REPORTGENS, CRÍTICAS E INVESTIGAÇÕES DO CYBER-RERPORTER + SECRETO DO MUNDO Blog Nacionalista e Monárquico (UM AVISO: AQUI NÃO VAI ENTRAR O NOVO ACORDO ORTOGRÁFICO BLOG MONÁRQUICO E NACIONALISTA)
19 de Junho de 2017

Dedicada a todos aqueles que lutam contra esta tragédia que parece não ter fim....

 

 

 

Heroes - David Bowie .... versão cantada ao vivo no concerto de tributo a Freddie Mercury em 1992 e que é encerrada com recitação do Pai Nosso em inglês

 

 

 

Por vezes temos que nos agarrar a fé para ganharmos força para enfrentar as nossas dores e eu na minha curta vida de 38 anos já tive a minha dose de dor para contar as gerações futuras

 

 

 

 

 

publicado por tron às 04:18
 O que é? | | favorito
sinto-me:
música para pensar: Heroes - David Bowie (dedicada aos Bombeiros)

Este ano, melhor por estes dias da semana que começou no 11 de Junho e acabou ontem e na semana seguinte que começou hoje estão em definitivo marcados pela tragédia do Pedrogão Grande que ainda acontece.

Tragédia que se deve a um incêndio florestal que nunca mais acaba e a falta de meios por parte da Protecção Civil é gritante e depois da tragédia do Caramulo há coisa de dois anos atrás nada foi feito e a tão falada prevenção não aparece e nem pode aparecer porque neste último Inverno não foi rara a notícia em que num recanto qualquer desta nação com quase mil anos de vida.

As falhas na chamada prevenção são demasiadas para serem passadas em claro e para não serem apuradas responsabilidades tanto materiais como políticas nesta tragédia que já vitimou mais de 60 pessoas havendo crianças nestes números trágicos que não vão parar de aumentar no mais trágico incêndio florestal de que se tem conhecimento em Portugal e um dos mais trágicos a face da Terra.

Os meios que se tinham há uns anos por parte da Força Aérea estão parados a criar ferrugem e ninguém os coloca em uso não se sabe porquê e o Comandante Supremos das Forças Armadas nem sequer se dá ao trabalho de saber porque estes meios não são usados e os os meios que não estão alocados à Força Aérea estão avariados e têm que vir meios de outras nações para resolver uma crónica falta de meios que não se explica de forma lógica.

Esta tragédia me deixou em estado de choque ao ponto de eu não ser mais capaz de ver os telejornais dos vários canais de televisão e me refugiar a ouvir algum dark metal para me isolar nem que fosse por uns minutos para ter algum apetite para o jantar e que não foi muito apesar deste ser uma coisa que gosto de comer muito, mas não tive a mínima fome e tomei os meus medicamentos mesmo com pouco comer no estômago.

Pelo que andei a ler nas redes sociais e nas edições electrónicas dos jornais nacionais; as ajudas começaram a chegar, que sejam de fundações como dos comuns cidadãos que têm acorrido aos quartéis de bombeiros para ajudarem os soldados da paz que na sua grande maioria são voluntários e estam literalmente a enfrentar a morte numa tragédia sem qualquer paralelo na história desta nação chamada Portugal.

Estou com uma raiva por dentro que me consome porque ninguém no Inverno, e me estou a referir a Gerigonça e ao poder local que não tiveram a mínima preocupação em prevenir os fogos sabendo-se que há coisa de há dois anos aconteceu em Portugal um incêndio semelhante na serra do Caramulo e mesmo com esta tragédia na memória de muitos de nós não se precaveram.

Também li para colocarem os benificiários de RSI a limpar as florestas e eu tenho uma resposta para quem lançou esta ideia: eu apesar de ter asma e epilepsia ia de boa vontade, apenas exigia 3 coisas: material para desbastar o mato, refeição e transporte; se tivesse estas 3 coisas eu dava uma mão a limpar as florestas desta nação, mas nem Caranguejola e muito menos Gerigonça levam esta ideia para diante e daqui a alguns meses temos eleições municipais e a ministra da Administração Interna que nunca passou duma versão feminina de Alberto Costa (ministro da mesma pasta dos tempos de Guterres que foi rotulado como o pior ministro desta pasta, sobretudo devido a sua incompetência a lidar com os problemas das forças da ordem e com os incêndios) porque depois das mesmas eleições municipais volta ao seu hobby que é aparecer nas chamadas revistas cor-de-rosa deixando para os adjuntos o trabalho pesado e doloroso.

Apenas deixo umas quantas perguntas: Quantas mais almas se vão perder nos incêndios por falta de prevenção? Quem tem a culpa destas tragédias? Quando é que estas tragédias deixam de acontecer?

 

 

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

 

 

 

 

Post-Scriptum: Todas as redes internacionais de televisão falam desta tragédia. Mais uma vez Portugal nas bocas do mundo pelos piores motivos, apenas espero que este espalhar pelo mundo consiga juntar o máximo de ajuda para os bombeiros e para as vítimas

 

publicado por tron às 03:33
 O que é? | | favorito
sinto-me:
música para pensar: Heroes - David Bowie (dedicada aos Bombeiros)
14 de Maio de 2017

Confesso que não vou muito a bola com a música apresentada por Salvador Sobral, representante de Portugal na Eurovisão, mas é o meu país, é a minha nação e tenho que o apoiar e tinha que apoiar ontem.

Mas tirando este dever nacional comecei a sentir que algo ia acontecer quando a canção "Amar pelos Dois" começou a viralizar pela Europa toda, sobretudo na escolas dos países que estão dentro do grupo dos Big 4 da Eurovisão e eu pensei, "alto e para o baile" que algo vai acontecer neste V Império e de facto ao ver as meias-finais vi que a nossa canção era diferente de todas as outras e que algo de bom poderia resultar da exibição de Salvador Sobral.

Ontem deu-me para ver o Eurofestival, sem grandes expectativas e fui vendo as várias canções e esperei pelas votações: primeiro a do júri, depois a do televoto (esta sim decisiva) e comecei a ver Portugal a acumular pontuações máximas (12 pontos) umas atrás das outras e a conseguir pontos de praticamente de todos os júris que poderiam votar em Portugal e quando chegou-se ao fim Portugal levava mais de 100 pontos sobre a Bulgária e comecei a sentir o mesmo nervo que senti na final do Euro 2016.

E começaram a sair as votações do televoto e comecei a ver que as pontuações mais fracas iam para outras nações que não Portugal e comecei a sentir que íamos matar o borrego e que desta vez é que seria a vitória de Portugal e por tabela do V Império que não é um império de submissão, mas sim um império de partilha cultural e de sentimentos.

E quando vi a conquista de Salvador Sobral fiquei alegre e fiquei numa espécie de nuvem ou numa viagem que eu não queria que acabasse de forma nenhuma e acordei hoje ainda a pensar que estava num sonho doce de conquista nacional que sempre nos fugiu devido a politiquice dos júris de cada nação que agiam numa de troca de favores em vez de escolherem as melhores músicas ou as músicas que fossem diferentes e ao mesmo tempo boas e que as houve mas raramente ganhavam.

 

Apenas me resta dizer uma coisa:

 

 

Obrigado e Parabéns Salvador Sobral

 

Será que ganhamos a Eurovisão?

 

publicado por tron às 21:27
 O que é? | | favorito

Num Sábado como eu disse que foi completamente surreal teve dois eventos únicos ou pelo menos que aconteceram pela primeira vez na existência de quase mil anos de Portugal como nação: um foi a conquista na Eurovisão e a outra o primeiro Tetra do Benfica.

E é sobre este segundo que me vou debruçar em detalhe.

Na minha vida vi acontecer quase de tudo com o clube do meu coração, desde uma travessia do deserto, a finais europeias perdidas até ao renascimento com a entrada do presidente Luis Filipe Vieira que trouxe um novo renascimento ao Glorioso embora este mesmo renascimento tenha tido alguns tropeções na sua evolução até a conquista do Tetra, ontem dia 13 de Maio.

Esta história começou há 4 anos quando Jorge Jesus depois da maldita época do minuto 92 ganha todos os canecos nacionais ao serviço do Benfica, e deu uma espécie de reanimação num Benfica que estava em evolução desde 2004/2005; no ano seguinte apenas ganha dois e conseguiu o bicampeonato; mas depois houve aquilo que muitos chamaram traição e entrou o que na altura era o treinador do Vitória de Guimarães e que já tinha passado pelos escalões de formação do Glorioso e o começo de Rui Vitória foi muito acidentado e azarado e a sua presença à frente dos destinos da turma da Luz foi questionada e muito; mas do caos nasce a ordem; Rui Vitória puxou pelos galões de treinador, de benfiquista e dos galões do Glorioso e deu uma remontada de 9 pontos sobre o Sporting e aproveitou o facto de se ter um Porto irreconhecível para conseguir o tricampeonato e mais uma taça da liga.

Este ano depois de algumas saídas e outras entradas começou a época logo com a conquista da supertaça Cândido de Oliveira, mas com muitas lesões e uma gestão de plantel digna dos melhores treinadores do mundo, mas desta fez Rui Vitória não admitiu velaidades e logo na quinta jornada, quando muitos para não dizer todos não acreditavam num campeonato conquistado ainda antes do final da primeira volta e as águias agarraram o lugar cimeiro logo na jornada 5 do campeonato e nunca mais o largaram e a conquista definitiva e incontestado foi ontem com a goleada sobre o Vitória de Guimarães 

Apenas me resta encerrar este artigo com um sentido obrigado da nação benfiquista ao Benfica, a sua direcção, a sua equipa técnica e a todos os jogadores e o chamado V Império se mostrou mais uma vez a altura da História e ontem no Estádio da Luz se fez História

 

 

 

 

Viva ao Benfica

publicado por tron às 17:55
 O que é? | | favorito
sinto-me:
música para pensar: Ser Benfiquista - Luis Piçarra; Sou Benfica - UHF; We Are The Champions - Queen
11 de Abril de 2017

O preseidente do Eurogrupo, o holandês Jeroen Dijsselbloren, que é socialista disse ao jornal alemão Frankfurter Allgemeine Zeitung que Portugal era um país onde se gastava muito dinheiro em mulheres e vinho e indo por um vernáculo comum em Portugal podemos traduzir a frase do chefe do eurogrupo como Portugal sendo um país de p... e vinho verde e ele, infelizmente tem razão.

E tem razão porque basta dar um passeio pela baixa de Lisboa e em quase todas as esplanadas da baixa de Lisboa temos nas mesas garrafas de vinho verde servido aos turistas com vários malabraismos e quando não são os turistas é ver as tascas cheias, não para o McDonald's do Tuga que é a patanisca e a sopa (normalmente caldo verde), mas sim para encher de bebidas alcóolicas e boa parte dos clientes das tascas benificiam de algum apoio social e no caso das mulheres, basta ver que as empregadas dos cafés e restaurantes da baixa não foram escolhidas por terem alguma hablitação linguística, mas sim apenas pela sua aparência.

E este artigo acaba por ser uma espécie de dois em um porque vou fazer uma referência ao que aconteceu naquele hotel em Espanha onde um grupo de adolescentes com cérbero de anémona fizeram estragos e que vem dar uma certa razão ao Jerónimo da Holanda e depois vou lá voltar.

Ainda no ponto de vista do político socialista que não deixa de estar longe da realidade porque a imagem que Portugal tem lá fora é mesmo esta: vinho e mulheres e ninguém fala noutras virtudes desta nação como a cultura (sem ser o fado) ou as imensas paisagens tanto no interior como no litoral que não são divulgadas lá fora, sabe-se lá porquê não são divulgadas nos grandes guias de viagens e Lisboa está literalmente entulhada de turistas e mal se respira em Lisboa.

Voltando ao assunto de Espanha, o que aqueles estudantes fizeram em Espanha na viagem de finalistas que foi de lamentar e para ajudar a festa apareceu uma mãe de um dos alunos que disse que aquele comportamento foi normal e os hotéis e outros estabelicimentos afins em zonas de praia recusam viagens de finalistas por temerem cenas semelhantes àquelas que aconteceram em Espanha e estes mesmos alunos e esta mãezinha que também é professora vem dar ainda mais razão ao Jerónimo da Holanda que Portugal é um país e devassidão e vício. E esta mãezinha e professora é professora do ... sistema público (que surpresa) e pela idade é da chamada "geração rasca", mas vou entrar em detalhe neste desastre de Espanha com mais detalhe noutro artigo.

Curioso ver os políticos da república virem a terreiro defenderem a honra da república como esta fosse uma virgem ofendida, quando na realidade o Jerónimo da Holanda disse a verdade, embora na terriola dele não sejam nenhuns santinhos e também é terra de vício embora, os vícios estejam devidamente enquandrados por medidas legais como prostituição legalizada e com todos os direitos sociais como um qualquer trabalhador; cannabis liberalizada mas que não pode sair do território holandês e pasmem-se....o alcóol é taxado na concentração por litro e não por hectolitro como acontece em Portugal e por isso se houve falar em menos casos de mortes associadas aos vícios porque os holandeses no geral e pelo que tenho conhecimento sabem quando chega  a altura de parar de consumir o que seja ligado aos vícios e devido a fiscalidade liberalizada que existe em Portugal sobre o alcóol é ver a miséria pelas ruas de Lisboa.

E ficam as minhas crónicas perguntas: Porque os políticos da república portuguesa ficaram ofendidos com a verdade? Não gostam da verdade? Mas se a Holanda tem a sua dose de devassidão qual a moral do Jerónimo da Holanda para criticar os outros?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

 

publicado por tron às 23:10
 O que é? | | favorito
sinto-me:
música para pensar: Dead on Two Legs - Queen
06 de Abril de 2017

O novo imposto Coca Cola se revelou um grande maná não só para o Estado bem como para a chamada distribuição porque usa-se da lei que aplica imposto sobre o açúcar na concentração de açúcar por litro para aumentar os preços de uma forma que se pode considerar pornográfica enquanto as bebidas alcoólicas, estas sim causadoras de milhares de mortes em Portugal, nada sofrem.

Agora indo ao detalhe: na distribuição, as bebidas açucaradas levaram o aumento devido ao dito imposto, mas quase de uma forma irónicas as bebidas sem açúcar ficaram no mesmo preço das bebidas açucaradas e apenas duas cadeias de distribuição fazem o preço diferenciado como mandam as as regras: El Corte Inglés e Lidl; todos os os outros colocam a cola sem açúcar ao nível da normal com açúcar em termos de preços e as entidades de fiscalização, como sempre, dormem.

Resultado, quando quero refrigerantes vou aonde não sou assaltado nos preços e o que me deixa chocado é ver nas ruas de Lisboa os danos causados pelo consumo e abuso de bebidas alcoólicas que cada vez são mais e não são apenas os portugueses a serem afectados e também já são os estrangeiros afectados por esta praga que ninguém tem vontade de parar, enquanto isto, atacam a coca cola como a grande vilã; quando o vilão é outro.

Dentro desta luta de taxinhas, uns cumprem e outros abusam e ninguém toma a mínima atitude para controlar estes abusos, e estes abusos me lembra quando foi a entrada do euro e todos resolveram dobrar o preço dos produtos em venda, sobretudo na hotelaria e aonde estava a ASAE.... estava desaparecida em combate, sem ninguém fazer nada e os otários a pagarem.

Esta república dos bananas que tem um presidente que é uma versão gourmet do Tino de Rans e que pouco ou nada diz ao governo da geringonça, vai continuar assim enquanto houverem bananas que aparem este jogo e eu não sou um destes bananas que aparam este jogo das taxinhas abusivas e contra elas nada é feito e a carneirada republicana aceita estas taxinhas de forma submissa e poucos ou nenhuns se manifestam contra estes abusos mostrando a imagem de um país de mansos, que dividem entre gerigonços e não-gerigonçosos e os gerigonços têm traços de ditadura de esquerdalha manhosa e abusiva.

Não sei como deixaram esta situação chegar a este ponto, mas vamos ver se vai haver mais alguém a contestar de forma activa esta forma estranha de cobrança de um imposto abusivo e que nunca deveria de existir quando se deveria de mudar a taxação das bebidas alcóolicas que estas sim fazem mais danos na sociedade do que um litro de coca-cola. Mas esta república dos bananas que vive de interesses não vai tocar nesse grande lobby que é o lobby do alcóol que é uma das principais exportações nacionais e um dos cartões de visita de Portugal de tal forma que o presidente do eurogrupo disse que Portugal é um país de p... e vinho verde.... e os poderosos chefões da república ficarm logo todos ofendidos apenas por ouvir a verdade.

E como sempre ficam as minhas perguntas: Aonde estão as autoridades de fiscalização? Quem explica de forma clara o imposto coca-cola? Porque não colocam o imposto sobre o alcóol ao mesmo nível do imposto coca-cola, ou seja, alcóol por litro em vez de ser por hectolitro? Quem ganha e quem perde nesta história?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

publicado por tron às 16:31
 O que é? | | favorito
sinto-me:
música para pensar: Vampiros - Zeca Afonso
26 de Março de 2017

Numa quase sequela do artigo anterior me vou debruçar desta vez sobre a ausência de novo material circulante e/ou de peças de substituição para o presente material dos transportes ferroviários, tanto do metro como dos comboios, sobretudo da CP.

Como deve ser do conhecimento geral, quem fazia este tipo de material era a extinta Sorefame que depois de ter sido nacionalizada na sequência da revolução dos cravos e depois reprivatizada nos tempos de Cavaco Silva como PM e no ano 2001 em pleno reinado de Guterres foi extinta e por isso se deixou de fabricar material criculante ferroviário em Portugal bem como as suas peças de substituição.

O declínio da mesma empresa veio com a nacionalização e depois com a necessidade de renovação do material circulante, mais a privatização deu nova vida a mesma empresa, todavia as reestruturações e a falta de encomendas ditaram o seu fim, mas as chamadas poupanças e criação de novos tachos como a EMEF (que apesar de reparar os comboios não produz peças ou composições) aceleraram o seu fecho e com casos de falhas de material circulante como no metro de Lisboa ou na Linha de Cascais ou noutras linhas da CP o seu renascer se tornou mais do que urgente.

Acontece que se falou no passado recente em fundos europeus para a renovação da rede ferroviária nacional tanto nas linhas como no material circulante e até agora nem Passos Coelho e muito menos a Gerigonça se preocuparam com esta mesma renovação e com dois partidos ecológicos na gerigonça (PEV e PAN) é de estranhar como não se voltou a falar no assunto e num assunto tão estratégico é de estranhar os silêncio dos sucessivos governos e ao mesmo tempo se têm dedicado em investir em estradas quando quase de uma forma hipócrita, Portugal é signatário do protocolo de Quioto para redução das emissões de efeito de estufa.

A necessidade de haver uma instalação fabril de indústria pesada em Portugal já tem sido mencionada aqui neste blog noutros artigos mais antigos, mas nunca deixou de ser actual e com o desgaste e a falta de material circulante nos transportes ferroviários esta necessidade de instalações de industria pesada cada vez é mais fundamental e espaço não falta e se faltar know-how, então que se importe este mesmo know-how e não se percam energias em coisinhas de nada e outros carnavais porque tal como foi com a tragédia de Alcafache, só vão acordar para as condições do material circulante quando acontecer uma tragédia ou uma série de acidentes trágicos.

E infelizmente assim vai ser, para mal desta nação e não podem falar de falta de espaço porque as instalações da Sorefame estão ao abandono e não em vista nem ideias e muito menos futuros concessionários que usem o espaço nem que seja no regime de concessão para o efeito que foram construídas, ou seja, a construção de novo material ferroviário circulante e respectivas peças de substituição para que não hajam problemas de serviço ou canibalização de composições como é o que acontece tanto com o metro de Lisboa bem como com os comboios em Portugal.

Não sei agora coma gestão municipal do metro de Lisboa como é que esta situação vai ser resolvida ou se a situação da CP vai ser resolvida em relação a estas faltas ao que se acrescenta a falta de funcionários para suprir as reformas nas ditas empresas e ao mesmo tempo não é conduzida qualquer operação de recrutamento seja via concurso público ou através do IEFP e vos confesso que não sei quando é que esta situação vai ser resolvida e porque para este problema da falta de pessoal ser resolvido também tem que ser resolvido a falta de material e a necessária fábrica vai precisar de pessoal, ou seja, situações de pescadinha com rabo na boca que vão depressa se tornarem em nós górdios mas que não vai existir nenhum Alexandre Magno para os cortar.

Este estado de coisas não sei quando vai acabar, mas uma coisa é certa, a situação nos transportes ferroviários tem que ser resolvida e quanto mais tempo passa, mais urgente se vai tornando e eu como cidadão preocupado e utilizador dos mesmos transportes ferroviários fico a espera o que vem por aí nos tempos futuros que espero serem de mudança neste sector embora eu pense já que esta mudança nunca passará de uma utopia.

Como sempre deixo as minhas perguntinhas quase sempre sem resposta: Para quando o melhoramento da rede ferroviária? Se existem fundos para estas obras necessárias, porque não as fazem? Afinal para que servem os nossos impostos?

como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

Como sempre ficam as minhas perguntas sem resposta

 

 

publicado por tron às 18:06
 O que é? | | favorito
sinto-me:
música para pensar: Runway Train - Soul Asylum
16 de Março de 2017

Mais um trabalho de campo quase feito por acidente e que vai servir de crítica ao transporte público de Lisboa com mais utilizadores em termos médios e ao mesmo tempo com as piores estruturas e os piores acessos que se possam imaginar.

O problema não é de agora e já vem detrás e com as sucessivas expansões de rede se tem tornado mais visível aos olhos de todos sejam turistas ou simples utilizadores do metro e começo pelas expansões mais recentes como Santa Apolónia e São Sebastião II (esta última faz parte da linha vermelha) que simplesmente não têm um túnel de saída para o comboio do metro mudar de via ficando este apenas numa das vias e depois na hora de ponta é a bela da confusão a uns querem entrar e outros sair ao mesmo tempo, o que é terreno fértil para os carteiristas.

Depois é ausência de elevadores para o exterior na maioria das estações e fico a pensar porque não os fizeram quando o metro esteve fechado na grande expansão do metro por alturas da Expo'98 dado que a rede esteve toda encerrada devido a estes mesmos melhoramentos e neste encerramento poderiam ter feito não só os acessos para utentes com problemas de mobilidade, bem como o alargamento dos cais mais curtos, bem como a construção das expansões abertas na fase pós-Expo com os devidos acessos e túneis para mudança de via.

Acontece que não fizeram nada destas obras necessárias e apenas uma mão cheia de estações tem acessibilidades para pessoas com problemas de locomoção e não são raras as vezes que os elevadores estão avariados ou estão localizados em átrios que têm horário de fecho diferente dos átrios principais e nem foram esticados os túneis dos novos terminais de forma ao permitir a mudança de via por parte dos comboios e nem a estação Arroios foi aumentada para que esta suportasse as composições com 6 carruagens e como tal na Linha Verde só existem metros com 3 carruagens e esta situação faz com que os utentes das outras estações que já são compatíveis com as composições de 6 carruagens tenham que se transformar em recordistas dos 100 metros porque quando um metro se desloca no sentido Cais do Sodré - Telheiras, as composições parem no lado norte da plataforma e no sentido inverso parem no lado sul da plataforma e quando se entra nas estações da inha verde no lado oposto ao sentido para que se pretende ir pode acontecer que os utentes se transformem numa espécie de Usain Bolt do Metro de Lisboa.

Até que entendo que esta nova administração municipal do metro ainda não tenha lançado as mãos a obra porque apenas tem mês e meio de existência, mas também ainda não ouvi falar em nenhum projecto para resolver este problema que já tem barbas e os tempos de espera têm tido uma tendência para aumentar porque ainda ninguém resolveu o que está mal e ainda antes da passagem para a gestão municipal foi colocada em cima da mesa o encerramento temporário da estação Arroios para seu melhoramento, mas acontece que quem a usa foi logo contra e como a junta de freguesia é da Gerigonça a ideia foi lgo esquecida, mas se esqueceram dum pequeno grande detalhe: as estações Intendente, Anjos e Arroios praticamente estão em cima uma da outra porque os átrios secundários vão desembocar muito próximo do átrio principal da seguinte: Intentendente - Anjos e no átrio secundário uma da outra Anjos - Arroios e a distância do átrio único da Alameda não é muito grande para o átrio principal de Arroios e a obra poderia ser feita em tempo útil como foi feito o alargamento da estação Areeiro e não nos podemos esquecer que nesta mesma estação não só existe interface directo com a Carris como existe com os autocarros da Rodoviária e interface indirecto com a estação de comboios Roma-Areeiro e ninguém reclamou quando a estação Areeiro esteve fechada.

E não sei porque não fecham a dita estação para pelo menos aumentarem a superfície do cais porque no ano passado quando se realizou a Websummit no Parque das Nações fecharam a dita estação para que a linha verde acolhesse composições de maiores dimensões e todos calaram-se nem sei porquê, talvez porque foi para mimar turistas e hipsters porque se fosse para as desejadas obras de alargamento cairia o Carmo e a Trindade.

E nem volto a falar nos elevadores em todas as estações ou melhoramento dos terminais de cada linha de forma a evitar caos e confusão porque isto talvez aconteça quando acontecer em Lisboa uma outra Expo ou um evento desportivo de massas como um europeu de futebol, mundial de futebol ou mesmo uns jogos olímpicos porque se nada acontecer, a porra do metro de Lisboa via ficar na mesma mesmice a espera que algo aconteça.

Ficam as minhas perguntas: Porque não melhoraram o metro quando este esteve encerrado na expansão feita para a Expo'98? Estão a espera do quê para melhorar as estações do metro? Tem que acontecer outro europeu de futebol para melhorarem a rede? Que obras foram estas que andaram a fazer e a não fazer?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

 

publicado por tron às 13:30
 O que é? | | favorito
sinto-me:
música para pensar: Down Under - Man At Work
07 de Março de 2017

Com a a ditadura do chamado correctamente saudável e do politicamente correcto, a gerigonça começou a criar novos impostos sobre o consumo começando nos sacos de plástico e passando por taxar o açúcar e a gordura que vem nos alimentos processados em vez de ver impostos já existentes e que deveriam de ser mudados na forma como são aplicados para haver a chamada equidade fiscal.

Enquanto alguns iluminados da Ordem dos Médicos ou outros lobistas da área da esquerda sobretudo aqueles que ainda pensam que existe pacto de Varsóvia e aquelas utopias que apenas funcionavam para alguns e que no caso de serem questionadas valiam umas férias na Sibéria durante uns anos atacam os refrigerantes e as batatas fritas com a sua ligação a obesidade quando não têm olhos para ver os paizinhos que deixam os filhos de rédea solta em vez de os controlar porque Portugal teve a infeliz ideia de entrar para o euro e como o custo de de vida aumento de forma insana, os pais já não podem dar a atenção devida aos seus rebentos e estes se põem a comer porcarias em vez de terem uma dieta relativamente saudável.

E estes impostos sobre os refrigerantes são mais altos do que aqueles aplicados sobre o tabaco ou as bebidas alcoólicas e para cúmulo da ironia as bebidas sem açúcar adicionado ou mesmo com substitutos do açúcar têm custos iguais e por vezes superiores daquelas que tem que pagar imposto sobre o açúcar o que tem deixado deveras pensativo saber como este imposto está a ser aplicado e se está a ser aplicado como deve ser e se a ASAE anda com olhos de ver nestes preços sem nexo.

Este imposto para aqueles que não sabem tem um proporção diferente do imposto sobre as bebidas alcoólicas: enquanto o imposto do açúcar é taxado na concentração de açúcar por litro de bebida, o imposto sobre o álcool é taxado na concentração de álcool por 100 litros de bebida o que faz com que o imposto sobre as bebidas alcoólicas seja centenas de vezes inferior em relação ao imposto Coca-Cola embora se saiba que um litro de vinho ou de cerveja faz muito mais desgraça do que um litro de refrigerante e basta ver a lista de espera para um transplante de fígado e que esta lista de espera é causada em grande parte por consumidores de bebidas não açucaradas, mas sim bebidas alcoólicas.

E quando andei nas carrinhas de auxílio alimentar para receber aquela coisa que chamam refeição, mas que ninguém consegue comer porque boa parte das vezes o comer vinha estragado e não era rara a ocasião que eu apanhava intoxicações alimentares com o comer que davam e que ainda dão e nestes tempos negros eu vi todo o tipo de gente: desde de pessoas em que vida tinha sido ingrata, mas que não iam para os vícios e tinham vidas mais ou menos normais dentro do possível ou casos em que as drogas sejam elas ilegais ou legais como o álcool ou o tabaco tinha arruinado.

E exactamente por este facto do álcool arruinar tantas vidas e tantas famílias e ser um dos factores-chave na violência doméstica que a taxação do álcool deveria mudar e seguir a mesmo proporção do imposto Coca Cola e depois queria ver se aquela mixórdia do vinho de pacote era vendido a 70 cêntimos ou as sangrias pré-embaladas eram consumidas como o são e se as bebedeiras dos estudantes nas recepções dos caloiros e nas semanas académicas aconteceriam e se haveria tantos casos de de gravidezes não-planeadas.

Não é preciso ser um génio na matemática para se ver que o vinho de pacote se houvesse equidade fiscal em Portugal, chegaria quase aos dois euros e as bebidas brancas talvez chegassem aos 50 euros por garrafa se o álcool fosse taxado na proporção álcool por litro e com estes preços muitos iriam pensar cinco vezes se iam beber um Sprite ou uma imperial.

Esta república dos bananas em que uma gerigonça se vai governando a conta dos pategos que votaram neles e por conta daqueles que não votaram neles vão dirigindo a nação como lhes apetece seguindo as suas ideologias bacocas e ultrapassadas ao mesmo tempo que criam novelas para irem entretendo os pategos enquanto os vão roubando e depois se tem um presidente da república que é mais uma prova da inutilidade do regime republicano em Portugal porque não sabe intervir quando deve e se dedica a ser uma figura do entretimento público como fosse um qualquer artista em vez de ser um presidente presente.

Como sempre ficam as minhas perguntas sem resposta: Porque não taxam o álcool e o tabaco na mesma proporção do que o açúcar nas bebidas açucaradas? Porque as bebidas sem açúcar são mais caras ou tão caras como aquelas que têm açúcar? Andam a brincar com quem? As autoridades de supervisão andam a dormir? Que caminho leva Portugal enquanto estiver nas mãos da gerigonça? A república ainda tem razão para existir? Aonde está a equidade fiscal?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

publicado por tron às 12:19
 O que é? | | favorito
sinto-me:
música para pensar: Death on Two Legs (deicated to...) - Queen
24 de Setembro de 2016

Mais uma vez os atletas paraolímpicos deram baile aos atletas saudáveis e profissionais nos Jogos Paraolímpicos o que já não é grande novidade, e enquanto os atletas profissionais e ditos saudáveis levaram 1 medalha e dez diplomas ... os atletas paraolímpicos levaram 4 medalhas e 25 diplomas, ou seja, um desempenho muitíssimo melhor por parte de atletas amadores o que torna ainda mais humilhante o desempenho de Portugal nos Jogos Olímpicos.

Mais uma vez o Brasil mostrou um pequeno grande sinal de desenvolvimento porque além de estar entre 20 primeiros em termos de medalhas conseguiu fazer um evento admirado por todos tal como foram os jogos olímpicos e eu como português tive uma sensação estranha de como um país que dizem ser atrasado em relação à Portugal conseguiu fazer tanto uns Jogos Olímpicos como Parolímpicos que ficaram na retina do mundo e aqui em Portugal com 1001 instalações não fazem nada disto.

Outra crítica negativa que deixo do lado português foi a péssima cobertura por parte dos meios de comunicação social sobretudo da RTP em ambos os eventos porque simplesmente não tinha lá ninguém a não ser uma equipa de reportagem e os comentários eram feitos no estúdio da RTP via televisões que estavam sintonizadas no Olympic Boardcast System e alguns comentadores até elogiavam os adversários dos atletas portugueses em vez de tentar passar energia positiva para os nossos atletas (isso nos Jogos Olímpicos) e nos Paraolímicos a cobertura em directo se limitou as cerimónias de abertura e encerramento e tanto nos Jogos Olímpicos como nos Paraolímicos ambas cortadas com intervalos para publicidade.

Infelizmente o Eurosport não conseguiu os direitos de transmissão dos eventos porque sei que o Eurosport quando se tratam das galas ou de provas com especial interesse não as corta com anúncios a não ser que esta mesma prova tenha um intervalo longo seja porque motivo for e as queixas correram as redes sociais sobretudo dos países africanos de língua oficial portuguesa que não puderam as repectivas televisões locais a fazer a cobertura e como não tinham a cobertura do Eurosport tiveram que aguentar com a bodega que a RTP fez e a ira foi que houve milhões de pessoas acordadas até horas proibitivas para ver os seus atletas a passar nas cerimónias de aberturas e a RTP que recebe dinheiro dos impostos e ainda tem uma taxa de tv, resolveu meter anúncios a meio da cerimónia, algo que nunca tinha acontecido na história das transmissões olímpicas a não ser que o satélite falhasse e neste caso repetiam tudo no dia seguinte sem pausas.

Agora não se aplica este problema porque a tecnologia de transmissões via satélite deu um salto quântico nos últimos 30 anos e não haveria razão para tantos intervalos, seria mais simples a RTP passar apenas resumos em vez de fazer figura de urso como acabou por fazer e não mostrou qualquer serviço público ao falhar na prestação deste mesmo serviço público porque nem tem um festival da canção e se dedica a passar programas de caça-talentos que apenas caçam clones da Withney Hudson e outras cantoras do mesmo ritmo (embora nos tempos mais recentes o festival da canção tenha sido uma tortura) e até mesmo as touradas que tinham um programa semanal com os resumos da semana no segundo canal deixaram de o ter.

E relembrando Emídio Rangel que uma vez questionou o que é o serviço público de televisão e esta questão depois dos Jogos Olímipicos e Paraolímpicos volta a ser actual porque a RTP em termos de cobertura foi uma nódoa do que costuma ser em termos de transmissão e fazer comentários de qualidade duvidosa e de forma indirecta através de outro sistema televisivo o que me deixou a pensar para onde vão as receitas da taxa de televisão e do orçamento do Estado da chamada indemnização compensatória por prestação de serviço público porque não estou a ver esta receitas a serem aplicadas como o eram no passado e estou a ver o nascer de uma televisão pública do terceiro mundo ou mesmo do quarto mundo porque a mesma RTP produz e transmite conteúdos para países do chamado terceiro mundo que ficam sem estes mesmos conteúdos.

Deixo apenas umas quantas perguntas: O que foram fazer ois atletas profissionais nos Jogos Olímpicos? Porque não dão mais apoios aos paraolímpicos? Que raio de cobertura foi aquela que a RTP fez das olimpíadas e paraolímpiadas? O que é o serviço público de televisão? Porque interroperam as transmissões olímpicas para publicidade? Porque não transmitiram as provas dos paraolímpicos?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

 

 

publicado por tron às 17:21
 O que é? | | favorito
sinto-me:
música para pensar: Don't Stop Me Now - Queen
Junho 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
Visitantes
AmazingCounters.com
links
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
Um de seis Milhões