Reportagens de Critica Investigação e Opinião
REPORTGENS, CRÍTICAS E INVESTIGAÇÕES DO CYBER-RERPORTER + SECRETO DO MUNDO Blog Nacionalista e Monárquico (UM AVISO: AQUI NÃO VAI ENTRAR O NOVO ACORDO ORTOGRÁFICO BLOG MONÁRQUICO E NACIONALISTA)
23
Jul 17

Mais uma vez volto aos trabalhos de campo e pelos piores motivos.

Ontem tive que ir buscar o meu avio semestral para as minhas doenças crónicas e tive que passar na casa de banho da estação de comboios de Campolide e a mesma foi alvo do crónico vandalismo ao ponto de parecer que a mesma casa de banho é alguma casa de banho pública de Sarajevo nos tempos da Guerra da Bósnia e nada nem ninguém está a tomar conta da mesma casa de banho e o segurança está na sua salinha perto da bilheteira.

Este pouco ou nada faz sem ser fazer rondas períodicas, mas os problemas na estação continuam sem que estes sejam resolvidos e além destes casos tenho que mencionar as cancelas que raramente funcionam como deve ser ou os elevadores que não aguentam com grandes pesos sem começarem a tremer todos como estivessem os utilizadores no meio de um sismo e até agora, basta alguém com cerca de 100/120 kilos de peso e uma mala a tiracolo ou uma mochila para se começar a sentir o tremer do elevador.

Esta situação nada tem a ver com a Gerigonça ou com a Caranguejola, mas sim tem a ver por uma parte com a negligência da empresa que gere o espaço e por outro lado com as bestas que não sabem respeitar a propriedade pública e que não passam de escumalha mal formada e mal educada em casa e na escola e depois os utilizadores se queixam que passam a pagar IVA casa vez que vão as casas de banho públicas dos comboios em Lisboa porque no talão comprovativo de pagamento dos 50 centavos/cêntimos de utilização tem a menção "IVA incluído a 23%" e esta solução pelo menos está a desincentivar o vandalismo por lado, mas por outro, as paredes dos arruamentos próximos se transformam em urinóis e no caso específico da estação ferroviária de Sete Rios, foi colocada uma casa de banho portátil para os taxistas usarem.

Estas situações não se verificam apenas em Campolide e as instalações da Gare do Oriente levam o mesmo caminho e gostava de saber o que ganham com isto e se depois quando todas as instalações públicas sem vigilância directa passarem a serem pagas pelos utilizadores e assim o vandalismo nas mesmas instalações acaba, mas com tantos recantos que a Gare do Oriente tem, ainda acaba por ser tornar um mega-urinol com as consequências que daí advêm.

Nem vale a pena deixar perguntas porque ninguém vai responder e apenas vos deixo o pedido habitiual de lerem, comentarem e divulgarem 

publicado por tron às 01:55
|  O que é? | favorito
sinto-me:
música para pensar: Crazy Train - Ozzy Osbourne
02
Out 16

O hermano español do Führer António Costa em termos políticos caiu em desgraça em termos políticos porque por um lado não soube aceitar a derrota nas eleições gerais em Espanha no último Verão que deram uma vitória folgada ao PP de Mariano Rajoy, mas sem a tão maioria absoluta para formar governo e mesmo coligado com os liberais-centristas do Ciudadanos a consegue alcançar porque faltam 9 deputados para formar a tal maioria.

Acontece que as elites do PSOE nunca foram a bola com Pedro Sánchez (o hermano de Costa) e depois das últimas gerais espanholas deram uma espécie de recomendação/ordem para que quando fosse a votação do governo do Ciudadanos e do PP o mesmo PSOE se abestivissem bem como nas leis fundamentais depois de negociação parlamentar prévia como o caso dos Orçamentos do Estado.

A maior bronca foi dada por Felipe Gonzáles, histórico do PSOE e um dos socialistas ainda activos do tempo da chamada transição democrática e que viveu de perto a tentativa de golpe de estado de 1981 que queria o regresso da ditadura em Espanha quando este disse na imprensa que o próprio Sanchéz iria viabilizar o governo do PP e do Ciudadanos eleito neste Verão e depois deu o dito pelo não dito ao que se pode acrescentar derrotas nas eleições provinciais espanholas que se bandearam para o lado do PP ou dos seus aliados regionais em termos de coligações de governo.

Pedro Sanchéz ainda tentou a realização de eleições primárias dentro do PSOE tal como António Costa fez no PS e deu a facada nas costas de António José Seguro e na última quarta-feira o Comité Executivo do PSOE se demitiu em bloco e Sanchéz caiu do poleiro entrando agora o seu partido em autogestão e uma das vozes que estão contra Sanchéz nesta sua teimosia contra a aprovação do governo de Rajoy é a presidente da Junta da Andaluzia, Susana Diaz que pregou mais um prego no caixão ao duvidar da legitimidade de Lopéz como líder dos socialistas espanhóis.

Com esta zarzuela com toques de absurdo gostava de saber o que se passa na cabeça do ainda líder dos socialistas esapnhóis ao não viabilizar um governo que para ser viabilizado apenas precisa de mais 9 deputados a votarem a favor do que aqueles que já tem garantidos e ao mesmo tempo no espaço entre as duas eleições gerais espanholas e se este senhor Sanchéz tivesse estudado bem os resultados das duas eleições gerais espanholas que se realizaram este ano poderia ver que a semente da Gerigonça espanhola foi sendo desbaratada em termos eleitorais porque até o senado já estava perdido e só faltavam as cortes e pelo andar da carruagem o PP até que poderia dispensar o Ciudadanos porque com a perda constante de votos por parte do Podemos e do PSOE, o PP chegaria a tão ambicionada maioria absoluta.

Em Madrid cuja a Alcaide foi eleita por uma franquia da Gerigonça Espanhola já teme pelo seu lugar porque os barões do PSOE ao contrário dos daqui não gramam os trotskistas nem com molho de tomate, sobretudo o Podemos e estão em pulgas para se livrarem do emplastro chamado Pablo Iglésias e com a queda provável do Ayuntamento de Madrid se avizinha uma hecatombe para os socialistas espanhóis e Sanchéz nunca vai ganhar estatuto de barão dentro do PSOE como tem Felipe Gonzalez ou Zapatero.

Esta queda de Pedro Sancéz é o fim do sonho da Gerigonça Ibérica e vamos ver se esta mesma queda não irá ter efeitos de contágio sitémico do lado de cá da fronteira onde somos governados por uma gerigonça e a mesma já está a abrir rachas e já estamos no mês de Outubro que normalmente é o mês em que se discute e vota-se o Orçamento do Estado no ano civil seguinte e até agora nada foi feito, embora sei que o início de Outubro tenha calhado num fim de semana, mas mesmo no final de Setembro já se poderiam ter umas ideias alinhavadas e até agora népias a não ser austeirdade para os hospitais, ordenados repostos nos funcionários públicos e aumento dos bónus aos políticos.

Vamos ver se queda de Pedro Sanchéz não vai se sentir em Portugal porque a Gerigonça já viu dias bem melhores do que se vêem hoje em dia.

E ficam as minhas perguntas: O desmanchar da gerigonça espanhola vai-se reflectir em Portugal? Se se reflectir quais serão as consequências? Porque Pedro Sanchéz não reconheceu a derrota e saiu de cabeça erguida? Porque o mesmo mentiu a um histórico do seu partido? O que vai o Rei Felipe VI fazer agora? O que vai ser de Espanha?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

publicado por tron às 20:43
|  O que é? | favorito
sinto-me:
música para pensar: Great King Rat - Queen
04
Set 16

Mário Nogueira, líder do sindicato comunista dos professores, Fenprof e que ainda em tempos de Sócrates e de Passos Coelho andava empastilhado na luta contra os horários zero dos professores, ou seja, professores não colocados e agora neste segundo ano lectivo com a Gerigonça, mas que vai ser o primeiro que a Gerigonça que está no poder vai abrir tem mais professores sem colocação até do que no último ano lectivo começado e acabado por Nuno Crato, ministro da educação dos tempos de Passos Coelho.

Mário Nogueira diz de uma forma muito pacífica num comunicado onde diz que estes professores sem colocação são precisos para as escolas e para que o ensino seja o mais universal possível e que espera que o actual governo não seja como o governo anterior e que até o início do ano lectivo estes mesmos professores sem colocação tenham turmas atribuídas, ou seja, que tenham colocação e que não tenha uma política de imposição como o governo anterior.

Em poucas palavras, Mário Nogueira que foi mais anti-PS do que o PSD e o PCP juntos, está a fazer contas com o ovo no cu da galinha e se está a fiar em socialistas no governo e como bem diz o povo "Não corras e fia-te na virgem, que vais ver o que te acontece" e neste caso Mário Nogueira que já não pisa uma sala de aulas há mais de 20 anos, portanto estava eu a entrar na fase final dos meus estudos liceais que não cheguei a acabar e este senhor estava a deixar de dar aulas por sua vontade para se meter nas lides sindicais e sair das lides lectivas.

Tem estado desde então só a contestar seja que governo desde que este não seja da CDU e quando temos um governo de direita o homem parece que se passa e ataca o governo de direita por tudo e por nada e quando temos um governo do PS amansa um pouco os seus maus fígados embora continue activo e me lembro bem numa manifestação liderada pela Fenprof e na altura o actual ministro dos negócios estrangeiros, Augusto Santos Silva, na altura ministro dos assuntos parlamentares nos tempos de Sócrates, que ao reagir a manifestação de Mário Nogueira o reduziu a um papel de insigne insignificância.

Parece que este episódio deve estar esquecido na mente de Mário Nogueira e com esta amnésia este mesmo Mário Nogueira aceitou o maior aumento de professores sem turma dos últimos 4 anos como fosse algo natural apontando a baixa natalidade que existe em Portugal em vez de apelar aos seus novos amigos para que se criem mais turmas no ensino público, turmas mais pequenas que iriam aumentar a qualidade do ensino e ao mesmo tempo permitir que mais professores trabalhassem e os mais idosos se reformassem; mas este senhor está numa hibernação e apareceu apenas para contestar os contratos de associação dos colégios com o Estado e alguns colégios que estavam dependentes destes mesmos contratos fecharam e lançaram mais uns quantos professores no desemprego, mas o senhor sindicalista Mário Nogueira se calou.

Este estado de silêncio de Mário Nogueira em relação aos milhares de professores sem colocação mostra que este senhor é mais leal ao partido (no seu caso o PCP) do que aos seus colegas de profissão para os quais Mário Nogueira se está marimbando tirando aqueles que são do seu sindicato e mesmo assim fico na dúvida porque a minha irmã que sofreu um despedimento sem justa causa e pediu ajuda ao sindicato e no fim das contas não lhe serviu de nada porque a coitada ficou sem o emprego e parece que nem recebeu a indemnização.

Este senhor Mário Nogueira é aquilo que se chama um feijão-frade, tem duas caras e vamos ver como o mesmo vai reagir se por alguma hipótese se a Gerigonça çevar uma tremenda derrota nas eleições municipais de 2017 e o governo da gerigonça seguir o mesmo caminho do governo de Guterres e tal como o candidato a Secretário-Geral da ONU, António Costa apresentar a demissão ao presidente da república Marcelo Rebelo de Sousa e depois fica tudo nas mãos do inquilino de Belém que tanto pode seguir o que Sampaio fez e aceita a demissão ou a recusa mantendo a Gerigonça durante algum tempo no poleiro.

Estou mesmo a ver o sr. Mário Nogueira a acordar da hibernação no caso de Portugal voltar a ter um governo de direita e vai começar a deitar cobras e lagartos pela boca fora mesmo que este hipotético governo consiga reduzir o número de professores sem colocação por algum milagre vindo sabe-se lá de onde, mas que poderá acontecer de alguma forma e se este milagre acontecer de haver menos ou mesmo nenhuns professores sem colocação, pago para ver qual será a reacção deste senhor que já largou a escola a tanto tempo que já poderia pedir a reforma da Função Pública devido ao tempo que tem passado no sindicato.

Ficam as minhas perguntas: Qual o contributo de Mário Nogueira para a Educação Pública e para o sistema de educação? Este senhor já pensou em voltar a dar aulas? Porque não critica a Gerigonça quando há mais professores por colocar do que havia no tempo de Passos Coelho? Este senhor se esqueceu como foi tratado pelo ministro Santos Silva nos tempos do Sucateiro Sócrates?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

publicado por tron às 12:52
|  O que é? | favorito
sinto-me:
música para pensar: Mr. Crowley - Ozzy Osbourne
19
Ago 16

O caso da suspensão do Soldado Hugo Ernano da GNR devido a morte de um adolescente cigano numa perseguição policial ainda está a fazer correr muita tinta porque apareceu hoje na edição electrónica do Correio da Manhã um artigo onde a ministra que não percebe nada de incêndios insiste na suspensão de Hugo Ernano, apesar da IGAI (Inspecção Geral da Administração Interna) recomendar a expulsão do mesmo; bem com esta recomendação fico a perguntar aonde estão os pareceres da CPCJ para retirar as crianças e adolescentes de ambientes onde potencialmente se possam realizar actividades criminais.

Acontece que as chefias da GNR pediram a mesma ministra que nada pesca de fogos florestais para levantar a suspensão, mas a mesma ministira insiste na punição e nesta volta um leitor do Correio da Manhã ofereceu mil euros para ajudar o soldado da GNR que está numa situação de miséria total e é apenas uma única ajuda até agora.

Gostava de saber porque estão a proteger um caso claro de crime e punir quem o combateu, mas daquelas mentes brilhantes do MAI que nem sabem o que combater um incêndio florestal de forma decente, tudo se espera até suspender um soldado da GNR quando as chefias apontavam para o sentido contrário porque até o tribunal de apelo retirou o crime de homicídioe não deixa de ser irónica esta suspensão porque o polícia que agrediu o homem e o idoso no final da temporada de futebol no final do campeonato da primeira divisão 2014/15 e que foram o estopim para os actos de violência que aconteceram depois no Marquês e nas áreas próximas nunca foi punido de forma exemplar sabendo-se que o mesmo polícia já tem várias queixas de violência policial antes da mesma agressão em Guimarães há pouco mais de um ano atrás.

Com estas atitudes por parte da tutela da Polícia e da GNR começo a entender cada vez mais porque os membros destas forças da lei e da ordem cada vez ligam menos a crimes e a arruaças graves como aquele caso do restaurante de Kebabs que ia sendo assaltado e foi defendido pelo dono, porque caso a polícia cumprisse com o seu dever ainda vinham acusar a PSP de racismo e aparecia a filial do Bloco de Esquerda chamada SOS Racismo a atacar a polícia.

Não devemos estranhar que as autoridades não se mexam muito no combate ao crime sobretudo quando este envolve outras raças e/ou etnias porque sabem se usarem da força, nem que seja um bastão, serão logo punidos pelo ministério que os tutela e assim sendo mais vale passar umas multas e dar umas dicas aos turistas e pelo meio identificar uns quantos malfeitores de menor importância e deixá-los andar para mais tarde voltarem a sua actividade.

Com esta forma de ver as coisas por parte do MAI em relação a actuação das forças das ordem mais vale acabar com as mesmas forças da ordem ou entãp transformá-las numa entidade de caça a multa para que a Gerigonça apure a máxima receita para se sustentar porque de resto as forças da rodem para mais nada servem no ponto de vista da ministra que não percebe de incêndios porque se agirem ainda podem ser despedidos por violência policial mesmo que esta seja justificada.

Cada vez menos entendo menos esta república onde o crime cada vez compensa mais e a legalidade cada vez compensa menos e este caso do Soldado Hugo Ernano é apenas mais uma prova que em Portugal o crime compensa e vai sempre comepnsar nesta república.

Ficam como sempre as minhas perguntas de sempre: Afinal o que a polícia ou a GNR podem fazer para combater o crime? Será que o crime compensa em Portugal? Quando é que as autoridades podem agir e fazer cumprir a lei? A ministra da administração interna sabe o que faz? Porque querem tanto punir o Soldado Hugo Ernano?

Como  querem que se insira os ciganos na sociedade se eles não cumprem a lei?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

publicado por tron às 12:45
|  O que é? | favorito
sinto-me:
música para pensar: Dead on Two Legs - Queen
26
Mai 16

Que beleza de gerigonça que nós temos e não estou a falar dos cortes nos colégios, mas sim de eventos mais graves que estão a vista de todos e são graves sobretudo porque violam de forma descarada a Lei Fundamental como está a acontecer na zona da Mouraria.

Para os mais distantes da realidade alfacinha, a Mouraria era o antigo gueto muçulmano nos tempos da dinastia de Borgonha ou Afonsina que foi sendo desmantelado ao longo do tempo, mas o nome ficou e a comunidade islâmica portuguesa que ficou quase reduzida a zero com a Inquisição, ganhou força depois do fim da Inquisição, mas sempre bem integrada em Portugal e aumentou sobretudo com a descolonização e com os imigrantes das antigas províncias ultramarinas por um lado e por outro lado através da imigração de outras nações cujos cidadãos assentaram arraiais em Portugal.

 Mas esta massa muçulmana se adaptou bem sem precisar de tenças da CML para construir a Grande Mesquita de Lisboa na zona da Praça de Espanha e até mesmo para mesquitas mais pequenas que funcionam em casas de fieis ou pequenos edifícios mantidos as custas dos próprios fieis o que é normal num estado que se afirma laico como é o caso da república portuguesa.

Aliás a ajuda estatal a qualquer credo religioso está proibido por lei e as únicas ajudas que podem ser dadas a instituições religiosas é quando estas prestam serviços as comunidades locais como serviços de saúde, escolas ou similares ou apoios a terceira idade, de resto quem quiser ajudar uma seita ou religião ajude do seu próprio bolso, seja de forma directa ou seja via declaração de IRS.

É uma vergonha o que presidente da CML, quem nem sequer foi eleito, mas sim nomeado pelo actual Führer da república quando este se lançou ao assalto ao poder com a ajuda da esquerda espartaquista e este mesmo presidente da CML não está a meter o socialismo na gaveta, mas sim está a meter a constituição na casa de banho para que esta sirva de papel higiénico porque esta é usada pelo poder da república não bitola para a criação de legislação, mas sim como arma de arremesso no combate político que não raras vezes é reles nesta nação que quase tem mil anos.

Curioso ver os partidos políticos da república sejam de que espectro forem, calados e submissos, perante uma arbitrariedade contra uma comunidade empobrecida e que está aos poucos a recuperar a sua própria auto-estima e devido a paranóia pelas pracetas e praças para os turistas e pelo verde, o Sr. Medina da CML vai tirar casas a habitantes de Lisboa usando a ferramenta do chamado Interesse Público, mas qual será o interesse público de uma mesquita e de uma praça ou praceta para as turistas mostrarem as coxas no pino do Verão sobretudo numa Sexta Feira para deixar os ânimos alterados com os imans ou mullahs que não vão gostar de  ver tanta coxa ao léu.

Religiões a parte, começo a pensar se o Sr. Medina não estará a pensar a mandar abaixo parte da Rua Palma para fazer uma super praça devido a sua paranóia com praças e com espaços verdes e que tem traços de megalomania que lembra as ideias de Adolf Hitler quando queria transformar Berlim na temida Germânia projectada por Albert Speer; e parece que, as aulas de história estão esquecidas para estes doutores da mula russa que cedem a interesses e não pensam no povo comum que não precisa nada disto, mas sim precisa de casa, educação e pão para não falar na saúde.

Esta megalomania ecologista do Sr. Medina vai-nos sair do coiro, ou seja, dos nossos impostos e ao mesmo tempo que se viola o príncipio da lacidade do Estado e a chamada gerigonça e os seus defensores estão calados enquanto alguns portugueses vão ficar sem casa e alguns imigrantes bem intergrados na comunidade vão ficar sem o seu negócio, o seu ganha-pão e os seus pseudo-defensores estão silenciosos, cúmplices com este crime que usa a ferramenta do chamado interesse público.

Como sempre as minhas perguntas: Qual o interesse público numa nova praça em Lisboa ou numa nova mesquita? Será Fernando Medina um taliban infiltrado? Aonde está a lacidade do Estado? Que interesses existem nestas ideias de Medina?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

 

publicado por tron às 13:50
|  O que é? | favorito
sinto-me:
música para pensar: Mr. Crowley - Ozzy Osbourne
16
Abr 16

O Bloco de Esquerda, uma das mais instáveis e esganiçada peças da gerigonça do novo desgoverno socialista que está no poleiro em Portugal vai colocar a debate uma questão ainda mais importante até do que o despadaçar do sistema finaceiro português e os vários escândalos de corrupção que fazem capa de todos os jornais nesta nação e que servem de fonte de inspiração para o teatro de revista e para os programas de humor de rádio e televisão.

Catarina Martins que não deveria de ter muito em que pensar quando as 50 sombras da troika se aproximam para mais uma sequela com a realização dos socialistas que também escrevem este verdadeiro hino da pornografia financeira do estilo BDSM onde os que gozam são sempre os mesmos e os que sofrem são sempre os mesmos e em vez de se preocuparem com a tempestade que já se levanta com os maus sinais que já se sentem no banco do Estado.

A incompetência que está no ministério das finanças chamada Mário Centeno que desde do caso Banif que cheira pior do que as meias de um futebolista ao fim de um jogo que foi aos penalties passando pelas concessões feitas a esquerda, sobretudo aos sindicatos, quando ainda em tempo de Passos Coelho a coisa parecia bem encaminhada para se evitar a queda de rating dos títulos da dívida pública para a classificação de lixo que signficaria a bancarrota em Portugal, o que seria um record mesmo para os socialistas que nem há 6 meses estão no poleiro e colocam Portugal na falência.

Mas enquanto o PS manobra a TVI a seu bel prazer ao ponto de manipularem dados sobre o caso do Banif e provocarem o pânico entre os clientes ao ponto de empurrar o banco para as mãos dos camaradas do Santander e o Bloco não questiona a sério o desgoverno e nem convida a oposição de direita para que seja feita uma alteração lesgislativa para que seja mais facilitada a demissão do Governador do Banco de Portugal, deixou o presente Führer Costa (das Chamuças e do Castelo) com mais azia do que Pinto da Costa depois do jogo entre o Porto e o Tondela e a baderna na supervisão financeira continua sem que nada seja feito e o fantasma da bancarrota anda mais próximo do que aquilo que estamos a espera. Mas para o BE é mais importante mudar o nome do cartão do cidadão em nome da chamada igualdade de género porque esta mudança é mais importante don que saber se temos algumas moedas no bolso para comprar pão e leite para comer.

Esta ideia saida de um trip mais profunda do que aquelas que os membros dos Led Zeppelin ou dos Pink Floyd tinham nos seus tempos áureos de criação musical mais inspirada e que mostra que a criação de Francisco Louçã que foi a forma que a chamada extrema-esquerda não-maoista ganhou voz se está a mostrar um verdadeiro circo onde a palhaçada e a fonte para anedotas é mais fértil do que os terrenos do rio Minho ou o delta do Nilo nos tempos das enchentes de Verão.

Esta ideia da cartolina da cidadania é uma ideia de quem não tem nada para fazer entre as mãos e depois sai com uma tirada destas que parecem saídas de algum texto de Raúl Solnado ou dos Malucos do Riso ou mesmo dos Monty Pyton e com estas palhaçadas a república vai mostrando as suas facetas de inutilidade porque de podridão já nós sabemos a muito tempo e pelo menos desde 1975 se vai sabendo as claras, embora a podridão venha desde 1910 e enquanto a massa está entretida com estas palhaçadas, o lodo republicano nos vai chupando o sangue de todas as formas e mais algumas.

Vos deixo as minhas perguntas: O que se passou na cabeça de Catarina Martins? De que raio nos vai servir esta ideia? Não há assuntos mais importantes para serem discutidos no parlamento? Andam a fumar tabaco ou algo mais tóxico?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

publicado por tron às 21:41
|  O que é? | favorito
sinto-me:
música para pensar: Lucy in a Sky with Diamonds - The Beatles
12
Fev 16

A assembleia municipal de Lisboa vai levar a votação um documento em que os relatores Helena Roseta que é também o nº2 de Fernando Medina e pelo deputado municipal Diogo Moura detona praticamente todas as ideias de Fernando Medina que queria transformar a Segunda Circular no novo Passeio Público de Lisboa e a única medida que parece ter acolhimento neste documento é o aumentar da superfície do separador central porque de resto nenhuma das outras ideias de Fernando Medina foi aprovada pelos relatores deste mesmo documento.

 No mesmo documento vem a sugestão de criação de corredores BUS na mesma via e um maior controlo de aves voadoras para evitar colisões de aves com aviões dado que a Segunda Circular e além destes mesmos corredores se pede também a introdução de ciclovias e passagem para os animais silvestres que vivem na área da Segunda Circular que segundo o mesmo documento são os bastantes para que se pense numa via para os mesmos animais e para concluir, gestão de velocidade bi-horária na mesma via onde de dia o limite de velocidade é menor do que de noite.

Ideias muito mais positivas do que as ideias iniciais de Fernando Medina que não tinha qualquer tino para serem levadas para frente. Estas mesmas ideias basilares do documento assinado por Helena Roseta e Diogo Moura vão ser levadas ao sufrágio do gabinete do mesmo Fernando Medina e agora se espera do que possa sair da cabeça do edil da maior edilidade da república embora o documento tenha sido assinado pelo seu nº2 na edilidade que mostra ter um pouco mais de sanidade do que o seu superior na maior edilidade da república que deve ter uma estranha forma de visão porque enquanto perde tempo com estas coisinhas ignora as verdadeiras necessidades da cidade se mostrando aquilo que não deve ser um presidente da CML que é ser um verdadeiro incompetente.

Lisboa tem outros problemas muito mais graves do que apenas o trânsito da Segunda Circular, tem por exemplo os arruamentos que no geral estão uma miséria ou a falta de apoio social da CML e a enorme massa de imóveis abandonados que poderiam servir como hbaitação social e boa parte deles são património do município estão a cair de podre e não servem para habitação quando poderiam servir se Lisboa tivesse um edil com tino na cabeça que é coisa que parece não ter e enquanto as pessoas vão tendo masis dificuldade para ter casa em Lisboa, o edil da cidade perde tempo com factos que apenas servem para encher os jornais e os pacóvios ainda vão nos solfejos de flauta do flautista de Hamelin socialista que conduz estes ratos encantados até ao abismo seja o flautista edil ou primeiro ministro.

Já nem sei mais o que dizer da admistração Medina da CML, porque em vez de ler nas notícias uma ideia bombástica para o bem geral da cidade e dos seus habitantes, apenas leio atitudes estúpidas que servem como circo nesta cidade capital de uma república com cada vez menos pão e que cujo pão é de apenas alguns quando deveria de ser de todos e onde além de haver menos pão, há menos educação e menos habitação para não falar em cada vez menos paz interna porque esta mesma paz interna é confundida com submissão que são coisas completamente diferentes, embora para o poder político sejam a mesma coisa.

Espero para ver qual vai ser a reacção do executivo Medina depois deste documento arrasador de uma ideia sem qualquer nexo de razão ou de lógica e que nem se sabe para que serve a não ser encher as capas dos jornais para quando não se fala de futebol ou dos reality shows e assim tem sido gerida a maior edilidade da república, enquanto as preocupações reais da cidade como habitação e segurança são esquecidas de uma forma constante e gritante ao passar dos anos e vão entretendo os pategos com estes factóides que podem causar ira e gozação entre os lisboeta e que no fim apenas servem como cortina de fumo para que os verdadeiros problemas da edilidade fiquem escondidos por detrás desta mesma cortina de fumo.

Como sempre as minhas perguntas: O que tem na cabeça Fernando Medina? Será que não existem outros problema em Lisboa para serem resolvidos mais importantes do que plantar árvores na Segunda Circular? Para quando um edil de Lisboa que pense na cidade e nos seus habitantes?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

 

publicado por tron às 23:14
|  O que é? | favorito
sinto-me:
música para pensar: Esta Cidade - Xutos & Pontapés
16
Jan 16

Quando foi a grande obra no metro de Lisboa pelas alturas da Expo'98 onde o metro teve a sua maior expansão de rede se esqueceram de muitos detalhes como o aumento da extensão das plataformas para que estas tenham capacidade para composições com 6 carruagens devido ao consequente aumento de utilizadores do metro de Lisboa devido não só a expansão do metro de Lisboa por alturas da exposição sobre os oceanos, bem como por causa de expansões posteriores.

Além da falta de dois dedos de testa nas cabeças pensantes do metro que não pensaram em aumentar a superfície das plataformas para que estas fossem compatíveis com comboios de 6 carruagens, tmabém não pensaram em colocar elevadores nas estações de metro que deem para o exterior para pessoas com problemas de locomoção e os que existem, parte deles, ficam em ártios que fecham mais cedo do que o horário do metro e que estão fechados ao fim-de-semana.

Agora o grande problema do metro além das obras da expansão da plataforma da estação Areeiro que nunca mais acabam há o problema da estação Arroios que além da nula acessibilidade, nunca sofreu aumento de plataforma nem quando esteve encerrada na renovação do metro por conta da Expo'98 ficando sempre na mesma até agora verem a grande borrada que fizeram e agora deitam as mãos a cabeça para saber o que podem fazer porque de imediato apenas podem fazer uma de duas coisas: ou voltam a por comboios com 4 carrauagens na hora de ponta na Linha Verde ou encerram a estação Arroios para que se possam por comboios de 6 carruagens na Linha Verde nas horas de ponta com os desconfortos que possam vir daí, mas ninguém disse preto no branco quando que a expansão da plataforma começa e esta obra que num país civilizado se considerava uma obra urgente, o que dispensaria um concurso público; aqui em Portugal tal não acontece porque deve haver outros gastos mais importantes do que os transportes públicos.

Mas Portugal não é um país civilizado e basta ver como está o sistema nacional de saúde que simplesmente não funciona como deveria funcionar e os transportes em Lisboa estão cada vez piores e alguns transportes de reserva como os elevadores, se transformaram em atracções turísticas estupidamente caras banidas ao comum dos lisboetas faznedo com que estes tenham que dar mais voltas de transportes públicos ou então andar a pé numa cidade que é uma verdadeira montanha russa de sobe e desce devido as sete colinas que são o seu cartão de visita.

Agora a ideia de encerrar a estação de Arroios, não para que esta seja renovada, mas porque não tem capacidade para comboios do metro de 6 carruagens é mesmo ir pela lei do menor esforço porque o mal menor era colocar composições de 4 carruagens na linha verde nas horas de afluxo maior de passageiros e se deixarem de poupanças que apena benificia o metro e não as pessoas o que trama logo aí o conceito de serviço de utilidade pública e quando encerrassem a estação de Arroios fosse para a sua renovação e não por conviniência do metro de Lisboa que é conhecido pelas greves crónicas e pelos super-salários dos seus funcionários que ainda reclamam do prato que comem.

Volto a dizer porque não fizeram o aumento da extensão das plataformas quando o metro esteve encerrado quando foi a expo'98 porque tiveram tempo sufienciente para dar uma renovação decente ao metro de Lisboa, mas a obra foi conduzida de forma incompetente e por vemos estações que foram renovadas por altura da exposição dos ocenanos a meter água quando chove, outras que ficaram por renovar e agora metros com três carruagens na hora de ponta na linha Verde, metros que parecem latas de sardinhas porque até se tivessem mais uma carruagem as pessoas não ficavam tão apertadas, mas como querem poupar para mimar os funcionários que estão sempre em greve, lixam os utentes e quem pode ou anda a pé ou em último caso usa automóvel ou outro transporte alternativo.

Como sempre as minhas perguntinhas que quase nunca têm resposta: Porque não fizeram a extensão das plataformas quando o metro esteve encerrado na expansão feita quando foi a expo'98? Porque não colocam metros de 4 carruagens até resolverem a situação da estação Arroios? Porque a querem encerrar? Que mentezinhas são estas que gerem os transportes de Lisboa?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

publicado por tron às 13:07
|  O que é? | favorito
sinto-me:
música para pensar: Money For Nothing - Dire Straits
14
Jan 16

Fernando Medina, o novo edil de Lisboa, da maior autarquia da república, e que substitui no cargo António Costa, recentemente promovido a Führer da República; está com novas ideias para uma das mais concorridas vias da cidade de Lisboa e que separa os dois principais emblemas desportivos da capital e ideias que estão a sofrer mais contestação do que aprovação e são daquelas ideias que se costuma dizer que nem lembra ao diabo.

As ideias de Medida sobre a Segunda Circular passam pelo plantio de árvores nos separadores centrais o que já motivou a contestação da ANA - Aeroportos e Navegação Aérea porque a Segunda Circular é uma zona de aproximação ao aeroporto da Portela e as mesmas árvores irão ser um perigo para os aviões que se aproximam, além das árvores o mesmo Fernando Medina teve a ideia de repavimentar e melhorar a drenagem da mesma via; até aí nada demais, mas não há bela sem senão e o mesmo Medina quer reduzir o tráfego na mesma Segunda Circular, reduzindo a a largura em alguns troços da mesma via e se a ideia for para frente a coisa via ficar feia para os moradores da Avenida dos EUA, Avenida de Roma, Chelas e Avenida Marechal Spínola que vão levar com o tráfego que vai ser retirado da 2ª Circular.

Acontece que agora moram pessoas na Marechal Spínola e ainda antes desta ideia tive o azar de entrar de carro nesta bendita avenida quando uns conhecidos me deram boleia depois de ir resolver um assunto ao Parque das Nações (aka. Expo'98) e acontece que por volta das 16/17 horas a Marechal Spínola no sentido Chelas-Avenida dos EUA estava literalmente parada e ainda esperei uma boa meia hora para que o carro onde eu estava se movesse 1 metro e levei quase uma hora a sair daquele inferno; agora imaginem o inferno que vai ser canalizar o trânsito da 2ª circular para a Avenida Marechal Spínola e com pessoas a morarem nesta mesma avenida a levar com toneladas de gás de escape dos milhares de automóveis que passarão a circular numa avenida já de si problemática em relação ao trânsito e a conta disso a Prevenção Rodoviária já veio mostrar o seu desagrado com a ideia.

Nem sei o que se passou na moina do edil da maior edilidade da república quando se sabe que em Lisboa há problemas mais graves como a mobilidade no centro da cidade comprometida com as chusmas de Tuk-Tuk e as obras deixadas dos tempos de António Costa, bem como o problema da habitação social porque se sabe que existe em média 2 a 3 casas por cada lisboeta e casas devolutas nesta bendita cidade é coisa que não falta e a CML não mexe uma palha para alugar casa a quem precisa em vez da Santa Casa ou outras instituições estarem a pagar quartos em pensões e em alojamentos precários cujo custo chega a ser igual a uma renda de um T1 no centro de Lisboa, a CML poderia dar mais vida ao centro da cidade que cada vez se parece mais com um hotel gigante e artificial sem os genes da verdadeira Lisboa porque estes foram obrigados a migrar para os dormitórios da chamada Área Metropolitana que cada vez estão mais sobrelotados e devido ao facto de em muitas famílias, as crianças e jovens ficarem horas sem fim na escola a espera que os seus familiares os vão buscar ou em casa a espera que venham os pais depois de um dia de trabalho e de horas nas estradas de acesso a estes mesmos dormitórios.

Este senhor Medina está mesmo a meter o socialismo não na gaveta, mas no fundo de uma cave escura porque anda com obras faraónicas e se esquece do essencial e daquilo onde uma edilidade como Lisboa deve intervir como a habitação social ou a drenagem de ruas e avenidas que é sempre um pesadelo cada vez que cai uma bátega de chuva na capital da lusofonia e não se preocupar com obras faraónicas que cada vez tornam menos habitável a cidade que em séculos passados deu novos mundo ao mundo e chegou a ser o centro do mundo civilizado e que deu ao mundo várias figuras nas mais diversas áreas.

Este novo edil que nem sequer foi eleito em eleições intrecalares como foi o caso de António Costa se arrisca a ser um edil ainda mais incompetente do que foi Santana Lopes ou mesmo Carmona Rodrigues que foram o paradigma da incompetência como edil de Lisboa nos últimos 40 anos pelo menos e com o Senhor Fernando Medina este paradigma foi batido e foi recriado num padrão mais reles.

 Como sempre as minhas perguntas de sempre: O que se passa na CML? O que se passa na cabeça de Fernando Medina? Será que Lisboa é uma cidade para os seus habitantes ou é apenas um hotel? Para quando medidas para a cidade que sejam utéis?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

publicado por tron às 23:10
|  O que é? | favorito
sinto-me:
música para pensar: Highway to Hell - AC/DC
20
Dez 15

Arnlado Matos, fundador do único partido maoísta no activo em Portugal veio há alguns dias dizer que estava a favor dos atentados de Sexta-Feira 13 de Novembro por parte de terroristas islâmicos que agiram a ordens do chamado Exército Islámico ou ISIS ou Daesh porque estes estavam a lutar contra o poder imperialista do ocidente e que é a favor de tudo aquilo que o Daesh defende.

Ao ler isso fiquei meio pensativo, para não dizer meio a bater da bola, porque ninguém no seu perfeito juízo por muito esquerdistas ou direitista que fosse diria tais disparate, mas não nos podemos esquecer que pouco antes dos antentados, nas ressaca das últimas eleições gerais suspendeu por motivos políticos um dos militantes mais conhecidos e carismáticos do partido que tem a sua sede num 2º andar alugado a CML no fim da Rua da Palma em Lisboa, Gracia Pereira e na volta o scretário-geral foi no mesmo caminho, o cidadão Luis Franco.

Me perguntam os mais ignorantes que partido é e vos digo já qual é: é o PCTP/MRPP que é tão mauzinho que chegou ao ponto de fazer um bullying psicológico ao ponto de Garcia Pereira se demitir do mesmo partido que era caçado nos tempos finais do Estado Novo e que foi viveiro de muitos políticos nossos conhecidos como Ana Gomes, agora no PS; Cherne Barroso, agora no PSD; Fernando Rosas, agora no BE; entre outros.

E agora com esta triste saída, Arnaldo Matos, madeirense como Garcia Pereira e Alberto João Jardim; parece que saiu de uma longa hibernação qual a personagem principal do filme Good Bye Lenin ao afimar que todas aquelas vítmas dos atentados foram mercidas porque os terroristas é que são as vítimas do imperialismo e são lutadores contra o imperalismo ocidental e norte-americano; ao ler isso fiquei mesmo de boca aberta como há genter que defende os genocidas do Daesh como fossem heróis de uma pátria oprimida por alguma ditadura quando o próprio Daesh é uma ditadura das mais extremas ao ponto dos seus membros serem tão ruins que até o seu núcleo é constituido por membros expulsos da Al-Qaeda por serem demasiadamente radicais para os padrões da Al-Qaeda.

Não sei é como ainda há pessoas que defendem os actos do Daesh sobretudo quando envolve morte de inocentes e se o MRPP é um partido anti-clerical fanático vai apoiar um movimento de fanáticos religiosos é como tentar misturar azeite com vinagre ou então Arnaldo Matos quer estve muito tempo a hibernar na sombra de Garcia Pereira, apareceu para dar um sinal de vida, ao contrário de Camilo Mortágua, pai de uma das cabeças pensantes do Bloco de Esquerda, que se deixou das políticas e agora é um proprietário agário passando o tempo a ganhar dinheiro a cavar batatas (literlamente) e se calhar foi o que faltou a Arnaldo Matos se tornar em mais um agrário de esquerda em vez de dizer coisas que choca a humanidade, mas quem defende o maoísmo no seu sentido mais duro como queria a Camarilha dos 4 nos tempos de Deng Xiaoping quando a China Vermelha se abria para o mundo civilizado e ocidental.

Este senhor deu um sinal de vida num partido que anda assim meio aos repelões como fossem estretores de uma morte anuciada e que é sempre adiada numa espécie de distanásia política que com estas palavras vai dando sinais de vida parcos de um partido que passa o tempo calado até quando acontecem umas eleições de âmbito nacional e onde dão um ar da sua graça que nem nas eleições presidenciais vai dar sinais porque correram com o seu candidato crónico as eleições presidenciais e agora neste ar de silly season eleitoral misturado com fool's season do Natal não dão quaisquer sinais de vida dando a impressão de serem um animal moribundo a espera de uma injecção de eutanásia do veternário.

De facto o PCTP dá razão aos saudiosistas do Estado Novo quando este dava caçada aos membros deste partido que consegue ser pior em muitos pontos do que o Estado Novo e agora está a entrar numa onda de radicalismo extremo que torna os membros mais radicais do PNR em meninos do coro e que no meio da sua senilidade vai dando a conhecer a sua verdadeira face.

Como sempre as perguntinhas: O que este senhor tem na cabeça? Porque defende o Daesh? Que pessoa é Arnaldo Matos? Que partido é o PCTP?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

publicado por tron às 17:56
|  O que é? | favorito
sinto-me:
música para pensar: Kill Fuck Die - W.A.S.P
Outubro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
13
14
15
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
links
blogs SAPO