Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Opiniões e Críticas Secretas

Opiniões e Críticas Secretas

Ontem saiu o acórdão do recurso para o Supremo Tribunal de Justiça sobre o caso do soldado da GNR Hugo Ernano que viu a indemnização que este tem que pagar a família do adolescente cigano que foi morto numa perseguição policial quando este mesmo adolescente ia numa carrinha com dois homens, um deles o seu pai que estava foragido da prisão de Alcoentre.

Nesta perseguição o adolescente foi morto acidentalmente pelo soldado da GNR e os dois adultos detidos na sequência do assalto que faziam em Santo Antão do Tojal e o soldado da GNR Hugo Ernano foi ilibado do crime de homicídio mas foi obrigado a pagar uma indemnização a família do adolescente de 45 mil euros, sendo 35 mil para a mãe e 10 mil para o pai do dito adolescente e agora o STJ aumentou em 5 mil euros a dita compensação financeira.

Mais gritante é que o mesmo soldado apenas está a ganhar 1/3 do salário e está sob suspensão da GNR de 240 dias, a mesma que ainda dura com as devidas consequências salariais que daí advêm mas os juízes do STJ não têm a mínima noção de justiça e confirmam uma pena que prova que o crime acaba por compensar para os ciganos porque neste caso em Particular não são punidos e ainda são beneficiados financeiramente e no geral e falo por experiência própria é ver dezenas de ciganos a venderem haxixe na baixa de Lisboa e óculos de marca falsificados e ninguém lhes diz nada ou para manterem o RSI se inscrevem em cursos do IEFP ou colocam os filhos na escola primária, mas aparecerem nas aulas não é com eles e esta maneira de ser se aplica a parte generosa dos ciganos que aparecem sempre nas notícias sempre que há tiroteios nos bairros perigosos (aka. favelas) de Lisboa ou do Porto.

Para ainda aumentar a gravidade da situação do Soldado Hugo Ernano o mesmo está a ganhar como dinheiro mensal pouco mais de 16 euros devido as deduções e penhoras salariais que tem sofrido e ninguém sem ser a família do mesmo se lembra do Soldado Hugo Ernano, nem sequer o sindicato da GNR tão activo nos tempos de Passos Coelho por outros motivos que não um dos seus colegas estar a ser prejudicar num claro processo racista, ilegal e injusto porque uma minoria está a conseguir o que quer que é tirar compensação de um crime.

Entretanto o caso seguiu para o Tribunal Constitucional onde se aguarda resposta do recurso em relação ao indemnização a qual o Soldado Hugo Ernano foi condenado a pagar por apenas cumprir o seu dever que foi evitar um crime e quem deveria de ser condenado seriam os homens que estavam a desencaminhar este mesmo adolescente para uma vida de crime tão típica dos ciganos que marca de forma indelével porque embora sejam poucos, ainda há alguns ciganos que conseguem ter uma vida produtiva ao contrário da grande maioria da etnia cigana e esta marca se torna um estigma maldito para os ciganos produtivos que vão coexistindo com a grande parte que não quer fazer nenhum e só pensa em subsídios e compensações financeiras de toda espécie desde que estas não envolvam trabalhos ou actividades lícitas. 

Muito se comentou quando o sexólogo do programa das manhãs da TVI, Quintino Aires, criticou de forma directa e incisiva a subsídio-dependência dos mesmos ciganos, mas acontece que esta subsídio-dependência é um facto e que têm uma tendência doentia para o crime e se fosse ouvido um qualquer agente da PJ ao falar no geral, mas que tivesse a sua identidade devidamente protegida para evitar ameaças e represálias iria confirmar o mesmo que Quintino Aires disse em directo no canal de TV sediado em Queluz.

Apenas sei que a associação sindical da GNR está calada com um caso claro de injustiça e onde um dos membros da força militarizada está a sofrer uma arbitrariedade porque caso fosse a morte de um branco seria o final dos tempos e todos desciam a televisão, uns a dizer que tinha um sido um abuso, por outro lado outros a dizer que foi um acidente e seria um assunto para ser mencionado em todos os telejornais, mas como foi um cigano dos envolvidos e um membro das forças da ordem é que está a ser injustiçado, todos estão calados desde dos sindicatos da classe ao poder político e assistimos mais uma vez como apenas uma mão cheia de gente faz o que quer e a restante maioria silenciosa passa a submissa perante estas injustiças e ainda falamos que estamos numa democracia.

Como sempre a minhas perguntas: Porque se dá uma indemnização a um criminoso que quis levar o filho para o crime? Porque não se punem os verdadeiros criminosos neste caso? Porque atacaram Quintino Aires quando este apenas disse a verdade sobre os ciganos? Que raio de justiça é a justiça em Portugal?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

A GNR e a PSP se juntam mais uma vez contra a nova lei orgânica das duas forças da ordem como quando foi na ocasião da tomada do Largo de S.Bento em Lisboa e quando foi da subida das escadarias da Assembleia da República onde uma mole de polícias em fúria contra este mesmo desgoverno estiveram a poucos metros de fazerem aquilo que muitos portugueses querem fazer como forma de mostrar a sua raiva contra o presente estado a que chegamos que seria invadir do parlamento.

Mas um pequeno grande detalhe mudou desde da tentiva de nvasão até agora e não estou a falar nas mudanças de comando ou de ministro titular da pasata, mas sim de onde estão a vir as vozes de contestação que desta vez são mais ensurdecedoras porque não são só os elementos de base a se manifestarem contra as novas leis orgânicas, mas também os oficiais das forças da ordem que estão contra o desgoverno o que torna a coisa ainda mais feia do que se poderia pensar.

Com este conflito em fermentação o desgoverno semeou ventos e vai colher tempestades porque até o relativamente pouco representativo Sindicato Nacional de Polícias, um dos sindicatos dos oficiais cita Sun Tzu e a sua mais conhecida obra: "A Arte da Guerra" quando afirma: "Se queres paz, prepara-te para a guerra" e tais palavras podem ser entendidas como um aviso para qualquer um de nós, excepto o desgoverno do Führer Coelho.

Se não ficarem encolhidos como foram os militares que muito falaram e nada fizeram, então vamos ter uma Primavera e um Verão bem escaldantes e que cujo calor interno aumenta porque estamos próximos de eleições gerais e tudo conta como trunfo.

E ficam as minhas perguntas como quase sempre: Será que estes protestos vão mesmo para a frente ? O que pensa estes desgoverno das forças da ordem ?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

Não existe outra forma de descrever a resposta do STJ ao recurso apresentado pelo soldado da GNR Hugo Ernano em relação a pena de 4 anos de pena suspensa e ao pagamento de 45 mil euros aos familiares de um cigano que foi antigido a tiro pelo mesmo soldado da GNR quando este mesmo GNR impedia um assalto em Loures cujos autores eram dois ciganos, o que foi morto por Hugo Ernano quando este mesmo tentava impedir o crime e pelo pai do cidadão em questão que caso tivesse nos tempos do Holocausto tinha que usar um triângulo castanho.

Não sabia que agora se disparar uma arma de fogo para se impedir um crime era crime e agora tem que se deixar que o crime aconteça em especial se for feito por ciganos e nem é preciso ir a Loures para se ver este facto, basta qualquer um de nós andar a passear nuam das ruas da Baixa de Lisboa com ar despreocupado para ser abordado por um ou mais ciganos que nos querem venderem haxixe, embora segundos conhecedores da matéria, dizem que é "produto" falsificado ou adulterado e no caso do haxixe há quem fale em caldo knorr derretido misturado com alecrim e outros falam em óleo de eucalipto com o mesmo o knorr ou mesmo eucalipto puro e depois endurecido e pelo que sei o óleo de eucalipto puro é tóxico e chega a ser mais venenoso do o haxixe em si por bastam 5 ml do mesmo óleo para intoxicar gravemente uma pessoa adulta e a dose máxima recomendada para um adulto é 0,5 ml por kg de peso corporal e ninguém diz nada e os mesmos ciganos se acobardam asssim que farejam a polícia.

Esta decisão do supremo dá que pensar se mais vale as autoridades deixarem o crime acontecer, seja ele qual for, sobretudo se envolver ciganos do que evitar o crime porque se fizerem alguma coisa, nem que seja algemar um criminoso cigano, um qualquer agente da autoridade fica sujeito a ser julgado por "racismo" ou "abuso da autoridade"; mas quando um ou mais ciganos desatam aos tiros aos carros das autoridades ou as pedradas ou mesmo matam algum polícia ou civil não-cigano isto já não é "racismo" e quando vejo casos como estes fico a pensar se estudei com os dicionários certos ou alçgo aqui que não bate bem.

E ficam as minhas perguntas de sempre: Qual a definição de racismo ? Afinal as forças da ordem não podem exercer autoridade em especial sobre os ciganos ? Estão a provocar a extrema direita ? Afinal que circo é a justiça em Portugal ? Aonde está a justiça em Portugal ?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

Não estou com grandes paciências mas deixo uma charge ou carga sobre como se está a configurar o futebol este ano nas taças europeias já que temos um Real Madrid - Atlético de Madrid, na final da Liga dos Campeões no Estádio da Luz e se a sorte estiver do lado das águias vamos ter um Benfica  com Sevilha ou Valência em Turim

 

 

 

esperando que seja do vosso agrado

 

 

 

 

Sangue Oculto - GNR & Javier Andreu

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Polícias dão um mês ao Governo para compensar cortes salariais ou voltam à rua

 

Aviso é da comissão que junta sindicatos de todas as forças. Estrutura promete manifestação maior do que aquela em que agentes invadiram escadas da AR.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

(Fonte: Público)

 

Esta regra muito portuguesa de serem sempre os mesmos de sempre a pagar e agora aparece de novo a associação de sargentos a recusar o carácter facultativo do seu sistema de saúde que o presente desgoverno quer impor as forças armadas juntamente com o aumento da compartricipação em quase 4 vezes.

Está visto que este desgoverno anda a brincar com as Forças Armadas porque ainda há pouco tempo lhes cortou ou anunciou o corte no fundo de pensões que para as patentes mais baixas das Forças Armadas sempre dava alguma dignidade as reformas dos militares, algumas que chegam a ser humilhantes, verdadeiras esmolas para quem deu a vida pela nação de forma literal, ao contrário do que fazem e fizeram muitos políticos do poder político da república.

Compreende-se a indignação da tropa, mas quando é que se vê actividade que tenha a ver com esta indignação porque enquanto não se sentir colado a parede, o desgoverno da república se está pouco nas tintas, e estou a usar termos civilizados, para quem está por baixo deste mesmo poder político da república, seja de que origem fora: militar ou civil, doutor ou analfabeto. Porque para este desgoverno, nós não passamos de números e de vonte de dinheiro para eles, os do poder se irem enchendo.

E se há 40 anos a tropa teve coragem de sair porque em primeiro lugar lhes estavam a ir ao bolso, então do que estão a espera para se mexerem e executarem a garantia da constituição que afirmam ser; porque esta altura chegou quando Sócrates subiu ao poder e até agora nada foi visto em 8 quase 9 anos e ninguém parece ter vontade de se mexer na tropa porque se tivessem mesmo vontade de fazer alguma coisa já o tinham feito porque de conversa já está a nação farta e quer acção para que de alguma forma volte a ser uma nação digna deste nome que não é o caso presente.

Mas não pensem que é só na tropa que a coisa está feia; porque tamém a GNR tem razões de queixa do presente desgoverno porque os militares da GNR de todas as patentes se mostram indignados com o aumento da carga horária e cortes salariais que podem fazer com que os elementos da GNR possam garantir a ordem e o cumprimento da lei e estes cortes ainda são mais intensificados com o aumento do desconto para o subsistema de saúde e no diz 27 de Fevereiro a Associação de Profissionais da Guarda vai realizar uma manifestação em protesto contra estes cortes e desta vez estão unidas as duas associações de profissionais da GNR a APG/GNR e ASPIG, bem como a Associação de Sargentos da GNR e a Associação de Oficiais que esperam que ainda antes da manifestação o conflito com o desgoverno se resolva a bem.

Bem e digo que a GNR em peso são uns anjinhos porque ainda acreditam que este governo ou mesmo que Tó Zé (In)Seguro suba ao poleiro que há de alguma vez ter bom senso por parte do poder político da república e tal bom senso nunca vai aparecer nos tempos mais próximos nem que caia neve em Abril ou mesmo Maio na cidade de Lisboa ou que o Sporting seja vencedor da Liga dos Campeões porque tem mais tempo de ver os lagartos com uma dama orelhuda do que ver políticos capazes nesta república dos bananas.

E ficam as minhas perguntas de sempre: O que ganham a provocar os militares e os GNR ? Estão a espera dos extremistas ? Será preciso alguém acordar quem está ainda dormir neste país ? Porque raio nem a GNR nem as Forças Armadas passam das palavras aos actos ? Será que temos uma revolução a fermentar sem se estar a dar por isso ? Porque quando há cortes são sempre os mesmos de sempre a pagar ? Para que nos serve a república e o seu presidente ? Porque portugal não poderá sair do euro ?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

Este início do ano da Graça do Senhor de 2014 promete ser um dos mais quentes de sempre em termos de agitação social senão mesmo o mais quente que há registo em termos de agitação social em especial nas forças da ordem que já se mostram agitadas porque se sentem lesadas com os cortes impostos pelo desgoverno da ditadura Passos Coelho e que podem ser génese de mais fome e miséria em Portugal.

Mais fome e mais miséria porque os cortes previstos no Orçamento de Estado de 2014 para serem aplicados na Função Pública, vão deixar pelo menos parte dos agentes da PSP e dos militares da GNR sem hipótese de poderem pagar a prestação ou a renda das suas habitações e já se fala em manfestações semelhantes à de Novembro quando a escadaria da assemebleia da república foi tomada pelos polícias revoltados contra a sua situação que não mudou desde então e que talvez um bom senso dos manifestantes não acabou com o protesto que era por motivos sócios-profissionais a se transformar num golpe de estado ou algo semelhante porque os polícias em Novembro passado; estavam mesmo com ganas de invadir o parlamento.

Desta vez a coisa está mas feia e este quase invandir pode passar as vias de facto e as forças da ordem admitem fazer de tudo contra o presente desgoverno da ditadura chefiada por Passos Coelho e as forças das ordem se juntam os militares onde através do presidente da associação dos oficiais das Forças Armadas, General Pereira Cracel não é meigo nas palavras e classifica de extorsão, os cortes impostos pela ditadura Passos Coelho, como o aumento da Contribuição Extraordinária de Solidariedade (que segundo o Tribunal Constituiconal seria uma medida provisória e válida até Dezemebro de 2013) e o aumento dos descontos para a protecção na doença que vão duplicar e estes cortes são todos feitos para supostamente tapar o buraco aberto pelo chumbo da convergência das pensões da função pública com as pensões da segurança social.

No entanto ninguém explica porque deixam ficar as PPP's quietas como nada tivessem a ver com a situação da nação e nem tocam nos mimos da classe política, mas os reformados e os funcionários públicos são, para a presente ditadura, uma espécie de sub-humanos para serem explorados até cairem para o lado e serem pagos com uma malga de arroz enquanto os grandes senhores do poder político da república vão coleccionando tachos e contra-tachos como quem colecciona cromos ou calendários.

Entretanto se sabe que mais uma vez o presidente da Associação de Oficiais das Forças Armadas apela tanto as chefias militares como ao presidente da república que se faça tudo para que os planos do desgoverno sejam travados; mas o presidente da AOFA está-se a esquecer que Portugal há pelo menos há 18 anos Portugal não tem presidente da república, mas sim um fantoche que está ao serviço do desgoverno que tiver no poleiro como fosse uma versão pós-moderna do General Américo Tomás onde o presidente da república não serve para rigorosamente nada e se as chefias dos estados maiores se vão mexer; bem destes não sei o que poderá sair, mas se se considerassem chefes militares e como juraram defender a constituição, a pátria e os seus homens, já deveriam de se ter mexido porque quem se está a lixar dentro das FA com estes cortes é quem está na patente de capitão ou de capitão para baixo (tal qual como no 25 de Abril) porque com estes cortes vai passar literalmente fome porque há muitos militares de carreira que estão a sustentar os filhos e os netos graças a este apertar de cinto que grande parte da nação chamada Portugal está a fazer com a excepção do poder político da república e este apertar do cinto está a fazer o mesmo que o desgoverno do Bloco Central fez por Portugal: um sem número de falências e um desemprego galopante.

A situação da nação está a ficar feia e algo tem que ser feito antes que a coisa fique mesmo torta e estes cortes nas reformas têm que ter medidas substituitivas como cobranças de taxas nas PPP's e outras medidas que possam compensar o quase provável chumbo dos cortes nas reformas porque caso este corte não seja chumbado, Portugal vai quase com toda a certeza entrar numa tempestade e Cavaco Silva quando promulgou o orçamento de Estado 2014, abriu uma caixa de Pandora de onde todos os males e toda a agitação vão sair, mas que ao contrário da legítima caixa de Pandora que tinha a esperança no fundo da caixa; para Portugal da maneira como as coisas estão; não existe esperança nenhuma a não ser que se tome medidas draconianas como a saída do euro ou o fim da república como regime político em Portugal; e se tais medidas draconianas não forem tomadas, corremos sérios riscos de retroceder alguns 50 anos no tempo e voltarmos a ter uma ditadura assumida no poder; mas de gente muito mais doentia e fanática do que o Estado Novo de Salazar e para quem estudou História sabe que foi com governos boçais e crises económicas insanáveis que as ditaduras dos anso 20 e 30 do século XX subiram ao poder quase sem dispararem uma única bala como foi em Portugal ou em Itália e não foi para isso que foi feito o 25 de Abril.

Para nos deixar ainda mais a pensar, o sargento Lima Coelho, presidente da respectiva associação da classe (Associação dos Sargentos), lembrou que, aquando da promulgação do OE'14; que estávamos perto do 123º aniversário da revolta republicana de 31 de Janeiro que aconteceu na cidade do Porto e estávamos perto 40º aniversário do 25 de Abril e tais menções nunca antes feitas pelas associações de militares deixaram-me a pensar se não se está a preparar algo em resposta à ditadura do desgoverno Passos Coelho.

Como sempre ficam as minhas perguntas sem resposta: O que o governo pensa dos reformados e dos funcionários públicos ? Será que o presente desgoverno tem a mesma visão dos reformados e dos funcionários públicos que Hitler tinha dos judeus ? Porque são sempre os mesmos a pagar ? Porque não se corta onde deve ser cortado ? Estão a espera de quê para evitar extremismos ? Querem que a coisa fique feia ? Afinal quem é que ficou a ganhar com o 25 de Abril ? Se o presidente da república obedece ao desgoverno, então que raio ele está a fazer ? Para que nos serve a república e o seu presidente ?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

Infelizmene é do conhecimento geral que a função pública no seu todo incluindo as forças militares e as forças da ordem mais mal pagas de toda a zona euro é a função pública portuguesa em especial aquele núcleo que vai dos 600 aos 2000 euros (valores sem cortes e descontos) e que são a parte fundamental da função pública e que no fim paga sempre as contas.

E enquanto a PSP bate palmas ao desgoverno em pleno parlamento não se sabendo com que objectivo, por outro lado nas bandas da GNR as coisas parecem algo como alucinadas em especial nos apoios sociais porque algo de muito estranho se passa nos Serviços Sociais da GNR onde estão a alugar casas da sua propriedade e com rendas de 100 euros, os oficiais da GNR que ganham mais de 2 mil euros e ignorando os soldados e subalternos que ganham muito menos que estes dois mil euros e têm que se virarem sozinhos em especial com a nova lei dos despejos que não perdoa a ninguém e tem contribuido de forma generosa para o crescente endividamento do povo português e do avolumar dos pedidos de ajuda de toda a espécie.

Não consigo entender como os SS da GNR vão ajudar quem em teoria dispensava mais esta mesma ajuda e quem precisa dela fica pendurado sem muito po onde se virar e depois não estranhem que apareça o nome de polícias ligados a quadrilhas e outros grupos pouco recomendáveis para qualquer pessoa em especial quando se trata de um agente da autoridade mas vão cada vez mais aparecer nestes locais pouco recomendáveis porque precisam de dinheiro para as suas necessidade mais básicas como seres humanos.

Não sei o que se passa, mas ver os oficiais com este tipo de ajuda desafia qualquer conceito de lógica que se possa ter por mais tolo que este conceito possa parecer aos olhos do cidadão comum, do mais vulgar dos mortais e algo tem que ser feito para sanar uma situação que não merece qualquer tipo de aplauso mas todo o repúdio daqueles que ainda nesta nação se possam considerar como seres humanos civilizados, espécie a qual é cada vez mais escassa.

E ficam as minhas perguntas de sempre: Quem foi o autor de tal ideia ? Como é isto possível ? Como é possível a tutela estar calada ? Afinal para que servem os SS da GNR ?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar