Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Opiniões e Críticas Secretas

Opiniões e Críticas Secretas

Perdi a minha mãe há 4 anos que se completam no mês de Setembro.

Nestes quase 4 anos sem ela ao pé de mim há dias que me custam mais a aguentar do que outros e passei por situações bastante dolorosas sem ser a perda da minha mãe.

Todavia há quase 2 anos, conheci um grupo de pessoas que com o passar do tempo se transformaram de conhecidos em amigos e de amigos em família e uma destas pessoas especiais para mim, passou pela mesma dor que eu passei e me senti impontente por não a poder ajudar e ao mesmo tempo fiquei bloqueado porque voltei a sentir a mesma dor que senti em Setembro de 2015.

Além desta família que foram os meus colegas do curso do IEFP que acabei há pouco mais de dois meses e que foram uma família quando eu precisei mesmo de ajuda, senti falta da minha mãe.

Senti falta de lhe dizer que finalmente acabei o liceu, de lhe dizer que achei a mulher da minha vida, que não tenho crises de asma há quase 10 anos... tanta coisa  e não a tenho ao pé de mim para lhe dizer estas simples coisas.

Tenho andado meio depressivo por estar sem ocupação e a disposição para escrever neste recanto não tem sido a melhor, mas se não desabafo para fora ainda fico com uma dor de cabeça daquelas.

Apesar de já terem passado 4 anos, uma das ocasiões em que estive com os meus sobrinhos e com a minha mãe em conjunto foi no último dia da mãe da minha mãe... e a dor é sempre maior nesta altura no ano...

 

Deixo um conselho:

 

Nunca desprezem as vossas mães se eles forem mesmo mães....

 

 

 

 

 

 

Esta vida de casado que agora levo não me dá muito espaço livre para dedicar a este meu, vosso blog que vai a caminho dos 13 anos de vida e me esqueci de escrever um artigo de tributo ao grande fadista D. Vicente da Câmara que nos deixou no passado dia 28 de Maio e ao ver as homenagens feitas no RTP-Memória me reavivou a memória que teria que fazer um tributo a um dos grandes fadistas da nossa praça.

Assumo que fado não é a minha praia em termos musicais, mas tenho que reconhecer os talentos de um dos príncipes da canção nacional e que apesar de ser um aristocrata e descendente de boas famílias não foi por isto que deixou de ser um grande fadista e ter deixado uma obra transgeracional que apenas se encontram em poucos grupos ou artistas do rock e pop ou da ópera.

Para bem da canção nacional D. Vicente da Câmara deixou legado em todas as gerações da sua família e o talento felizmente vai ter sucessores e como disse uma vez um grande cantor britânico que sabia que iria morrer em breve: The Show Must Go On - O Espectáculo que Continuar....

 

Paz a sua alma D. Vicente da Câmara

 

1928 - 2016

 

 

 

 

 

Este Natal está a ser um dos mais dolorosos da minha vida porque é o primeiro que passo sem a minha mãe viva e está a ser uma dor daquelas, mas tenho que a superar e vos deixo o mesmo glitter que vos deixei no ano passado porque é o meu favorito para publicar em blogs e afins

 

 

 

Para todos que visitam e leem este blog vosa desejo Feliz Natal dentro dos possíveis

 

 

 

 

http___www.recadoseglitters.com_recados-orkut_feli

 

Este artigo que vos estou a escrever após a minha longa ausência devidos aos problemas expostos no artigo anterior e a minha experiência laboral foi algo de muito éfemero e não foi a terapia para tentar suportar a dor da perda a minha mãe (ainda recente) e estava a ser algo de tão difícil de aguentar que eu estava a pensar em marcar uma consulta para evitar depressão com o meu neurologista, em especial na véspera do meu despedimento que me deixaram bem magoados.

O motivo do despedimento para mim me parece uma pura tolice e o motivo alegado é que não conseguia sorrir e não era simpático com os clientes, mas como posso tentar sorrir sequer se estou a fazer um tratamento dentário invasivo por um lado e perdi a minha mãe a menos de um mês e o tratamento me deixa sempre com algumas pequenas dores para as quais não tomo nada para evitar quaisquer interacções com a carga de remédios que já tomo todos os dias e por isso me colocaram a limpar copos.

Quando voltei da minha folga e depois de ter tirado os pontos dos implantes dentários me chamaram e me despediram e eu fiquei passado da cabeça, mas manti a compostura e fui tratar da renovação do RSI para evitar ficar com as calças na mão e ao mesmo tempo com uma raiva dentro de mim porque no início se mostraram com sorrisos e depois foi a facada nas costas e esta atitude me recordou o que passei na tipografia que foi o meu primeiro emprego, mas aí não havia nenhuma morte de familiar associada nem coisa parecida, mas sim vontade de ficar e até que a coisa estava a correr bem até que uma intriga me tramou e então fui para o clube grande do desemprego que na altura não era tão grande como hoje em dia.

Esta situação deixou-me no limiar da tristeza extrema e voltei a ir as carrinhas algo que não queria e vi muito bem porquê porque neste regresso das carrinhas apanhei com comer impróprio para consumo humano e até animal e tive que me virar para as minhas reservas, mas sei que mais tarde ou mais cedo se não conseguir emprego tenho que me submeter a este martírio e desta vez esta perda de emprego foi por um motivo fútil sem qualquer causa forte ou clara e que seja motivo claro para despedimento, talvez seja por ser um restaurante apenas para turistas e que parece ser um burgo dos "vips" de Cascais e arredores e dependentes das redes sociais para tudo e mais alguma coisa, até conseguirem reputação seja ela boa ou má.

Este tempo curto de trabalho deu para ver como há pessoas sem serem terroristas que conseguem distorcer o valor e a importância das redes sociais e tirarem ainda fama dos feitos dos outros, feitos que parecem ser difíceis para os doutores e engenheiros da nossa praça que conseguem dar tristes espectáculos de ignorâncioa na televisão tanto em concursos como em debates de qualquer espécie; os outros que falo são aqueles que com sorte acabaram o liceu e não conseguiram seguir mais embora não lhes falte nem cultura nem inteligência, mas por um motivo qualquer não puderam entrar numa qualquer universidade ou instituto superior ou politécnico.

E estes outros são muitos, mas como na personagem Carter do filme "Nunca é Tarde Demais", papel desempenhado por Morgan Freeman que tiveram uma vida sem grandes favores económicos e tiveram amor quanto basta, mas nunca a chance de ter bons estudos e terem bens materiais na vida em grande quantidade e o seu oposto nesta película brilhante, Edward; (desempenhado por Jack Nicholson) que teve tudo de bom na vida excepto amor e carinho e no fim das contas acaba por ter tarde demais ou quase tarde demais tudo aquilo que Carter tinha para dar e vender.

 

Volto ao título desta entrada e volto a fazer a pergunta porque mais valia ou me terem dado um tempo para eu recuperar da perda ou então terem recusado a minha entrada no dito emprego e a esta altura do campeonato estaria a escrever outro qualquer artigo sobre outro qualquer assunto mais suculento e mais dentro do estilo deste blog que vai a caminho dos 12 anos e que ao fim das contas já é praticamente é um terço da minha vida.

Não faço perguntas porque esta vem no título e apenas peço para lerem, comentarem e divulgarem

Uma família de 4 elementos, todos doentes oncológicos, naturais de Viseu, correm o risco de ficar sem casa porque o dinheiro que recebem do RSI não lhes chega para pagar a renda de casa e esta situação tem sido uma verdadeira bola de neve.

Uma onda de ajuda se gerou nesta nação para que esta família não fique sem casa e me custa a acreditar como é possível haver uma ministra das finanças que diz os cofres cheios ou tantos casos de fuga ao fisco e a segurança social e várias dívidas que passam a barreira do mlhão de euros e ninguém faz nada.

Me podem vir perguntar o que uma coisa tem a ver o caso desta família em particular, bem, a resposta é simples: se fossem iguais para todos que devem e se fizessem todos pagar e não apenas uns quantos o Estado teria mais dinheiro para ajudar casos como este.

O caso mexe comigo porque sou utente do IPO-Lisboa e vejo muita dor e muita esperança nos 11 anos em que lá ando a ser seguido por causa de uma inusitada doença rara que me foi diganosticada e para controlar os sintomas tem sido uma luta que por vezes me fez pensar em desistir de tudo, todavia consegui vencer esta vontade e casos como o que li deixou-me deveras chocado na forma como esta nação de quase mil anos está a caminhar a caminho do milénio e sendo o único estado-nação que se pode orgulhar de ter o reconhecimento mais antigo da Europa como país e um dos mais antigos do mundo.

Esta famílai de Viseu cruelmente marcada pelo cancro está em risco de perder a sua casa devido as rendas atrasadas e a câmara local apenas está atenta a situação em vez de apresentar uma situação imediata porque é uma situação emergente e urgente e como não bastasse o problema de saúde da família ainda terem que irem dormir para rua é duma brutalidade extrema nos tempos actuais em que se fala tanto em democracia e direitos humanos em Portugal com embargos a China Vermelha e contra Israel, mas não sabem olhar para o seu próprio umbigo.

Esta mesma família tem tido ajuda nos alimentos e na medicação, mas o mais grave é que estão a beira de ficarem sem abrigo porque a câmara de Viseu ainda está numa de acompanhar a situação em vez de agir e neste jogo do empurra, a junta de freguesia onde esta família mora abriu uma conta bancária para que esta mesma família tenha ajuda e muita ajuda dos particulares tem chegado a esta família que é apenas um de muitos casos de extrema necessidade que existem nesta nação.

Vos vou deixar o NIB da conta aberta para ajudar esta família e que esta família pelo menos consiga ter um lar que possa chamar seu e que este mesmo lar seja um pilar na sua luta contra uma cruel doença como é o cancro.

 

Para ajudar esta família pode fazer uma transferência usando o NIB: 003507530001659270055 ou o IBAN: PT50003507530001659270055.

 

 

 

Ajudem conforme puderem e pensem que mais vale dar 1 euro para ajudar esta família do que gastar 74 céntimos para a estrela da sorte da Fátima Lopes ou outros semelhantes...

 

 

Como sempre vos peço para ler, comentar e sobretudo ajudar

 

Não tenho ligado muito a cerimónia dos Oscars por pura falta de pachorra para aturar uma cerimónia que algumas vezes tem belas cepas (colheitas) de nomeados e outros anos só dá é zurrapa que nem para temperar carne de porco serve; todavia este ano foi um ano de boa cepa e um discurso de um dos vencedores da noite me deixou a pensar sobretudo porque num canal de televisão deu a repetição de um discurso de aceitação do Oscar para melhor actor secundário ganho pelo actor J.K. Simmons, pelo seu desempenho no filme Wiplash e conhecido também por ser o mítico J. Jonah Jameson nos filmes, desenhos animados e jogos da franquia Spider-man (para não falar na semelhança física com o JJJ do Spider-man).

E quando encerrava o seu discurso, J.K. Simmons lembrou-nos a nós mundo, para fazermos algo que só temos uma única chance de fazer na vida e quando eu ouvia e via este mesmo discurso estava a visitar a minha mãe no lar de idosos onde ela vive agora e o mesmo Simmons lembrou-nos que muitos de nós com o passar do tempo deixamos de ligar aos nossos pais, deixamos de falar com os nossos pais e que nos devemos sentir felizes quando pelo menos temos ou o nosso pai ou a nossa mãe vivos para falar connosco e para nos ouvir ou mesmo quando ainda temos os dois para os ouvir, os amar e falar com eles.

Quando saí da visita e apesar de estar a pensar no derby nortenho entre Boavista e Porto estava a pensar nas palavras de J.K. Simmons e ao mesmo tempo a pensar que estou a fazer o mesmo que J.K. Simmons nos pediu; mas J.K. Simmons disse algo lapidar nestes tempos da cybergeração: para fazermos uma chamada para os nossos pais, para falarmos com eles e os ouvir e não enviar um frio e-mail ou uma sms.

E quando fazia a janta, liguei a minha irmã para dizer como a nossa mãe está e sempre pensando que o actor que vai ficar sempre marcado de forma positiva pelo seu papel do implacável J. Jonah Jameson e que ganhou o Oscar por fazer o papel de um professor igualmente implacável, tem um lado que se pode dizer bondoso e hoje em dia tão esquecido por grande parte de nós, mundo.

 

Por isso faço minhas as palavras do actor J.K. Simmons: se puderem vão visitar os vossos pais, façam-lhes uma chamada telefónica, mas falem com eles enquanto podem mesmo que os vejam a expirar aos poucos porque nunca se sabe quando deixam de poder falar com os vossos pais

 

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

Não tenho tido cabeça para vir aqui escrever como gostaria, mas hoje aprendi uma lição a qual já vinha tendo algo semelhantes a aulas de preparação nestes dias mais recentes sobretudo quando comecei a ir as carrinhas buscar comer.

Todavia hoje tive uma surpresa mais doce que o mel que foi ver os meus 4 preciosos sobrinhos e ver a minha mãe contente por ter visto os netos como nunca tinha visto a minha mãe nos tempos mais recente e vos deixo do fundo meu coração as respectivas saudações da época.....

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Recadoseglitters.com

Originado de: Recados e Glitters - Scraps para orkut

 

Deixei esta escolha para o fim de propósito, porque é uma das actuações feita com mais emoção a flor da pele e porque esta mesma actuação me lembra duas pessoas que me são muito queridas, uma já transmigrou há cerca de 7 anos, a outra é bem viva e leva os valores de família a um ponto muito elevado e a dedicatória deste talento puro diz tudo

 

 

 

 

esperando que seja do vosso agrado

 

 

 

Halleluja - Mariana Oliveira

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

irónico como a cantora desta pérola começou num concurso de talentos, o X-Factor do Reino Unido, eu deixo nas tags o nome da cantora original 

Eu aflito com as minhas enxaquecas que voltaram em força e nem o facto de beber café já as controla e depois estou a ver que no lar andam a tratar mal a minha mãe porque ela passa o tempo a queixar-se com fome e nem sei muito o que fazer porque a assistente da Santa Casa garante que o lar é indóneo; mas na segunda-feira a dona está de volta e quero ver qual vai ser a desculpa dos lanches que servem a minha mãe serem de fome.

 

 

 

 

 

e devido as mesmas enxaquecas não tenho passado por aqui como gostaria

 

 

 

 

 

 

 

tron