Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Opiniões e Críticas Secretas

Opiniões e Críticas Secretas

Nomeações para gabinetes ministeriais publicadas com direito aos dois subsídios

 

 

É mais uma nomeação que está a criar dúvidas quanto à suspensão do pagamento dos subsídios de Natal e de férias aos funcionários dos gabinetes ministeriais. A ministra da Justiça nomeou mais um funcionário para o seu gabinete, tendo feito constar do despacho, publicado a 27 de Janeiro, o direito do mesmo aos subsídios de férias e de Natal

 

 

(fonte: Público)

 

 

 

E o Povo Dra. Teixeira da Cruz, pah !

Nem sei muito o que dizer, que não acredito na justiça da república, que não passam duns parasitas insanos mais imersos em ácido ou drogas do Cogumelo Mágico do que todos os rockeiros dos anos 70 e 80 juntos «; que há uns certos vigaristas na distribuição que dizem ser amigos do povo que são uns grandes filhos duma puta sem vergonha entre outros detalhes.

Passando aos ditos detalhes, aqui há umas semanas atrás falei aqui que um sem abrigo que nem um quarto numa pensão tem, teria roubado um polvo e um champô duma loja do Pingo Doce, sim aqueles do pacotes de toda a mixórdia por dez euros; um roubo que ficou em cerca de 25 euros; todavia não foi um roubo no seu sentido mais estrito porque o material em questão nunca saiu da loja do Pingo Doce, mesmo assim o Pingo Doce aquele supermercado que era português e agora é holandês para se baldar aos impostos enquanto nós pagamos e no Pingo Doce até se paga pelos sacos para trazer as compras, levou o caso para tribunal e o desgraçado que nem morada postal tem sequer vai ter que pagar uma multa de 250 euros e o advogado que fez a defesa do sem abrigo, Dr. Pedro Miguel Branco disse o seguinte ao jornal Público: Este tipo de processo merece outro tipo de tratamento penal. Isto é gozar com os tribunais. São bagatelas formais”, criticou o advogado, Pedro Miguel Branco.
Para o causídico, este tipo de crimes “não merece ocupar o tempo” dos tribunais, lembrando existir a alternativa de suspensão provisória do processo que os “grandes grupos económicos não aceitam”, porque “não têm custos” por apresentar queixas.
“Existe em Portugal uma justiça para ricos e outra para pobres. O pobre, se rouba um pão, vai preso. Um rico, se rouba um milhão, sai ileso”, ironizou o mandatário, assinalando a “diferença brutal de tratamentos."

Sim andam a gozar com os tribunais, com coisinhas de merda e não me posso esquecer, aliás nenhum de nós se pode esquecer, dum caso bárbaro de uma senhora idosa que estava a fazer quimoterapia e que tinha escamação da pele e por ter roubado dois cremes hidratantes duma loja do Lidl, cremes que lhe iam tornar a sua luta mais suportável, foi a tribunal mesmo apesar da idosa ter pago os ditos cremes e assim, como eu já não acreditava na justiça da república, agora ainda menos acredito nesta mesma coisa que dá pelo nome de justiça em especial quando se sabe de gatunos da alta roda como Sócrates Pinto de Sousa, Armando Vara, Isaltino Morais, Vale e Azevedo, Pinto da Costa, os donos do Pingo Doce por se baldarem aos impostos; só para dizer alguns andam soltos como os passarinhos.

Portugal, esta república podre que não tem nem justiça nem democracia e que coloca os tribunais com processos que parecem a guerra do alecrim e da manjerona com tanto traficante de droga, ladrão de topo, assassino, pedófilo e classes afins soltos e livres e que se aproveitam das brechas nos códigos jurídicos para puxarem os processos a sua vontade ou mesmo modificando os códigos jurídicos para que a lei não os afecte e chegam ao ponto de colocar homens da sua confiança nos lugares de topo da justiça.

Estes episódios nada abonam para a pouca dignidade que existe na justiça e mostra, neste caso em particular, o quão infame é a rede de supermercados Pingo Doce que apesar de ter os bens devolvidos seguiu para tribunal gastando muito mais do que os bens roubados, ocupando o tempo dum colectivo de juízes que poderia estar a julgar um qualquer caso mais importante, mas que devido as voltas do agendamento acabou por estar a julgar estas bagatelas que nada dignficam um país onde existe fome, mas também existe muito disperdício de comer por parte da distruibução que graças ao aumento da carga fiscal imposto sobre alguns produtos e a distribuição resolveu não absover o custo, reusltado menos se vende, menos se produz, mais vai parar no lixo.

Uma coisa é certa, eu já não ia ao Pingo Doce, agora com esta atitude infame nunca mais me vão ver lá nem sequer para ir beber água ao take away porque com estas atitudes se vê mesmo quem vela pelos interesses do portugueses e tem uma vertente social; mas que passa a vida a nos impigir pacotes condiconando a liberdade de escolha do cidadão numa campanha publcitária infame como as atitudes que toma com aquilo que se passa nas lojas porque um roubo deixa de o ser quando ou material é devolvido de forma voluntária ou a vítima é compensada de forma monetária dos enventuais prejuízos; mesmo assim o procurador-adjunto deu como válida a queixa e deu entrada do processo por umas merdas que nem 50 euros valiam, em compensação há quase 3 anos me roubaram o meu primeiro computador portártil, um Compaq C-10 e a polícia simplesmente arquivou a queixa, sim a ministra da justiça tem razão que existe uma justiça para os ricos e outra para os pobres, mas a falar todos nós somos bons; mas ao fazer é que se vê quem é bom e no sistema judicial português é como as leis de trânsito e as obras públicas urbanas: muito paleio, ainda mais papel que paleio, mas ver as coisas feitas nada.

E ficam as minhas perguntas de sempre: Que justiça é esta ? O procurador anda-se a drogar para dar entrada dum processo desta natrueza ? Podemos confiar na justiça da república ? Para quando uma justiça mais justa ? Para que servem os tribunais ? Afinal aonde está a democracia e a verdadeira justiça ? Para que nos serve a república e o seu presidente ?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

Ao desfolhar a edição electrónica do Público me surpreendi com a notícia que a Infanta de Bragança; tia de D. Duarte Nuno, Duque de Brangaça; Dona Maria Adelaide de Bragança van Uden vai receber uma condecoração da república apenas aos 100 anos de idade pelo trabalho de uma vida inteira em prole do ser humano e da liberdade em especial da liberdade do mundo ser mundo.

Esta quase certa candidata a ter uma árvore com o seu nome no Jardim do Yad Vashem, e vai ser mais um português, neste caso uma portuguesa a ser reconhecida como Justa entre as Nações e digo isto porque D. Maria Adelaide (curioso, o nome da minha bisavó, coincidência daquelas) lutou na segunda guerra mundial contra o 3º Reich e esteve num campo de prisioneiros pronta para ser fuzilada como membro da resistência austríaca e foi salva da morte graças a intervenção daquele senhor de Santa Comba Dão cujo nome parece ser um ultraje dizer.

Acontece que apesar daquela que foi chamada de "Infanta-Rebelde" ter sido uma prisioneira de guerra do 3º Reich não vai receber a Ordem da Liberdade ou condecoração semelhante, mas sim apenas a Ordem de Mérito Público, que também pode ser atrbuída a um funcionário público com 30 ou 40 anos de trabalho exemplar se podendo se colocar esta condecoração abaixo das ordens de bravura dos bombeiros ou as medalhas de ouro municipais, ou seja, um ultraje; apenas mais um; da república que tal como fizeram com o cônsul Arisitides de Sousa Mendes que muitos anos depois da sau morte e demasiados anos depois do 25 de Abril foi lembrado pela república apenas com a Ordem da Liberdade, quando em França ou em Israel recebeu as mais altas honrarias, mesmo póstumas mas antes do Estado Português lhe as ortugar a sua famíia que ainda teve dois filhos que fizeram parte dos heróis do desembarque da Normandia, mesmo assim apesar de ter salvo dezenas de milhares de vida humanas, apenas lhe foi atribuída a Ordem da Liberdade quando deveria de lhe ser atribuída a Ordem Santiago Espada ou mesmo a supremas das condecoraçoes a Ordem de Torre e Espada.

E com Dona Maria Adelaide de Bragança Van Uden vai acontecer o mesmo, não que acabe miserável como o Schindler Português, mas fo sempre uma esquecida da república, que desafiou o verdadeiro Anticristo antes de aparecer Bin Laden, o maior assassino da história da humanidade; e esta mulher de coragem que não pensou em si, mas na sua pátria de adopção, a Áustria e sobretudo num bem maior que é a humandade apenas leva uma medalha de mérito infeiror até em graduação a uma medalha de bravura dos bombeiros.

Bolas para tanta ingratidão são capazes de dar as maiores ordens honoríficas do país a qualquer monte de esterco que esteja a estragar o mundo, mas a uma mulher corajosa e única no seu tempo não querem da a Ordem da Liberdade a uma cidadão digna do nome de "cidadã" que enfrentou o maior inimigo da humanidade dos últimos 300 anos; não me venham com tretas, esta atitude ingrata mostra a noção de valores da república que apenas premeia o mérito daqueles que lhes convém esquecendo a coragem, a liberdade e altruísmo de grandes homens e grandes mulheres de todos os quadrantes sociais e Dona Maria Adelaide quando questionada sobre o que é ser parte da resistência austríaca contra os nazis responde assim: foi uma reacção natural com algo com que não concordava. Era-lhe impossível viver num mundo assim.

Talvez se tenham lembrado de Dona Maria Adelaide por passar a barreira dos 100 anos e que seria algo desprestigiante para repúblca ignorar esta heroina de guerr que é apenas mais uma de uma míriade de esquecidos pela república, mas já que Dona Maria Adelaide lutou contra a real incarnação do Mal mais Malévolo que houve no século XX da Era de Cristo; o mínimo seria a Ordem da Liberdade e nunca uma ordem de tão baixo valor como a Ordem de Mérito; é incrível como são capazes de uma infâmia destas, quando chegaram a dar a Ordem de Cristo a Sacana Lopes, que país triste e ingrato é Portugal que nunca quer reconhecer os seus verdadeiros heróis; sublinhe-se que a actividade humanitária de Dona Maria Adeliade, Infanta de Bragança, não se limitou apenas aos tempos da II Guerra tendo também desenvolvdo obras de protecção social na margem sul do Tejo onde através quer da Fundação Nun'Alvares, exinta após o 25 de Abril, como em nome próprio ajudou várias pessoas de forma discreta sem ser preciso se gabar que ajudou, quem sabe seguindo o preceito do Alcorão que defende que a melhor esmola é aquela que é dada de forma a quem só quem recebe e quem dá é que sabem da existência da esmola além de Deus em si como omnipresente; e embora Dona Maria Adelaide reconheça mérito em Salazar por esse ter sanado as contas do país mas esteve sempre contras os métodos usados por este e muito provavelmente está contra o Sr. Coelho e a sua pandilha

E ficam as minhas perguntas de sempre: Para quê tanta ingratidão ? Quem é para esta república um herói ? Quando a ingratidão acaba ? Quem manda nesta coisa das ordens honoríficas ? Será que se ser filho da mãe tem mais mérito em Portugal ? Para que nos serve a república e o seu presidente ? Porque nunca é reconhecida ou raramente reconhecida a obra de portugueses e portuguesas quando estes são vivos ?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

Depois do jogo de hoje do Porto deve ser mesmo isso que o treinador do Porto deve dizer....

 

 

com dedicatória especial com nuances de vermelho fogo para Vítor Pereira, treinador do Porto

 

 

 

Levo no Pacote - Rosinha

 

 

(Pinto da Costa, obrigado pelo treinador que escolheste)

 

 

 

Gil Vicente 3 - FC Porto 1....5 pontos de diferença do Benfica, a primeira derrota para o campeonato em dois anos.... sem comentários

 

 

 

Pág. 1/9