REPORTGENS, CRÍTICAS E INVESTIGAÇÕES DO CYBER-RERPORTER + SECRETO DO MUNDO Blog Nacionalista e Monárquico (UM AVISO: AQUI NÃO VAI ENTRAR O NOVO ACORDO ORTOGRÁFICO BLOG MONÁRQUICO E NACIONALISTA)
19 de Junho de 2017

Dedicada a todos aqueles que lutam contra esta tragédia que parece não ter fim....

 

 

 

Heroes - David Bowie .... versão cantada ao vivo no concerto de tributo a Freddie Mercury em 1992 e que é encerrada com recitação do Pai Nosso em inglês

 

 

 

Por vezes temos que nos agarrar a fé para ganharmos força para enfrentar as nossas dores e eu na minha curta vida de 38 anos já tive a minha dose de dor para contar as gerações futuras

 

 

 

 

 

publicado por tron às 04:18
 O que é? | | favorito
sinto-me:
música para pensar: Heroes - David Bowie (dedicada aos Bombeiros)

Este ano, melhor por estes dias da semana que começou no 11 de Junho e acabou ontem e na semana seguinte que começou hoje estão em definitivo marcados pela tragédia do Pedrogão Grande que ainda acontece.

Tragédia que se deve a um incêndio florestal que nunca mais acaba e a falta de meios por parte da Protecção Civil é gritante e depois da tragédia do Caramulo há coisa de dois anos atrás nada foi feito e a tão falada prevenção não aparece e nem pode aparecer porque neste último Inverno não foi rara a notícia em que num recanto qualquer desta nação com quase mil anos de vida.

As falhas na chamada prevenção são demasiadas para serem passadas em claro e para não serem apuradas responsabilidades tanto materiais como políticas nesta tragédia que já vitimou mais de 60 pessoas havendo crianças nestes números trágicos que não vão parar de aumentar no mais trágico incêndio florestal de que se tem conhecimento em Portugal e um dos mais trágicos a face da Terra.

Os meios que se tinham há uns anos por parte da Força Aérea estão parados a criar ferrugem e ninguém os coloca em uso não se sabe porquê e o Comandante Supremos das Forças Armadas nem sequer se dá ao trabalho de saber porque estes meios não são usados e os os meios que não estão alocados à Força Aérea estão avariados e têm que vir meios de outras nações para resolver uma crónica falta de meios que não se explica de forma lógica.

Esta tragédia me deixou em estado de choque ao ponto de eu não ser mais capaz de ver os telejornais dos vários canais de televisão e me refugiar a ouvir algum dark metal para me isolar nem que fosse por uns minutos para ter algum apetite para o jantar e que não foi muito apesar deste ser uma coisa que gosto de comer muito, mas não tive a mínima fome e tomei os meus medicamentos mesmo com pouco comer no estômago.

Pelo que andei a ler nas redes sociais e nas edições electrónicas dos jornais nacionais; as ajudas começaram a chegar, que sejam de fundações como dos comuns cidadãos que têm acorrido aos quartéis de bombeiros para ajudarem os soldados da paz que na sua grande maioria são voluntários e estam literalmente a enfrentar a morte numa tragédia sem qualquer paralelo na história desta nação chamada Portugal.

Estou com uma raiva por dentro que me consome porque ninguém no Inverno, e me estou a referir a Gerigonça e ao poder local que não tiveram a mínima preocupação em prevenir os fogos sabendo-se que há coisa de há dois anos aconteceu em Portugal um incêndio semelhante na serra do Caramulo e mesmo com esta tragédia na memória de muitos de nós não se precaveram.

Também li para colocarem os benificiários de RSI a limpar as florestas e eu tenho uma resposta para quem lançou esta ideia: eu apesar de ter asma e epilepsia ia de boa vontade, apenas exigia 3 coisas: material para desbastar o mato, refeição e transporte; se tivesse estas 3 coisas eu dava uma mão a limpar as florestas desta nação, mas nem Caranguejola e muito menos Gerigonça levam esta ideia para diante e daqui a alguns meses temos eleições municipais e a ministra da Administração Interna que nunca passou duma versão feminina de Alberto Costa (ministro da mesma pasta dos tempos de Guterres que foi rotulado como o pior ministro desta pasta, sobretudo devido a sua incompetência a lidar com os problemas das forças da ordem e com os incêndios) porque depois das mesmas eleições municipais volta ao seu hobby que é aparecer nas chamadas revistas cor-de-rosa deixando para os adjuntos o trabalho pesado e doloroso.

Apenas deixo umas quantas perguntas: Quantas mais almas se vão perder nos incêndios por falta de prevenção? Quem tem a culpa destas tragédias? Quando é que estas tragédias deixam de acontecer?

 

 

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

 

 

 

 

Post-Scriptum: Todas as redes internacionais de televisão falam desta tragédia. Mais uma vez Portugal nas bocas do mundo pelos piores motivos, apenas espero que este espalhar pelo mundo consiga juntar o máximo de ajuda para os bombeiros e para as vítimas

 

publicado por tron às 03:33
 O que é? | | favorito
sinto-me:
música para pensar: Heroes - David Bowie (dedicada aos Bombeiros)
14 de Agosto de 2016

A ministra da administração interna da gerigonça, Constança Urbano de Sousa voltou a afirmar na SIC Notícias que o MAI tem meios para controlar os fogos e colocou as culpas na meteorologia para o descontrolo dos fogos porque segundo a mesma não se previa o calor extremo que se sente nem as rajadas de vento que ajudam a aumentar a força das chamas e não falou na falta clara de meios para o combate aos fogos e a falta de vontade dos vários desgovernos da república para apostarem na prevenção de incêndios florestais.

Como não bastasse esta falta de vontade dos vários desgovernos na prevenção, a actual ministra da administração interna mostrou um desinteresse na situação porque quando a coisa estava mesmo feia como o fogo dantesco da Madeira, estava a senhora ministra na festa da revista Flash no Algarve e não saiu da festa para saber o que se passava ou aquilo que o seu ministério deveria de fazer e esta incompetência se estende ao resto da Gerigonça porque o ministro da defesa não dá ordem para os aviões da Força Aérea que estão equipados para combate aos incêndios levantarem voo e cumprir a sua função.

 E os incêndios florestais fazem todos os anos mais estragos e mais vítimas e a prevenção parece esquecida e poderiam ver neste ponto, a quantidade de eucaliptos plantados em Portugal sobretudo em zonas que são cronicamente afectadas por estes mesmos incêndios e ninguém pensa em arrancar esta maldição das nossas florestas, porque o termo é mesmo este, maldição enquanto espécies nativas do sul da Europa como os carvalhos, sobreiros e pinheiros estão esquecidos na silvicultura e onde se plantam os eucaliptos tudo seca a volta devido a exigência hídrica da mesma planta e a introduziram devido a produção de pasta de papel, mas o pinheiro é outra boa fonte de polpa embora demore mais tempo para que um pinheiro fique produtivo e ainda temos que contar com os pinhões que valem literalmente o seu preço em ouro.

A existência de plantações de eucaliptos ou de grandes plantações não tem razão de ser porque Portugal imposta pasta apesar dos milhares de eucaliptos que estão plantados em Portugal e neste ponto os ministérios do ambiente e da agricultura poderiam corrigir erros dos governos anteriores e uma forma de corrigir estes erros anteriores seria a criação de subsídio para o arranque de eucaliptos e a sua substituição por outras árvores, mas nada é feito sabe-se lá devido a interesses escondidos e que financiam a máquina política da república.

Estas forças ocultas que têm vindo a sustentar o poder político da república nos tempos mais recentes e que estão a frente de todos e ao mesmo tempo ninguém sabe quem são, mas há certas épocas no ano onde estes interesses ocultos saltam mais a vista e uma delas é o Verão onde há interesses instalados como as empresas de combate aos fogos quando temos a Força Aérea que tem equipamentos para combate aos fogos e a ministra da administração interna que no seu analfabetismo político e social diz que a Força Aérea não tem meios para combate aos incêndios, mas afinal tem de tal forma que em 1988 quando foi o incêndio do Chiado chegaram a estar de prontidão.

Gostava de saber o que esta senhora está a fazer num cargo de tanta importância e se tem competência para tal porque ainda estávamos em estado de choque com os fogos que massacravam esta nação como o da Ilha da Madeira veio um oficial da Força Aérea colocar os meios que este ramo das Forças Armadas têm desde há muito tempo e desde que meteram os privados no combate aos fogos têm estado parados.

Mas a senhora ministra veio defender uma suposta estratégia de combate aos fogos coordenada entre o seu ministério, a protecção civil e outras entidades, leia-se os privados que vão lucrando com os incêndios e ainda leva paninhos quentes do ministro da defesa que ainda apoia as bacorada que diz e é nestas alturas que se vê a competência ou incompetência de um qualquer governo e a incompetência da Gerigonça é gritante.

Ficam as minhas perguntas como sempre sem resposta: Porque esta senhor ministra não larga as festas da Flash e é uma ministra de tempo inteiro? Afinal que Gerigonça é esta? Porque não usam a Força Aérea para combater os fogos? Quem ganha com os incêndios? Quando é que este suplício pára?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

 

publicado por tron às 13:00
 O que é? | | favorito
sinto-me:
música para pensar: Death on Two Legs - Queen
11 de Agosto de 2016

Todos os anos por esta altura do ano além das touradas na televisão e da Volta a Portugal em Bicicleta, há outra "tradição" em Portugal que nada tem a ver com as outras e que cada vez faz mais danos e vítimas com a incúria dos vários ministros que têm o dever de evitar esta mesma "tradição" e vos estou a falar dos incêndios florestais que massacram todos os anos Portugal sempre por esta altura do ano.

Muito se fala e cada vez menos se faz na prevenção e depois aparece o ministro do ambiente a deitar água na fervura a dizer que poderia ser pior, mas pior do que este ano onde todos os distritos de Portugal Continental têm pelo menos um incêndio no seu território, o que pode ser pior do que isto e ainda temos que juntar a hecatombe da Madeira que parece o incêndio de Roma em 64 d.C. e que tal como o da Madeira teve origem criminosa.

Felizmente há particulares e empresas ajudar os bombeiros e ainda temos que falar do governo de Timor-Leste e dos governos de Marrocos e de Itália que ao contrário de Portugal têm esquadrilhas próprias anti-incêndios e cederam meios aéreos e o governo da antiga província ultramarina portuguesa a meio caminho entre a Ásia e o Pacífico decretou a doação de dois milhões de dólares para os bombeiros para as populações afectadas.

O Bola de Ouro vai mandar um donativo generoso para a sua terra e dois bancos abriram contas solidárias para os bombeiros, claques e clubes de futebol fazem angriações e isto tudo um bonito de se ver, mas aonde está a prevenção e não me venham com a desculpa das florestas que são propriedade privada porque nestes últimos casos não são raros os casos de proprietários multados por limpar a suas zonas florestais.

Não sei porque em tempos de crise acentuada ainda se usam meios de empresas privadas quando temos uma esquadrilha especializada da Força Aérea em incêndios como Espanha e Marrocos têm, aliás devemos de ser a única nação do mundo dito civilizado que não tem uma esquadrilha destas seja ela militar ou dos bombeiros ou dos parques florestais (como nos EUA), mas aqui em Portugal são mais ricos e querem continuar a sustentar este grande negócio que deve estar a suportar o poder político da república e por isso não se interessam nem em prevenir os incêndios florestais nem a punirem os incendiários porque há muito dinheiro escondido neste atentado terrorista chamado época de incêndios e falam em época como estivéssemos a falar da época dos melões ou dos dióspiros.

Chega desta conversa de época de incêndios e está mais do que do tempo de se investir na prevenção e como a chamada biomassa que são os detritos florestais podem ser usados como fonte de energia atravês de queima em centrais térmicas, a limpeza das florestas seja ela feita pelo Estado ou por particulares com a venda dos respectivos detritos vegetais nos pouparia rios de dinheiro em carvão e petróleo e não tínhamos os actos terroristas chamados incêndios florestais porque mesmo com o aquecimento global, Portugal não tem os picos de calor como tem a Austrália ou a Califórnia onde por muito boa que seja a prevenção, estes mesmos picos de calor inflamam a resina das árvores e estes mesmos incêndios são quase sempre notícia principal nos telejornais.

Se tanto o ministério da justiça, como o do ambiente ou administração interna não fazem puto em relação ao problema dos incêndios, sobretudo na prevenção, então façam um favor a nação e demitam-se ou despromovam os respectivos ministérios para secretarias de estado dependentes directamente do primeiro ministro porque não estão a cumprir com os respectivos deveres e como tal devem apresentar a demissão e os suportes desta gerigonça que nos governa: PAN, CDU (PCP +PEV) e BE devem questionar a atitude do governo perante os incêndios e como é o casos exigir responsabilidades, mas se estão calados como está o governo então são taõ bons quanto os incendiários estão de acordo que sejam privados a apagar os fogos em vez de ser a Força Aérea que por acaso tem aviões especializados na extinção de fogos que usam uma massa extintora em vez de água, mas as finanças dos partidos falam mais alto.

E ficam as perguntas de sempre: Que ganha com os incêndios florestais? Porque raio não se usa a Força Aérea para os meios aéreos e alugam-se aviões a privados? Porque não se pensa na prevenção usando-se por exemplo benificiários de RSI que se recusam a ir para cursos do Centro de Emprego? Quando é que este terrorismo do fogo posto acaba? Porque não instauram pena máxima de 25 anos para os incendiários sem hipótese de condicional? Do que a Gerigonça

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

 

publicado por tron às 15:47
sinto-me:
música para pensar: Is This World We Created...? - Queen
Junho 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
Visitantes
AmazingCounters.com
links
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
Um de seis Milhões