Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Opiniões e Críticas Secretas

Opiniões e Críticas Secretas

Mais uma vez o Metro de Lisboa faz greve e apenas a oitava em 6 meses do corrente ano e já nem conto com as greves da Carris que andam mais ou menos pelo mesmo caminho e depois andam a dizer que são contra a privatização e por isso é que fazem as greves.

Não sei o que se passa no seio dos operadores privados, mas não os vejo a fazer greves com esta ferquência e depois surgem em vários meios da comunicação social casos como o do Metro de Lisboa em que os maquinistas apenas fazem turnos de 3 horas por dia e ganham mais de 2 mil euros por mês (superando até o salário dos enfermeiros e médicos em início de carreira no SNS).

Estes senhores parece que ainda não viram que devido aos preços abusivos dos transportes em Lisboa cada vez mais se anda de carro ou a pé ou então os mais espertinhos andam de borla sem pagar qualquer bilhete para usar os transportes públicos sobretudo graças a diminuição da fiscalização nos mesmos meios de transportes públicos.

Estas greves sistemáticas estão a criar um sentimento de ódio contra estas greves no metro e na Carris e o que se ouve mais nas ruas é que a dita priviatização deve ser feita o mais rápido possível para ver se param com as greves porque quem ganha é administração do Metro e da Carris que paga menos salários aos grevistas e mete mais dinheiro ao bolso e até acaba por facilitar a vida aos novos donos do Metro de Lisboa e Carris porque podem aplicar o dinheiro descontado nos passivos astronómicos de ambas as empresas.

Quem ficou a perder são os utentes com passe comprado porque são dias perdidos de passe e que ninguém os vai devolver e o mesmo dinheiro já está nos cofres das empresas públicas de transportes públicos e mais greves se anunciam e nem sei se vai haver alguém que vai deixar de comprar passes ou bilhetes e simplesmente boicotam os transportes públicos devido a estas greves sistemáticas.

E ficam as minhas perguntas: Quando é que estas greves acabam ? Será que a privatização será positiva ? Quem perde e quem ganha com estas greves ? Não serão estas greves um abuso do direito da greve ?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

Nestes dez primeiros dias do mês de Maio a TAP resolveu fazer uma greve de dez dias que não foi motivada por motivos laborais, mas sim por pura ganância, sobretudo dos pilotos que após o acordo assinado ainda em tempos de Guterres sobre a privatização da TAP e que dava apenas aos pilotos (os outros funcionários ficaram excluídos) 20% das acções da TAP numa possível privatização; fizeram esta mesma greve porque segundo a lei das privitizações que já vem desde dos tempos de Cavaco Silva PM, os 20% que ficam reservados aos trabalhadores de uma empresa pública que venha a ser privatizada mesmo de forma parcial, os 20% são PARA TODOS OS TRABALHADORES e não para alguns e feriu mortalmente de ilegalidade este acordo assinado um ano antes do Sporting quebrar o enguiço dos 18 anos da grande espera (1999).

Como no caderno da privatização os 20% que seriam apenas dos pilotos não são consagrados, os hipermimados e hiper-bem pagos funcionários públicos, os verdadeiros Cristianos Ronaldos da FP empresarial resolveram parar durante dez dias dando ainda mais prejuízo do que aquele que existe nos Transportes Aéreos Portugueses que estes meninos-bem ainda não captaram é uma das empresas mais seguras a face da Terra e como não levam os seus 20% que só seriam seus resolveram parar.

Todavia houve quem tivesse coragem e furasse a greve que para grande parte dos utilizadores da TAP e para o público em geral não teve qualquer justificação plausível e o cabecilha da greve que era consultor da TAP dentro do sindicato e ganhava por este trabalho mais de um milhão de euros e neste espaço disse a imprensa que rescindiu o contrato de consultadoria e passou a ser um "simples piloto" sendo apenas o cabecilha de uma greve que queria transformar os pilotos da TAP como mártires de uma possível requisição civil ou e um despedimento em massa; mas tais planos foram por água abaixo porque 70% dos voos se realizaram e a única coisa a lamentar é que a imagem da companhia-bandeira de Portugal ficou mais suja sobretudo nos estrangeiros que nos visitam e nos nossos imigrantes do que as peúgas de um maratonista olímpico e este dano vai ser difícil de ser reparaddo graças a ganância de uns quantos que queriam ser mais iguais do que outros e que nunca explicaram como querem ser compensados no lugar dos 20% das acções que queriam só para si e que não iam para o restante pessoal da transportadora aérea da república.

E ficam as minhas perguntas de sempre: O que estes senhores da TAP querem ? Querem destruir a empresa ? Quem ganhou e quem perdeu com a greve ? Será que estes senhores são sabotadores económicos ?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

Lixo vai fazer parte da paisagem de Lisboa durante os próximos dias

 

 

Câmara diz que está canalizar os serviços mínimos para as zonas "prioritárias". A greve dos trabalhadores da limpeza urbana dura até 5 de Janeiro

 

 

 

 

(Fonte: Público)

 

 

 

 

 

Foto tirada mesmo à entrada da Rua Antero de Quental, junto as casas de banho públicas; felizmente que a imagem não tem cheio porque este é insuportável

Esta ideia triste que emanou da edilidade da capital da república de delegar competências como a higiene urbana sem explicar os detalhes às juntas de freguesia está a deixar os funcionários da higiene urbana com o cu na mão sem saber como esta transferência de competências e se alguém vai ficar no fundo de desemprego ou se vai para o quadro de excedentes da Função Pública e apenas se vê conversa mole do edil de Lisboa em vez de algo de mais concreto.

Por isso os funcionários da recolha de lixo em Lisboa vão fazer greve total até da 28, e greve extraoridinárias até 5 de Janeiro no que resulta que só dia 8 de Janeiro é que a cidade de Lisboa fica devidamente limpa porque é quando os horários em teoria ficam regularizados e deixa de haver "lixo extra" para se recolher em Lisboa, cuja salubridade é no mínimo duvidosa sobretudo devido a quantidade enorme de folhas que estão no chão das ruas da cidade e formam uma traiçoeira lama com esta chuva que tem caído sobre a capital nestes dias mais recentes e que tem causado várias quedas a várias pessoas enquanto ninguém faz tenção de recolher as folhas o que é óptimo para a imagem da cidade cuja edilidade se preocupa apenas com os turistas e se está cagando e andando para o cidadão comum.

Bem agora é que a cidade de Lisboa vai ficar uma jóia que até estala devido ao lixo que se vai acumular nas ruas e avenidas e vai ser interessante ver os turistas aos pontapés ao lixo que se vai espalhar também pelas áreas mais emblemáticas de Lisboa como a Baixa ou os bairros típicos e duvido que haja fado capaz de fazer com que os turistas saiam com má impressão de uma cidade e de uma edilidade que não quer saber para nada do seu próprio sangue que são os habitantes e trabalhadores da edilidade chamada Lisboa.

Nesta guerra aberta e não muito habitual das administrações da CML sobretudo das socialistas, gostava de saber quem foi o animal que teve esta ideia em primeiro lugar porque assim se sabia quem tinha provocado esta evitável guerra laboral e assim se iria colocar todo o lixo dos lisboetas a porta deste mesmo responsável e saber aí como ele ficava com uma greve de duas semanas da recolha do lixo na mais habitada e maior cidade do país onde quase moram um milhão de almas sem se contar com os flutuantes (moradores nas cidades e vilas-dormitório e que vêm para Lisboa trabalhar e/ou tratar de assuntos pessoais) e nenhuma cidade merece este castigo e talvez quando as pessoas em Lisboa começarem a partir para a estupidez como pegar fogo ao lixo ou aos caixotes, talvez aí abaram os olhos na CML e acordem porque a coisa muito dificilmente irá acabar bem e não ao terceirizar os serviços municipais que resolve os problemas da cidade quando tudo em que a CML deve ser câmara está parado sobretudo os arruamentos e a sua manutenção; trânsito; higiene urbana e habitação social e com estas ideias duvido sinceramente que a cidade de Lisboa que já foi em bons tempos a capital de um império de uma nação unida do Minho a Timor e que agora apenas preserva recordações destes tempos gloriosos onde Lisboa era uma cidade limpa, quase tão limpa como um hospital e hoje em dia está mais suja que a casa de banho de um hospital público e não é para isto que serve o cargo do presidente de câmara e respectivos vereadores e nem foi para isso que foram eleitos, embora eu não tenha votado nem nenhum, não consigo admitir na cidade onde quase todas as gerações da minha família nasceram, creseceram, se reporduziram e morreram esteja a transformar-se numa mega favela devido a estupidez, boçalidade e incompetência de um socialista que de forma discreta se está a fazer-se ao lugar de líder do  PS e candidato a primeiro-ministro como o seu nome já é falado para presidente da república; como esta nação já não tivesse sofrido o suficiente com os desgovernos desde do 25 de Abril sobretudo de Cavaco em diante.

E ficam as minhas perguntas de sempre: O que António Costa pensa de Lisboa ? O que António Costa pensa o que são os lisboetas ? Será que temos duas Lisboas, uma para os turistas e outra para os seus habitantes e trabalhadores ? Será que tem-se que demitir o presidente da CML por incompetência ? Quem ganha com esta guerra ? Porque raio António Costa quer delegar competências da CML nas juntas ? Querem fechar a CML ? Porque todos se calam ? Será preciso se partir para a estupidez para que tudo se resolva ?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

Carris, STCP e Transportes Sul do Tejo em greve no Natal e Ano Novo

 

 

 

 

 

Trabalhadores contestam o Orçamento de Estado para 2014 e os cortes nos salários. Tribunal Arbitral decretou serviços mínimos para a Carris e a STCP.

 

 

 

 

 

 

(Fonte: Público)

Pelo menos 25 mil professores contratados dispensados da prova de avaliação

 

 

 

 

Docentes com cinco ou mais anos de serviço isentos do exame. Em troca, UGT desconvoca acções de protesto. Fenprof ficou surpreendida.

 

 

 

 

 

 

 

 

(Fonte: Público)

Depois da relativamente surpreendente manifestação dos polícias nas escadarias do parlamento e com pedidos de demissão do desgoverno de Passos Coelho e gritos de invasão e nem sei que mais que me deixou a mim e a muitas pessoas com a sensação que se teria aberto uma caixa da Pandora, há alguns dias durante a greve dos correios, a mesma polícia de choque veio para cima dos grevistas ao contrário do que foi feito na assembleia da república.

E agora os mesmos sindicatos de polícia vêm pedir batatinhas a Passos Coelho porque estão a exigir serem recebidos pelo presidente do conselho o Führer Passos Coelho para que os mesmos sindicatos de polícia exponham os seus problemas e as suas dificuladades que serviram como génese do protesto inusitado há coisa de 15 dias atrás onde quase se assitia a um golpe de estado, mas que na realidade nunca passou de um pseudo-putsch de polícias que se passaram da moina e no fim eram todos amigos, ao contrário do que aconteceu em 1989 com o protesto "Secos e molhados".

Acontece que esta sensção pandoriana volta, quando se sabe que Passos Coelho insiste em não falar com os representantes da polícia e agora se sabe que aquele putsch policial de há duas semanas atrás se está para repetir, mas com um pequeno detalhe: é que estão para vir mais polícias do que aqueles que subiram as escadarias do parlamento, prometendo quem sabe, algo mais do que um simples putsch um tudo de nada semelhante ao de 1932 que serviu de base de lançamento a Adolf Hitler.

Não sei se Passos Coelho recua e aceita receber os polícias para que estes lhe exponham de uma forma oficial e civilizada os seus problemas corporativos porque se o Führer Coelho recusar os receber, nem quero pensar na agitação que vai ficar Lisboa e quantos de nós não vai ficar com o cu na mão porque pela televisão e pela rádio vai ouvindo e vendo algo que poderia ser evitado se a nação não fosse submissa a Berlim e a Bruxelas por uma lado e por outro tivesse um governo que qualquer que fosse a sua cor política pensasse a nação e não o poleiro como é a sina do português comum em termos políticos.

Os polícias deixam recados que nos podem por a pensar como afirmam que a recusa de Passos Coelho será "um erro de consequências imprevisíveis" e tal recado pode estar a esconder algo mesmo de imprevisível tal como aconteceu numa distante Primavera que foi o primeiro dia do resto das nossas vidas e com as eleições para o Parlamento Europeu a pouco mais de 5 meses de distância não sei se seria melhor o desgoverno receber os representantes da polícia do que partir para a estupidez que é a vontade do presente desgoverno para impor o seu quero, posso e mando ao mesmo tempo que trata das hemorróidas da Sra. Merkel coma a língua.

Gostava de estar enganado, mas aquela subida das escadrias do parlamento por parte da polícia abriu mesmo uma caixa de Pandora que se tem vindo a abrir cada vez mais ou tem sido aberta por estas cavalgaduras que estão no poder político da república em vez de ser fechada aos poucos que fosse, de forma que houvesse alguma esperança no fundo desta caixa cheia de suplícios, mas a esta altura do campeonato e com tanta greve e com os polícias com vontade de repetir a dose do protesto de há duas semanas atrás; não sei não se também a esperança saiu desta caixa de Pandora e ficamos apenas com uma caixa vazia que pode servir de ecoponto para que sejam reciclados uns quantos políticos incompetentes ou mesmo um regime terrorista que nos últimos 103 anos  matou mais a nação do que os Filipes fizeram em 60 anos.

E ficam as minhas perguntas de sempre: Será que é desta que o parlamento vai ser tomado ? Como podem estar calados os deputados da república ? Até onde vamos parar ? Que caminho leva a nação ? Vamos ter uma nova revolução com mais um feriado no calendário ? Para que nos serve a república e o seu presidente ?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar