Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Opiniões e Críticas Secretas

Opiniões e Críticas Secretas

A mesma coisa de sempre aconteceu em Lamego com a sua dose de polémica, mas desta vez em dose light porque nem apareceu ninguém a lembrar o caso de Olivença ou sugestões para se mudar ou coisas parecidas e a mesma rotina de se medalhar uns quantos conhecidos da nossa praça foi cumprida como sempre.

O discurso de Cavaco foi o seu último como presidente da república foi como sempre algo de chato que mais valia uma pessoa estar a dormir do que aturar as mesmas coisas de sempre que não levam a lado nenhum porque a república em Portugal não passa disso mesmo, um bbeco sem qualquer tipo de saída que não seja o fim da república.

Agitação houve com os lesados do papel comercial do BES/GES que se manifestaram hoje em Lamego foram barrados pela polícia e não se poderam aproximar da múmia maior do sistema mumifcado chamado república e nem sequer deixaram passar um grupo para falar com o presidente da república porque o mesmo não é Deus nem o Cardeal de Lisboa ou o Papa e falar-se com o Papa no Vaticano é mais fácil do que um português falar com o presidente da república.

Para ajudar ao descalabro, houve militares que desmaiaram na parada (tinham fome ou foi do calor ?) e tiveram que se assistidos enquanto Cavaco Silva lia um discurso que apela aos consensos entre os partidos e nem sei que mais, mas como sempre vazio de qualquer conteúdo.

Os oficiais da AOFA não apareceram nas cerimónias do dia da raça, do dia de Camões, Portugal e das comunidades portuguesas e os oficiais que apareceram e que não fazem parte da AOFA não esconderam o descontentamento que anda no mundo dos militares porque o ser mumificado que preside a múmia chamada república portuguesa ter aporvado uma lei aumenta o tempo necessário para que um militar seja promovido por tempo de serviço numa determinada patente e aumenta em mais um ano de idade e de serviço o tempo necessário para um militar passar a reserva.

Fico a pensar se este desgoverno quer que se repita o 25 de Abril porque foi com leis assim que provocaram o 25 de Abril e vamos ver se a república vai ter estômago suficiente para aguentar com mais este murro na sua existência e que serve para prova que os crimes que aconteceram em 1 de Fevereiro de 1908 e 5 de Outubro de 1910 (regicídio e imposição da república) não passa de crimes e de erros da sociedade portuguesa que so benificaram uns quantos sortudos e lixa todos os outros.

E ficam as minhas perguntas: Porque ainda fazem esta fantochada ? Quando é que respeitam esta raça antes corajosa, hoje nem tanto chamada os portugueses ? Porue os portugueses não fazem valer mas o seu próprio dia ?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

Estes diás mais recentes estão a ficar com uma instabilidade castrense relativamente branda, mas no meio de tanta brandura mostra o descontentamento de alguns enquanto muitos se calaram com as recentes promoções nas forças armadas.

Esta semana que hoje se finda, um grupo de oficiais das forças armadas, que estão contra o novo estatuto das FA quiseram devolver ao seu comandante supremo as diversas condecorações que receberam por serviços a pátria e foram barrados pela polícia que não os deixou aproximar do palácio de Belém e a única coisa que os militares tinham na mão eram apenas as suas condecorações.

Este grupo de oficiais são apenas a ponta do iceberg porque o descontentamento com o novo estatuto dos militares vem desde dos praças aos generais sobretudo quando se sabe que apesar destas promoções que foram autorizadas há pouco tempo atrás, as chamadas promoções por tempo de serviço vão ser mais difíceis pelo simples facto do tempo exigido para estas promoções por tempo de serviço vai ser maior e vai ser aumentada a idade da reforma entre outras alterações para que também se façam os cortes nas forças armadas.

Tudo bem que as forças armadas estejam chateadas com estes cortes que só não vão acertar aos senhores do costume: políticos e correlaconados embora estes ganhem muito mais do que todos os outros juntos; mas as forças armadas não são menos função pública do que o resto e também têm que aguentar e não se podem esquecer de todos os membros da NATO incluindo os membros reciclados do Pacto de Varsóvia que tem piores meios é mesmo Portugal ao ponto de se dizer que a Espanha caso quisesse tomava Portugal em menos de um fósforo sem fazer grandes estragos e até mesmo a Grécia nesse ponto está melhor do que Portugal.

Por outro lado temos um número demasiado elevado de oficiais superiores que nem nos EUA (se for feito um rácio entre oficiais e número de efectivos) existe e este dinheiro pago em reformas e salários para os muitos oficiais superiores não é aquele dinheiro necessário para a renovação do material. Seria algo como ter uma Carris com 50 expedidores e 10 choferes e depois se iria dizer que a Carris tem a frota a cair de podre porque não dinheiro para novo material circulante....

Bem vamos ver o que isto dará.

Como sempre as perguntas: O que os oficiais querem com este acto? Será que se está a preparar algo de mais pesado dentro do mundo castrense? Aonde estava a tropa quando foram anunciados cortes gerais nos salários e pensões dos portugueses comuns ? Para que nos serve a república e o seu presidente ?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

O descontentamento nas Forças Armadas está a ganhar outras dimensões, em especial a partir de hoje porque o ministro da defesa foi visitar a base aérea do Montijo e os pilotos da Força Aérea mostraram o descontentamento generalizado ao minstro ao aderir em massa a associação dos oficiais e não nos podemos esquecer que a Força Aérea sempre que reviralhos em Portugal ou foi neutral ou ficava do lado do regime .

Segundo o presidente da AOFA, General Pereir Carcel, 98 pilotos aderiram a AOFA e ao mesmo tempo que Aguiar-Branco via uma demonstração do avião Hércules C-130 que vai ajudar na missão da União Europeia na República Centro-Africana soube deste descontentamento na Força Aérea e as adesões na AOFA foram feitas na semana passada e tiveram como motivos problemas salariais e cortes nos subsídios que os mlitares têm direito e além dos cortes salariais os miltares da Força Aérea também se queixam de condições de trabalho cada vez piores com aviões avariados e com número de horas de voo abaixo do mínimo recomendado pelos padrões internacionais de segurança e do grupo dos miltares que fazem as missões de busca e salvamento diz que correm riscos com a presente situação da Força Aérea.

O comadante da Esquadra 501 que é a esquadra encarregada das missões de salvamento confirma alguns destes problemas sobretudo os de manutenção o que dexa a frota dos Hércules que são de 6 aviões reduzida para metade quando o minimo operacional seria ter no máximo dois em manutenção e 4 a uso e que estes problemas da manutenção dos aviões têm ligação directa com os cortes impostos pelo orçamento e que não permitem a manutenção em tempo útil e além disso há menos treino de voo sem ser em simuladores para se poupar os aviões e depois ainda há o risco que não é descartar que muitos dos pilotos qualificados percam a prática por falta de exercícios em voo.

E os problemas salariais chegaram ao subsídio de transporte que era dado aos militares que residissem a 50 ou mais km da base e agora este subsídio é apenas dado a quem mora pelo menos a 100 km da base, qualquer que seja a patente do militar e não nos podemos esquecer que há coisa duns dois anos ou a caminho disso retiraram o benifício aos militares de só pagarem 25% do bilhete do comboio e mantêm este desconto para os juízes que chegam a ganhar muito mais que um militar e não são só os juízes com mais benifícios que os militares, porque também temos o poder político da república que age como fosse a nobreza nos tempos da monarquia aboslutista tendo toda a espécie de privilégio que se possa imaginar e quem precisa do dinheiro dos impostos seja para manutenção de serviços essenciais como a saúde ou no caso da defesa os aviões da esquadra 501 que além da busca e salvamento chegam por vezes a serem maternidade e hospital nos Açores e por vezes em Portugal Continental e nem sei o que se passou ou que se passa na cabeça de Aguiar Branco mandar aviões com manutenção deficiente para um cenário de quase-guerra.

E ficam as minhas perguntas de sempre: Se Portugal não tem material circulante, porque raio se vai meter nesta missão na República Centro-Afircana ? Porque não existe forma de fazer manutenção dos aviões pelo menos dos de salvamento ? Afinal podem explicar por onde pára o dinheiro dos nossos impostos ? Será que agora com a adesão da Força Aérea, as associações de militares ficam mais fortes ? Porque o comadante supremo se cala ? Para que nos serve a república e o seu presidente ?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

A polémica levantada pela presidente da assembleia da república por casua dos Capitães de Abril irem ou não a sessão comemorativa do dia da Liberdade na assembleia da república está a mostrar que o curso ou suposto curso universitário que esta senhora tirou antes de ser deputada deve ser igual aos cursos que os concorrente do "Quem Quer Ser Milionário" tiram para depois fazerem figura de urso na televisão.

A minha dúvida sobre as habilitações literárias ou a qualidade do curso que a presidente da assembleia da repúbica tirou pois que esta senhora se esqueceu do pequeno grande facto que caso não houvesse 25 de Abril, provavelmente a senhora Assunção Esteves não estaria no parlamento e com sorte seria professora ou estaria em casa a cozinhar e a fazer bainhas nas calças dos filhos ou do marido que pudesse vir a ter porque ela se esqueceu que cargos de poder para as mulheres eram quase nenhuns antes do 25 de Abril e a revolução permitiu que as mulheres pudessem ter cargos de poder como agora têm e acho muitíssimo bem embora algumas não saibam dar valor a uma das poucas dádivas de Abril que são consensuais tanto na direita como na esquerda.

Outro "inconseguimento" ou mancada desta senhora deve ser a matemática porque este ano passam 40 anos da revolução e os capitães deveriam de ter voz em especial este ano que passam 40 décadas da revolução que em teoria nos trouxe a liberdade, mas a presidente da assembleia não quer dar o direito a palavras aos Capitães de Abril que provavlemente para não dizer com toda a certeza iriam atirar umas quantas pedras ao regime republicano, mas sobretudo ao estado a que chegamos que nada tem a ver com o espírito do PREC ou de uma democracia madura como seria o desejável para Portugal e como eu já disse há pouco tempo neste recanto a democracia e a liberdade não é só ter eleições limpas ou mais ou menos limpas ou se poder falar na rua com algum a vontade ou poder juntar um grupo de amigos para por a palheta em dia sobre a jornada de futebol sem parecer um ajuntamento entre outras dádivas que Abril nos deu e esta definição foi nos dada por uma música de Sérgio Godinho chamada Liberdade e não seria de excluir que os Capitães de Abril tocassem na ferida e dissessem preto no branco que este desgoverno nos está a roubar os pilares basilares de uma verdadeira democracia: paz, pão, saúde, habitação e educação com uma austeridade que ninguém compreende o motivo porque até no mercado de dívida a Grécia já nos está a ultrapassar no quesito credibilidade da dívida porque enquanto Portugal emite dívida para pagar outra anterior, os gregos emitiram dívida para uso imediato (mercado primário) que é o primeiro passo para a troika ir tirando as grilhetas de Atenas enquanto aqui as grilhetas continuam e os mais ricos ficam cada vez mais ricos e os mais pobres ficam cada vez mais pobres.

E a presidente do parlamento e os partidos que a escolheram não iriam gostar de ouvir a pura da verdade que são eles e apenas eles os responsáveis pela presente situação da nação e como a senhora presidente do parlamento tem medo ou não gosta do contraditório quer apenas que os Capitães para servirem de enfeite as cerimónias oficiais no parlamento e eles não estão para aí virados e querem dizer umas quantas que este poder político da república precisa de ouvir porque o poder político da república é surdo e sobretudo mentiroso porque passa o tempo a mentir com logros de toda a maneira e feitio para se manter num poder que nunca é do povo porque o 25 de Abril trouxe a liberdade ao povo através das Forças Armadas; mas nem os militares de Abril e nem o povo têm direito a falar o que pensam no dia da Liberdade porque a senhora presidente do parlamento que se reclama casa da democracia, do poder do povo não quer que os militares discursem ou mesmo que um representante do povo que não seja a nobreza ou a alta burguesia que tem assento na assembleia da república.

E ficam as minhas perguntas de sempre: Porque não querem que os militares discursem nos 40 anos da revolução ? Do que têm medo ? Qual é o problema de Assunção Esteves ? Afinal para que serve aquela fantochada na assembleia da república se os principais protagonistas não têm voz ? Será que existe mesmo democracia e liberdade em Portugal ? Que país é Portugal ? Para que nos serve a república e o seu presidente ?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

há coisa de 15 dias atrás se soube que foi feita uma petição que contava com pelo menos 70 assinaturas de vários economistas portugueses de renome de todos os espectros políticos e alguns que já tiveram cargos políticos no poder político da república e como consequência primária desta petição, dois conselheiros do ser humano supostamente vivo que tem como residência oficial o Palácio de Belém foram exonerados (leia-se corridos) por terem assinado esta petição que exige a restruturação da dívda externa da república e dos pagamentos à troika; portanto embora não venha no Código Penal, ainda existe em Portugal o crime de delito de opinião apesar de ter acontecido o 25 de Abril; a diferença é que o delito de opnião é uma espécie de Easter Egg (conteúdo oculto) do actual sistema legal e no Estado Novo estava visível aos olhos de todos.

A estes 70 economistas portugueses dos quais se podem destacar Francisco Louçã, Bagão Félix ou Manuela Ferreira Leite se vieram juntar mais 74 economistas de outras nações formando pelo menos um grupo que agrega uma grosa de pessoas e como não fosse já de si suficiente gente para que a restruturação da dívida entrasse nas conversas de café pelo menos; se sabe que esta petição está a ficar maior do que se pensava e a petição onine já juntou praticamente 17 mil assinaturas entre as quais a assinaturas de 20 generais e almirantes; sei que nem uns nem os outros em teoria têm as mesmas dificuldades económicas de um capitão; mas já começam a sentir na pele os custos da crise e a última vez que se soube que militares assinaram uma petição que poderá ter implicações futuras directas na vida de todos nós foi aí a coisa de 40 anos atrás num certo ano em que um dia foi o primeiro dia do resto das nossas vidas.

Este número impressionante de assinaturas já faz com que o assunto vá ser discutido na assembleia da república e vamos ver se não surgem mais barões do poder poitico da república a apontar o dedo e a dizer que a dívida tem que ser restruturada e não ser como o Führer Passos Coelho quer porque se for assim Portugal ficará tão mal como nunca ficou.

Entretanto sabe-se que o desconto temporário nos funcionários públicos e aposentados da FP com salários ou reformas acima de 650 euros e dos restantes casos com reformas acima dos 1350 euros, desconto o qual era para ter terminado em Dezembro de 2013 e afinal ainda é cobrado e para ajudar a confusão instalada há 7 pedidos de análise do Orçamento de Estado 2014 no Tribunal Constitucional e os sete todos apontam para este desconto extra que tem o nome pomposo de "Contribuição Extraordinária de Solidaridade" que segundo a voz de alguns entendidos na matéria viola a constituição.

Vamos ver o que esta petição pode dar e se vai agregar mais militares ou apenas serão estes no meio tanto cidadão conhecido e desconhecido que está farto de ser roubado por um poder que se diz democrático e que no final das contas de democrático apenas tem o nome porque este desgoverno fez a democracia o mesmo que Mário Soares fez ao socialismo: a enfiou numa gaveta.

E ficam as perguntas de sempre sem qualquer resposta: Aonde esta petição vai levar ? Qual o problema de restruturar a dívida ? Querem hipotecar o futuro das gerações futura ? Porque não referenda a permanência no euro ? Como foi possível se chegar a esta situação ? Será que a nação vai dar a volta a situação ou será precisa alguma mudança radical como a que foi feita há 40 anos ? Será que Portugal ainda tem solução ? Para que nos serve a república e o seu presidente ?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

A polémica volta a passear sobre as Forças Armadas em especial como o seu antigo chefe general do estado mao, General Luís Araújo que chegou ao limite da idade tendo sido substituído por outro oficial e até aí nada demais a não ser um ou outro detalhe que nos pode deixar a pensar em que algo vai mal aqui nesta novela e que ainda pode ficar pior.

Pelo que se sabe na imprensa, o General Luís Araújo se reformou sem informar oficialmente a tutela da sua reforma para escapar aos cortes que se anunciavam e que apenas deixavam de fora o poder político da república e ainda foi durante mais de um mês Chefe do Estado Maior General das Forças Armadas quando a lei proíbe militares reformados de exercer cargos mlitares com muito poucas excepções e uma destas raras excepções é uma possível candidatura a presidente da república e ser CEMGFA não é uma destas excepções e nem o desgoverno e muito menos o parasítico presidente da república ficou a saber desta reforma.

A situação ficou mais ou menos esclarecida com uma portaria do Chefe do Estado Maior da Força Aérea, publicada no Diário da República e que o mesmo CEMGFA passou a reforma apenas a partir de dia 25 de Fevereiro do presente ano da graça do Senhor de 2014, embora o General Luís Araújo se tenha reformado em Dezembro de 2013 e este prolongar do serviço evitou que o mesmo General sofresse um corte de 730 euros mensais na respectva reforma.

Para ajudar a festa, o poder polítco da repúbica está com a boca calada não tendo ainda reagido a este acto de deslealdade e de desonestidade de um oficial superior e que é mau exemplo para os seus subalternos e numa nação como Portugal pouca ou nenhuma esperança tem a não ser em alguns sectores das Forças Armadas, este acto é uma verdadeira facada nas costas dos portugueses seja de que classe ou sector forem da sociedade porque todos de uma forma ou de outra estamos a aguentar com estes cortes que ninguém compreende e depois ainda aparece um chico esperto a agir a sucapa já é demais.

E ficam as mnhas perguntas de sempre, e quase sempre sem resposta capaz: Quem é o cuplado desta situação ? Será que se vão apurar responsáveis ? Como é possível se roubar tanto em Portugal ?  Quando é que isto muda ? Quando é que acaba este tipo de situações ? Para que nos serve a república e o seu presidente ?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

Já nem sei mais o que dizer sobre o presente desgoverno pensa fazer das Forças Armadas porque eu cheguei a pensar que depois de por a tropa toda a ir aos caixotes para ter que comer, que este mesmo desgoverno daria sossego a tropa em termos de humlhações e ofensas a sua dignidade como militares e a condição militar.

Agora o desgoverno volta ao ataque e agora quer retirar as missões de salvamento das Forças Armadas (sobretudo Marinha e Força Aérea) e passar para outras entidades sobretudo ligadas ao Ministério da Administração Interna como a GNR e querem que as Forças Armadas se subemetam a outras entidades mesmo que não seja a GNR e dentro destas retiradas está a passagem do Instituto de Socorro a Náufragos que é da tutela da Marinha para o MAI.

Estas outras entidades que enventualmente serão criadas, vão ser sustentadas pelo dinheiro dos nossos impostos que para não variar, não vai para onde deve de ir e vai para outros lados para onde não deveria de ir e fica mais uma provocação feita as Forças Armadas com a protecção daquele ser que se diz presidente da república, mas que na real realidade não passa de uma múmia ou mesmo de um homúcuo que parece desprovido de qualquer substância como se viu na sua mais recente alocução a nação onde nada disse de especial a não ser o apelo ao voto nas eleieçõe europeias do dia 25 de Maio e mandar bitaites de como deve ser a campanha eleitoral, porque de resto passou o tempo a encher chouriços.

Não sei qual é o lucro do presente desgoverno em provocar chispas com as Forças Armadas quando estas mesmas têm aguentado quase duas dezenas de anos de cortes no seu orçamento desde Guterres até Passos Coelho e estes cortes foram sempre aumentando e sempre sendo mais infames do que nunca e este roubo de funções é apenas mais uma provocação para a lista já longa de infâmias por parte de um certo coelho que fugiu para não ser coelho a caçador, mas nós é que somos não só o sustento da capoeira republicana dando os nossos impostos para a aveia deles como ao mesmo tempo vamos morrendo lentamente e as Forças Armadas vão aguentando mais uma humihação.

E ficam as minhas perguntas de sempre: O que este governo pensa do que são as Forças Armadas ? Será que podemos ir para a praia com segurança ? Porque adoram atacar as Forças Armadas ? Porque Cavaco Silva ainda aceita estas humilhações, sendo ele o comadante supremo ? Será que estas mudanças cumprem a lei ? Para que nos serve a república e o seu presidente ?

Como sempre vos peço para ler, comenar e divulgar

Só hoje achei um pouco de cabeça para escrever sobre o protesto deste Domingo, dia 16, da chamada Família Militar que serviu para unir forças e ao mesmo tempo para ser uma espécie de despertar de consciências sobre a situação dos militares e também para enviar uns quantos recados velados, tanto para o poder da república como para dentro dos quartéis.

Apesar de mostrar a raiva contra os cortes extremos aplicados as Forças Armadas sobretudo nos salários, pensões e serviços sociais, o protesto deste Domingo foi relativamente pacífico embora se tenha não só o protesto das alunas do Instituto de Odivelas e respectivas mães, bem como o protesto de todos os militares ao activo e reformados contra os cortes que chegam a ultrapassar os mil euros mensais e que coloca em causa a dignidade dos mlitares segundo os mesmos manifestantes.

Não nos podemos esquecer que há relativamente pouco tempo publiquei aqui neste mesmo recanto que há casos de militares a pedir os restos das messes para terem que comer e/ou terem comer para as suas famílias devido aos cortes sádicos feitos em nome de uma dívida que cujos culpados apenas são os percevejos que constituem o poder político da república desde 1910 com uma ou outra variação ao longo dos anos e a Família Militar saiu para a rua de forma pacífica mas não de forma submissa e muito menos silenciosa porque começou ao som de uma música que marcou não a presença portuguesa na Eurovisão, mas sim marcou uma certa data numa certa e esquecida Primavera de há 40 anos atrás com o título "E Depois do Adeus" intrepertada por Paulo de Carvalho e depois junto ao parlamento cantaram outra pérola de Abril "Grândola, Vila Morena" e outras músicas de Zeca Afonso além do hino nacional e de novo se ter cantado "E Depois do Adeus".

O relativo silêncio foi subitamente interrompido pelas alunas do Instituto de Odivelas que vieram protestar contra o encerramento do Instituto de Odivelas se fizeram ouvir com um verso inspirado pela malha dos Quinta do Bill "Filhos da Nação" que foi assim: "Estas são as filhas da nação, já adultas podem crer, ansiosas por saber, se o IO tem solução".

Além das canções de protesto houve discursos que foram verdadeiros recados para quem quisesse ouvir começando pelo presidente da Associação de Oficiais das Forças Armadas, Coronel Pereira Carcel fez a lista das situações que  "vão afectando a vida profissional, mas também social e psicológica dos militares": a redução das remunerações, a "redução cega" de efectivos, as alterações à situação de reserva, a implementação de normas e procedimentos àquilo que já tinha sido contratuado, a dupla penalização nas reformas, a extinção do fundo de pensões, entre outras situações "de um processo de empobrecimento forçado". O que, nas palavras de Cracel, desmotiva e indigna os militares, provocando-lhes "sentimentos de revolta nada recomendáveis", ou seja, os oficiais estão no limite do ponto de ignição para algo que poderá acontecer.

Mas não são os únicos porque todas as patentes protestaram não só contra as situações críticas que o General Pereira Carcel apontou bem como tocaram no novo brinquedo favorito do Führer Passos Coelho que são os cortes que no caso das Forças Armadas chegam aos mil euros; além disso os militares elogiaram a polícia que guardava o parlamento e o General Pereira Carcel ainda acrescentou algo que o poder da república esqueceu: que os militares foram os primeiros responsáveis pela presente Constituição e acusa o desgoverno actual de "desconjurar" a mesma Constituição.

Na mesma linha o Sargento Lima Coelho, Presidente da Associação de Sargentos disse que não pretendia subir as escadarias do parlamento e as únicas escadarias que pretende subir são as da justiça e não ficou por aqui porque ainda disse: "As Forças Armadas estão serenas mas não estão submissas" e com estas palavras que tanto são para consumo externo como são para consumo interno das Forças Armadas como fossem mensagens para os quartéis e também foram recados para o poder político da república que não passa de um colchão cheio de percevejos como disse Ramalho Ortigão e que urge eliminar antes que surjam parasitas mais perigosos em Portugal porque este poder político da república não respeita nem nunca respeitou aqueles que serviram de alavanca para os tachos que têm; uma alavanca chamada Forças Armadas que há 40 anos alavancaram a subida ao poder do presente poder político da república num suposta democracia que está eclipsada pela ganância e pelos interesses particulares e de certos grupos mais ou menos secretos.

E ficam as minhas perguntas sem resposta: Porque não respeitam as Forças Armadas ? Porque raio o poder político da república não respeita as Forças Armadas que foram os mesmos que nos deram a liberdade ? Será que o poder político da república tem alergia a liberdade e a democracia ? Que caminho leva Portugal ? Aonde isto nos vai levar ? Será que vamos ter algo mais que uma simples manifestação nos tempos mais próximos ? Que raio de comadante supremo é o presidente da república que promulga cortes que fazem com que parte generosa dos militares ande a pedir restos nas messes ? Que porra é esta de nação ? O que é feito do 25 de Abril ? Para que nos serve a república e o seu presidente ?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

Se cada vez mais de situações humilhantes em que encontram os militares das Forças Armadas graças a estes cortes e contra-cortes em nome da troika e de umas contas públicas que poucos percebem e nnguém entende porque ao mesmo tempo que aqueles que trabalham ou trabalharam para o Estado levam com cortes sucessivos, por outro lado o  poder político da república se vai enchendo de mordomias que nem nos tempos supostamente negros do Estado Novo haviam.

E ao mesmo tempo que o poder político da república se enche a nossa conta e ao mesmo tempo diz que a nação precisa de apertar o cinto cortando tudo que seja salário, pensão, reforma ou qualquer tipo de remuneração ou prestação social, aumentando as desigualdades e provocando que haja cada vez mais miséria e fome que está a começar a ser transversal porque até mesmo quem supostamente ganharia um pouco melhor que a média do português comum, já reclama que por vezes não tem para comer; enquanto a elite da república e da banca parecem uns porcos para a engorda o que me dá mais nojo.

Entretanto na edição electrónica do períodico Expresso, vem mais uma prova como não só os civis, bem como os mlitares estão mesmo no limte, se já não estiverem mesmo abaixo do nível de pobreza, e com o desemprego galopante que assola a nação, muitos oficiais superiores são obrigados a sustentar a própria família e os militares chegam ao ponto de terem que pedir dinheiro emprestado aos seus serviços sociais para as despesas escolares dos filhos, para pagar as suas contas e imagne-se, até para pagar o IRS e os pedidos são tantos aos serviços sociais das Forças Armadas que estes estão já a recusar pedidos de ajuda porque os próprios serviços sociais já estão com falta de dinheiro para poderem satisfazer tantos pedidos que aparecem que segundo os mesmos serviços são mais de 4000 pedidos desde 2008 e destes mais de 4000, 1369 tiveram que ser recusados por falta de meios dos próprios serviços sociais.

Todos nós sabemos que devemos aos miltares a liberdade e esta espécie de democracia que temos e como tal eles merecem todo o respeito do mundo e o presente desgoverno está a faltar ao respeito a todos aqueles que nos restauraram a liberdade pela qual a nação ansiava e sobretudo pelo fim da guerra do ultramar que não tinha qualquer razão de existir porque afinal além de ser uma guerra estúpida se veio a revelar nefasta para nação em todos os pontos e este fim da guerra devemos apenas aos militares e não ao poder político da república que por sua vontade continuava com a guerra até se cansar.

E não foi para se assistir a tristes situações como estas que há 40 anos, numa distante Primavera de todas as utopias, as Forças Armadas sairam para as ruas e tentaram por todos os meios tornar Portugal aquilo que nunca será enquanto for uma república: uma nação desenvolvida e civilizada.

E ficam as minhas perguntas de sempre: Para quando mais respeito peos militares ? O que pensa o desgoverno das Forças Armadas ? Até onde isto chegou ? Porque o comadante supremo se cala ? Quando é que esta situação acaba ? Foi para isso que se fez Abril ? Para que nos serve a república e o seu presidente ?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar