Reportagens de Critica Investigação e Opinião
REPORTGENS, CRÍTICAS E INVESTIGAÇÕES DO CYBER-RERPORTER + SECRETO DO MUNDO Blog Nacionalista e Monárquico (UM AVISO: AQUI NÃO VAI ENTRAR O NOVO ACORDO ORTOGRÁFICO BLOG MONÁRQUICO E NACIONALISTA)
27
Out 17

Em Portugal, mas precisamente, no Tribunal da Relação do Porto, existe um juiz que deveria ter estado em hibernação durante  a revolução dos cravos e apesar de ter apenas 28 anos de serviço parece vindo de tempos antigos, onde os direitos humanos não eram iguais entre homens e mulheres e onde as mulheres pouco mais eram do que escravas ou objectos para os homens fazerem das mulheres capacho.

O juiz em questão é o meritíssimo juiz Joaquim Neto de Moura que já em 2013 quando apenas era um juiz auxiliar no Tribunal da Relação de Lisboa, já tinha sido polémico, para não dizer pior quando reduz a pena a um agressor acusado em primeira instância de violência doméstica, "homem" que tinha agredido a sua esposa que tinha uma criança de nove dias de idade ao colo ao murro e as dentadas, ao absolver o mesmo agressor do crime e apenas o penalizar com uma multa de 350 euros devido a agressão que foi desagravada pelo mesmo juiz.

Este mesmo juiz, já como desembargador na cidade Invicta, absolveu outro agressor porque a esposa do mesmo trocava sms com um suposto amante e o agressor que tinha sido condenado a uma pena por agressão, mas que era pena suspensa, acabou absolvido por este mesmo juiz porque a vítima não tinha qualquer crédito (palavras do mesmo juiz).

Já no ano passado o mesmo juiz assinou um acórdão em parceria com uma colega, a juíza desembargadora Ana Bacelar onde um acórdão do mesmo tribunal revoga uma medida de afastamento urgente de um "homem" por violência doméstica da residência do casal por supostamente as ameaças entre as partes serem recíprocas ao ponto da alegada vítima dos maus tratos ter desejado a morte do agressor.

Mas o mais grave foi o que aconteceu esta semana quando o mesmo juiz usou a Bíblia para justificar as agressões sofridas por uma mulher tanto da parte do marido como da parte do amante e o mais grave é que o mesmo acórdão não foi apenas assinado pelo juiz Neto de Moura, mas também foi subscrito pela juíza Maria Luísa Abrantes e além das citações bíblicas que está erradas e incompletas foi rabuscar o código penal de 1836 onde aparece criminalizado o adultério, quando na actualidade tal facto não é mais crime.

Acontece que o mesmo acórdão não é passível de recurso para Supremo e o melhor que a vítima deste caso pode fazer é recorrer para o Tribunal dos Direitos do Homem em Haia porque a justiça de Portugal não lhe pode valer e por outro lado este mesmo juiz em 2007 este mesmo juiz foi alvo de um processo por abuso de autoridade, mas o mesmo processo não deu em nada.

Além das referências bíblicas o que torna o acórdão polémico é também o facto de ser também subscrito por duas juízas o que tornar a polémica deste processo de agressão contra uma mulher ainda maior e dá que pensar em que mundo vivemos e que alguns juízes devem pensar que o mundo ainda não evoluiu com as decisões que tomam e por outro lado as relações humanas chegaram a um ponto em que fico a pensar aonde que se chegou onde o respeito mútuo desapareceu e uma coisa que aprendi com a minha família foi que o respeito entre um homem e uma mulher nunca se alcança pela violência mas sim pelo diálogo e quando se chega a violência mais vale cada um ir para o seu lado porque a violência não leva a nada.

Por exemplo eu e a minha comapnheira temos uma ou outra discussão sobretudo porque o dinheiro a nós é curto mas dá mais ou menos para tudo, mas no fim chegamos sempre a um acordo ou um consenso sobre o que estamos a discutir sem haver qualquer episódio de violência e com estes casos se vê o quão está decomposta a sociedade portuguesa.

Ficam as minhas perguntas de sempre: Porque fizeram as citações bíblicas se Portugal é um estado laico? Que raio de acórdão é este? Afinal onde para o respeito entre as pessoas?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

publicado por tron às 13:01
|  O que é? | favorito
sinto-me:
música para pensar: Mr. Crowley - Ozzy Osbourne
11
Abr 17

O preseidente do Eurogrupo, o holandês Jeroen Dijsselbloren, que é socialista disse ao jornal alemão Frankfurter Allgemeine Zeitung que Portugal era um país onde se gastava muito dinheiro em mulheres e vinho e indo por um vernáculo comum em Portugal podemos traduzir a frase do chefe do eurogrupo como Portugal sendo um país de p... e vinho verde e ele, infelizmente tem razão.

E tem razão porque basta dar um passeio pela baixa de Lisboa e em quase todas as esplanadas da baixa de Lisboa temos nas mesas garrafas de vinho verde servido aos turistas com vários malabraismos e quando não são os turistas é ver as tascas cheias, não para o McDonald's do Tuga que é a patanisca e a sopa (normalmente caldo verde), mas sim para encher de bebidas alcóolicas e boa parte dos clientes das tascas benificiam de algum apoio social e no caso das mulheres, basta ver que as empregadas dos cafés e restaurantes da baixa não foram escolhidas por terem alguma hablitação linguística, mas sim apenas pela sua aparência.

E este artigo acaba por ser uma espécie de dois em um porque vou fazer uma referência ao que aconteceu naquele hotel em Espanha onde um grupo de adolescentes com cérbero de anémona fizeram estragos e que vem dar uma certa razão ao Jerónimo da Holanda e depois vou lá voltar.

Ainda no ponto de vista do político socialista que não deixa de estar longe da realidade porque a imagem que Portugal tem lá fora é mesmo esta: vinho e mulheres e ninguém fala noutras virtudes desta nação como a cultura (sem ser o fado) ou as imensas paisagens tanto no interior como no litoral que não são divulgadas lá fora, sabe-se lá porquê não são divulgadas nos grandes guias de viagens e Lisboa está literalmente entulhada de turistas e mal se respira em Lisboa.

Voltando ao assunto de Espanha, o que aqueles estudantes fizeram em Espanha na viagem de finalistas que foi de lamentar e para ajudar a festa apareceu uma mãe de um dos alunos que disse que aquele comportamento foi normal e os hotéis e outros estabelicimentos afins em zonas de praia recusam viagens de finalistas por temerem cenas semelhantes àquelas que aconteceram em Espanha e estes mesmos alunos e esta mãezinha que também é professora vem dar ainda mais razão ao Jerónimo da Holanda que Portugal é um país e devassidão e vício. E esta mãezinha e professora é professora do ... sistema público (que surpresa) e pela idade é da chamada "geração rasca", mas vou entrar em detalhe neste desastre de Espanha com mais detalhe noutro artigo.

Curioso ver os políticos da república virem a terreiro defenderem a honra da república como esta fosse uma virgem ofendida, quando na realidade o Jerónimo da Holanda disse a verdade, embora na terriola dele não sejam nenhuns santinhos e também é terra de vício embora, os vícios estejam devidamente enquandrados por medidas legais como prostituição legalizada e com todos os direitos sociais como um qualquer trabalhador; cannabis liberalizada mas que não pode sair do território holandês e pasmem-se....o alcóol é taxado na concentração por litro e não por hectolitro como acontece em Portugal e por isso se houve falar em menos casos de mortes associadas aos vícios porque os holandeses no geral e pelo que tenho conhecimento sabem quando chega  a altura de parar de consumir o que seja ligado aos vícios e devido a fiscalidade liberalizada que existe em Portugal sobre o alcóol é ver a miséria pelas ruas de Lisboa.

E ficam as minhas crónicas perguntas: Porque os políticos da república portuguesa ficaram ofendidos com a verdade? Não gostam da verdade? Mas se a Holanda tem a sua dose de devassidão qual a moral do Jerónimo da Holanda para criticar os outros?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

 

publicado por tron às 23:10
|  O que é? | favorito
sinto-me:
música para pensar: Dead on Two Legs - Queen
24
Jul 15

Nestes dias nos últimos estertores de vida da presente legislatura, foi discutido a introdução de uma consulta prévia e o pagamento de uma taxa moderadora para a realização do aborto ou interrupção voluntária da gravidez. O debate foi interrompido por protestos.

Na minha opinião como blogger, mas sobretudo como ser humano tenho opinião formada e epnso que no caso do aborto cada caso é um caso e não se podem por todas as mulheres que realizam aborto no mesmo saco: porque há aquelas que o fazem como fosse algo tão simples como levar uma injecção para as dores e outras que fazem em casos desesperados seja por que motivo for.

Seguindo esta linha de pensamento penso que a consulta prévia deveria de servir como método de triagem entre cada caso porque boa parte das vezes os médicos do planeamento familiar que existem teoricamente nos centros de saúde nunca estão e têm que ser enfermeiras a fazer o serviço dos médicos ausentes que é aconselhar e distribuir caso seja preciso métodos contraceptivos.

A taxa se deveria aplicar as mulheres que têm meios finaceiros suficientes para o pagar e as mulheres que o pratiquem o aborto não como método contraceptivo de urgência, mas algo de rotineiro nunca usando nenhum método contraceptivo seja ele dado ou comprado e para evitare este aborto sistemático não basta só a consulta prévia, também o ministério da saúde deveria de andar em cima dos quase sempre ausentes médicos da consulta de planeamento familiar  e puni-los por estas mesmas ausências porque se estes médicos cumprissem com o seu dever não havera esta polémica a volta do aborto.

Esta nova polémica é uma imagem do país em si ondem quem de responsabilidade foge com o rabo a seringa, sejam eles os médicos de planeamento famliar como são os políticos da repúbica, fogem sepre das responsabilidades e quando algo corre mal colocam sempre a resolução no colo dos outros e assim se governa uma nação quase milenar como Portugal debaixo do jugo repubicano.

Como sempre as perguntas: Porque escolheram o encerramento da legslatura para legslarem uma lei tão sensível ? O querem os deputados da república do cidadão comum ? Se queriam aplicar taxas a IVG porque não o fizeram mais cedo ?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

publicado por tron às 23:39
|  O que é? | favorito
sinto-me:
música para pensar: Sheer Heart Attack - Queen
Dezembro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
links
blogs SAPO