Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Opiniões e Críticas Secretas

Opiniões e Críticas Secretas

O dia de hoje apenas pedia uma grande música com uma letra relativamente simples

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Grândola, Vila Morena - Zeca Afonso

 

 

 

espero que seja do vosso agrado

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Ontem, apesar do frio quase polar não consegui deixar de pensar na manifestação de hoje a qual fui assistir num trabalho de campo que foi bastante frutuoso e deu para ver por um lado o quão está o português comum farto de ser roubado pela república por causa da má gestão da república e este roubo não é só financeiro como também é um roubo dos direitos de cada um de nós.

E assim fui para a rua ver como as coisas andavam e me sentei num banco de jardim para as bandas do Rossio e fiquei a espera do que poderia vir desta mesma manifestação e confesso que estava com as espectativas por baixo porque os portugueses no geral, em termos políticos, são demasiadamente pacíficos e por outro lado também existe uma caada vez maior maioria silenciosa que nunca tem voz, embora o seu silêncio seja ensurdecedor com frequência inaudita e nos tempos mais recentes este silêncio tem sido cada vez menos silencioso como foi a manfestação contra os cortes na TSU, mas hoje apesar de muitas presenças de movimentos extremistas, o grosso da manfestação de hoje foi a maioria silenciosa silenciada em 1975, mas que hoje se fez ouvir e bem.

Me podem perguntar o que é ou qual é a minha definição de maioria silenciosa ou ainda podem pensar que sou algum spinolista ressabiado; bem para mim a maioria silenciosa são todos aqueles que não se revêm no presente regime e nem acreditam em nenhum partido ou não fazem parte de nenhum sindicato ou associação semelhante e/ou que não têm qualquer ligação a nenhuma sociedade secreta e por esta situação de não-associação voluntária não têm voz que seja audível pelo poder da república nem que seja para ser ignorada, são aqueles todos que pagam as contas que os desgoverno e em especial o presente desgoverno da ditadura Passos Coelho nos faz pagar, para andarem a sustentar os abutres da banca que nos andam a chupar o sangue em conjugação com aqueles fascistas da troika.

E hoje a maioria silenciosa se fez ouvir e está farta de sustentar um sistema insustentável e que cujo poder que se reclama democrático, mas que afinal faz o frete as sociedades secretas e aos grandes tubarões da economia sobretudo aos bancos que chegaram o ponto de comprarem dívida portuguesa e assim sendo o desgoverno está a pagar a dívida pública aos bancos da república e esta receita não é sujeita a qualquer imposto e ainda querem que eu peça factura por uma bica, bem nem que a vaca tussa hei de pedir factura e se pago impostos é para ter um estado funcional e não um não-etado que coloca o meu dinheiro nas mãos de uns vampiros que nada fazem para ajudar a nação e o desgoverno ainda faz mais do que os vampiros pedem deixando a nação numa situação insustentável, situação a qual tem que ser resolvida de alguma forma.

Não nos podemos esquecer jamais em tempo algum que na capital da nação estavam meio milhão de pessoas aproximadamente e vos digo que foi mais do que 500 mil pessoas hoje a desfilar em Lisboa e na nação inteira foi milhão e meio de almas contra este estado de coisas e gente de todos os quadrantrs políticos e que mostraram, ao contrário dos políticos da república, que não estão contra a nação mas sim pela nação e que o desgoverno da ditadura  Passos Coelho tem que ceder senão ainda pode acontecer que lhe cortem o pé da cadeira e assim caia à força com as devidas consequências e apenas espero que quando regime caia, caia por si e não a força para não haver grandes danos pessoais.

E ficam as minhas perguntas de sempre: Será que o desgoverno vai ceder ? Será que o desgoverno tem condições para continuar ? Que caminho pode levar Portugal ? Se o desgoverno não querer usar a força do povo nas negociações com troika, então o que se faz com o desgoverno ? Será preciso tomar medidas mais drásticas ? Para que nos serve a república e o seu presidente ?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

As canções de intervenção ou de protesto re-entraram na moda da música em Portugal graças sobretudo aos Xutos & Pontapés com a sua bomba "Sem Eira nem Beira" que foi logo associada ao Ex-Führer José Sócrates e agora mais recentemente pegaram numa igualmentes explosiva música dos quase-eternos do rock brasileiro Titãs chamada Vossa Excelência que em termos de vernáculo vai mais longe que Sem Eira nem Beira e o alvo é outro e este está mesmo a frente dos olhos de todos, o desgoverno da ditadura Passos Coelho e os seus anexos e apoiantes.

Além deste revitalizar da música de combate, voltou-se a ouvir com ferquência nas rádios, músicas como Tourada de Fernando Tordo, E Depois do Adeus de Paulo de Carvalho ou ainda Grândola, Vila Morena de Zeca Afonso para não falar em peças de música eurdita que foram sempre de desafio para a ditadura do Estado Novo e por outro lado se tem os movimentos extremistas tando de esquerda como de direita a juntarem apoiantes.

E nesta volta toda nas semanas mais recentes, depois de um "Mama Sume" bem sonoro que ecoou na Praça de Touros de S.Bento e que deixou a presidente da Assembleia da República com ar de quem precisava de mudar a saia e as cullottes porque ficou com um ar de quem se borrou nas pernas e nem mandou evacuar as galerias e mais recentemente foi na peixarada quinzenal (debate quinzenal) onde nada se decidiu, mas que quando o presidente do conselho Führer Passos Coelho começou a falar foi interrompido pelos espectadores que estavam nas galerias que começaram a cantar uma das senhas da revolução de Abril, a imortal Grândola, Vila Morena de Zeca Afonso e desta vez a Presidente da Assembleia não ficou com o cu na mão e mandou logo evacuar as galerias e como não fosse suficiente a raiva mostrada contra a presente ditadura, hoje numa visita do lugar-tenente de Passos Coelho, Miguel Relvas, ao Clube de Pensadores na cidade do Porto foi interrompido por alguns espectadores que começaram a cantar Grândola, Vila Morena interrompendo o ministro-maçon.

Cada vez mais é um facto que as pessoas ou pelo menos parte dos portugueses está farta destes sacrifícios e aumentos de impostos que vão sempre cair em cima dos mesmos enquanto o poder da república se enche de tudo que é bom e vai ajudando os amigos do clube sercreto que fazem parte e as forças armadas se mantêm silenciosas, num silêncio cúmplice, talvez com a excepção de alguns oficiais e praças que estão fartos de tanta austeridae sem resultados e com a classe política a se baldar a austeridade com cada vez mais luxos todos pagos a nossa conta e cada vez mais a maioria silenciosa que paga os custos do regime terrorista e ditadurial chamado república e sobretudo nos tempos presentes em que esta é dominada pelo ditador Passos Coelho e que está na hora deste ser removido e se o poder podre chamado república cair também, não se perde muito, bem pelo contrário.

E ficam as minhas perguntas de sempre: Estamos quase numa revolução ou é apenas fumaça ? Se está na hora de Coelho ir comer relvas para outra freguesia, então do que esperam para correr com ele ? Estão a espera que extremistas tomem conta de Portugal ? E porque todos se calam ? Poruqe não se sufraga a república ? Porque Portugal não volta ao escudo ? Para que nos serve a república e o seu presidente ?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar