Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Opiniões e Críticas Secretas

Opiniões e Críticas Secretas

Faltando 4 dias para o aniversário número 10 do meu blog, hoje para música do dia escolhi uma das prováveis candidatas a fazerem parte da lista de um top 10 ou 15 das músicas que me tivessem marcado a mim tanto neste blog, mas sobretudo na minha vida porque dez anos é muito tempo de dedicação a algo que apenas começou como passatempo e depressa cresceu para algo entre um trabalho e um filho

 

 

 

E como as coisas andam a querer entortar aqui em Portugal

 

 

 

Wild Boys - Duran Duran

 

 

espero que seja do vosso agrado

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Nesta véspera de mais um feriado que nos foi roubado pelo presente desgoverno da ditadura chefiada pelo Führer Passos Coelho anda o mundo da política num verdadeiro carnaval fora de tempo e nada condizente com o congelante e soviético frio que se vai sentir pelo menos até dia 9 de Dezembro e que va-nos fazer beber uns quantos litros de bebidas quentes.

A grande agitação na república e que não é nenhuma conjura partiu de um artigo no New York Times onde o burro mirandês, espécie em extinção e que está a ser mantida com subsídios da União Europeia e esta mesma espécie de gado típico, sobretudo usado como animal de trabalho desde tempos imemoriais é comparado ao português comum que tal como o animal em vias de extinção vive depedente de subsídios da União Europeia.

Pelo que se sabe pelo menos o presidente da república acordou e se sentiu incomodado com a comparação entre um animal de trabalho e os portugueses, embora tanto o burro bem como parte generosa dos portugueses tenham este pequeno detalhe em comum que é trabalhar que nem uns desgraçados para puderem comer umas aveias ou um fardo de palha no final do dia de trabalho.

A reacção do presidente da república pode ser que não tivesse gostado que chamassem burros aos portugueses no seu todo, que vendo bem ao fundo da questão não deixa de ser a mais pura das verdades nos tempos que correm por aí, ou então como os burros em si são animais de trabalho, o presidente da república se tenha sentido ofendido por ter sido colocado ou comparado com um animal que faz aquilo que o presidente da república não faz que é trabalhar, porque enquanto o burro mirandês trabalha, o presidente da república se sente ofendido com a palavra trabalho porque anda ainda por aí meio congelado aquele caso do manifestante que mandou o presidente trabalhar no dia da raça ou de Portugal.

Está mesmo visto que esta república, podre, velha e caduca se preocupa mais com a comparação entre os portugueses como povo e um animal de trabalho que cuja espécie está em extinção ao contrário do desemprego em Portugal, do que se preocupa ou a defender a lei fundamental ou então em resolver os reais problemas da nação e esta reacção do poder político da república em especial do seu presidente mostra mesmo que não passamos de uns verdadeiros burros no sentido parvo e tolo da palavra porque aquela reacção deveria ter tido o senhor presidente da república por cada lei que presente desgoverno faz contra a constituição.

E ficam as minhas perguntas de sempre: A quem fica melhor as orelhas de burro ? Quem as quer usar ? Qual o mal da comparação ? Porque não olham para os problemas da nação ? Afinal quem é o pior burro nesta história ? Quem afinal é o burro, o burro ou o português ? Existem diferenças ? Para que nos serve a república e o seu presidente ?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

Hoje passa mais um aniversário do jantar dos conjurados que foi o ponto de partida para restauração da indenpendência nacional que nos tem sido roubada todos os dias por vários desgovernos e governos que têm vendido a nação aos pedaços conforme lhes cheira a dinheiro traindo uma nação praticamente milenar.

Conjuremos pois contra os mentirosos que nos roubam o nosso pão de cada dia em nome de sacrifícios que ninguém explica ou quer explicar embora se  veja cada vez mais gorda a porca da política da república como fosse um porco cevado mesmo a jeito da engorda para ir a caminho da matança do porco e acabar em bifanas e em enchidos para nos matar a fome durantes uns tempos.

Conjuremos pois pela nação e não contra ela ao contrário daquilo que o poder da república tem feito nos tempos mais recentes e que cuja actuação da União Europeia os desmandos de Berlim parecem saídas da cabeça maquiavélica do Conde-Duque Olivares e da Duquesa de Mântua e urge que esta gente seja corrida do nosso território e do nosso dia-a-dia já de si duro como o gelo devido a situação de crise que o mundo atravessa e como sempre vem cair em cima dos mais fracos.

Conjuremos pois contra um regime que nada tem a ver com aquilo que se convencionou chamar democracia e que nasceu com grande esforço de muitos esquecidos numa distante Primavera de 1974 que nada teve a ver com a Primavera de Praga, mas que no mundo civilizado foi quase uma nova Primavera dos Povos embora com muitas e muitas falhas.

Está na hora de um novo grupo de conjurados salvar a nação porque esta mesma nação de seu nome Portugal está farta de ouvir sempre a mesma conversa sempre das mesmas pessoas que quando estão no poder mijam de uma forma e quando estão fora deles mijam de outra, mas que no fim quem tem que passar com a lixívia para limpar o mijo são os de sempre como sempre os que estão em baixo e os que trabalham mesmo a sério e não os que dizem defender o povo porque na realidade estão a defender a sua carteira.

E por isso a conjura de 1640, em nome da nação, de nós e de todos os nossos entes queridos: passados, presentes e futuros tem que ser repetida e os traidores da nação têm que ser defenestrados porque há muito já o fomos mas sem dar por isso e longa vida aos conjurados de 1640 que muita falta nos fazem...

Desta vez não deixo perguntas, apenas o pedido de sempre para ler, comentar e divulgar

E hoje,  uma estreia neste blog quando se aproxima o dia do 10º aniversário e nem ainda fiz a lista do top-10 das músicas que me marcaram de alguma forma tanto a mim como este blog embora já tenha alguma coisa a fermentar....

 

bem mudando de assunto uma música bem diferente da que foi publicada ontem

 

 

 

 

 

Got my mind set on you - George Harrison

 

 

 

espero que seja do vosso agrado

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Mais um buraco deixado na Rua Escola do Exército do lado onde não existe qualquer candeeiro ou outra qualquer forma de iluminação nocturna.... de facto cada vez estamos pior em Lisboa..... bem pelo menos tenho a consciência limpa que não votei na presente edilidade de Lisboa

 

 

 

 

Nestes dias mais agitados e mais recentes temos assistido um Mário Soares agitado que fala em risco de conflito social devido a austeridade e ao FMI e nem sei que mais e que as manifestações mais recentes são apenas a ponta do iceberg e que a coisa vai ficar mesmo preta se o desgoverno e o presidente da república não largarem os seus cargos e deem a vez a outros (de preferência socialistas).

Acontece que não só o programa de televisão da RTP-1, Sexta as 9, bem como as minhas recordações de pirralho bem como o que estudei em História me fez fazer um levantamento de arquivo mental sobre o assunto troika e FMI e qual o meu espanto ou talvez não quando fui a ver com olhos de ver e que as outras duas entradas da troika em Portugal, 1978 e 1983/5 aconteceram exactamente com Mário Soares como Führer da nação chamada Portugal e que na altura, em especial na segunda vinda do Diabo chamado Troika a Portugal veio com a mesma conversa que Passos Coelho tem agora, como dizer que os portugueses andam a gastar mais do que aqulo que podem gastar entre outras pérolas que hoje em dia são ditas de igual forma por Passos Coelho.

Para não ser diferente; em especial da segunda vinda da troika; as falências eram mais do que muitas incluindo de empresas seculares, e qual cúmulo da ironia, uma empresa ligada ao ramo da navegação fechou portas na altura em circunstãncias muito mal explicadas e foi um encerramento que envolveu um tal de Carlos Melancia que apareceu uns quanto anos depois ligado a uns negócios assim meio para o escuro em Macau e agora temos os ENVC que fecham portas e vamos ver se o ministro envolvido não vai reaparecer ligado a alguma sucata de algum fax oculto e depois tudo acaba no arquivo como convém.

Ainda para compor mais o arranjo, se sabe que quem picou o ex-Führer Sócrates Pinto de Sousa para chamar a troika foi um tal de Mário Soares quando a ideia não passava mesmo disto, de uma ideia dentro da cachola do tal Sócrates Pinto de Sousa enquanto ele pensava noutras formas de "ajustar" as contas da nação e o tal de Soares foi tão melga na questão FMI que o sucateiro caiu na conversa e agora estamos a pagar as contas das ideias do tal Soares.

Agora aparece o mesmo Soares armado em paladino dos pobres quando nos anos 80 ele foi o responsável maior por ter colocado a nação chamada Portugal a passar fome ao ponto de só a entrada na União Europeia (na altura CEE) ter sido uma suposta salvação da situação de calamidade em que a nação se encontrava naquela altura que pouco difere da situação actual, embora possamos dizer que agora estamos piores porque na altura se tinham duas "salvações" e uma delas foi usada por diversas vezes: uma delas foi a entrada na CEE e a outra era a desvalorização períodica do escudo  e agora uma das salvações foi um pacto com o diabo e a segunda já não se pode fazer.

Todavia gostava de saber qual a moral de Mário Soares criticar Passos Coelho pelos mesmos erros que Soares fez e por isso o que Soares deveria de fazer era estar quieto e calado porque neste ponto da austeridade, Soares tem telhados de vidro, mas de vidro muito fininho, mesmo vidraça e se começa a a atirar pedras ainda fica com o telhado de vidraça feito em cacos...

E ficam as perguntas de sempre: Qual a moral de Soares criticar Passos Coelho pelos mesmos erros que cometeu ? Será que vamos ter Passos Coelho como presidente da república ? Será que entre as sátiras de Herman José nos anos 80 ao governo do Bloco Central e a actualidade alguma coisa mudou em Portugal ? Que caminho leva a nação ? Porque Soares não ficou calado ? Para que nos serviu afinal o PREC ? Para que nos serve a república e o seu presidente ?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

Pág. 1/11