Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Opiniões e Críticas Secretas

Opiniões e Críticas Secretas

Mais outra bela voz masculina para encerrar o dia de hoje vinda do grande programa que é The Voice Kids Portugal

 

 

E espero que seja do vosso gosto

 

 

 

 I Won't Give Up - Diogo Garcia

 

 

 

 

 

Constitucional anula “perdão” de 33 milhões concedido aos partidos na Madeira

 

 

Tribunal Constitucional declarou inconstitucionais as normas que retiraram ao Tribunal de Contas a fiscalização das subvenções atribuídas pela assembleia legislativa regional

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

(Fonte: Público)

Jardim bate recorde de tempo no poder entre políticos desde 1910

 

 

 

 

Vencedor de dez eleições consecutivas, presidente do Governo Regional da Madeira completa nesta terça-feira 13.310 dias no poder, mais um do que Oliveira Salazar que prescindia da legitimidade democrática.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

(Fonte: Público)

Alberto João Jardim diz ser necessária uma nova revolução

 

 

 

 

O Presidente do Governo Regional da Madeira defendeu esta sexta-feira ser necessária uma nova revolução. “O 25 de Abril vive-se, não está realizado, não foi concretizado e foi subvertido”, declarou Alberto João Jardim antes da sessão comemorativa dos 40 anos da revolução na Assembleia Legislativa da Madeira.

 

 

 

 

 

 

 

 

(Fonte: Público)

O sentimento de oposição ao desgoverno Passos Coelho está cada vez mais visível, mesmo naqueles que são do mesmo partido do mesmo ditador de algibeira, mas que por ser do mesmo partido não quer dizer que pensem da mesma forma ou se exprimem da mesma forma e hoje foi a vez do verdadeiro Highlander da política portuguesa, Alberto João Jardim.

Hoje, no Dia Comemorativo do Comando Operacional da Madeira, Alberto João Jardim disse diante do recém-empossado CEMGFA general Artur Pina Monteiro, para que as Forças Armadas não deixarem a Portugal "fencer" (mesmo que morrer) perante os interesses estrangeiros e que os mesmos interesses não confundam autonomia com separatismo e o mesmo general Artur Pina defendeu que a autonomia das regiões autónomas foi uma das grandes conquistas de Abril.

Temos que ter em atenção que Alberto João Jardim é dos poucos membros do Conselho de Estado e do Conselho de Defesa Nacional que é eleito directamente pelo povo e não é nomeado por nenhum interesse ou força oculta, mas é escolha do povo para tais funções e estar a fazer um pedido destes as Forças Armadas perante o seu chefe maior dá que pensar e dá a ideia que a nação está mesmo a precisar de uma limpeza como foi com o caos em Portugal estava nos tempos negros da primeira república onde ninguém se entendia de forma nenhuma e era a anarquia pura onde nem os anarco-sindicalistas tinham culpa porque os responsáveis pela anarquia total era o próprio poder político da república e todos nós sabemos qual foi o custa para a nação o extermínio destes percevejos.

Outro facto aos olhos de todos é que algo tem que ser feito antes que a nação se desfaça toda como na primeira república e são cada vez mais os casos de desigualdade social, sobretudo acentuada por estes cortes em nome da troika e ainda se fala em mais cortes e mais descontos nas reformas e salários, mas que ironicamente não afecta a classe política da república, como esta fosse uma espécie de grande burguesia ou de nobreza sacralizada, estando sempre de fora dos cortes que caem sempre sobre aqueles que menos podem aguentar com eles e este recado de AJJ em vésperas da manifestção da Família Militar que vai acontecer no dia 16 ainda vai inspirar mais os manifestantes e quem sabe algo mais profundo do que uma simples passeata.

E ficam as minhas perguntas de sempre e quase sempre sem resposta: O que vai dar a manifestação de Sábado ? Será preciso que se faça algo de extremo para que o poder político da república consiga ver a bosta que está a fazer ? Se num país a miséria e a fome são transversais a todos os estratos sociais, o que se pode fazer então para reactivar a democracia ? Ainda existe democracia em Portugal ? Aonde pára o verdadeiro 25 de Abril ? Para que nos serve a república e o seu presidente ? Será que podemos sair do euro ?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

Maioria PSD-CDS recuou e vai permitir a Jardim acumular pensão e vencimento

 

 

 

 

 

PND vai entregar em São Bento um cacho de bananas aos deputados do PSD como “agradecimento” pela alteração à versão inicial do Orçamento do Estado para 2014.

 

 

 

 

 

 

(Fonte: Público)

Está mesmo visto que por muito trabalho possam apresentar muitos governos espanhóis ou desgovernos, dependendo do ponto vista de cada um; de vez enquando em especial depois que a Espanha fez a transição, chegam a uma fase em que o país se encontra numa maré ou boa ou bem encaminhado para entrar nos eixos na área económica e como os presidentes do governo ficam sem nada para fazer ou por pura embirração resolvem lixar o juízo aos vizinhos, aliados e co-associados em organizações internacionais.

Depois de ter ainda há pouco tempo atrás ter provocado e com força o governo do Reino Unido por causa da questão de Gibraltar que já teve um referendo e no qual a quase totalidade dos eleitores pretende continuar cidadão britânico e depois dos crónicos roubos das pescas nas nossas águas, depois da guerra do alecrim e manjerona por causa de dois rochedos desabitados na costa de Marrocos e que estão ligados ao enclave de Melilla, de novo um presidente do governo espanhol arranja outra novela, embora esta seja uma repetição ao estilo da RTP-Memória.

Em tempos não muito antigos, se eu não estiver enganado, ainda em tempos de Guterres como PM, o governo espanhol que na altura deveria de estar com diarreia mental ou alguma doença semelhante ou então tinha mesmo falta com que se entreter e na altura andaram com aviões por cima das Ilhas Selvagens e ainda tiver o atrevimento de se aproximarem deste território português com um ou dois pequenos vasos de guerra, mas pelo que me lembro a situação acabou resolvida mais ou menos a bem.

Agora o filme se repete com uns tons um quanto diferentes porque ainda em tempos de Sócrates primeiro ministro, Portugal se meteu numa aventura sobretudo por causa das pescas e de outros recursos naturais que foi aumentar a área das águas nacionais e um dos poucos países que fizeram este mesmo pedido a ONU e que praticamente não entrava em conflito com nenhuma nação era exactamente Portugal que no caso deste aumento de área marítima o transforma num dos países com mais mar próprio do mundo ficando quase ao nível da Rússia ou dos EUA em termos de águas territoriais e com este aumento que praticamente está aprovado temos muito mar para ser explorado embora não haja quem o faça; mas no caso das Selvagens é uma novela antiga e que o governo espanhol quer voltar colocar no ar.

Segundo o governo de Madrid as Selvagens são rochedos sem Zona Económica Exclusiva e Portugal diz o oposto, portanto, os espanhóis querem voltar ao gamanso das pescas destas vez criando outro conflito depois da novela do rochedo de Tarik que desde dos tratados de Ultrecht é território britânicoe vamos ver se o governo espanhol não está a arriscar ou um puxão de orelhas ou então cair da cadeira e ir para o seu lugar alguém mais lúcido embora se saiba desde já que o ministro dos Negócios Estrangeiros, Rui Machete vai recorrer a ONU e reforçar a pretensão lusitana de dotar as Selvagens com ZEE sobretudo depois da visita do presidente da república ainda neste Verão que se está a despedir.

E ficam as minhas perguntas de sempre: O que quer o governo espanhol ? Está a comprar guerras com todos ? Quer ser isolado do mundo ? O que diz o Rei de Espanha ? Quando é que estes cromos aprendem a respeitar os outros ? Para que são tão ganaciosos ? O que vai dar isto ?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar