Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Opiniões e Críticas Secretas

Opiniões e Críticas Secretas

A TVI num rasgo raro de serviço público, mostrou a realidade de algo que já acontecia nos tempos de Sócrates Pinto de Sousa quando o actual presidente do parlamento era ministro da segurança social e que se foi arrastando ao longo do tempo e agora parece ter vindo ao de cima porque uma das vítimas veio a morrer de overdose de drogas nos EUA.

Venho vos falar das adopções ilegais de crianças conduzidas pela seita chamada Igreja Universal do Reino de Deus que usou (ou usa) os seus lares de infância para fazerem adopções ilegais de crianças portuguesas no estrangeiro no que se pode considerar tráfico de crianças e estas são convertidas à força para serem "pastores" desta seita ou andam de família em família e há casos de irmãos separados.

Quem está por detrás deste tráfico de crianças são os cabeças do culto e nestes anos, os vários desgovernos da república têm ficado calados não sei porquê e que a reportagem da TVI "O Segredo dos Deuses" deitou cá para fora e que colocou muitos de nós a pensar em que país nos estamos.

Os lares desta seita servem como montra para que os supostos sacerdotes desta seita que são os falsos profetas que a Bíblia menciona escolherem crianças para serem adoptadas de qualquer maneira, separando famílias e chegam a usar documentos falsos segundo a mesma reportagem ou fazendo registos de nascimentos paralelos aproveitando o desespero de pessoas que chegam ao limite.

Tudo é feito para que estas adopções sejam feitas desde extravio de registos documentais até fazer os desesperados ficarem tão dependentes da IURD que estes acabam por aceitar todas as imposições deste polvo incluindo ficar sem os seus filhos e a justiça portuguesa se limita a dizer que os crimes prescreveram e nada mais fazem a não ser a PGR a se investigar a si mesma para saber o que se passou neste tempo.

Mas enquanto andam a tirar as crianças alheias, o cabecilha deste polvo, desta hidra de Lerna de falsos profetas, Edir Macedo anda entre Portugal e o Brasil a gerir este polvo e manda que os seus seguidores mais próximos façam vasectomias para não terem filhos biológicos e andam por outro lado a roubar as crianças alheias com o silêncio cúmplice das autoridades da república que parece terem acordado para o caso desde que este apareceu nos meios de comunicação social.

Nem sei o que pensar da justiça da república e das autoridades da mesma; mas existem organizações aqui em Portugal que já estão a mais no território nacional e este culto está a mostrar que existem em Portugal entidades que se sobrepõem a um Estado que não passa de um cobrador de impostos cada vez mais selvagem e que cuja função social do Estado cada vez se volatiza mais.

A culpa desta situação é em primeira instância é da IURD que se aproveita dos desesperados e em segunda instância do Estado sem si que deixou que estas adopções acontecessem e nada fez para que as mesmas fossem travadas até que a dita reportagem chamasse os bois pelos nomes e começasse a esmiuçar o que estava silenciado estes anos todos devido as maquinações deste polvo que metralhou a emissora sediada em Queluz com vários processos judiciais, mas não falam nos documentos das crianças que se sumiram sem explicação ou dos registos informáticos obliterados das maternidades.

Este caso ainda pode dar muito que falar e mostra que os falsos profetas estão entre nós e estes seres que dirgem esta seita são os falsos profetas e a instituição que dirigem é a prostitututa babilônica mencionada no livro do Apocalipse e que tem o cálice com o sangue dos inocentes com o qual se nutre e como Portugal é um país de mansos, a existência da mesma seita vai continuar e quem sabe se o desvio/tráfico de crianças igualmente vai continuar porque segundo as autoridades judiciais da república muitos destes crimes prescreveram e o dano da separação das famílias só poderá ser deblado por algum rasgo de consciência de alguém que tivesse contribuído para este negócio.

E ficam as minhas perguntas: Como isto aconteceu? Porque a PGR não se mexeu logo nos primeiros casos há coisa de 17 anos atrás? Afinal o que esta seita faz em Portugal? Já não chegou a hora de ir embora?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

Não sou muito dado a tributos, e a minha falecida avó me ensinou que quando te lembrares de alguém, lembra-te da pessoa quando esta é viva e não depois de morta, mas por vezes esqueço este ensinamento da minha avó e o coração fala mais alto.

Nascer no mesmo ano em que os Xutos apareceram para a ribalta do rock português foi uma daquelas coincidências que ninguém explica e aconteceu comigo, nasci no ano em que os Xutos "nasceram oficialmente", 1979. E como fui um miúdo muito Radio GaGa, passava horas a ouvir rádio e a pedra de toque para mim no caso dos Xutos foi o icónico Circo de Feras e depois daí foi sempre a ouvir as pérolas lançadas pelo grupo alamadense uma atrás das outras.

E os Xutos apesar de todas as tempestades e de todas as nuvens não foram os únicos a olhar o céu, mas foram os únicos a lá chegar e a ser dos poucos a conseguir a transgerancionalidade, algo que em Portugal apenas mais dois grupos conseguiram: GNR e UHF, e esta virtude de atravessar gerações e manterem-se no activo e ao mesmo tempo conseguirem manter um núcleo artísitico só se encontra lá fora.

No caso de Zé Pedro, ele foi um dos criadores da maior banda rock da Lusitânia e uma das maiores da lusofonia de todos os tempos, qual Queen portugueses porque os Xutos se tornaram em algo mais do que uma banda punk e entraram no rock e no rock de intervenção, ligando-se ao Brasil e fazendo ligações a sonoridades próximas do fado que mais nenhum fez e com estas ligações e pontes conseguiram atravessar gerações como poucos o fazem.

Um destes exemplos foi a roupagem nova que deram a música "A Minha Casinha" cantada por Milu no filme "O Costa do Castelo" e pegaram no referão e deram uma lavagem ritmica e confirmaram este cruzamento de gerações.

Zé Pedro foi um dos responsáveis por esta continuação ao longo de 38 anos de rumo neste mar de música que atravessou várias gerações e acompanhou esta nação no virar do século e do milénio e foi um dos homens do leme do maior grupo musical português que alguma vez existiu e não fui ver as exéquias, mas ao ver pela televisão, me arrepiou e o volume de pessoas foi digno de um funeral de Estado, nem Amália teve tanta gente e eu tinha escolhido o dia quando o corpo da rainha do fado foi para a Basílica da Estrela para ir ao Jardim da Estrela e deu para ver o afluxo de gente.

Zé Pedro não queria que as pessoas se se lembrassem dele com minutos de silêncio e o povo de Lisboa que acompanhou a transmigração para eternidade do guitarrista dos Xutos cantou duas pérolas dos deuses do rock português: Homem do Leme e Para Sempre....

Pode parecer parvo eu escrever estas linhas desconexas, mas ver mais um dos fundadores de um grupo que tem a mesma existência que eu tenho a face da Terra mexe comigo porque não nos podemos esquecer que há alguns anos perdemos Zé Leonel...agora foi a vez de Zé Pedro e tal como o também vocalista dos Ex-Votos, foi ceifado por uma doença cruel chamada cancro....

 

 

 

 

As músicas escolhidas são, por coincidência, umas das músicas que a minha mãe gostava dos Xutos:

 

Para Sempre e Homem do Leme

 

 

e deixo estes vídeos.... 

 

para vocês e mais uma mensagem de um grupo inglês que se encaixa nestas más notícias