Reportagens de Critica Investigação e Opinião
REPORTGENS, CRÍTICAS E INVESTIGAÇÕES DO CYBER-RERPORTER + SECRETO DO MUNDO Blog Nacionalista e Monárquico (UM AVISO: AQUI NÃO VAI ENTRAR O NOVO ACORDO ORTOGRÁFICO BLOG MONÁRQUICO E NACIONALISTA)
24
Set 16

Mais uma vez os atletas paraolímpicos deram baile aos atletas saudáveis e profissionais nos Jogos Paraolímpicos o que já não é grande novidade, e enquanto os atletas profissionais e ditos saudáveis levaram 1 medalha e dez diplomas ... os atletas paraolímpicos levaram 4 medalhas e 25 diplomas, ou seja, um desempenho muitíssimo melhor por parte de atletas amadores o que torna ainda mais humilhante o desempenho de Portugal nos Jogos Olímpicos.

Mais uma vez o Brasil mostrou um pequeno grande sinal de desenvolvimento porque além de estar entre 20 primeiros em termos de medalhas conseguiu fazer um evento admirado por todos tal como foram os jogos olímpicos e eu como português tive uma sensação estranha de como um país que dizem ser atrasado em relação à Portugal conseguiu fazer tanto uns Jogos Olímpicos como Parolímpicos que ficaram na retina do mundo e aqui em Portugal com 1001 instalações não fazem nada disto.

Outra crítica negativa que deixo do lado português foi a péssima cobertura por parte dos meios de comunicação social sobretudo da RTP em ambos os eventos porque simplesmente não tinha lá ninguém a não ser uma equipa de reportagem e os comentários eram feitos no estúdio da RTP via televisões que estavam sintonizadas no Olympic Boardcast System e alguns comentadores até elogiavam os adversários dos atletas portugueses em vez de tentar passar energia positiva para os nossos atletas (isso nos Jogos Olímpicos) e nos Paraolímicos a cobertura em directo se limitou as cerimónias de abertura e encerramento e tanto nos Jogos Olímpicos como nos Paraolímicos ambas cortadas com intervalos para publicidade.

Infelizmente o Eurosport não conseguiu os direitos de transmissão dos eventos porque sei que o Eurosport quando se tratam das galas ou de provas com especial interesse não as corta com anúncios a não ser que esta mesma prova tenha um intervalo longo seja porque motivo for e as queixas correram as redes sociais sobretudo dos países africanos de língua oficial portuguesa que não puderam as repectivas televisões locais a fazer a cobertura e como não tinham a cobertura do Eurosport tiveram que aguentar com a bodega que a RTP fez e a ira foi que houve milhões de pessoas acordadas até horas proibitivas para ver os seus atletas a passar nas cerimónias de aberturas e a RTP que recebe dinheiro dos impostos e ainda tem uma taxa de tv, resolveu meter anúncios a meio da cerimónia, algo que nunca tinha acontecido na história das transmissões olímpicas a não ser que o satélite falhasse e neste caso repetiam tudo no dia seguinte sem pausas.

Agora não se aplica este problema porque a tecnologia de transmissões via satélite deu um salto quântico nos últimos 30 anos e não haveria razão para tantos intervalos, seria mais simples a RTP passar apenas resumos em vez de fazer figura de urso como acabou por fazer e não mostrou qualquer serviço público ao falhar na prestação deste mesmo serviço público porque nem tem um festival da canção e se dedica a passar programas de caça-talentos que apenas caçam clones da Withney Hudson e outras cantoras do mesmo ritmo (embora nos tempos mais recentes o festival da canção tenha sido uma tortura) e até mesmo as touradas que tinham um programa semanal com os resumos da semana no segundo canal deixaram de o ter.

E relembrando Emídio Rangel que uma vez questionou o que é o serviço público de televisão e esta questão depois dos Jogos Olímipicos e Paraolímpicos volta a ser actual porque a RTP em termos de cobertura foi uma nódoa do que costuma ser em termos de transmissão e fazer comentários de qualidade duvidosa e de forma indirecta através de outro sistema televisivo o que me deixou a pensar para onde vão as receitas da taxa de televisão e do orçamento do Estado da chamada indemnização compensatória por prestação de serviço público porque não estou a ver esta receitas a serem aplicadas como o eram no passado e estou a ver o nascer de uma televisão pública do terceiro mundo ou mesmo do quarto mundo porque a mesma RTP produz e transmite conteúdos para países do chamado terceiro mundo que ficam sem estes mesmos conteúdos.

Deixo apenas umas quantas perguntas: O que foram fazer ois atletas profissionais nos Jogos Olímpicos? Porque não dão mais apoios aos paraolímpicos? Que raio de cobertura foi aquela que a RTP fez das olimpíadas e paraolímpiadas? O que é o serviço público de televisão? Porque interroperam as transmissões olímpicas para publicidade? Porque não transmitiram as provas dos paraolímpicos?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

 

 

publicado por tron às 17:21
|  O que é? | favorito
sinto-me:
música para pensar: Don't Stop Me Now - Queen
24
Abr 14

A RTP tem um portal no qual em teoria permtia que quem esteja a navegar na internet e/ou não tenha acesso a televisão ou rádio possa aceder não só em diferido, mas sobretudo em directo e em tempo real conteúdos da RTP sobretudo a televisão porque não podemos esquecer que de umma foma ou de outra há quem não tenha acesso a uma televisão e a única forma que tem de assistir aos conteúdos da Tv do Estado é pela internet-

Quem faz a distribuição destes conteúdos é a RTP-Play e nos chamados conteúdos em directo são muito mais as vezes em que este mesmo portal apresenta que o programa X não tem direitos de transmissão na internet se sabendo que a RTP 1 nunca foi um canal de sinal fechado ou codificado não tendo por isso qualquer tipo de restrição a passagem de conteúdos na internet porque até mesmo a TVI quando tinha o Big Brother ou a casa dos Degredos e transmitia o canal daquelas aberrações em sinal fechado, não barrava o acesso a TVI via net, mesmo quando transmitia algum conteúdo do Big Brother.

Acontece que o portal RTP-Play no link das emissões em directo sobretudo da RTP-1 depois de passar 15 segundos de pubicidade aparece quase sempre com a mesma mensagem que o portal RTP-play não tem direitos de transmssão de determinado programa e algus concursos de grande audiência como "O Preço Certo" ou "The Voice Portugal" são sempre cortados por esta "falta de direitos"  e não é rara a vez que cortam do ar um programa com direitos de transmissão sem razão aparente porque passaram 20 ou 30 segundos de um programa para o qual não teriam supostamente direitos de transmissão via net e ainda por cima sendo a RTP um canal público e que deveria de chegar ao máximo de portugueses, o que não parece ser o caso porque há pessoas excluídas de verem certos programas que gostariam de ver e pelo que sei, a tecnologia actual ainda não permite a gravação de televisão transmitida em streaming e em tempo real e directo na memória de um computador ou num qualquer suporte magnético e se a RTP pensa que assim desincentiv a pirataria, acaba é por a incentivar porque aparecem sites e portais com links sem ser o oficial para que se possa ver a RTP-1 pela internet e se a RTP não é um canal fechado excusava de ter estas atitudes porque se é para ter tais atitudes, então mais vale acabar com o RTP-Play ou com as emissões de televisão em definitivo por este portal transmitindo apenas os conteúdos rádio do grupo RTP porque assim se poupariam ao trabalho de fazer esta censura kafkiana disfaraçada de triagem sobre o que pode ou não pode ser transmitido na internet para que todos os portugueses possam ter acesso a todos os conteúdos que a Tv que se diz do Estado transmite, mas tais conteúdos parece estarem em parte reservados para alguém que não a generalidade do povo português.

Hoje, estes cortes chegaram ao seu cúmulo quado cortaram aos utilizadores da internet o acesso a emissão da RTP-1 que não puderam ver a emissão do concerto alusivo aos 40 anos da revolução dos Cravos que em teoria nos trouxe a liberdade, mas a própria RTP barrou o acesso de parte do povo a festa formal que lembrou a reconquista da liberdade que com estas atitudes mostra que é uma liberdade que não foi nem nunca será para todos portugueses porque muitos vão estar na mesma ou piores do que nos tempos tenebrosos do Estado Novo.

E ficam as perguntas de sempre e que são sempre chatas: Afinal porque existe o RTP-Play ? Se na maior parte das ocasiões não permite a transmissão em directo, para que serve então ? Não saia mais barato colocar os conteúdos em video em portais da especialidade como o DailyMotion, Youtube, Vimeo ou mesmo Sapo Videos ? O que é preciso para que a RTP passe tudo no RTP-Play ? Será que RTP não é para todos os portugueses ? Quem é o censor que faz este corte de acesso a RTP via net ? Se querem cortar despesas na RTP então acabem com o RTP-Play porque é menos uma despesa ?Afinal aonde está o serviço público de televisão ? Aonde está a universalidade da RTP ? Porque não transmitiram pela internet o concerto dos 40 anos da revolução ? Será que existe mesmo liberdade de informação em Portugal ? Porque raio têm estas atitudes tristes ?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

publicado por tron às 23:10
|  O que é? | favorito
sinto-me:
música para pensar: Video Kills The Radio Star - The Buggles
07
Set 13

Dizem que a RTP está falida e que vai perder a compensação por serviço público e vai apenas contar com a receita de publicidade e com a taxa de média que vem no recibo da conta da electricidade, taxa a qual é sujeita a IVA a 23% e por isso ainda em tempo de Miguel Relvas, Portugal não mandou ninguém a eurovisão (também não se perdeu grande coisa) e retirou os jogos de futebol em directo das duas ligas profissionais do futebol em Portugal da televisão do Estado devido ao custo imposto pelos detentores dos direitos de transmissão ficando assim apenas os jogos das selecções para o serviço público de televisão e um ou outro evento desportivo cujo custos em direitos de transmissão fosse económico.

Depois deste corte nas transmissões desportivas se veio juntar outros cortes em nome de um serviço público de televisão e de rádio que dá que pensar se existe mesmo ou não e se tal designação apenas serve de fachada para uma coisa que serve para colocar os amiguinhos do partido ou de outro qualquer cenáculo mais ou menos secreto donde boa parte do membros do presente desgoverno, ex-membros e respectivos associados estão ligados e que não é segredo para ninguém e no fim nem se tem direito ao Domingo Desportivo ou as touradas sem ninguém dar qualquer explicação destes cortes, enquanto nos gabinetes ministeriais se gasta dinheiro como fossem banquetes romanos com carros de serviço, secretárias pessoais, assessores e demais cargos e luxos semelhantes.

Como não houvesse dinheiro esbanjado a tola neste desgoverno da república dos bananas, no buraco sem fundo da RTP nos fazem aturar espectáculos de Filipe La Féria e concertos dos Carreira, além de programas que duram tanto como o Natal dos Hospitais feitos um pouco por toda a nação, em directo puro e duro (e caro) para não falar na troca dos desenhos animados de fim-de-semana no canal 1 por programas da RTP-África que apenas servem uma minoria e poderiam ir para o segundo canal dado este ser o "canal das minorias" e para acrescentar ainda mais lenha para esta fogueira da africanização e do desperdício de dinheiro na rádio, mas sobretudo na TV do Estado é aquela novela angolana que tem todo o aspecto de ser uma super-produção ao nivel das novelas brasileiras e que passa na RTP logo depois do Jornal da Tarde e que custou uns quantos milhares a RTP e depois ainda se aguenta com a peça de arquivo de novelas chamada Eramos Seis.

É um facto, nós portugueses e como agora está na moda sobretudo europeus, apesar dos descobrimentos não temos nada a ver com África ou seja que continente for, porque nem o Reino Unido faz isso aos seus habitantes tirando programas ou que seriam de serviço público ou para entretimento infantil sobretudo ao fim-de-semana para por verdadeiras chouriçadas das quais ninguém sente a necessidade de aturar.

Gostava de saber com tantos cortes no serviço público de rádio e televisão, qual o custo desta desnecessária africanização dos canais públicos e ao mesmo tempo se patrocinam espectáculos de cantores brasileiros que o que menos precisam é de patrocínio e se vai dando o grande ópio do povo em Portugal que são as telenovelas e que todas somadas somam apenas em sinal aberto 15 horas de televisão com o canal do estado a contribuir com cerca de 3 horas destas 15 sendo as outras 12 divididas mais ou menos em partes iguais nos canais privados.

Mas se muitos dizem que dar programas desportivos com o resumo do dia em especial ao Domingo não é serviço público, muito menos então é passar novelas ou notícias que apenas interessam a algumas comunidades e não todo da nação porque se passam notícias de África, então passem de todas as comunidades de imigrantes que existem em Portugal, sejam eles de que nação for e na volta ainda aprendemos mandarim ou árabe pela televisão qual fosse uma telescola de línguas e não apenas notícias para uma pequena parte dos habitantes de Portugal porque isto não é serviço público nenhum, é vender a tv do Estado as antigas províncias ultramarinas com a desculpa do serviço público e o povo a pagar.

E como sempre ficam as minhas perguntinhas sem resposta: Aonde para o serviço público de televisão ? Querem vender a RTP a Angola ou a outra qualquer antiga província do Ultramar ? Quanto nos custa a africanização da televisão pública ? Qual a necessidade da africanização da televisão pública ? Por acaso no antigo Ultramar passam em sinal aberto na tv pública séries como Os Malucos do Riso ou as novelas da RTP ? Porque temos que aturar com esta programação africana se já existe um canal específico ? Será que Portugal se tornou colónia ou província de Angola ? Quem no poder da polícia questiona esta situação ? Afinal para que nos serve agora a tv do Estado ? Porque todos se calam ? Para que nos serve esta república e o seu presidente ? Para que serve a ERC ?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

publicado por tron às 23:28
|  O que é? | favorito
sinto-me:
música para pensar: Alma Mater - Moonspell
23
Nov 12

Esta coisa chamada de serviço público de televisão em especial em Portugal é das tais coisas que nunca consegui perceber onde começa e o que é afinal; mas sei com quase toda a certeza que muto europeu faz a mesma pergunta porque existe tv pública em toda a Europa e até em outras partes do mundo, mas no dia de hoje me vou debruçar sobre o caso português que demasiadamente paradigmático para ser esquecido.

Um dos quesitos  que entra na explicação da in-definição (não é gralha, o erro é propositado e veio nas primeiras páginas do meu livro de filosofia do 10º ano e fala na dificuldade de se definir filosofia em uma forma comum e universal sem ser via raiz etmonológica) é entreter, informar e educar o povo e no primeiro quesito vem desde transmissões desportivas até programas recreativos, culturais, musicais e de humor onde entram as sitcom do estilo Malucos do Riso, bem como os concursos e em especial os de perguntas e respostas dá para se ter uma ideia do estado miserável do ensino e da literacia que existe em Portugal e na parte cultural vem desde uma overdose de fado concentrado em soro de infusão com álcool a 500% como vem a música ligeira (leia-se nos tempos modernos rock e pop).

E uma destas manifestações muiscais era o idoso Festival RTP da canção que deu a república muitos talentos e/ou pseudo-talentos musicais que em alguns casos não teriam outra qualquer chance de terem uma imortalidade por muito curta que viesse a ser mas pelo menos por uns minutos ou horas se mostravam ao mundo e tentavam ser alguém no mundo da música que com o passar do tempo e com o surgir da TV privada foi perdendo interesse e depois também os concorrentes não eram grande cepa além do fixar da escolha nos versos de detreminados autores de canções mesmo que estas fossem encher chouriços para a Eurovisão, mas tinha que ser daquele autor ou autora X e não se questionava o motivo da escolha mesmo que fosse desastre completo e as audiências começaram apenas a despencar apesar de já se ter tido algumas presenças na fase final (já com o novo sistema da Eurovisão) e a mesma caixinha de antes entre vizinhos continua a ser feita, mas no ano passado a escolha ter sido polémica e de gosto duvidoso e de há dois anos terem ido os Homens da Luta dizer uma quantas verdades incómodas e em ambos os casos Portugal ficou pelo caminho e em vez de declinarem a participação dizendo a verdade que Portugal não tem nem compositores e muito menos cantores com nível para ir a uma eurovisão e mamarem o caneco, apenas dão razões económicas para a não participação acabando esta desculpa ser pior o emendo do que o soneto porque assim passam a imagem de um país sem dinheiro para a cultura mas não se explica como tendo uma música que é património da humanidade como o fado ou o canto alentejano e não mandar ninguém a maior montra europeia da música; ou pelo menos a mais antiga não tem muita explicação; bem como caso da ausência das transmissões desportivas.

Gostava de saber onde para o dinheiro dos impostos que vai para a RTP e até mesmo chego a questionar a existência actual da RTP porque nem desporto, nem teatro, nem festival da canção; então onde para a função lúdica da Tv do Estado que passa um mínimo de desporto e nem passou as imagens de Félix da Costa a ser campeão do mundo de Fórmula 3, ainda por cima sendo o primeiro português a conseguir tal feito e nem a RTP passou o resumo do Grande Prémio de Macau e agora esta cena do festival depois do fim do futebol ao nível de clubes na TV pública quando os relatos na rádio pública são bons para quem tem insónias; são a clara imagem de incompetência dos corpos gerentes da RTP e do seu chefe superior Miguel Relvas.

Mais vale assumirem de forma corajosa que são fracos do que serem cobardes e não mostrarem as fraquezes de forma clara, a não ser que a chefe de estadode factode Portugal, a Eisen Kanzlerin não deveria de ter gostado de ter ouvido dos Homens da Luta umas quantas verdades e por isso andou a dar ordens aos subalternos portugueses e agora depois de deixarmos de ter futebol, deixamos de ter festival da canção e ainda temos Fátima porque temos um desgoverno de falsos beatos que vão bater com a mão no peito quando é a missa dedicada a Sá Carneiro; mas logo a seguir vão contra as leis da igreja e as leis que Sá Carneiro criou e fez com que entrassem na constituição e agora depois de vários anos a roubar o pão do povo e dar apenas como circo a palhaçada do circo da política e deixando de ter qualquer tempo de entretmento que faça a maioria silenciosa dos escravos da república esquecerem um pouco as mágoas apenas sendo escravos do sistema....

Pelo andar da carruagem ainda colocam alguma cerimónia da maçonaria no lugar da missa de Domingo ou de outro qualquer programa que em nome do serviço público que deixou de existir sobretudo com a Tv privada, que ninguém define, mas que querem ver a definhar porque para algums elementos do presente desgoverno é para acabar com a RTP em vez de acabarem com os carros de luxo, enfim a Repúblca Portuguesa, comentários para quê.

E ficam as minhas perguntas de sempre: Afinal o que é o serviço público de tv e rádio ? O que andam a fazer com o serviço público de televisão ? Querem acabar com a tv pública  e censurar a privada ? O que é isto afinal ? Quem para as violações da constiuição feitas pelo desgoverno Passos Coelho ? Para que nos serve a república e o seu presidente ?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

publicado por tron às 22:51
|  O que é? | favorito
sinto-me:
música para pensar: E Depois do Adeus - Paulo de Carvalho
19
Ago 12

Sou e sempre fui um mante da rádio e não é em vão que uma das minhas músicas favoritas, melhor daquelas que considero música da minha vida é a magnífica jóia dos Queen, "Radio Gaga", entre outras que mencionam aquele aparelho que com as descobertas de Marconi se tornou uma companhia para milhões de seres e até tendo móveis para seu suporte e agora em alguns casos ainda são mais pequenos que seixos de uma praia.

Mas também vejo televisão, embora de uma forma quase miserável via streaming porque é a única forma que consigo ver os programas que gosto, o por é que boa parte destes programas não passam em sinal aberto e ver streaming  não-oficial é deveras uma pesadelo, mas nesta vida tanto temos que viver com os pesadelos bem como com os sonhos.

E esta semana outra época que começou sem ser a época das touradas de inverno, perdão, da política que é a temporada de futebol, em ressaca de um brilahnte europeu de futebol para as cores lusas e com muitos emblemas com as calças na mão, sinal dos tempos de crise que atravessamos graças a esta república dos bananas e com a crise se ccomeça a cortar em muitas despesas supérfulas e duas delas são quase de certeza a ida ao futebol e a Sport Tv e mesmo se sabendo disso as três redes de sinal aberto, RTP, SIC e TVI e com pequeno gato da primeira ser Tv pública, paga com o dinheiro dos nossos impostos não quiseram negociar com a Liga de Clubes os custos das transmissões dos jogos de futebol em especial dos 4 grandes quase que obrigando para se assistir a um jogo de futebol no investimento na Sport Tv.

Estranha atitude porque se sabe que Portugal nos tempos mais recentes se tornou uma potência mundial do futebol a par com Inglaterra, Brasil, Espanha ou Alemanha e como desporto de massas gera milhões em receitas publicitárias para quem transmite que depressa cobrem os gastos com transmissões em sinal aberto, mas como para a TVI é mais importante mais uma Casa dos Degredos com os gritos histéricos de Teresa Guilherme e a sua água benzia pelo raio que a parta com os/as participantes neste programa de bosta a mostrarem as partes baixas ou a dizerem mal do parceiro nas costas deste dando a imagem mais tacanha e tosca do povo português, muito semelhante a que se tinha nos tempos do Estado Novo mas numa forma tão nojenta como a PIDE e no caso da SIC são programas de gosto duvidoso que apostam que uns quantos perdem peso dentro dum dado espaço de tempo e na RTP são novelas semanais e programas para encher chouriços que nada têm a ver com o chamado serviço público de televisão.

E com tanto reality show, programa de conversa, novela e séries semelhante onde só ensinam maus exemplos, fora concursos em especial os de perguntas onde além do apresentador chato, aparecem concorrentes que se dizem licenciados, mas só se foram colegas de formatura do ministro Miguel Relvas porque nenhum consegue acertar a perguntas básicas de cultura geral que um universitário ou mesmo licenciado tem a obrigação de saber.

Está visto que os espectadores, para os canais de sinal aberto, não passam de animais de pasto que ficam logo parados com qualquer fardo de palha que lhes seja colocado em frente, mesmo se este fardo de palha saber a estrume como é o caso da TVI e depois começa a fantochada que foi o mais visto por sei quantas cabeças de gado e para mim esta conversa das audiências tenho-a todos os dias quando vou a casa de banho e me sento na sanita e começa-me a sair cada audiência que por vezes entope a pia e esta manpulação de massas me lembra quase de forma sinistra o livro 1984 de Orwell e curioso se ver nas escolas e mesmo nas ruas que quem não vê estes pseudo-programas é olhado como fosse um doente ou um E.T..

Agora sim a ERC e as entidades responsáveis deveriam de acordar e chamar atenção das três redes de Tv aberta do que é serviço público e um dos deveres é ter transmissões desportivas dos clubes/selecções portuguesas e não passar duas dezenas de novelas ou uma burra qualquer a mostrar as partes baixas em directo e de forma descarada em horas em que estão crianças a ver e os outros que não passam tal lixo passam verdadeiras doses de anestésicos para operações cirúgicas via Tv.

Se eu já quase não vejo Tv agora sem as transmissões em sinal aberto ainda menos vejo porque ver canais codifcados via streaming é o pesadelo dentro do pesadelo e gostava de saber aonde param as super-receitas dos grupos de comunicação ou a sua capacidade negocial para conseguir passar programas que podem se encaixar no SPTV (Serviço Público de Televisão) e colocam programas duvidosos que num sistema de Tv europeu seria no mínimo colocados a horas tardias e outros nem sequer passavam em nome dum certo racionalismo que não existe em nenhum canal de televisão, porque enquanto a RTP-1 arranja todos os minutos para encaixar programas de conversa fiada, ficando a progrmação para as massas como desporto, filmes e séries, musicais e desenhos animados para a RTP-2 que dos 4 canais é o que tem mais escolha de programas; a SIC e a TVI além da conversa fiada de gosto duvidoso coloca dezenas de novelas por dia que apenas ensinam merda complentando este lixo com reality shows que mostram a face mais nojenta do ser português....de facto a Tv privada é um erro do cavaquismo com consquências para as gerações futuras e sobretudo este caso da não transmissão do futebol mostra que as entidades de fiscaliação das comunicações não servem para nada e que o chamado serviço público de TV só existe na RTP-2 porque resto tirando uma ou outra excepção só passa merda.

E ficam as minhas perguntas de sempre: O que é serviço público de televisão ? Porque não se negociou os direitos de transmissão ? Aonde para a fiscalização da televisão ? Para que serve a ERC ? Qual o objectivo de tanto reality show e tanta novela em sinal aberto quando se poderia ter melhores programas ? Foi para isso que o cavaquismo nos deu a Tv privada ? Quando é que a qualidade volta a televisão nacional ? Quem consegue definir serviço público de Tv ? Com uma televisão destas para que nos serve a televisão ? Para que nos serve a república e o seu presidente ?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

publicado por tron às 23:15
|  O que é? | favorito
sinto-me:
música para pensar: O Inventor - Heróis do Mar
Agosto 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
links
blogs SAPO