Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Opiniões e Críticas Secretas

Opiniões e Críticas Secretas

A extrema-direita francesa pelas mãos da Frente Nacional deu um murro do estômago dos socialistas e dos seus aliados, os afastando da segunda volta das eleições regionais francesas deixando os partidos de esquerda fora da contenda obrigando tudo que é esquerda a engolir um enormíssimo sapo tal como quando foi a eleição para o segundo mandato de Jacques Chirac como presidente da república francesa, onde a esquerda levou nas orelhas onde na primeira volta mas neste caso Chirac ficou no limite de ser eleito a primeira volta e no segundo lugar ficou o antigo líder da Frente Nacional, Jean Marie Le Pen e toda a Europa submissa a Berlim acorreu a Paris para dar o seu apoio a Chirac.

Agora não aconteceu este apoio massivo porque são eleições regionais e não presidenciais e desta vez o mega-sapo está a ser engolido pela esquerda que apela que se vote em massa no partido de Sarkozy e de Chirac, o antigo RPR (partido gaulista) agora chamada Les Republicans para evitar que a FN imponha uma super-derrota a esquerda e aos submissos a Berlim que agora estão juntos.

Mesmo que a FN perda e consiga mais de 40% nas eleições regionais, para a Frente Nacional é uma vitória porque mostra que os franceses estão fartos do euro e da austeridade e têm mais tomates que os Portugueses, porque quando chegam as eleições sejam elas quais forem ficam em casa a ver tv ou votam nos mesmos de sempre e depois se queixam que lhes dói no bolso e o recente acordo entre o PS e a esquerda espartaquista assinado não num documento só, mas sim cada partido ficou com a sua versão da história do PS e deram a bengala para o mais um 18 do Brumário e esta existência de 3 documentos separados em vez de um acordo conjunto vai dar com toda a certeza em queda de governo em curto prazo porque as divisões entre os membros desta aliança se estão a dividir em leis e medias nucleares para a gestão da nação e já se fala em austeridade, algo que o PS na oposição era contra e agora parece ser a favor e não sei se a esquerda espartaquista vai no jogo.

Mas voltando ao que me traz aqui; a FN em França está a gnhar os seus votos não só a conta dos franceses e habitantes da Gália que estão fartinhos da austeridade de Berlim, bem como soube capitalizar o medo dos franceses em relação ao terrorismo depois dos ataques de Sexta-Feira 13/11 enquanto o resto do poder político em França, sobretudo os socialistas não souberam como lidar com a situação ou até mesmo tomar medidas preventivas com mais força do que as foram tomadaas e ao mesmo tempo que a França se levantava do choque continuaram a chegar mais refugiados sírios que teoricamente fogem do ISIS/DAESH e ao mesmo tempo o próprio DAESH afirma que tem infiltrados nos refugiados e com estas afirmações todo o cuidado é pouco e o facto da FN ganhar a primeira volta das eleições regionais em França mostra este medo dos franceses levarem com outro atentado e ao mesmo tempo fartos das imposições de Berlim e não foi para isso que os aliados lutaram 6 anos contra o verdadeiro eixo do mal liderado pela Alemanha e agora com o euro e com as medidas de austeridade a Alemanha está a se vingar das derrotas nas duas guerras mundiais de uma forma traiçoeira e quem for muito ceguinho é que não quer ver isso e os franceses não se incluem nesta lista.

E se em Portugal o PNR não tem mais força é por culpa própria em parte porque deveria de mudar o seu discurso demasiadamente xenófobo e usar algumas das armas do BE para o esvaziar de eleitores e ao mesmo tempo conseguir votos suficientes para eleger uns quantos deputados para que os fantoches de Bilderberg e da maçonaria aprendam o que é o verdadeiro voto popular e como tão lixados da cabeça estão os portugueses no geral; mas eleitoralmente falando os portugueses têm surtos de masoquismo extremo como se provou nas mais recentes eleições gerais que no final das contas foram colocar o lugar-tentente do Sucateiro Sócrates no poleiro e o mesmo já fala em austeridade e tanto o Bloco de Esquerda como a CDU estão calados que nem umas mulas dando a estranha sensação que para eles a austeridade imposta pelo PS é mais doce do que a austeridade imposta pela coligação PSD/CDS embora o texto seja o mesmo e vamos ver se não voltamos a ter uma nova visita da troika e o PNR deveria de detonar este tipo de acordo nos seus tempos de antena para que numa próxima eleição de carácter nacional como as eleições municipais que vão ser em 2017 ou mesmo nas presidenciais davam um apertão de calos a esta suposta democracia que não passa de uma franquia maçónica associada aos Bilderberg.

Enfim espero que a FN pelo menos mantenha estes quarenta e tais por cento dos votos nas eleições regionais em França e se ganhar uma região ou outra serve para os senhores em Berlim verem que não são assim tão podersos como pensam porque estão a roubar a soberania de todos os países e se alguém puramente contra Berlim e que não se vende por 30 dinheiros como aconteceu com a chamada esquerda portuguesa e que parece mais honrar os caídos em combate na Segunda Guerra quando combatiam contra a Alemanha é um aviso que o poder de Berlim está para acabar, basta as nações quererem e parece que a França quer mesmo ou alguns franceses querem numa enorme maioria silenciosa.

E ficam as minhas perguntas sem resposta: Qual o medo da FN ganhar as eleições em França? Têm medo que aconteça o mesmo em Portugal? Quem tem mesmo medo da FN?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

PS, Bloco e PCP têm 20 dias para se entenderem sobre austeridade

 

 

 

 

 

A união à esquerda ainda tem falhas: devido à falta de acordo entre o PS e os restantes partidos da esquerda, em especial o PCP, as propostas sobre redução dos cortes salariais, sobretaxa e CES acabaram por não ser votadas.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

(Fonte: Público Online)

Cada vejo mais o mundo do futebol como uma tremenda máfia digna de fazer parte de uma sequela da trilogia "O Padrinho" ou de "São Todos Bons Rapazes" ou uma passagem ao cinema da mítica série de culto sobre a máfia "Sopranos" apenas para dar um exemplo.

E esta introdução serve para dar a minha opnião sobre o exagerado aparato de segurança montado a volta do casamento religioso do empresário de futebol ou agente desportivo Jorge Mendes que aconteceu hoje na cidade do Porto e para quem reclama que cortar a rua onde fica a embaixada de Israel em Lisboa é exagero, cortar várias artérias da segunda cidade do país ainda é um exagero maior porque pelo que sei Jorge Mendes não é nenhum líder mundial ou religioso e nem quando foi a visita do Papa Emérito Bento XVI a Portugal houve tanto aparato nem quando o já mítico e carismático Papa Francisco se desloca a algum lugar deste planeta nunca é preciso fazer tamanha fantochada, ou até mesmo na procissão da Nossa Senhora da Saúde onde vão tantas individualidades civis e militares há tanta protecção e aparato policial.

Quem paga esta festa em termos de aparato policial é o Zé Povinho como sempre é, e passa a ideia que a diferença entre a máfia como é retratada nos livros de Mário Puzo e o mundo do futebol é cada vez mais ténue sobretudo na ostentação que chega a ser pornograficamente ofensiva, mas esta ostentação futebolística não é para todos porque basta olhar para as clubes das chamadas divisões secundárias portuguesas é raro achar um jogador ou um treinador que ganhe mais de mil euros limpos e para estes papalvos a festa se faz com uma rifa com direito a um presunto para o número vencedor e um cantor pimba contratado a pressa e que faça a animação da festa a troca de um prato de comer e duas ou três notas de 50 euros.

Esta ostentação ofensiva nos tempos de crise em que vivemos que foi o casamento do empresário de futebol Jorge Mendes é a imagem de como Portugal tem sido gerido nos tempos mais recente onde poucos têm muito e muitos têm uma mão cheia de nada e espécie de estudo comprativo foi feito como tese de doutoramento e outro de mestrado de um amigo meu dos chats de nacionalidade brasileira que fez duas dissertações entre a coincidência da forma de como o futebol é gerido e como as nações são geridas e nestas mesmas dissertações este meu amigo concluiu que seja tanto a nível nacional como a nível internacional, quando mais desgraçado estiver o país, pior é o seu futebol e quanto mais corrupção haver numa qualquer região, mais corrupto é o futebol e este aparato montado a volta do casamento de um simples empresário de desportistas que nem é montado quando são as cimeiras internacionais em Portugal dá que pensar que neste mundo da bola tudo não passa de um grande família com uns quantos padrinhos e onde são todos bons rapazes.

Como sempre ou quase sempre as minhas perguntas para concluir: Quem é Jorge Mendes ou que ele fez por Portugal para ter um casamento com tanto aparato ? Afinal o que foi isto ? Como isto acontece num país teoricamente em austeridade ? Quem pagou esta cena toda ? Será que o futebol não passa de uma grande máfia digna de servir de argumento para um qualquer filme de Hollywood ou de um qualquer spin-off da série "O Polvo" ?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

 

O ministro terrível que foi o pesadelo da eurolândia nazificante que lembra e muito os tempos negros do nazismo e do fascismo embora a forma de eliminar os seus opositores seja mais delicada do qur foi usada na chamada Shoa embora seja igualemente infame.

Varoufakis dos poucos, senão mesmo o único, a bater o pé uma europa dominada pela Alemanha o que faz que o melhor britânico de todos os tempos dê várias voltas na sepultura porque tal ideia no mínimo lhe metia nojo porque a sua nação enquanto os americanos não foram espicaçados pelos japoneses deu muito sangue, suor e lágrimas e muitas vidas foram sacrificadas em nome da liberdade numa Europa ocupada e esmagada pela Alemanha e pelos seus esbirros com 5 excepções: Portugal (neutal e dúbia), Espanha (que era colaboracionista), Suíça, Suécia e a Ilha de Malta (colónia inglesa e que nunca foi ocupada pelo Reich).

Agora o retiraram de cena porque ele organizou a festa toda do Syriza e agora colocam um mais macio para negociar com o Novo Reich, e assim, de repente quase como um flash me lembrei que a situação de Varoufakis lembra de uma certa maneira a situação de Salazar quando este estava a caminho do poder absoluto em Portugal porque Salazar na sua primeira tentativa de tomar as rédeas da nação também não lhe deram as condições que ele queria para segurar a nação que estava em estado caótico devido aos reviralhos e a crise económica que vinha desde do Ultimatum e aumentada com a crise dos monopólios do tabaco.

E por isso Salazar ao contrário de Varoufakis, não foi corrido, mas demitiu-se e depois quando a república estava tão arruinada como a Grécia está agora e como em breve deve estar Portugal se não haver ninguém que trave a recessão que estamos e que vamos continuar graças a termos entrado numa moeda demasiadamente forte para um país exportador como Portugal.

E ficam as minhas perguntas de sempre: Será Varoufakis um génio das finanças públicas como Salazar ? Porque correram com ele ? Qual o destino da Grécia e de Portugal ? Porque não se referenda a austeridade em Portugal ? Porque não referendamos a permanência no euro ? Quem causou a saída de Varoufakis ? Quem ganha com a sua saída ?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

 

A toda poderosa presidente do FMI, a francesa Christine Lagarde veio dizer que têm que ser feitos ainda mais cortes nas reformas no geral e nos salários da função pública que estão congelados desde dos tempos de Sócrates e que os cortes que já foram feitos ainda não são suficientes.

Quando li estas palavras da presidente do FMI fiquei de cabelos em pé porque em termos de sofirmento com os resgates da troika, Portugal já tem um doutoramento porque já vamos no terceiro e sempre foram dádivas de governos socialistas e gostava de saber qual a nação que cosnegue sobreviver se alguém ou alguma instituição arranjar tudo e mais alguma coisa para que o dinheiro neste mesmo país fique parado e comece a perder valor como aconteceu na Alemanha de Weimar.

A Grécia está tomar os caminhos da Alemanha de Weimar embora ainda haja uma aparente lucidez no governo espartaquista que rege a Grécia, fazendo aquilo que um grande inglês fez nos tempos da Segunda Guerra Mundial que é enfrentar a Alemanha e todos os verdadeiros inimigos da democracia de peito feito e sem quaisquer problemas ou receios e ao mesmo tempo dando um apoio moral a população de um império que sofria os horrores da guerra.

Sim o problema está numa Alemanha excessivamente poderosa ao ponto de ter em seu território o banco emissor do euro e cada vez que a Eisenkanzelerin abre a boca, a sua palavra toma força de lei sobretudo na chamada eurolândia com a excepção da Grécia.

Mas voltando a encarnação francófona de Heinrich Himmler, hoje também se soube que o seu nome aparece ligado a casos de corrupção no FMI o que abate toda a sua moral e prosápia nas críticas que faz aos chamados PIGS (Portugal, Irlanda, Grecia e Espanha) e nas exigências de mais cortes; e esta suspeita é muitíssimo mais grave do que as suspeitas ou acusações do seu antecessor Strauss-Khan e o seu apetite por sopeiras e criadas de quarto de hoteis de luxo e por isso deveria de pedir de imediato a sua demissão.

Pois deveria, mas a influência germânica pesa muito e Strauss-Khan não era muito das graças de Merkel e do seu séquito maçónico-proto nazi e por isso aproveitando o seu apetite deveras particular colocaram esta senhora que já lixou uma nação e quer arranjar todas as formas de lixar Portugal e ainda não sabe como nos vai afundar ainda mais e todos aqui no burgo estão calados enquanto no resto da Europa tudo grita e ninguém pede a demissão desta mesma senhora devido aos casos de corrupção em que o seu nome aparece envolvido e assim vai a glória deste mundo-cão que é o nosso:

Como sempre as perguntinhas: Qual o motivo de Christine Lagarde querer lixar Portugal e a Grécia ? Afinal quem manda no FMI ? Porque deram tanto poder a Alemanha ? Porque em Portugal são tão mansinhos ? O que é preciso fazer para acabar com esta situação ? Afinal o que andam a fazer com Portugal ? Com isso tudo, há alguém que me diga para que nos serve a república e o seu presidente e restante corte ?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

A GNR e a PSP se juntam mais uma vez contra a nova lei orgânica das duas forças da ordem como quando foi na ocasião da tomada do Largo de S.Bento em Lisboa e quando foi da subida das escadarias da Assembleia da República onde uma mole de polícias em fúria contra este mesmo desgoverno estiveram a poucos metros de fazerem aquilo que muitos portugueses querem fazer como forma de mostrar a sua raiva contra o presente estado a que chegamos que seria invadir do parlamento.

Mas um pequeno grande detalhe mudou desde da tentiva de nvasão até agora e não estou a falar nas mudanças de comando ou de ministro titular da pasata, mas sim de onde estão a vir as vozes de contestação que desta vez são mais ensurdecedoras porque não são só os elementos de base a se manifestarem contra as novas leis orgânicas, mas também os oficiais das forças da ordem que estão contra o desgoverno o que torna a coisa ainda mais feia do que se poderia pensar.

Com este conflito em fermentação o desgoverno semeou ventos e vai colher tempestades porque até o relativamente pouco representativo Sindicato Nacional de Polícias, um dos sindicatos dos oficiais cita Sun Tzu e a sua mais conhecida obra: "A Arte da Guerra" quando afirma: "Se queres paz, prepara-te para a guerra" e tais palavras podem ser entendidas como um aviso para qualquer um de nós, excepto o desgoverno do Führer Coelho.

Se não ficarem encolhidos como foram os militares que muito falaram e nada fizeram, então vamos ter uma Primavera e um Verão bem escaldantes e que cujo calor interno aumenta porque estamos próximos de eleições gerais e tudo conta como trunfo.

E ficam as minhas perguntas como quase sempre: Será que estes protestos vão mesmo para a frente ? O que pensa estes desgoverno das forças da ordem ?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

O Siryza que foi apontado como paradigma de partido de governo a ser seguido por muitos movimentos semelhantes um pouco por toda a Europa como o Bloco de Esquerda em Portugal ou o movimento Podemos em Espanha; se está a revelar uma grande desilusão para muitos.

Afinal o partido que se afirmava ser contra a austeridade e que ataca as nações ibéricas feito um pitbull, afinal também baixa a cabecinha perante o poder pseudo-fascista da UE como todos os outros e que afinal a mudança a primeira vista não parece ser tão radical como muitos pensaram e que na volta apenas foi uma mudança na semântica no mesmo discurso de sempre.

Já se fala que vai haver outro resgate na Grécia que seria o terceiro e com tanta algarviada a volta da Grécia chego a pensar se não seria mais positivo para a eurolândia que a Grecia saísse do euro porque desde a muito que se sabe que a Grécia falsificou as contas públcas para entrar na primeira leva do euro e agora os gregos estão a pagar o custo desta mesma mentira que cuja culpa vai morrer solteira.

O que está a acontecer com o Siryza que afinal está a entrar numa de austeridade que no ponto de vista helénico é devido ao pan-germanismo de Portugal e Espanha, o mesmo pan-germanismo que é contraiado pela chanceler de aço e pelo seu lugar tentente na UE, Jean Claude Juncker.

Não sei que caminho está a Grécia a levar, mas estou pessimista em relação à situação grega e se no final das contas, pan-germanismos à parte não iremos pagar as contas deixadas por bandos de ladrões boçais no poder podre da república grega, tal como tem acontecido em Portugal nos tempos mais recentes e esta onda de cinto apertado é a prova do que nos espera pela frente e por isso defendo que a Grécia saia do euro para que não contamine os outros países da eurolândia que se querem manter no clube e a conta disto andam a apertar o cinto com um volumoso e triste número de vítimas inocentes.

Como sempre as perguntas: Será que o Siryza é farinha do mesmo saco como os outros partidos gregos do chamado arco do poder ? Portugal ganha ou perde com a saída da Grécia do euro ? Quem perde e quem ganha nesta história ?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

 

 

As eleições gerais gregas realizadas ontem foram uma verdadeira hecatombe para os socialistas que passaram de 2ª força no parlamento grego para 7º força sendo ultrapssados por todos os partidos incluindo os comunistas e os outros vencedores da noite, os neo-nazis da Aurora Dourada.

Os gregos, ao contrário dos portugueses, abriram os olhos e viram que a culpa da situação que a Grécia vive não é só do "PSD" de lá da terra (Partido Nova Democracia); mas sobretudo dos socialistas (PASOK) que afundaram a Grécia num lodaçal sem qualquer solução imediata sem ser os resgates da troika e assim que viram que tinham feito merda da grossa (como aconteceu com Sócrates em Portugal) arranjaram uma forma de fugir com o rabo a seringa e depois os líderes da oposição sobem ao poder porque o povo os escolhe como alternativa (ver a subida de Passos Coelho ao poder em Portugal).

Acontece que a alternativa imediata aos socialistas encontra as finanças nacionais em estado caótico e começam a ver onde podem cortar para resolver os problemas financeiros da nação da forma mais rápida possível e nesta pressa quem se lixa é o mexilhão (a classe média e baixa) aumentando os contrastes entre os mais ricos e os mais pobres e por tabela o desenvolvimento humano da nação se afunda como fosse chumbo no meio do oceano.

Portugal é a prova que o socialismo pregado por Sócrates foi um deastres completo para a nação lembrando o deastre que foram as políticas económicas da República de Weimar nos anos 20 e nos deixando no lodo e a solução que Portugal tem nas suas mãos e está nas mãos dos eleitores portugueses é a mesma que os gregos usaram ontem: aniquilar os socialistas do parlamento e escolher caras novas para guiar os destinos da nação.

Portugal tem que deitar os olhos para a Grécia e como estamos em ano de eleições gerais; os eleitores portugueses têm o dever de fazer o mesmo que os gregos fizeram e punirem os principais responsáveis pelo estado a que chegamos e que urge ser exterminado para bem da nação e os principais responsáveis do estado a que chegamos são os socialistas porque basta ver a avaliação do IDH que antes do desastre Sócrates colocava Portugal ao nível da Alemanha (21º lugar) e depois dos 6 anos de assalto nos colocou no 48º; praticamente ao nível de Marrocos ou mesmo do Brasil.

Vamos ver como é que Portugal vai sair do lodo em que se encontra e se cairem na maior estupidez de votar nos socialistas então é a prova escarrada que a república em Portugal está morta e podre e tem que ser substituída de qualquer forma por uma monarquia que limpe o esterco infestado de percevejos que é a república portuguesa e a transforme numa nação limpa ou relativamente limpa como o Reino Unido ou a Espanha .... e não esquecer que em França a Frente Nacional está a frente das sondagens e em Maio há eleições presidenciais em França e lá o presidente da república não é nenhuma múmia e é quem manda na nação.

E ficam como sempre as minhas perguntas: Porque em Portugal não há uma mudança semelhante ? Será que a mudança em Portugal é assim tão difícil para que não se faça ? Quais vão ser as consequências mais imediatas ?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar