Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Opiniões e Críticas Secretas

Opiniões e Críticas Secretas

Não foi para um ano particularmente feliz, aliás bem pelo contrário porque me aconteceram coisas que me marcaram de forma negativa tanto a nível familiar como ao nível geral e vou apenas expor aqui em algumas neste pequeno artigo porque tenho outro a fermentar para ser publicado logo no dia em que o ano de 2015 conhecer a luz do sol em terras lusitanas.

A minha mãe perdeu a capacidade de andar e acabou por ir parar a um lar de idosos, depois como não fosse peso suficiente para o meu lombo correram comigo da pensão onde eu vivia há quase 6 anos, melhor sobrevivia porque não tinha a mínima dignidade humana, e coloco este facto do lado das coisas negativas porque me roubaram tudo ou quase tudo.

Perdi os meus haveres que tinha num armazém alugado porque não pude pagar a renda do armazém e fiquei numa situação bastante dolorosa embora o novo alojamento onde vivo há 4 meses se tenha revelado melhor do que eu esperava em termos de bom ambiente e me sinto relativamente bem e não me sinto como aprosionado.

Também tenho a lamentar do lado das minhas dores pessoais e me desculpem tomar as dores dos outros como minhas, a transmigração para as estrelas do céu dos pequenos grandes lutadores como a Bia ou a Leonor também conhecida como Nonô, partidas as quais chorei e ainda choro de uma forma que eu não consigo compreender e nem achar qualquer explicação.

Mas nem tudo foi mau em 2014 para mim felizmente e posso destacar o facto de ter feito as pazes com a minha irmã e ter matado saudades dos meus sobrinhos que para mim foi uma das melhores prendas de Natal que eu recebi nos últimos tempos; outra coisa boa foi ter achado um alojamento com bom ambiente e ter passado um ano inteiro sem precisar de ir ao hospital por causa da asma e na queda que foi para mim ter que ir as carrinhas buscar comer, houve um certo levantar de alma porque conheci um outro mundo, travei algumas amizades de ocasião e o tempo que estou na rua a espera da carrinha sempre ajuda a superar a dor da separação da minha mãe.

 

 

Agora vou passar aos factos gerais do mundo exterior ao meu

 

 

 

Este ano de 2014 foi recheadinho de tragédias para todos os gostos, desde tragédias naturais como os crónicos furacões ou sismos em áreas densamente habitadas embora os sismos tenham sido particularmente poucos em 2014 que foi um ano de mau tempo em todas as leituras que esta expressão possa ter.

Houve uma hecatombe no mundo financeiro português com a queda do Grupo Espírito Santo ao fim de 150 anos de existência, mesmo apesar de nos termos livrado da troika e dos juros da dívida quase a níveis incomportáveis e quando acordamos estamos a vender tudo e mais alguma coisa como a TAP e outros sectores estratégicos.

Não nos podemos esquecer da ainda presente epidemia do vírus Ébola que ainda está a fazer vítimas e vamos ver quando que acaba se chegar a ter um fim; depois tivemos em Portugal um dos maiores surtos de sempre da Doença do Legionário da história e depois se juntam os acidentes aéreos que nem vale a pena muito falar para não estragar o dia.

Ainda se pode acrescentar a miséria que foi a presença da selecção nacional no mundial do Brasil e o triste final do Brasil que no seu mundial foi a selecção com mais golos sofridos de sempre ou uma das que mais sofreu.

Para acabar o rol das coisas más: ainda temos Passos Coelho no governo, mas para mal dos nossos pecados não deve haver melhor peça na oposição; a república continua em Portugal e a corrupção em Portugal é melhor nem falar no assunto e no mundo se derrama cada vez mais sangue inocente.

 

Coisas boas: o Benfica ter ganho tudo em termos de troféus nacionais, o reconhecimento de Cristiano Ronaldo como um dos melhores futebolistas de sempre (senão é mesmo o melhor de sempre); a descoberta da verdade sobre José Sócrates e vamos ver até onde vamos dar....

 

Bem assim se resumiu 2014 que para mim foi para esquecer

A edição de hoje do Correio da Manhã falou teve uma capa que foi uma das mais acertivas capas do jornal lisboeta e ao mesmo tempo descobru mais uma careca do sub-mundo socialsta e coloca a nu uma ligação directa entre o império Espírito Santo e os socialistas.

A mesma notícia surgiu noutros meios de comunicação social e é o facto do Banco Espírito Santo ser o maior mecenas da Fundação Mário Soares num valor que chega aos 570 ml euros e com a queda do BES faltou entregar 100 mil euros  e não se sabe quando estes mesmos 100 mil euros serão entregues a fundação liderada pelo fundador do Clube da Rosa do Avental do Largo do Rato, mas o facto fica desta mesma ligação a qual não é alheia o apelo de Mário Soares para que Ricardo Salgado venha a público se defender das suas acusações e ainda disse que fez muito bem em ficar calado.

Se sabeendo disso se recomendaria que as contas de todas as fundações que recebem dinheiros públicos e privados em especial da banca como a Fundação Mário Soares, tenham as contas públcas para se saber quem as financia e por outro lado ficamos a saber para onde vão os nossos impostos e saber quem se serve deles sobretudo estas fundações políticas que servem de máscara a interesses de sociedades secretas e por exemplo deixam fechar fundações como a fundação que geria o Museu do Brinquedo, em Sintra por contigências do orçamento da troika, mas para o bochechinhas já havia papel.

Enfim, estamos na república dos bananas e dos pedreiros-livres onde o povo tem que ser como o burro e baixar as orelhas enquanto vai vendo as novelas e os berros da Teresa Guilherme na Casa dos Segredos e por detrás desta patomina as orelhas de burro do português comum otário vão crescendo como se sabe e para tamanhos astronómicos

E ficam as minhas perguntas: Qual o interesse do BES na Fundação Mário Soares ? Quais as possíveis ligações entre Mário Soares e  BES ? Existe mais algum socialista metido nisto ? Afinal qual a utilidade das fundações de índole política como a Fundação Mário Soares ?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

A escolha de hoje é a contiuação ou sequela da música que escolhi como música para o dia de  Natal e vos vai fazer pensar sobretudo quando se sabe que os escolhidos de hoje têm praticamente uma música para todos os momentos da vida de um ser humano

 

 

 

 

Is This The World We Created ? - Queen (versão legendada)

 

 

 

 

espero que seja do vosso agrado

 

 

 

 

 

O hospital Amadora-Sntra voltou as primeiras págnas dos jornais e das redes sociais pelos piores motivos e desta vez foi o facto de um doente já idoso ter esperado 20 horas para ser atendido por um médico devido a falta de médicos no mesmo hospital, problema que não é de hoje e tem tendencia a agudizar-se.

Esta situação piorou devido a falta de médicos e que parece só ter sido vista agora pelo ministério da saúde que também deve se estar a esquecer da quantidade de imgrantes que moravam em Portugal e eram especializados nas áreas da saúde e estavam nas obras e que poderiam resolver o problema da falta de médicos, mas com a crise da construção civil acabaram por sair de Portugal e os profissionais da saúde portugueses vão pelo mesmo caminho e saem de Portugal.

Esta situação poderia ser resolvida se colocassem mais médicos no Amadora-Sintra e aumentassem as consultas de urgência nos centros de saúde, mas isto não se aplica ao caso do Amadora-Sintra porque este caso do Amadora-Sintra é apenas um de muitos porque já me aconteceu estar em S. José com uma crise de enxaquecas e esperar mais de 7 horas para ser atendido e o centro de saúde da minha área de resdência apenas tem vagas para consultas de urgência de manhã bem cedo senão não há consulta urgente e há assuntos como as baixas que só podem ser tratados no centro de saúde.

Descansem que vão aparecer mas casos semelhantes a este nas notícias e gostava de saber quando é que o dirigismo na saúde em Portugal se lembra de mexer o real traseiro das cadeiras e deita mãos a obra e resolve os problemas do SNS porque já nasceu torto porque foi da criação de um maçon e agora nunca mais se endireita e ninquém mostra intenção ou vontade de o endireitar.

E ficam as minhas perguntas de sempre: O que se passa com a saúde em Portugal ? Porque na saúde em Portugal em vez de se esperar de vez no médico se espera pela morte nos centros de saúde e hospitais ? Será que os políticos da república se esuqeceram que a saúde é um critério para avaliar o desenvolvimento de uma nação ?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

A pequena jóia dos Países Baixos, Amira Willighagen continua a emocionar e a surpreender o mundo e na sua pátria num concerto de famoso violinista e maestro francês André Rieu emocionou quem assistia ao vivo ao seu espectáculo e com uma voz digna de fazer parte dos cartazes de qualquer teatro de ópera do mundo inteiro voltou a cantar "O Mio Babbino Caro" tal comno fez no programa de caça-talentos Holland's Got Talent...mas com uma voz bastante melhor do que na primeira vez

 

 

 

esperando que seja do vosso agrado

 

 

 

O Mio Babbino Caro - Amira Willghagen & André Rieu

 

 

 

 

e a Amira é a prova que taleno nem tem idade nem tamanho e basta uma pessoa puxar pela sua alma e pelo seu coração para que talento saia para cá para fora e a Amira quando canta praticamento não faz força, os versos lhe saem do coração como era com o majestoso Pavarotti

 

 

 

 

Vos deixo a imagem do abandono em que encontra o antigo cais de embarque dos barcos da travessia do Rio Tejo e que iam para o Barreiro quando esta mesma linha fluvial era explorada pela CP....

 

 

 

 

 

estação de barcos.jpg

 

 

 

Não nos podemos esquecer que no interior desta mesma estação há várias pinturas na forma de painéis da autoria de Almada Negreiros

 

Batalha de Pearl Harbor obrigou EUA a recrutar atuneiros açorianos na Califórnia

 

 

Ataque japonês de 1942 levou norte-americanos a converterem 47 barcos de pesca em barcos de guerra. Cerca de 600 pescadores de descendência portuguesa ofereceram-se como voluntários.

 

 

 

 

 

(fonte: Público)

 

Não sou muito de ver a TVI porque simplesmente não gosto do canal e isto é ponto assente da minha forma de ver televisão, mas hoje quase como por acaso, estava a almoçar no alojamento onde agora vivo e não posso dizer sobrevivo porque onde agora vivo tenho um pouco mais de qualidade de vida do que na bodega onde sobrevivia.

E quando almoçava e pensava no que iria fazer amanhã enquanto almoçava e vi o telejornal da tarde da TVI e a notícia/reportagem que encerrou o mesmo jornal e vi as mães-coragem que têm filhos que luta e lutaram contra o cancro e fiquei com as lágrimas nos olhos quando vi a mãe da Nonô, da pequenina Leonor que lutou contra o cancro com uma valentia que nenhum de nós consegue imaginar e valentia de todas as crianças que lutam contra o cancro e a dor imensa daquelas mães sobretudo quando os seus rebentos perdem a luta das suas vidas para ver algo tão simples como o raiar do sol ou receber um beijo dos seus pais pela manhã.

Falo como tio de 4 maravilhosas crianças que felizmente me visitaram no dia de Natal e quando vi a reportagem não fui capaz de olhar para a televisão porque se olhasse me punha a chorar e depois sou utente do IPO-Lx há uma década e me cruzo com vários destes pequenos grandes heróis que nunca desistem, nunca choram e ainda têm coragem para animar os pais para lutar e lutar sem desistir e estas mesmas crianças são o pilar de força e coragem que falta a estas mesmas mães que não sabem se no dia seguinte ficam sem o seu filho ao pé de si e quando me cruzo com os pequenos grandes heróis do Instituto Português de Oncologia por vezes não consigo conter as lágrimas e saio do recinto do IPO com um nó na garganta e com uma dor que só eu e Deus sabe como doi e demora  passar e só a ideia de ter um dos meus sobrinhos a ser tratado no IPO me deixa com um peso no peito que não consigo suportar.

Nesta dita reportagem da TVI vi a mãe da Nonô que criou uma associação para as mães-coragem que para ajudarem os seus filhos contra a luta das suas vidas têm que deixar tudo para trás e passarem a serem mães 24 horas por dia e como esta mesma associação tem ajudado várias famílias das mais diversas formas e foi apresentada uma música cujo videoclip está no youtube e quando via a reportagem sempre falavam das crianças que nunca desistem porque as crianças do IPO nunca desistem, são dos seres mais corajosos a face da Terra, deste pequeno pixel de vida na imensa escuridão do cosmos e no meu facebook li um desabafo da mãe da Nonô e da tristeza dolorosa que sente ao passar esta época de festa e da família e onde as crianças são rainhas e ao ler este desabafo não consegui conter as lágrimas porque é uma dor que apesar da minha resistência é demasiadamente grande para eu suportar sem chorar porque é uma dor muito maior do que todas as minhas dores que eu senti na minha vida ou que possa sentir no futuro.

Nesta reportagem vi fotos da Nonô e chorava por dentro e segurei o choro enquanto almoçava e ansiava para que eu fosse ter com a minha mãe ao lar de idosos onde ela está agora a viver e vi os artistas a ensaiar o vídeo da música que serve de hino da Associação Princesa Leonor Aceita e Sorri, entretanto fui comer uma sopa ao Campo das Cebolas e vim para casa e vi no face da APLAS que o vídeo já estava publicado no youtube e fui ver e simplesmente não consegui ver, desatei a chorar, como ainda estou a chorar que nem um perdido e quando vejo a mascote da APLAS choro porque me lembro da Leonor e de todas as outras crianças que lutam e lutaram contra o cancro e não consigo aceitar que uma doença tão cruel como o cancro atinja as crianças porque numa versão de uma das obras-primas dos Queen "Who Wants to Live Forever" que foi cantada por duas crianças enquanto os Queen preparavam o álbum Miracle esta mesma versão que foi cantada pelo cantor Seal em 1992 no concerto de tributo a Freddie Mercury, tem um verso que diz assim:

 

 

PARA SEMPRE É NOSSO HOJE APENAS QUEREMOS UMA CHANCE PARA VIVER

 

 

E não consigo comprrender como há crianças que não têm esta chance de viver porque as crianças são os homens e as mulheres de amanhã e apesar do vídeo da APLAS ser um hino a luta e não a tristeza, lembro-me sempre da Leonor e desato a chorar e fico com uma dor no peito que não é uma dor é um peso no peito que é uma dor louca que ninguém quer sentir e uma amiga minha do facebook disse-me que tenho um coração que não cabe no meu peito de tão grande que é e talvez este seja um dos maiores defeitos.

 

 

Apenas vos deixo o pedido de sempre para ler, comentar e divulgar e vos deixo o hino da APLAS para que pensem em lutar e nunca desistir porque se lutar contra o cancro é como se ser piloto de fórmula 1 e o melhor piloto de todos os tempos disse que um piloto não é desenhado para ser 2º ou 3º ou 4º, mas sim é desenhado para ganhar e é com esta coragem que roça os limites da locura que temos de agira contra cancro, sobretudo o cancro infantil

 

 

 

 

 

Estranho alguém como eu que ainda não tive filhos sentir esta dor como fosse umn pai ou uma pai que estivesse nesta luta que é uma guerra sem quartel contra uma doença estupidamente cruel e nos faz questionar se Deus existe porque são sempre as crianças a sofrer e dou por mim a chorar a ter uma dor no peito que mal posso aguentar

 

 

 

 

Pág. 1/5