Reportagens de Critica Investigação e Opinião
REPORTGENS, CRÍTICAS E INVESTIGAÇÕES DO CYBER-RERPORTER + SECRETO DO MUNDO Blog Nacionalista e Monárquico (UM AVISO: AQUI NÃO VAI ENTRAR O NOVO ACORDO ORTOGRÁFICO BLOG MONÁRQUICO E NACIONALISTA)
01
Jan 16

Este ano em termos externos a mim foi marcado pelas mortes de artistas e vultos da cultura mundial que são sempre muitos por muito poucos que sejam houve as sempre crónicas tragédias da natureza, acidentes de avião uns provocados, outros não; o bi-campeonato do Benfica, fiz um curso de espanhol que foi doce como o mel e durou pouco e a selecção nacional de futebol não precisou do play-off para ir ao euro 2016.

A eurovisão foi a mesma chaga de sempre e na política foi dos anos mais agitados de sempre onde houve uma espécie de 18 de Brumário da esquerda que pelo andar da carruagem não deve durar muito, entretanto deixei de ir as carrinhas buscar comer e consigo dentro dos possíveis ter comer em casa sem depender de grande ajuda externa o que para mim foi um ganhar de auto-estima em termos pessoais.

Em termos de livros do ano destaco: "A Flor de Lótus" de José Rodrigues dos Santos; "O Independente, A maquina de triturar políticos"  de Filipe Santos Costa e Liliana Valente; "Os Planos Bilderberg para Portugal" de Rui Pedro Antunes e o prémio Nobel da Literatura "O Fim do Homem Soviético" de Svetlana Aleksievitch. Como discos do ano destaco o primeiro álbum do super-grupo Hollywood Vampires com o mesmo nome do grupo, The Book Of Souls dos Iron Maiden e A Night at Odeon dos Queen que mostra a primeira exibição da obra prima dos Queen, Bohemian Rhapsody.

Como em todo na vida não há bela sem senão e com tanta coisa boa no mundo, houve uma coisa mais do que ruim que marcou o planeta e esta coisa se chama terrorismo com o seu anexo chamado extremismo islámico que causou dezenas de mortes pelo mundo civilizado e o começar de uma islamofobia e ao mesmo tempo causou uma onda de refugiados e que no meio dos quais vêm terroristas infiltrados e quem paga as favas são os países mais fracos da UE como Portugal ou Grécia o mundo está numa nova "phoney war" de uma terceira guerra mundial não declarada onde os polícias do mundo se exibem para saber qual deles é o melhor enquanto as verdadeiras vítimas do Daesh lutam contra ele sem qualquer ajuda dos chamados polícias do mundo.

Todavia para mim este ano de 2015 foi ao mesmo tempo preto como as trevas da morte bem como claro como o sol de um Verão nos trópicos e vos explico porquê e vou começar pela pior das dores que foi a morte da minha amada mãe em Setembro pouco antes de eu recomeçar a trabalhar num emprego que foi curto em termos de duração, mas bom em termos de vivência pessoal e foi brilhante como o sol e outro evento que foi para mim brilhante como o sol.... está postado num vídeo do Dailymotion e foi um momento que me marcou de uma forma irreversível mas doce como o mel, foi um doce curto, mas abriu portas de um curso da Universidade Aberta e um tratamento dentário e por um pouco não era uma das maiores alegrias com algo saído de um filme de Hollywood.... que ficou famoso por uma história semelhante

 

 

comentem e partilhem

 

 

 

 

 

publicado por tron às 14:48
sinto-me:
música para pensar: All God's People - Queen
Sérgio, foi bom recordar o momento apoteótico do "Quem quer ser milionário", que 2016 possa ser um bom ano e sobretudo amenizar a grande dor pela perda da mãe. Grande abraço.
poetazarolho a 1 de Janeiro de 2016 às 20:57
Eu em casa tive sempre uma grande percentagem de respostas certas e não consigo compreender que quem mais estudos tem, mais erra e tanto os meus vizinhos insistiram para eu ir que eu fui.
E de facto estava mesmo aflito para liquidar os créditos da minha mãe e outras coisas que me afligiam na altura e a minha exibição no concurso foi doce, mas soube a pouco e tenho acompanhado as outras edições e fico de boca aberta de como os chamados doutores não têm uma cultura geral equivalente aos seus estudos e ironicamente a minha mãe morreu duas semanas depois da minha exibição passar na tv.
Espero tentar fazer mais uma façanha parecida para ver se consigo um emprego estável e que seja uma ajuda para mim e para a minha família
tron a 2 de Janeiro de 2016 às 01:21
Espero que tenha sorte este ano. Melhor em todos os aspectos. Que consiga um emprego e estável. Perder um pai ou uma mãe nunca é fácil. Eu perdi o meu pai em 2009 e custa sempre, principalmente na altura da morte, mas o tempo vai tornando a dor mais fraca, e ficam as boas recordações. Um grande beijo e muita força e se houver algo que possa fazer, contacte-me :)
Marina Pereira a 2 de Janeiro de 2016 às 14:32
obrigado pelo seu comentário e pela visita ao meu blog e assim que precisar a contactarei, obrigado do fundo do coração e bom ano. a perda da minha mãe era uma perda anunciada porque ela estava muito doente, embora nunca se está preparado
tron a 2 de Janeiro de 2016 às 15:38
Como o compreendo. O meu pai também. Foi de cancro, teve um ano a lutar, mas infelizmente partiu. Não precisa de me tratar por você :) nem que seja para um desabafo pode contar comigo2b4psgs
Marina Pereira a 2 de Janeiro de 2016 às 15:43
obrigado pela visita e pelo ombro amigo
tron a 4 de Janeiro de 2016 às 01:51
O facto da selecção não precisar de ir ao play-off é sem dúvida um feito sem comparação! Este ano não há tanto sofrimento ;)
apostas desportivas betclic a 5 de Janeiro de 2016 às 18:38
e o grupo da fase final é o mais fácil de sempre
tron a 6 de Janeiro de 2016 às 00:14
Janeiro 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
15
20
23
24
25
26
27
28
29
31
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
links
blogs SAPO