Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Opiniões e Críticas Secretas

Opiniões e Críticas Secretas

Os Oscars Mais Bohemios de Sempre....

Começo pelo fim e digo-vos que o grande vencedor da noite dos Oscars não foi nenhum dos aclamados pela crítica, mas sim o que vai mais espancado pela crítica, Bohemian Rhapsody que em 5 nomeações levou 4 prémios no regaço, os aclamados pela crítica como Roma ou The Clannsman ou Assim Nasce uma Estrela levaram uma ou duas estatuestas.

O grande derrotado foi A Favorita, aclamadíssimo pela crítica e saiu pela porta pequena e a crítica cinematográfica aqui na Lusa Terra, ficou com a viola no saco, sem qualquer reação e as grandes estrelas da noite acabaram por ser duas: uma que está no Vahalla dos divinos da música e outro, uma norte-americano de origem egípcia que trouxe para as novas gerações um legado que se pensava perdido.

A primeira estrela se chama Freddie Mercury cujo espírito foi trazido para a Cerimonia número 91 dos Oscars que aconteceu num dia 24 de Fevereiro e a outra se chama Rami Malek que ganhou especial notoridade não sou por ter encarnado o Deus da Música, bem como tendo feito papeis em Uma Noite no Museu e ser o protagonista da aclamada série Mr. Robot.

A crítica em Portugal como eu acima disse, e não só Portugal, mas sim a nível global demoliram o filme que retrata a vida de Freddie Mercury e a evolução artísitca dos Queen colocando até Assim Nasce Uma Estrela que já uma remake de remake como grande filme, mas estes intelectuais se esquecem que o melhor crítico que existe é o grande público e apenas tomando como amostra os cinemas da rede Nos, foi a primeira vez que vi um filme estar.... 4 meses no cartaz nos tempos mais recentes.

E nas primeiras semanas o melhor era se comprar o bilhete pelo menos com um ou dois dias de antecedência senão não se tinha o lugar pretendido e nunca vi um filme que fosse uma verdadeira montanha russa de emoções e ao mesmo tempo uma viagem no tempo onde quem viveu na era dos Queen quase como viu reanscido o mito de seu nome Freddie Mercury, e as novas gerações viram parte da vida do maior cantor de todos os tempos.

Apenas faltou a cereja em cima do bolo que seria o Oscar para melhor filme, mas ser o filme mais premiado da noite e ao mesmo tempo calar uma crítica cada vez mais analfabeta já tornou a noite de si mágica e lendária e faz com que o legado da maior banda de todos os tempos continue naquele que para mim é pelo menos melhor filme dos últimos dez anos.

A propósito de eu ter falado nos números 24 e 91. Esta menção está longe de ser acidental e foi propositada porque para os mais esquecidos Freddie Mercury transmigrou para o Vahalla no dia VINTE E QUATRO de Novembro de mil novecentos e NOVENTA E UM, não acredito em superstições mas é uma tremenda coincidência.

 

 

The Show Must Go On....