Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Opiniões e Críticas Secretas

Opiniões e Críticas Secretas

Por vezes quando leio as novidades que vêm da Praça do Município fico assim a pensar se ainda gente lúcida na edilidade da capital porque nos tempos mais recentes que dali só têm saído verdadeiras pérolas da burrice e da má gestão que aparentava não fazer parte dos planos do presente edil de Lisboa, o socialista António Costa.

Depois da aberração feita no Marquês de Pombal que custou uns quantos milhares de euros e dos milhões gastos a parva na reconstrução que teve como consequência principal, o regresso da prostituição e o aumentar do consumo e tráfico de droga, além de mlhares de euros gastos em festarolas e no espalhar duns reclames que enfatizam o lado multicutural da área, mas ainda não meteram um semáforo no fim da Rua da Palma para controlar o tráfego automóvel, enfim estou a pedir peanuts a CML.

Também se diz que a dita CML não tem dinheiro para reconstruir os milhares de casas que tem no centro da cidade, mas tem vindo a gastar dinheiro em departamentos, empresas municipais e sub-delegações que chupam todo o tesouro municipal e quem precisa duna casa decente em Lisboa ou tem que comprar ou então é enviado para aquelas favelas nos limites de Lisboa como as Galinheiras ou mesmo o Bairro da Boavista, apenas para citar alguns lugares onde os mais necessitados são literalmente depositados pela CML.

Se houve mesmo falta de capital na edilidade, simplesmente reduziam os departamentos municipais e estava uns anos sem fazer as festas da cidade para poupar algum capital que é sempre gasto numa fanochada que foi criada nos tempos da ditadura e que poderia ou mesmo deveria de ser suspensa enquanto estivessemos sobre o plano de austeridade, mas esta coisa da austeridade nunca é para todos e há sempre uns quantos maganos a fugirem a ela e estes fugitivos continuam sempre os mesmos.

O caso da CML é um paradigma daquilo que uma câmara municipal nunca deve ser e agora a nova io deia da CML é pegara nas obras que foram feitas na Avenida Ribeira das Naus e arrasar com tudo ou quase tudo que foi feito em 2002, que foi ainda em gestão Carmona Rodrigues e que custou dois milhões de euros para se fazer outro arranjo da zona a maneira do Sr. Costa e que vai ficar em 10 milhões de euros sem contar com as derrapagens e os arqutectos que fizeram o projecto de 2002 vão processar a CML e nesta volta mais 10 milhões que poderiam ir para a habitação social são estoirados numa extravagância de um presidente da CML que se está a mostrar uma desilusão tão grande como o desgoverno Passos Coelho.

E ficam as minhas perguntas de sempre: O que se passa na CML ? Será que há problemas de entropecentes na CML ? Será que estão todos com toda a saúde mental ? É para isto que as finanças municipais ? Andamos a pagar por algo sem utilidade ? Aonde vai parar Lisboa ?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

Palavras de António Borges são “o contrário daquilo que o país precisa”, diz Diogo Feio (eurodeputado do CDS, depois de António Borges, chefe do grupo de estudo sobre as privatzações ter chamado de ignorantes aos que são contra as alterações da TSU, no mundo das empresas)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

(Fonte:Público)

Por causa do meu presente problema de saúde não consegui ir ver a manifestação organizada pela CGTP embora tivesse vontade de ir ver de forma a enriquecer este artigo com um trabalho de campo que poderia ser um dos melhores dos quase 9 anos de existência desta página que se aproxima da sua primeira década de vida.

Mas pelos meios de comunicação social deu para chegar a conclusão e até de uma forma bem rápida que o número dos 100 mil manifestantes teria sido com toda a certeza ultapassado porque ja estava o Terreiro do Paço cheio de pessoas e estavam a chegar ainda mais e segundo os artigos do Expresso e do Público, cem mil pessoas é a lotação do Terreiro do Paço, mas havia pessoas nos degraus do Cais das Colunas ou mesmo nas rochas e bancos de areia que ladeiam o dito Cais das Colunas.

Com toda a certeza foi mais do que uma simples manifestação do sindicato comunista, porque grande parte dos manifestantes não tinha cor política ou eram de sindicatos independentes como o caso das associações militares ou os sindicatos da polícia ou da GNR ou a comissão de trabalhadores da RTP para não falar nos milhares que sem qualquer filiação sindical ou partidária, a grande maioria silenciosa, saiu as ruas de Lisboa e disse ao desgoverno Passos Coelho que basta de tantos sacrifícios porque afinal com os tais sacrifiícios as contas públicas ficaram pior do que antes e a lei fundamental é violada a torto e a direito e a nação é vendida aos que derem melhor preço.

As únicas coisas que tenho que apontar de negativas: a não adesão da UGT que mostra a sua verdadeira forma de ser, colaboracionista com esta nova para-ditadura e foi algo de ainda mais condenável que foi o lançamento de petardos no meio dos manifestantes por parte dos estivadores ou de alguém que estava no meio deles e um dos lançamentos aconteceu no exacto momento que a SIC-Notícias fazia um directo da mesma manifestação e tais atitudes me lembraram quando foi uma manifestação de apoio a Pinheiro de Azevedo ainda nos tempos agitados do PREC, quando elementos da Polícia Militar detonam explosivos semelhantes durante a manifestação de apoio ao Almirante Sem Medo para espalhar o pánico, mas desta vez a maioria silenciosa foi mais forte e não se deixou calar.

Se eu fosse ao Führer Coelho apresentava a demissão e depois que o inútil do presidente da república que decidisse se aceita ou não a demissão do primeiro-ministro mas era o que fazia caso eu estivesse no lugar de Passos Coelho porque assim sempre seria uma chance de sair por cima em vez de ser corrido a toda força e sair de forma desonrosa e com a cara suja de vergonha e no caso de apresentação de demissão, na enventualidade da recusa o pepino ficava no colo do inútil do presidente da república, e caso esse mantivesse em funções o desgoverno Passos Coelho apesar do slêncio não silencioso da maioria silenciosa seria apenas considerado o mais inútil presidente da república de sempre e falo o termo "inútil" para tentar manter um certo nível porque por minha vontade chamava coisas mais bem piores.

O presente desgoverno se está a esquecer de um facto que o simples facto de nesta quinzena se entrar numa espiral eleitoral que começa com as eleições regionais para o Arquipélago dos Açores, as quais se seguem as eleições municipais em 2013, 2014 eleições para o parlamento europeu, 2015 eleições para o Arquipélago da Madeira e eleições gerais e 2016 eleições para o presidente da república e para os Açores (isto se não haver nenhuma dissolução de assembleia quer seja regional ou nacional ou municipal e todos os politólogos apontam as eleições que são antes e pouco depois de eleições gerais (sobretudo as de carácter nacional como as municipais) como teste a qualquer governo ou desgoverno e com esta espiral de eleições mexer em direitos fundamentais é um tiro no pé dado com uma bazuca.

Seria recomendável uma nova reunião do conselho de estado o mais breve possível para que o ruído enorme da maioria silenciosa seja ouvido pelos eleitos e hajam eleições gerais antecipadas porque a situação presente do país passou há muito os limites do suportável e tanta mentira e tantos golpes do presente desgoverno não justificam a sua permanência em funções e se por acaso a recuperação de direitos perdidos signifique o fim da república, então que assim seja; mas que as forças armadas se mexem porque já chegou há muito tempo a hora de mudarmos o estado a que chegarmos porque se não se mexerem as forças armadas são tão inúteis como o presidente da república e mesmo inúteis como o regime republicano.

E ficam as minhas perguntas de sempre, quase sempre sem resposta: Porque todos se calam ? O que pensa o presidente da república de tão grandes protestos de massas ? Porque a UGT não se juntou ? Aonde este protesto vai chegar ? O regime vai mudar ? O desgoverno vai cair ou não ? Será preciso uma revolução para os portugueses voltarem a ter direitos humanos e sociais ? Que caminho leva Portugal ? Para que nos serve a república e o seu presidente ? Chegou a hora de fazermos uma escolha directa: Ou estamos com a nação ou contra a nação ? Se este desgoverno é de facto contra a nação, então porque raios ainda está em funções ?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

Eu aqui há algum tempo atrás massacrei o desgoverno de Sócrates com os cortes da saúde em especial no meu caso particular porque é do conhecimento dos leitores e leitoras desta humilde página que tenho duas doenças crónicas e uma doença rara o que em termos de remédios é uma carrada de remédios todos os dias.

Mas sei que há casos piores do que eu como os casos de cancro e de SIDA/AIDS que precisam de medicamentos caríssimos e a falha de um deles significa a diferença entre a vida e a morte e nos doentes no casos limite de serem doentes terminais têm que ter todos os remédios em protidão, mas algo que eu não esperava foi ver a comissão de Ética a dizer que se tinham que racionar os remédios para doentes oncológicos e para seropositivos quando no caso dos doentes oncológicos há sempre a esperança da cura em qualquer cancro e no caso dos seropositivos a medicina está tão evoluída que praticamente transformou a peste dos dois séculos duma doença crónica e tratável sobretudo no mundo dito desenvolvido.

Sou utente do IPO desde 2004, e com a carga de remédios que eu tomo, fiquei passado da cabeça quando o desgoverno Sócrates retirou os descontos totais nos doentes crónico-fatais e oncológicos e chamei e com razão de genocidas aos socialstas porque colocaram pessoas de todas as idades e praticamente de todos os estratos sociais a se perguntarem se hão de comer para sobreviver ou se compram os remédios para sobreviver, quase numa cópia mal amanhada da medida nazi conhecida por Aktion T4 que foi o extremínio de doentes e deficientes em câmaras de gás sobretuto aos que fazam parte de famílias das classes trabalhadoras e mais pobres da sociedade alemã dos anos 30 do século XX da Era de Cristo porque os mais ricos conseguiam ter os seus familiares doentes sobretudo os possuidores de doenças raras ou mentais em instituções privadas e houve médicos que foram verdadeiros heróis na luta contra o Aktion T4 como o médico Hans Gerhard Creutzfeldt (conhecido por ter descoberto a doença Creutzfeldt-Jakob) que conseguiu salvar todos os seus doentes, ou como já falado aqui Leão de Münster, o Bispo Clemens August von Galen, da cidade de Münster no Länder da Renânia do Norte-Vestefália que mexeu literalmente o céu e a terra para acabar com este crime nazi e ao contrário do caso de Portugal que esquece todos os seus verdadeiros heróis, o Leão de Münster foi sempre reconhecido como exemplo de virtude e de coragem ao ponto de ser beatificado pelo seu patrício o Papa Bento XVI.

Mas voltando ao caso português, estes verdadeiros genocidas da comissão de Ética que deve ser palavra da qual desconhecem o verdadeiro significado querem tirar os remédios sobretudo aos doentes oncológicos e aos seropositivos porque tal sai  caro ao orçamento lembrando aí sim a regra da infame regra nazi da Aktion T4 e que sejam apenas dados remédios quando este forem baratos; acontece que todos estes remédios custam fortunas e este parecer da comissão Aktion T4 genocida, digo comissão de ética que está a usar um eufemismo para legitimar a eutanásia num país tradicionalmente cristão, judeu e muçulmano e que cujas três religiões do Livro proibem tal procedimento "médico".

Fico a pensar quando o Rei D. Maria II retirou a pena de morte nos crimes civis em 1852 tendo sido a última execução para crimes civis em Portugal em 19 de Setembro de 1845 para crimes civis e para crimes militares a última foi em 1917 ou 18 durante a Primeira Guerra Mundial pelo crime de traição tendo sido varrida de vez do quadro legal português em 1976 e desde daí a vida humana segundo a lei fundamental é tão sagrada quanto é a liberdade; mas isto meus amigos e minhas amigas, é no papel porque a realidade é outra e continuamos a assisitr a um verdadeiro genocídio da população portuguesa mais vunerável e como não bastasse a fome que vai matando aos poucos o país graças a esta austeridade que ninguém consegue preceber qual o seu motivo e porque ela existe e porque é sempre o povo a pagar, agora numa verdadeira eutanásia colectiva nazi, cópia melhorada do Aktion T4, querem matar todos aqueles que tentam lutar para ter mais uns anos de vida só porque os remédios saem caro ao estado, mas ninguém corta as mordomias do poder podre da república ou os rendimentos mínimos daqueles parasitas como as romenas que andam a pedir esmola pelas ruas, se reproduzem como coelhas e ainda recebem 700 euros por cabeça para passarem o tempo pedir esmola e fazer filhos e quem precisa dum remédio para viver ou dum extra no salário ou na reforma para por as contas em dia não tem porque o desgoverno diz não ter dinheiro; ora porra para tanto genocídio em nome de um regime terrorista chamado república que está no poder a 102 anos a afundar Portugal.

E com estas voltas gostava de saber aonde param as forças armadas porque se dizem ser a garantia da constituição e devem estar a precisar de uns óculos daqueles fundo de garrafa para verem com olhos de gente o quão tão forte estão a ser as violações feitas pelo presente desgoverno e seus anexos como estes animais da comissão de ética e não executam o seu juramento de defender a constituição nem que seja a força de armas e passam o tempo caladinhos, são humilhados pelos vários desgoverno não se mexem; de facto dá que pensar para quê que Portugal ainda tem forças armadas porque estas nem defendem a soberania nem a constituição como consta do seu juramento de bandeira que dizem respeitar (queria saber aonde).

E se para voltar o respeito pelos direitos humanos e pelos direitos individuais, ter-se que eliminar o poder republicano, então que se elimine a república porque o verdadeiro poder democrático vem do povo, do povo e pelo povo e nunca duns quantos genocidas que fazem o que querem do povo a favor de interesses particulares e um presidente da república que se mexe menos do que um urso perguiça ou um urso polar em hibernação e chegamos a uma zona limite, chegou a altura que temos que mudar o estado a que chegamos nem que seja força porque chega de tanta velhacria e tanta injustiça e depois não se admirem que haja algum renascer do fascismo em Portugal porque este poder podre da república está mesmo a fazer por isto.

E ficam as minhas perguntas de sempre: Porque o presidente da república se cala ? Aonde está a tropa que não vem defender a constituição ? Afinal para que servem os impostos ? Qual a necessidade da comissão de ética ? Porque querem fazer eutanásia em Portugal em casos que não é precisa ? Para que querem matar as pessoas que estão a lutar pela vida ? Aonde para o direito a vida que vem na Constituição de 1976 ? Porque estão sempre a violar a constituição ? Se a tropa não faz valer a garantia da defesa da constituição, então para que serve afinal ? Do que nos serve a república e o seu presidente ?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

 

 

 

 

 

 

Post-Scriptum: Esta imagem e respectiva legenda deve ser tomada como duas formas: ou o novo símbolo da comissão de ética ou a sua inspiração

 

 

 

 

 

 

Esse poster de 1938 diz: "60 000 Reichsmarks é o que essa pessoa portadora de defeitos hereditários custa ao Povo durante sua vida. Companheiro, é o teu dinheiro também". Propaganda exibida no "Neues Volk", a revista mensal do Escritório de Políticas Raciais do Partido Nazi.

 

 

 

 

 

(Fonte da imagem e da legenda: Wikipedia)

 

 

Pág. 1/11