andarem por volta dos 450 euros, então o português não-especializado que já passa fome com 600 ou mesmo 800 euros (sem descontos) para pagar as suas contas, se receber menos ainda vai viver do quê ? Do ar, vai caçar pombos para o centro de Lisboa ou do Porto ou vai caçar os ratos da assembleia da república para ter algo para comer ?

Está visto que este senhor indiano que poderia vir vender chamuças para o Martim Moniz, consegue ser mais infame que o escurinho que por lá andou a chatear o juízo aos portugueses e deve querer transformar Portugal num campo de concentração onde todos trabalham na base da malga de arroz para que o poder político da república fique cada vez mais rico e se é sítio onde há salários excessivos é mesmo no poder político da república onde todos os dias, milhões saídos dos nossos impostos e dos nossos sacrfícios, são deitados pelo cano abaixo nas melhorias e nos aumentos das despesas dos respectivos gabinetes políticos, enquanto o povo vai passando cada vez mais e mais fome e não foi para isso que foi feito o 25 de Abril....acho eu e chegou a hora de cortar nos mimos do poder político da república e distribuir este dinheiro por quem o merece e está mais do que provado que país que paga muito aos políticos tem sempre o povo a passar fome e pelo que sei, uma constituição como a portuguesa é para ser defendida a todo o custo porque Portugal é uma nação e não um estado da União Indiana ou um länder alemão e pela última vez que soube, Portugal ainda era dotado de uma constituição e de uma independência e se o senhor Lall não gosta, olhe coma menos e ... vá a merda.

E ficam as minhas perguntinhas de sempre: O que este senhor Lall pensa de Portugal ? Para que servem tantos sacrifícios ? Porque ainda querem salários mais baixos ? Porque não cortam nos salários e mimos do poder político da república ? Porque querem violar a lei fundamental ? O que será preciso ser feito para a defender ? Que caminho leva Portugal ? Que raio de governo é este que temos ? Que raio de presidente da república que temos ? Porque não se faz um referendo ao euro e a permanência na UE ? Aonde vamos parar ? Para que nos servem as forças armadas ? Porque mataram o 25 de Abril ? Para que nos serve a república e o seu presidente ?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

publicado por tron às 23:12
|  O que é? | favorito
sinto-me:
música para pensar: Alma Mater - Moonspell
28
Set 13

publicado por tron às 23:55
|  O que é? | favorito
sinto-me:
música para pensar: Lucky Guy - Modern Talking
29
Ago 13

Tribunal Constitucional chumba requalificação da função pública

 

 

 

 

O Tribunal Constitucional (TC) chumbou o novo regime que criava o sistema de requalificação na função pública, e abria portas, pela primeira vez, ao despedimento de trabalhadores do Estado. O tribunal considerou que os motivos invocados no diploma para justificar a integração de funcionários neste regime são pouco precisos, tendo em conta o efeito “agressivo” desta lei.

 

 

 

 

 

(fonte: Público)

publicado por tron às 23:40
|  O que é? | favorito
sinto-me:
música para pensar: Sem Eira, Nem Beira - Xutos e Pontapés
28
Out 12

Bagão Félix diz que "reformados são alvo a abater"

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

(Fonte: DN)

publicado por tron às 23:53
|  O que é? | favorito
sinto-me:
música para pensar: Money - Pink Floyd
Outubro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
13
14
15
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
links
blogs SAPO