Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Opiniões e Críticas Secretas

Opiniões e Críticas Secretas

Há vários anos, sobretudo depois da queda continuada dos preços do petróleo que nunca se sentiu em Portugal, os produtores e exportadores de petróleo de alguma forma tiveram as suas economias abaladas e sobretudo os petrodependentes como Angola ou a Venezuela que dependem das vendas do petróleo como grande fonte de receitas para as suas despesas básicas e algumas menos básicas.

Uns conseguiram contornar a situação com o seu jeito próprio como foi caso angolano, no caso da Venezuela se dedicou a cavar uma guerra com os EUA que no fim das contas com os mimos que foram distribuídos nos tempos de Hugo Chavez, quando o petróleo custava os olhos da cara, o custo dos mesmos está agora a sentir; e durante o governo de Chavez e os primórdios de Maduro se formou uma Nomenclatura partidária digna dos tempos da URSS, onde apenas os membros da elite do partido têm direito aos bens de primeira necessidade e aos serviços essenciais e os restante da população que não tem cartão do partido e nem faz parte da nomenclatura tem que comer o pão que o diabo amassou ou é acusado de tudo e mais alguma coisa.

Além dos que sofrem com as mais diversas necessidades que não parecem serem de um país que se diz ter um governo de esquerda e que se preocupa com o povo e com as necessidades deste, mas na realidade com o regime de Maduro se aplica a regra de "O Triunfo dos Porcos" que é "Todos os animais são iguais, mas uns mais iguais do que os outros"; e crise financeira provocada pela queda dos preços do petróleo e que a esquerda diz ser culpa de um suposto boicote dos EUA, não faz com que elite partidária deixe de andar com os maiores luxos e é quando andam com os artigos mais luxuosos que se possam pensar.

Entretanto Buda Guterres apenas se lembrou da situação da Síria e não olhou para os seus vizinhos de baixo que está a causar na América do Sul uma onda de refugiados semelhante a que vem da Síria, a diferença é quem em vez de morrem afogados, morrem de sede porque caminham milhares de kilómetros para fugirem da fome e do estado de guerra que se encontra a pátria fundada por Simon Bolívar que nada tem a ver com o ideário do militar crioulo que libertou a Venezuela do jugo espanhol há mais de 200 anos.

A gerigonça em Portugal, apesar de ver portugueses e luso-descendentes a sofrerem as consequências da crise venezuelana e nem falam nos casos de fome e de falta de meios na saúde e em outros sectores essenciais na Venezuela ao ponto de nem haver dinheiro para as pessoas comprarem pão ou papel higiénico e esta situação para quem estudou história é a mesma vivida pela a Alemanha de Weimar depois do crash da bolsa de Nova Iorque e depois veio a Grande Depressão e com esta a hiperinflação que depois foi uma das causas para a subida ao poder do Terceiro Reich. E a esquerda está esquecida ou se baldou a descarada as aulas de História e se está esquecer deste pequeno grande detalhe da História Universal e vamos ver se o que se passsa na Venezuela e também no Mediterrâneo não será o catalizador para o surgimento de ditaduras como as que existiam na Europa nos anos 30 do século XX.

Os Demo-liberais, socialistas e afins; se atiram que nem uns lobos a direita sobretudo a chamada populista por que esta toca nas feridas que estão abertas e os demo-liberais e a esquerda não têm a panaceia para estas dores e nem olham para outras feridas que estão igualmente abertas porque estas mesmas feridas foram abertas por camaradas desta mesma esquerda que faz parte da gerigonça que suporta o actual desgoverno da república e não pode ser olvidado que o Sr. sócrates Pinto de Sousa era grande amigo do Sr. Chavez e ainda andou a fazer uns negócios com uns Magalhães em troca de petróleo e outras coisas mais.

E a esquerda se cala e o Buda da ONU se cala e na América Latina se vive uma crise humanitária e o mundo está a assobiar para o lado e apenas se chateiam quando o Trump faz algum disparate em vez de olharem o que se passa no planalto das Guianas onde se está a meio caminho do estado de guerra como a Europa estava nos anos 30 do século XX e ninguém quis saber ou ainda piorava a situação, e no meio deste carnaval, ainda há quem apoie o regime de Maduro em vez de apoiar mudanças na Venezuela para ver se aquela nação volta a ter a força que tinha antes da crise dos preços do petróleo.

E ficam as minhas perguntas de sempre sem resposta: Como foi possível se chegar a este ponto na Venezuela? Porque a ONU não abre os olhos para esta tragédia humanitária? Quem ganha com ela? Porque a esquerda insiste em apoiar o regime de Maduro?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

A cotação do petróleo está a cair numa forma nunca vista, para valores que só se viam no tempo da 1ª Guerra do Golfo ou mais recentementre em 2003 com o barril do ouro negro baixar dos 30 dólares tanto em Nova Iorque como em  Londres e a coisa ainda vai descer mais porque se tem consumido particularmente pouco petróleo e os seus derivados, ainda efeitos dos preços altos de petróleo quando este andava por volta dos cento e muitos dólares e esta queda nos preços do crude também tem a ver com outro faxcto deveras importante e quem sabe talvez mais pesado que as leis da oferta e procura que é entrada no mercado internacional de petróleo do petróleo iraniano sem quaisquer tipo de embargos ou sanções porque estas foram levantadas e os iranianos vão colocar no mercado todo o petróleo que não puderam colocar devido as sanções para ganharem alguma liquidez interna.

Com este novo afluxo de crude e com o aumentar das reservas estratégicas tanto de Rússia como dos EUA e com o abrandamento da economia chinesa tudo está perfeito para a tempestado perfeita que é o despencar dos preços do petróleo, tanto em Nova Iorque como em Londres e se a Opep não controlar a queda estou a ver o petróleo a menos de 20 dólares por barril nos próximos 30 ou no máximo 60 dias o que seria positivo para Portugal se este aumento se reflectisse no dia-a-dia do português comum mesmo aquele que carro só se for no jogo do computador ou carrinhos de linhas porque se sabe que o item "combustível" entra de forma directa ou indirecta em tudo ou quase tudo que nos rodeia e Portugal é um petro-dependente e daí a importância de Portugal estar atento ao sobe e desce do petróleo.

Acontece que aqui no burgo, os derivados do petróleo, sobretudo os combustíveis, sejam eles para que uso forem; não seguem de forma estrita o mercado, e não são raras as ocasiões em que o preço dos combustíveis sobem em Portugal apesar desta espiral da queda, mas se o petróleo sobe, tudo sobe; mas quando desce, as petrolíferas arranjam sempre forma que os preços subirem com desculpas cada vez mais esfarrapadas e não nos podemos esquecer que os derivados do petróleo contam na nossa factura energéntica porque grande parte da energia que Portugal produz vem da queima de fuelóleo e carvão e o primeiro é derivado do petróleo e se as petrolíferas não deixam os chamados destilados de petróleo seguirem o mercado em Portugal, quem se lixa é o mexilhão.

Só se sabe que o petróleo caminha para os 25 dólares nas próximas semanas da maneira como desce e vai ainda descer para os 20 e não se coloca por exemplo o gasóelo a 0,90 € e a botija de gás butano de 13 kg por volta dos 15 ou 18 euros quando custa em média 20/25 euros ou a gasolina 98 por volta do 1,20/1,30 €; e a resposta esta pergunta puramente retórica é simples: é que as petrolíferas, apesar da queda louca e insana do petróleo querem ainda sacar o máximo de lucro possível para os seus bolsos e o Estado nem está nem aí porque cerca de 60% do preço dos destilados de petróleo são impostos e se não descerem o preço dos destilados os impostos sobre estes também não descem e o poder da república se vai encehendo a grande a conta tanto dos consumidores como dos revendedores que pagam impostos na mesma e só tiram 3% para si dos destilados, mas do preço destes sem impostos.

É facto estranho tal qual um fenómeno do Entroncamento este caso dos combustíveis não descerem ao ritmo que desce o petróleo porque seria o que a lógica de mercado obrigaria, mas em Portugal a lógica é coisa que não existe sobretudo quando se trata de nos ir a carteira seja de que forma for e o caso dos combustíveis é brutal bem como é caso da taxa dos sacos de plástico e outras taxinhas que não benificiam ninguém nem nada a não ser os cofres públicos.

E o já muito mercado liberalizado mercado dos combustíveis imposto por Bruxelas ainda não foi colocado em prática porque aqui no chamado bom aluno da União Europeia só colocam em prática as medidas impostas por Bruxelas que interessam ao governo porque aquelas que não interessam ficam no arquivo dos esquecimentos como a liberlização das apostas desportivas ou neste caso a liberalização do mercado dos combustíveis e ambos monopólios são verdadeiras galinhas dos ovos de ouro para o desgoverno da república.

E ficam as minhas perguntas de sempre: Quem regula o mercado dos comustíveis em Portugal? Porque são sempre os mesmos a pagar a factura? Quando é que a lógica de mercado vai entrar no mercado de combustíveis? Quando é que o governo toma conta do assunto?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

 

Muitos ficaram ofendidos a conta da sátira que a Sagres fez por conta da péssima exibição do guarda-redes do Sporting e da selecção nacional de futebol, Rui Patrício e por outro lado aceitaram mais um imposto que é uma dupla taxação; coisa que é contra as leis fiscais da república, sobre os sacos de plástico que antes davam nos supermercados com a desculpa que é para proteger o ambiente.

No Brasil quiseram fazer uma taxa semelhante há um par de anos e os brasileiros se passaram da cabeça ao ponto de fazer boicotes as compras comprando apenas para o dia nunca comprando suprimentos semanais ou mensais ou então iam a locais onde não cobrassem este imposto duplo dos sacos e o resultado foi que a ideia do imposto duplo caiu por terra; todavia Portugal se preocupa mais com uma piada futebolística do que ver o desgoverno a violar a lei ao aplicar uma dupla taxação sobre um objecto usando a capa da protecção do ambiente e da redução dos custos petrolíferos quando quem deveria de dar o exemplo não dá e os ecologistas semi-independentes ou independentes festejam a medida da eco-taxa mas sem pensar nas consequências.

Uma delas é a redução da produção e venda de sacos de plástico que num país onde uma das indústrias principais são os plásticos em todas as suas formas e utilizações vai levar um murro no estômago e vamos a ver se não vem gente para o desemprego; depois há o caso de algumas superfícies comerciais darem ou venderem sacos de papel para contornar a lei dos impostos do saco de plástico porque a eco-taxa do saco de plástico também é sujeita a IVA quando nunca se pode taxar uma taxa com impostos porque temos o exemplo das taxas moderadoras do SNS que são isentas de IVA e os sacos de papel acabam por ser mais lesivos para o meio ambiente do que os sacos de plástico porque além de serem pouco resistentes, a sua utilização significa o abater de centenas de árvores e Portugal tem cada vez menos florestas graças as bestas dos incendiários e com o presente Inverno a sua reutilização e possível reciclagem com a falta de ecopontos em Lisboa é virtualmente impossível.

E como boa parte da mão-de-obra dos plásticos vai para a rua com este descer do consumo dos sacos em vez de investir na investigação de novos plásticos que sejam mais ecológicos que possam ser feitos com restos do processamento de vegetais como existe no Brasil ou no Japão que sempre seria uma forma mais correcta de reduzir o uso de plástico derivado do petróleo, mas tal ideia daria muito trabalho a ser realizada e não daria ao desgoverno do Führer Passos Coelho mais um imposto o qual é também sujeito a imposto e assim com o imposto duplo é mais fácil reduzir o uso dos sacos de plástico do que criar empregos com a inovação e a criação de novos tipos de sacos leves e que poderiam ser gratuitos.

Quem ficou contente com esta medida foram as organizações ecologistas como a Quercus ou mesmo o PEV entre outros; que por acaso são os mesmos que são contra a instalação de uma ou duas centrais nucleares e que iriam dar a nação a independência energética ao ponto das importações de petróleo se reduzirem a valores mínimos e as libertações de gases para o efeito de estufa seriam quase residuais; mas enfim estamos em Portugal o país das taxas e não consigo compreender como o povinho português que se escandaliza com uma piada religiosa não-ofensiva ou com um qualquer caso polémico no futebol, se cala e se submete a mais uma barbaridade, a mais um roubo da república que afinal não passa nem nunca passou de um lobo com pele cordeiro, mas um lobo infestado de percevejos que adoram usar avental, compassos e marretas.

E ficam as minhas perguntas de sempre: Para onde vão parar os 10 cêntimos da eco-taxa ? Se o preço do petróleo literalmente despencou nos últimos meses, então porque estamos a pagar um aumento que não existe ? Afinal andamos a trabalhar para pagar taxas e impostos ? Se retiraram o IVA da chamada taxa do audiovisual por esta mesma aplicação do IVA ser ilegal, então porque fazem dupla taxação nos sacos de plástico ? Porque não se volta a cobrar vasilhame de todas as garrafas de vidro ? Porque não se cobra vasilhame das garrafas de plástico ? Porque não têm melhores ideias para se reduzir a petro-dependência da nação ? Afinal quem me explica para que serve a república e o seu presidente ?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

 

 

Pais têm de mostrar certidão de nascimento dos filhos para comprar fraldas na Venezuela

 

 

 

Vários estabelecimentos comerciais de Caracas começaram a exigir aos clientes que apresentem a certidão de nascimento dos filhos para autorizar a compra de fraldas, um dos produtos que escasseiam no mercado venezuelano.

 

 

 

 

 

 

(Fonte: JN)

 

No planos do orçamento 2015,  estão planeados novos imposto incluindo as novas ecotaxas e taxas especiais sobre o consumo que segundo o governo do Führer Coelho é para que se consumam menos derivados do petróleo, sobreudo sacos de plástico e para que Portugal tenha uma pegada carbónica menor e importe meno petróleo.

E nunca vi uma mentira tão descarada a não ser nas campanhas eleitorais por parte do governo da república como esta porque quem estiver atento e ler de lado alguma mensagens que vêm escrita de lado no mesmos saco de supermercado lê que os mesmos são feitos de um plástico biodegradável e que não se acumulam nas lixeiras como querem fazer crer e este plástico que é feito de restos do processamento de vegetais e cereais que praticamente é livre de petróleo não tem grande resisitência nem ao peso e nem a água porque basta apanhar com um pouco de humidade perdem qualidade de elasticidade e a luz do sol directa ajuda na sua decomposição e até mesmo volumes pesados ou que fiquem dentro destes mesmos sacos devido a força de tensão os desfazem ao poucos.

E se falam em redução de importação de petróleo; então o exemplo que venha de cima e que no poder político deixem de uar automóvel privado e que cuja gasolina e existência é paga com os nossos impostos e passem a usar os transportes públicos ou arrajem autocarros alugados com a verba para o aluguer vinda do salário dos deputado e ministros e se acharem que os transportes em Lisboa estão numa de apartheid social de "Only For Tourists" reclamem como qualquer cidadão.

O pior de todos no poder político da república ou os piores são aqueles que formam a chamada santíssima trindade da república: Presidente da República, Presidente da Assembleia da República e Primeiro Ministro que entre si dividem 150 carros de topo de gama que consumem muito mais combustível do que umas quantas dezenas de sacos de plástico que se rompem assim que levam uma lata de feijão ou do que o depósito de combustível de um autocarro e todos os outros que estão na cabeça dos chamados 3 poderes têm uma pegada de carbono várias vezes maior do que a pegada de um saco de plástico.

E esta taxa vai er de 8 cêntimos mais IVA o que no caso dos supermercados chamados de desconto como Pingo Doce, Minipreço ou Lidl (entre outros) é ver os sacos a aumentar de preço de 2 para 10 cêntimos mais IVA o que vai ser um jackpot para o ministério das finanças que vai coneguir arranjar dinheiro com estas ecotaxas para tapar os buracos abertos pela queda dos bancos e que nós todos estamos a pagar graça a negligência da fiscalização financeira e agora os sacos de plástico são a nova galinhas dos ovos de ouro de Passos Coelho.

E ficam as minhas perguntas: Quem vai mesmo ganhar com a Ecotaxa ? Quem teve a ideia ? Porque se lembraram disto ? Qual a relação das quedas na banca e esta mesma taxa ? Será que ela cumpre a lei ? Ou esta nova lei não passa de circo para nos distrair para que nós não saibamos que o governo prepara algo de infame e podre ?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

Multinacional suíça e general angolano juntaram-se para revender petróleo à Sonangol

 

 

 

 

 

 

Leopoldino do Nascimento é uma das altas figuras próximas de José Eduardo dos Santos ainda sob investigação na Procuradoria-Geral da República portuguesa. A Foreign Policy dedica-lhe um longo artigo de investigação sob o título The 750 Million Dollar Man.

 

 

 

 

 

 

(Fonte: Público)