Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Opiniões e Críticas Secretas

Opiniões e Críticas Secretas

O sindicato da Função Pública que está ligado a filial sindical da CDU ou PCP (conforme sopram os ventos eleitorais) quer que o presente desgoverno socialista que está ainda sobre sufrágio da troika ê de imediato o horário das 35 horas à função pública quando no acordo assinado entre comunistas e socialistas para que estes pudessem formar governo vinha especificado que o retirar de medias da troika seria sucessivo e não imediato e uma das medidas eram as 40 horas semanais de trabalho para todos os funcionários públicos.

Acontece que António Costa já disse que o horário 35 horas seria aplicado no Verão deste ano pois que nesse hiato de tempo já terá o orçamento do Estado aprovado e ratificado, acontece que o sindicato comunista quer tudo e mais alguma coisa e quer as 35 horas agora e se estas não forem concedidas, dia 29 há greve geral na função pública que será a primeira greve do consulado de António Costa e a primeira greve geral da FP convocada num governo socialista o que não deixa de ser surpreendente quando a esquerda espartaquista colocou António Costa no poder e agora parece estar a cobrar o custo desta ajuda.

Acontece que esta reposição das 35 horas feita de forma imediata tem custos para o erário público e não são assim tão pequenos como poderão pensar por que esta exigência dos comunistas custa por ano 135 milhões de euros por ano, e no presente estado actual das finanças públicas, os cofres públicos não têm dinheiro para financiar esta exigência dos comunistas e gostava de saber onde se vai buscar este dinheiro porque o presente governo travou as concessões dos transportes públicos e a privitização da TAP para fazer o frete a esquerda e agora a esquerda quer ainda mais rebuçadinhos sem saber que estes rebuçadinhos têm custos e nos vão sair do coirão de todos nós seja de que maneira for.

Agora é que está a cair a máscara da extrema-esquerda da república e agora se vê os custos da disituição de Passos Coelho do cargo de Führer de Portugal e vamos ver qual vai ser a resposta daqueles que verdadeiramente foram contra a troika e agora com estas exigências do sindicto comunista o caminho está aberto para mais um resgate e basta Costa ceder a esta exigência porque graças aos salvamentos e demoras na resolução dos problemas do Banif e do Novo Banco a chamada almofada financeira que tinha sido criada com os impostos cobrados em tempos de Passos Coelho se esfumou e agora Portugal não pode gastar um único centavo em despesas extras e esta redução segundo a imprensa da especialidade é um custo extra o qual Portugal não pode comportar.

Não sei qual a diferença de se reduzir as horas de serviço aos funcionários públicos mais tarde no tempo para dar tempo a economia nacional recuperar o fólego e aproveitar a queda do petróleo para ver se Portugal consegue exportar um pouco mais para ver se entram alguns trocos nas reservas nacionais mas nos sindicatos comunistas não há ninguém que saiba pensar com dois dedos de testa e comecem a pedir tudo e mais alguma coisa só porque ajudaram António Costa no 18 do Brumário e este subiu ao poleiro e seria de bom tom ver se Costa reduziria as horas de trabalho em Junho e só depois se poderia falar em greve, mas acontece que a CGTP já vai entrar para greve no dia 29 e a UGT para lá caminha.

Esta atitude dos sindicatos me deixa a pensa rque afinal não são assim tão flexivéis em termos negociais e quando têm o cheiro de um chocolatinho não querem esperar que este fique feito e querem logo comer o chocolate mesmo antes deste estar feito e embrulhado e esta greve de dia 29 para que as 35 horas sejam repostas a toda força tenham ou não as finanças públicas condições para esta reposição mostra que por um lado a esquerda não é confiar quando se fala em acordos de governo quando se tem que fazer cedências em nome do bem geral da nação ou das suas finanças.

Deixo as minhas perguntas de sempre: O que querem os sindicatos? Será que todos os funcionários públicos partilham da mesma ideia? É este o preço da ajuda da CDU para que Costa fosse nomeado primeiro-ministro? Porque não aceitam que as 35 horas sejam repostas no Verão?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

 

 

Esta semana saiu um relatório do Tribunal de Contas que o aumento do desconto para ADSE feito por funcionários públicos no activo e aposentados para 3,5% é considerado excessivo e que deveria de rondar os 2% e que estes 2% seriam sufcientes para a sustentabilidade do sub-sistema de saúde dos funcionário publicos e reformados da mesma classe profissional.

Muitos de vocês devem pensar que estes 3,5% não são nada mas quando se vai a ver o recibo de uma reforma da função pública se precebe de imediato o peso destes números porque a estes 3,5% se acrescenta uma sobretaxa que vai literalmente eliminar o duodécimo do subsídio de Natal que um certo primeiro ministro que foi assassinado disse ser um direito inviolável de todos os trabalhadores fossem eles do Estado ou não.

Resumindo, estes 3,5 % ficam cerca de 5% mais os descontos de IRS que já são de s uma pequena fortuna sobretudo nos aposentados que vêm dos chamados quadros médios ou baixos e falo como filho e neto de funcionário público de nível baixo e/ou médio e sei que um salário ou reforma de setecentos e poucos euros não dá muito para sobreviver, quando ainda por cima há congelamentos de salários e de reformas há 6 anos.

Gostava de saber como é que vão repor o dinheiro que tiraram a mais para o desconto da ADSE que ao fim destes anos todos de duodécimos de subsídios de Natal e sobretaxas não é uma verba de tudo desprezível e como todos sabemos que em Portugal quando se trata de contribuições seja para reformas, subsídios de doença, sub-sistemas de saúde e impostos há dois pesos e duas medidas: quando é para cobrar todos se levantam da cadeira, mas quando erram e têm que repor ficam sentados ou demoram muito para reconhecer o erro quase ao ponto de quem sofreu com estes erros de cobrança excessiva poder chamar pela morte porque esta última tem tempo de chegar e a reposição ainda não foi feita.

E ficam as minhas perguntas: Porque só repararam no roubo agora ? Quem vai repor o que foi tirado a mais e quando ? Quem ficou a ganhar com isto ?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divugar

Esta crise quase prepétua que Portugal vive pelo menos desde do 25 de Abril tem uma espécie de achaques que a aprofundam mais ainda; todavia intercalados por aparentes melhorias, das quais apenas alguns poucos conseguiram se aproveitar.

Nos últimos 4/ 6 anos que tem pago as favas de todos os roubos e nos tempos mais recentes este pagamento tem sido feito de uma forma cruel, enquanto por outro lado há despesas que se poderiam cortar e ningu+em as corta e eu gostava de saber porque não as cortam.

Vos falo de mas um ano que os funcionários públicos irão continuar a ter os salários congelados e esta congelação também incide sobre os salários mais baixos da FP que estão congelados desde dos tempos de Sócrates ao que temos que acrescentar o aumento da idade para reforma completa e o aumento de anos necessários para uma reforma completa que já não são 36 anos, mas sim peo menos 40 ou mesmo 45 anos e em alguns casos chega a ir aos 50 anos de descontos o que em termos civilizacionais é brutal.

Agora aquele clone de Adolf Hitler com toque de Reinhard Heydrich ou Himmler e de cabelo loiro que é ministra das finanças e que gosta tanto dos funcionários públicos de baixo e médio escalão e sem partido como Hitler gostava dos judeus, mais uma vez ataca os FP com menos dinheiro no bolso e por outro lado deixa que os gastos de gabinete da república e os salários dos políticos subam para níveis estratoféricos e os políticos da chamada esquerda ficam caladinhos e andam entretidos a copiar o Siryza e nos vão dando circo enquanto os assaltos continuam e as greves dos transportes estão a ultrapssar o limite do tolerável.

Mas como Portugal é o país dos 3 F's e dos brandos costumes nnguém diz nada até que lhes toque na pele e depois aí já acordam e os deputados da esquerda em vez de abrirem os olhos para o que se passa na nação com a saúde, educação e trabalho; andam entretidos com as novelas do BES e dos submarinos e do preso 44 e o resto que se lixe e quando aparecer uma legião de sem-abrigo ou de moradores em pensões e alojamentos manhosos com salários de 700 ou 800 euros porque não podem pagar a renda ou a letra da casa onde moram ou que comecem a ir as carrinhas da assistência alimentar não estranhem.

Com estas atitudes se vê mesmo que quem está no poder da república acena a palavra democracia com desdém e com quase a certeza absoluta chumbaram em história porque foi mesmo assim que os extremismos nasceram na Europa dos anos 30 e aquilo que Winston Churchill avisou o mundo civilizado para não deixar a Alemanha ganhar muito poder...mas na Europa se deixou a Alemanha ganhar demasiada força e agora a Grécia sofre e Portugal também não fica atrás, havendo uma pequena diferença é que em Portugal quem manda é mesmo Adolf Hitler , digo, Angela Merkel, tendo em Portugal uma espécie de Governo de Vichy com várias franquias sobretudo maçónicas no parlamento que por vezes parece uma praça de touros, mas de touros sobreros, touros suplentes sem qualquer valor para serem lidados a não ser que um dos touros principais tenha algum problema; mas os sobreros que temos no Parlamento apenas servem para duas coisas: Cobrição e pastarem porque de resto nem para puxar um arado servem.

E como quase sempre ficam as minhas perguntas sem resposta: Porque são sempre os mesmos a pagar ? Aonde está a democracia ? O que fizeram a democracia ? Será que a república ainda tem razão de existir ? Porque não cortam nas despesas de gabinete ? Que país é Portugal afinal ? Para que raio nos serve a república e o seu presidente ?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

Os juizes do Tribunal Constituicional acharam legal o aumento do desconto para a ADSE e outros sub-sistema de saúde dos funcionários públicos e equivalente de 2,5 para 3,5% e que vai entrar em vigor já com o novo orçamento do Estado para 2015 e só ficam livres deste aumento quem ganha menos de 435 euros por mês, o resto ainda vai dar ainda mais do que já deu.

Não pensem que este aumento vai para a ADSE como mente o desgoverno Passos Coelho, este mesmo dinheiro vai na realidade para tapar os buracos tanto deixados pelo anterior consulado do Führer Sócrates, bem como pelo actual e presente consulado do Führer Coelho, acontece que quem vai sofrer mais com este corte não vai ser nem a classe polítca da república nem os juízes do Palácio Ratton, mas sim aqueles que trabalham ou que deram a vida toda para ter uma reforma que nem dá para a cova de um dente.

Esta luz verde dos juízes do Palácio Ratton apenas serviu par provar que afinal eles não são tão úteis como possam parecer ou queriam fazer passar esta imagem para o mundo dos comuns os mortais, contudo foi apenas fogo de vista e estão mesmo todos feitos uns os outros e decidiram que assima lá entre eles e se esta república age assim com os seus cidadãos, então não é democracia nenhuma em parte nenhuma do mundo.

Esta república se mostra podre e decadente cada dia que passa e cada vez que dá um qualquer sinal de vida só sai disparate e este acórdão mostra o quão decadente a república está em Portugal que antes que seja tarde tem que ser removida do poleiro antes que apareça agum grupo extremista e deite tudo a perder que se conseguiu com o 25 de Abril.

E como sempre as perguntas: Para que querem mais dinheiro ? Porque Portugal não sai do euro ? O que vão fazer com o dinheiro que vão roubar ainda mais aos funcionários do Estado e aos reformados que tenham acesso a ADSE ? Afinal o que fizeram do 25 de Abril ? Para que nos serve a república e o seu presidente ?

Como sempre vos para ler, comentar e divulgar

Parlamento aprova reposição de cortes na função pública e redução de pensões

 

 

 

 

 

Diplomas devem seguir na próxima semana para Belém.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

(Fonte: Público)

Hoje um dos metais e dos elementos químicos mais pesados da natureza esteve mesmo nas bocas do mundo político da república e ambos eram previstos embora o desfecho seja diferente apesar do metal usado tenha sido o mesmo e ambos os usos do metal chumbo já se esperava há muito tempo e um deles a espera nem seria muito demorada.

O chumbo da moção de censura da CDU era mais do que certo e ainda mais certo foi quando se saber que 9 deputados do PS se baldaram ao serviço não aparecendo np hemiciclo e tirando força política da moção de censura que deporessa converteu em moção de confiança para Passos Coelho porque com esta balda dos socialistas quem se deu mesmo bem foi o presente governo ou desgoverno porque nas votações a favor da moção de censura faltaram 9 socialistas.

Estes senhores do PS se estão a esquecer que hipoteticamente se o desgoverno fosse de maioria relativa e o mais provável de acontecer neste caso seria o caso de de hoje que o governo se aguentaria até as eleições gerais e ainda poderia sair como a vítima de uns quantos ganaciosos que só querem é poleiro e se estão nas tintas para as nececidades da nação e da república e não nos podenos esquecer que nem um mês completamos que nos livramos da troika e os senhores do PS asssinaram também o acordo que permiitiu que a troika entrasse em Portugal e o resto se sabe como o filme se deu e como estamos a sofrer por conta da mesma entrada da troika em Portugal.

Mas este não foi o único chumbo de zagalote no da de hoje, o outro, foi o chumbo dos cortes nas reformas e salários da Função Pública por parte do Tribunal Constituicional o que para alguma imprensa fará aumentar o IVA dos acutais e escandalosos 23% para 25% e muitas vozes apareceram a dizer que este aumento do IVA vai cortar a evolução da produção da indústria nacional.

Esta previsão de subida dos impostos sobre vai ser tão só o continuar da troika e quem lixa é quem está por baixo como sempre.

E as perguntas em  sem nexo e sem resposta: Para onde foi parar o dinheiro de tantos cortes ? Porque apenas são os mesmos a agar as favas ? Foi para isso que se fez Abril ? Para que nos serve a república e o seu presidente ?

Como sempre vos pçeo para ler, comentar e divulgar

Enquanto aquele circo dos rabiscos vai dando para entreter e o povo festeja a alegria efémera ou perto disso de ver o Benfica a ser campeão nacional; se sabe não através da boca do desgoverno, mas sim pela União Europeia, directamente de Bruxelas que aquela aberração de reformados e trabalhadores da função pública pagam e que dá pelo nome de Contribuição Extraordinária de Solidariedade, além das sobretaxas e do aumento do desconto para a ADSE, não são medidas temporárias como aida há pouco tempo dizia o desgoverno, mas sim medidas definitivas.

Por isso quem contava que mais tarde ou mais cedo o roubo do CES acabaria, mais vale esquecer esta ideia, embora o Tribunal Constituicional só tenha deixado passar o CES na condição desta mesma medida acabar quando acabasse o ano fiscal de 2013 e que esta medida seria apenas e só apenas provisória, mas já se pagaram salários e reformas de 2014 e o CES continua e é para continuar apesar de ir contra a lei fundamental e ainda querem fechar metade das repartições de finanças e esta medida é que me deixa a pensar qual é a sua utilidade real porque sem repartições como é que Estaado fará a cobrança de impostos a não ser que seja uma espécie de PIDE fiscal e use o estratagema da Factura da Sorte para fzer a cobrança dos impostos mesmo que os contribuintes tenham despesas a deduzir a colecta (daí eu desaconselhar vivamente o pedido de factura com NIF a não ser nos casos necessários porque a ambição para se ter um carro nos está a roubar a liberdade individual e transforma a máquina fiscal numa nova PIDE ou num Big Brother orwelliano).

Mas porque não vão cortar ao poder poítico da república porque os senhores deputados de salário base ganham 3500 euros (algo como 5 salários médios de um funcionário público do quadro administratvo em início de carreira ou quase 7 auxiliares) e que o mesmo poder político recebe toda espécie de mimos, desde carros passando por tv-cabo e restantes despesas de casa pagas, deslocações pelo país para supostamente irem ao distrito que os elegeram sempre pagas, serviços médicos nas melhores clínicas privadas da nação, cartão de crédito dourado, deslocações para as respectivas moradas de residência caso estas sejam fora de Lisboa e um sem número de extras que até inclui um restaurante de luxo onde uma refeição completa custa apenas 10 euros e nós, otários a pagar e os senhores deputados não quiseram que os mlitares de Abril fossem discursar porque se estão a esquecer dum pequeno grande pormenor: é que se não fosse o 25 de Abril não tinham os miminhos que têm agora e muitos deles estariam enfiados em França ou em Marrocos.

Não é por ser filho,neto e trineto de funcionários públicos tanto especializados, como sub-contratados, como estado-empresa como do quadro principal que esta situação me deixa chateado; o facto é que são sempre os que estão por baixo a pagar e quem está por cima escapa sempre que é uma alegria e não foi para isto que se fez o 25 de Abril, bem pelo menos é o que se diz porque nesta nação pouco ou nada se entende e ainda menos se explica.

E ficam as minhas perguntas de sempre: Porque raio são sempre os de sempre a pagar ? Porque não cortam nos mimos dos políticos ? O que se passa com as Forças Armadas que nada fazem para acabar com esta situação ? Porque a esquerda parlamentar se cala ? Porque o poder político da república não segue o exemplo e corta nos luxos ? O que se poderia fazer com o dinheiro dos luxos do parlamento ? Será que ainda existe 25 de Abril ? Será que a república nos serve para alguma coisa ? Foi para isso que se fez a revolução ? Para que nos serve a república e o seu presidente ?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

Nesta semana que antecedeu a Semana Santa que coemçou hoje, muito se falou de mais cortes que tnham sido acordados com a troika que foram acordados tanto nas costas dos deputados da república, bem como nas costas do povo, cortes salariais, prováveis despedimentos em massa na função pública, cortes nas reformas e o prolongar da vida laboral conforme a economia do país porque um trabalhador ou miltar tem que dar o tempo devido para ter a sua reforma, mas não tem garantida a chamada reforma por inteiro e para ter esta, pode estar sujeito a ter que dar 40 ou mesmo 50 anos de descontos (se não forem mais) e mesmo assim não é certo que irão receber o têm direito por uma vida de descontos para uma hipotética reforma.

Estes cortes antes foram negados pelo governo, mas afinal existem e estão para ser aplicados, mas os cortes nem vão ao Banco de Portugal nem ao topo do poder político da república que ainda levam aumentos e anda compram carros de luxo pagos a pronto e depois dizem que troika manda apertar o cinto e manda o pior é quem aperta o cinto são aqueles que já o têm apertado e os o que tem solto não o apertam e algumas mentes birlhantes tanto da troika como sem ser da troika devem estar a viajar no ácido ou algo parecido.

O pior deste mafiosos dá pelo nome de Subir Lall e é de origem indiana que deve pensar que os funcionários do Estado e os reformados devem trabalhar por uma malga de arroz como é na sua terra e vem com corte e mas cortes quando quem deveria de cortar não corta e ainda se enche mais que é o caso da classe política da república que nada tem a ver com liberdade ou democracia e não passsa de uma versão republicana da nobreza e da burguesia dos tempos do absolutismo em Portugal e que abusa e contra-abusa de quem trabalha porque agora pela forma de ver do desgoverno e do senhor Lall uma pessoa nem sabe agora quando se pode reformar transformando assim Portugal no maior campo de concentração do mundo que ultrapassa e muito em superfície os laogai chineses, os campos de reeducação da URSS e os campos de concentração nazis todos somados e não foi para isso que se fez o 25 de Abril e esta nação já a está sofrer demais por causa dos roubos que foram feitos no passado aos cofres públicos em especial nos últimos anos com as negociatas de Sócrates e os cortes de Passos Coelho que deixaram as contas púbicas no mesmo desastre de quando tivemos Mário Soares como primeiro ministro ou como nos tempos da primeira república.

E estes senhores do poder político da república se esqueceram dos tempos em que estudaram história porque se tivessem estudado como deve ser saberiam que as ditaduras dos anos 30 subiram ao poder graças a medidas de austeridade e situações de miséria que vivemos hoje e que não se poderia contar com a esquerda para nada a não ser para armar peixarada que boa parte das vezes acabava mal e Portugal está nesta situação e se querem evitar que Portugal regrida ainda mais no tempo é simples: basta acabar com o estado a que chegamos, mesmo que se tenha que eliminar ou trocar a república pela monarquia; mas esta nação não merece de novo outra ditadura porque os supostamente democráticos em vez de governar o povo, se andam a governar as custas do povo.

E cada vez mais está na hora de algo ser feito por esta nação antes que seja tarde demais porque aí então nada se poderá fazer de forma pacífica e civilizada e este prazo está cada vez mais curto como nunca esteve e vamos ver se não vai ainda ficar mais curto e se as Forças Armadas irão cumprir com aquilo que andaram por aí a espalhar.

E ficam as perguntas de sempre: Porque não cortam nos luxos da república ? Porque não cortam nos salários e nas reformas dos políticos ? Porque não querem que os capitães de Abril falem no parlamento ? O que querem arranjar com tantos cortes ? Querem outra revolução ? Foi para isso que se fez o 25 de Abril ? Aonde estão a liberdade e a democracia em Portugal ? Para que raio nos serve a república e o seu presidente ?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

Estamos cada vez mais afundados numa tempestade social sem paralelo nos tempos mais recentes da história da nação e depois dos protestos dos professores que estão numa espécie de hibernação a espera do que possa aparecer depois do início do ano lectivo, agora aparecem os não-docentes como os administrativos e auxiliares das escolas também a ocuparem o ministério da educação.

Esta invasão teve os mesmos motivos da invasão dos professores e foi mais uma vez os baixos salários, os cortes nos salários e más condições de trabalho; a ocupação fo feita por 150 sindicalistas e o objectivo do sindicato era ter uma reunião ou com o ministro da educação ou com alguém com autoridade dentro do ministério da educação para que o sindicato exposesse os seus problemas laborais e seria ou com o ministro ou com o secretário de estado da educação e nunca com directores-gerais; segundo fonte do sindicato, esta reunão já era para ter sido marcada em 2013 e até agora nada até que deu este micro-putsch que aconteceu hoje às 19:30 quando a polícia tentou retirar manifestantes da portaria do ministério da educação, situado na Avenida 5 de Outubro em Lisboa, e nesta tentativa de expulsão houve empurrões de parte a parte; os sindicalistas acabaram por sair meia hora depois sem deixar o aviso que irão estar de volta.

Fico a pensar aonde param as Forças Armadas que muito têm passado à conta dos cortes, vê-se sectores estratégicos da nação como a educação e os transportes com greves e manifestações quase constantes como nunca se viu, e a agitação social já chegou as forças da ordem e com a corrupção a crescer por todos os lados e ao mesmo tempo a lei fundamental é violada aos olhos de todos com a ajuda daquele ser supostamente humano que está em Belém e que nada faz e os abusos já vêm dos tempos do sucateiro e nada tem sido feito e agora mais do que nunca é preciso que se façaalgo para evitar danos piores como está acontecer em França.

Não que eu tenha medo da extrema-direita, mas com tanta humilhação que Portugal tem sofrido por parte do poder político da república pode ter o mesmo efeito que o 25 de Abril teve, e depois a rolha da vingança pode saltar e depois as consequências serão impresíveis e não é a prmeira ocasião que penso que é preciso desobedecer e que chegou o tempo de acabarmos com o estado a que chegamos, antes que males piores surjam na nação e esta nova invasão do MEC, é mais uma prova que algo tem que ser feito por esta nação antes que a coisa fique feia e se por um acaso, o preço de se manter a liberdade e a democracia passar pelo fim da república, então que se fine a república porque muitos morreram e sofreram para que agora sejamos uma nação mais ou menos livre e não há república no mundo que valha a democracia ou a liberdade de povos e nações.

E ficam as minhas perguntas de sempre: Para onde vai esta nação ? Quem nos pode defender destes abusos ? O que é feito da democracia em Portugal ? Será precisa uma nova revolução ? Quando é que esta nação ganha tino ? Será que existe outro MFA ou tem que ser povo a sair as ruas ? Para que nos serve a república e o seu presidente ?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar