Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Reportagens de Critica Investigação e Opinião

REPORTGENS, CRÍTICAS E INVESTIGAÇÕES DO CYBER-RERPORTER + SECRETO DO MUNDO Blog Nacionalista e Monárquico (UM AVISO: AQUI NÃO VAI ENTRAR O NOVO ACORDO ORTOGRÁFICO BLOG MONÁRQUICO E NACIONALISTA)

Reportagens de Critica Investigação e Opinião

REPORTGENS, CRÍTICAS E INVESTIGAÇÕES DO CYBER-RERPORTER + SECRETO DO MUNDO Blog Nacionalista e Monárquico (UM AVISO: AQUI NÃO VAI ENTRAR O NOVO ACORDO ORTOGRÁFICO BLOG MONÁRQUICO E NACIONALISTA)

Portugal 1 - Polónia 1 (5-3 nos penalties), que sofrimento atroz....

A frase não é minha, é de um ídolo de uma vida chamado Jorge Perestrelo que caso fosse vivo e fizesse o relato do jogo de hoje entre Portugal e Polónia no Estádio Veledrome de certeza que teria uma reacção muito parecida a que teve há 12 anos atrás (ainda este blog era uma criança) iria provavelmente dizer a mesma voz embora o duelo de hoje entre os Patrícios modelo 2.0 e a Polónia tenha sido menos agitado que o duelo luso-britânico de há 12 anos atrás no Estádio da Luz.

O jogo foi marcado pelos dois golos em bola corrida e onde a defesa lusitana compremeteu e muito e foi graças a um destes muitos erros que apareceu o golo da Polónia logo aos dois minutos de jogo e o ataque dependeia muito de Cristiano Ronaldo e era feito de uma forma trapalhona até por alturas do minuto 30 da primeira parte onde o seleccionador nacional Fernando Santos acordou e deu ordens para que as linhas de meio-campo e ataque mudassem de posição e pouco tempo depois aparece o golo do miúdo da Musgueira, o novo menino de ouro do futebol nacional, Renato Sanches que ao receber a bola endossada por Nani, cheio de raiva remata a baliza polaca e o seu remate ainda ressalta na perna de um jogador polaco o que tornou ainda mais o indefensável remate que levava o selo de golo assim que saiu do pés do diamante lapidado na academia do Benfica e agora vai ser mais uma estrela na constelação chamada Bayern de Munique.

Depois dos golos o jogo viveu de ataques e contra-ataques onde a defesa portuguesa compremeteu e muito e a aselhice dos jogadores polacos também tiveram a sua dose de parte no resultado que se registava aos 90 minutos. Depois dos 90, mais meia hora de bola onde nenhum dos conjuntos arriscou em demasia para não dizer quase nada chegando o jogo a parar literalmente havendo uma surtida ali ou acolá mas sem grande perigo e o prolongamento se findou e veio a chamada lotaria dos penalties onde desta fez Portugal foi mais feliz do que há 4 anos e onde não houve ganâncias para saber quem marcava e após 3 penalties, Rui Patrício defendeu o quarto penalty dos polacos e um penalty de Ricardo Quaresma bem colocado marcado a la Koeman enviou Portugal para as meias-finais de dia 6 que vai jogar com quem sair do duelo entre Bélgica e País de Gales.

Pela terceira vez em quatro possíveis, está nas meias finais de um europeu de futebol e sinceramente, temos que começar a ver Portugal como potência regional do futebol porque mais nenhuma selecção tem as façanhas que Portugal tem que é ser a única selecção que esteve sempre nas fases a eliminar dos europeus de futebol desde que adoptaram o formato de grupos de 4 selecções em 1980 e para selar este papel de potência regional, só falta aos Patrícios 2.0 ganharem o caneco no dia 10 e quem chega as meias finais já pode acreditar em tudo e querer tudo de si.

A arbitragem foi um desastre completo e não foi digna do jogo de hoje que abriu os quartos de final do primeiro europeu de futebol com 24 selecções e fartou-se de fechar os olhos a várias faltas evidentes de ambos os conjuntos sobretudo cometidas pelos polacos ao ponto de roubar uma penalty a Portugal pouco antes do menino de oiro ter aberto o livro e ter atirado aquele tiro contra o marasmo em que se encontrava a selecção nacional e espero bem que nos jogos que se seguem hajam melhores árbitros.

 

Bem ; fica o marcador

 

 

 

 

Portugal 1 (Renato Sanches 34') - Polónia 1 (Lewandowski 2')

 

 

Penalties

 

Portugal  - 5 Polónia - 3
Cristiano Ronaldo (marcou) Lewadowski (marcou)
Renato Sanches (marcou) Milik (marcou)
João Moutinho (marcou) Gilik (marcou)
Nani (marcou) Błaszczykowski (falhou)
Quaresma (marcou)