Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Opiniões e Críticas Secretas

Opiniões e Críticas Secretas

As ondas têm estado agitadas para o lado do Largo do Rato depois que a assembleia da república chumbou com estrondo a linha em anel do Metro de Lisboa, deixando aquele ser que se diz presidente da CML mais tonto do que uma barata depois de levar com uma dose de Baygon em cima das antenas.

O mesmo ser começou logo a comparar os supostos lucros do turismo à capacidade produtiva da Auto-Europa e eu assim que ouvi desconfiei que a água que o mesmo cidadão tinha a sua frente não fosse medronho ou algo semelhante para dizer tamanho disparate porque o mesmo cidadão se esqueceu do custo humano e ambietal que a overdose de turismo tem.

Do outro lado da cidade outra cabeça de botão de rosa se saiu com uma daquelas que se diz logo que se ficasse calado era um poeta quando afirmou de peito cheio que em Lisboa não há hipótese de congelar as rendas como se fez em Berlim, embora haja uma pequena diferença salarial: é que em Portugal o SMN é de 600 euros e na Alemanha é 2.400,00 euros e com rendas de 800 euros para uma casa digna deste nome em Lisboa só se for estrangeiro com visto gold ou mafioso do partido do poleiro consegue alugar casa em Lisboa ou no Porto.

E na defesa do descongelamento quem fala mais alto são... os cretinos que moram nos subúrbios e que adoram estar nas filas do trânsito para entrar em Lisboa por puro vício e depois berram quando a gasolina ou gasóleo sobem de preço e ao lado destes, está claro estão os grandes propreitários e especuladores que se têm enchido com a bolha do turismo.

Ao mesmo tempo dão aumentos salariais de 0,3% nos salários da FP que servem de bitola para o resto, o que na realidade é um congelamento encapotado e só aumentam um pouco mais os que são abaixo do SMN.... e vejo aquela senhora que era contra os colégios e nós, otários contribuintes, andamos a pagar as mensalidades do Colégio Alemão dos filhos da dita senhora que passou da educação para a função pública, gerindo a pasta com igual incompetência.

E os que contestavam as medidas de Passos Coelho que eram menos infames que estas... estão mais atentas uma deputada ressabiada e parecem ovelhinhas mansas a ouvirem o Grande Líder....

Ao mesmo tempo que a CP se transforma numa operadora de táxis e autocarros para as linhas ferroviárias do interior e as linhas urbanas e regionais do litoral coleccionam atrasos e supressões como estivessem a coleccionar selos ou cromos se soube que aquele cromo das finanças que já foi chamado de Cristiano Ronaldo das finanças públicas...(então o que dizer de Salazar ou dos vários prémios Nobel da Economia) mandou o seu ministério cativar 98 milhões de um bolo de 100 milhões de euros que estavam destinados a ferrovia.

Depois com esta falta de dinheiro não hão dos comboios falharem ou não existir material circulante funcional ou não existir pessoal para sua manutenção, obrigado, não existe dinheiro para pagar estes gastos todos porque estão todos cativados pelo Sr. Centeno não se sabe ainda porquê, talvez para dizer ao Draghi que aquele tótó sabe mais de contas do que o paralítico da Merkel e o Greenspan juntos.

Só sabe com que esta brincadeira, os comboios estão piores do que nos tempos do Cavaquismo e ainda ninguém abriu os olhos, nem sequer os sindicatos, e já se chega ao ponto de se andar de borla nos comboios de longo curso por falta de revisores e depois se queixam que não há dinheiro para melhorar a frota; e ninguém tem poder ou vontade de fazer o mínimo para travar esta situação.

Fico a pensar onde param os milhões que entraram em Portugal com Expo 98 e com o Euro 2004 e outras mais entradas das quais se perdem o conto as quais se tem que adicionar 98 milhões cativados e se não fossem estas cativações desta espécie de Salazar de algibeira que se julga rei das finanças, mas que nada tem a ver com o "mago" de Santa Comba Dão e não passa de uma cópia Made In China muito mal fabricada e que na realidade é mais um fiel terrier da Reichführer Angela Merkel.

A situação com a ferrovia já ultrapassou os limites e a submissão dos sindicatos poderá estar a chegar ao fim dado que estes já lançaram um pré-aviso de greve para 3 de Outubro; mas esta situação tem que ser resolvida com urgência porque o mês de Agosto passa a voar e em Setembro, Portugal retoma a vida laboral e com comboios dos tempos da guerra do Ultramar não se vai a lado nenhum e ninguém faz nada agora durante o Verão e as férias, não vai ser quando se começar a trabalhar a sério nesta nação que se vão fazer obras de fundo nos comboios.

Gostava muito de saber por que raio o Sr. Centeno fez estas cativações quando se sabe que o desenvolvimento da ferrovia em Portugal é equivalente ao mesmo desenvolvimento da ferrovia em Angola ou Moçambique, com a diferença de Portugal nunca ter sido colónia nem ter passado por nenhuma guerra civil sustentada pelas duas superportências da Guerra Fria.

O grande interesse nos tempos do Cavaquismo no declínio da ferrovia era o investimento a toda força no alcatrão, mas apenas no litoral com alguns investimentos residuais no interior para dar alguns empregos sempre temporários que ajudaram de alguma forma a reduzir o desemprego e também alguns patos bravos da construção que acabaram por ficar com as concessões das explorações das portagens.

Agora ainda não sabe de forma clara qual é o interesse e o ministro de planeamento e infra-estruturas  (mesmo que ministério das obras públicas) o Sr. Pedro Marques aparece a anunciar aumentos de rede ferroviária que só existem na Playstation e na mente dele próprio e o utente comum desespera e este desespero já chegou aos comboios da Fertagus que chegam a ficar como o metro em hora de ponta, ou seja, uma lata de sardinhas, mas as obras não avançam e a única coisa que avançou foi o cartão de crédito corporativo da empresa do metro da Lousã nos bares de strip-tease.

E ficam as minhas perguntas eternas: Para que servem estas cativações? Porque não renovam a frota de comboios? Estão a espera de um novo Alcafache para que acordem para a verdade?

Como sempre vos peço para ler, comentar e diuvlgar

A overdose de turismo em Lisboa que chega ao ponto de uma pessoa dizer palavrões para tanto turista que deixa os transportes públicos sem condições para serem utilizados porque ficam sobrelotados de turistas e os lisboetas sejam eles naturais de Lisboa ou lisboetas por empréstimo e ninguém pode entrar tendo que esperar vários minutos quando não chega a horas para poder ir trabalhar our ir para casa.

Mas este nem é o probema mais grave da overdose de turismo, o mais grave são as leis do arrendamento urbano que têm sido criadas pelo menos desde dos tempos de Santana Lopes passando por Sócrates Pinto de Sousa nº 44 e Passos Coelho ao que se junta a gerigonça; o problema que vos falo é o aumentar brutal dos despejos de famílias das suas casas sobretudo nos bairros históricos com o simples propósito de as alugar a turistas para rendas de curta duração.

Os números de despejos atingiram um número absurdo de 5 famílias perdem a sua casa todos os dias em despejos devido aos aumentos de renda brutais que servem como alavanca para estes mesmos despejos que está a estropiar a Lisboa histórica e a empurrar os lisboetas para fora de Lisboa ou com sorte para os bairros periféricos da capital onde ainda não chegou a overdose dos turistas que tomou de assalto a cidade de Lisboa.

Me dá uma raiva ver que o trabalho de reconstrução do Marquês de Pombal e da equipa que ele reuniu depois da tragédia do grande terramoto de 1 de Novembro de 1755, passam hoje 262 anos, cair por terra porque cada vez mais a Baixa e o centro da cidade a ficar deserto o que torna a actual geração de políticos e proprietários lisboetas uns verdadeiros ingratos perante a obra do Marquês que era tornar a baixa habitável.

Nunca se sentiu tanto como agora, o abandono da Baixa e dos bairros típicos que depois da noite ficam transformados em autênticos desertos, e os bairros típicos vão sendo tomados pelos estrangeiros enquanto os portugueses vão ficando sem casa e até sem abrigo porque aquelas pensões manhosas que serviam de refúgio aos desabrigados estão a ser transformadas em hostels e residenciais mais caras, enviando estes desgraçados para a rua.

A constituição da república portuguesa defende o direito inabalável a habitação condgigna e nos 20 anos perdidos da república e nem com Marcelo, nenhum presidente da república travou as sucessivas leis do arrendamento urbano que apenas tiveram e têm um objectivo: o despejo sumário de inquilinos e a retirada do direito inabalável à habitação condigna.ao assinar de cruz as várias leis dos despejos.

Com estas leis dos despejos que nunca foram pensadas nos tempos do Estado Novo onde apesar da miséria latente e dos bairros de lata, haviam também as vilas operárias e se os turistas queriam dormida ou iam para os hotéis ou então para as residenciais e deixavam as casas e os quartos particulares para quem precisasse deles e nunca iam ara turistas de pé descalço que até era coisa não existia na altura e os poucos que começaram a aparecer com as primeiras sementes do rock e com o Vilar de Mouros ficavam no campismo.

Agora com a invasão dos turistas e as leis dos despejos o direito a habitação ficou esquecido e os vários presidentes da república que têm assinado de cruz as várias leis dos despejos se esquecendo que juram defender a constituição e a fazer cumprir, mas no final das contas se esquecem do juramento que fazem ou estão am prejúrio porque com esta amnésia permitem que o direito à habitação condigna seja roubado do povo de forma descarada e aos olhos de todos em nome do novo ópio de autarcas e proprietários com poucos ou nenhuns escrúpulos: o turismo.

E como sempre deixo as minhas perguntas de sempre: Se a habitação é um direito que nos é assegurado pela constituição, então porque nos é roubado? Porque não controlam o turismo descontrolado que tomou as principais cidades de Portugal de assalto? Quem ganha com estas violações a CRP? Que raio andam os presidentes da república a fazer? Que porcaria andaram os governos a fazer?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

 

A marcar o meu regresso a este espaço após uma fase agitada da minha vida e onde a inspiração não foi muita devido aos nervos, volto para analisar as eleições municipais do ano da graça do Senhor de 2017.

Estas eleições municipais se podem resumir numa vitória esmagadora do PS e derrotas para os restantes partidos ao ponto do PAN ter perdido o seu único eleito que era um vereador de junta na Junta de Freguesia de Arroios em Lisboa, para não falar nas câmaras perdidas tanto pelo PSD, mas sobretudo nas quedas dos outros partidos da gerigonça que foram maiores do que as quedas do PSD dado que estas foram amortecidas por um aumento de número de votos.

No partido sediado na Lapa (PSD), os barões jcomeçaram a questionar a liderança de Passos Coelho ao ponto de atirar Rui Rio para a liderança do partido fundado por Francisco Sá Carneiro e o próprio Passos Coelho já disse que não vai ser candidato a liderança do PSD no próximo congresso do partido que ainda não tem nem local nem data certos.

Não sei se Rio será o senhor certo para o actual PSD, e se o mesmo irá ser tão diferente de Passos como muitos poderão pensar devido a este mesmo apoio dos barões do partido, os mesmos que em parte apoiaram Passos Coelho quando este tomou a liderança do PSD, embora se saiba do perfil aparentemente diferente de Rui Rio como pessoa e como politico.

Mas Passos Coelho não tem que ser o único a cair do seu pedestral do poder político, as outras vítimas foram o líder comunista Jerónimo de Sousa e a líder do Bloco de Esquerda que ainda tiveram uma queda maior do quea de Passos Coelho e não assumem as respectivas derrotas e apenas se preocupam com a galinha da vizinha, ou seja, com as quedas de Passos Coelho em vez de olharem para o seu reduto e para verem que também foram derrotados e de forma pesada e para não falar no parente pobre da gerigonça que perdeu o seu único eleito por sua conta e meteu o rabo entre as pernas (PAN).

Quem ganhou mesmo as eleições municipais ou autáquicas foi o PS e com números expressivos em todas as frentes, sendo provavlemente a maior ou uma das maiores vitórias eleitorais do PS de sempre em termos de eleições autárquicas e que vai fazer o resto dos partidos com assento parlamentar pensarem nos sufrágios que se seguem daqui a dois anos: europeias e legislativas (se não houver nenhum evento extraordinário até lá) e no que têm que mudar em termos de lideranças e de atitudes perante os eleitores se quiserem ter resultados decentes e quiserem dar dores de cabeça ao actual Führer da república, António Costa; porque com resultados como tanto os outros membros da gergionça bem como os membros da oposição, António Costa pode dormir descansado porque vai ficar muitos e bons anos no poleiro.

E na ressaca deste verdadeiro furacão cor-de-rosa, o único que assumiu a derrota foi Passos Coelho, e os outros o evitaram quando o facto de terem sido até mais derrotados do que Passos Coelho é evidente aos olhos de todos que acompanharam o especial eleições nem que fosse pela rádio como eu fiz.

Também tenho que destacar do lado dos vencedores os movimentos de cidadãos mais ou menos independentes que conquistaram algumas dezenas de municípios e de vereadores contribuindo estes também para a derrocada partidária fora PS e que mostraram um certo enjoo por parte dos eleitores em relação ao sistema partidário existente na república que amanhã festeja o seu aniversário número 107. E outro vencedor além dos independentes foi a senhora abstenção que passou dos 40%.

Vamos ver como os autarcas eleitos se vão portar e se vão ser cumpridores do seu programa, embora estes critério não seja importante para que um autarca seja reeleito e o que conta apenas é a conversa barata que o mesmo possa ter e o suporte que tenha no comportamento do governo da república.

E ficam as minhas perguntas: Porque nem todos os derrotados assumem a derrota? Quais as consequências destes resultados eleitorais? Que leitura pode ser feita destes mesmos resultados eleitorais? 

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

 

Mário Nogueira, líder do sindicato comunista dos professores, Fenprof e que ainda em tempos de Sócrates e de Passos Coelho andava empastilhado na luta contra os horários zero dos professores, ou seja, professores não colocados e agora neste segundo ano lectivo com a Gerigonça, mas que vai ser o primeiro que a Gerigonça que está no poder vai abrir tem mais professores sem colocação até do que no último ano lectivo começado e acabado por Nuno Crato, ministro da educação dos tempos de Passos Coelho.

Mário Nogueira diz de uma forma muito pacífica num comunicado onde diz que estes professores sem colocação são precisos para as escolas e para que o ensino seja o mais universal possível e que espera que o actual governo não seja como o governo anterior e que até o início do ano lectivo estes mesmos professores sem colocação tenham turmas atribuídas, ou seja, que tenham colocação e que não tenha uma política de imposição como o governo anterior.

Em poucas palavras, Mário Nogueira que foi mais anti-PS do que o PSD e o PCP juntos, está a fazer contas com o ovo no cu da galinha e se está a fiar em socialistas no governo e como bem diz o povo "Não corras e fia-te na virgem, que vais ver o que te acontece" e neste caso Mário Nogueira que já não pisa uma sala de aulas há mais de 20 anos, portanto estava eu a entrar na fase final dos meus estudos liceais que não cheguei a acabar e este senhor estava a deixar de dar aulas por sua vontade para se meter nas lides sindicais e sair das lides lectivas.

Tem estado desde então só a contestar seja que governo desde que este não seja da CDU e quando temos um governo de direita o homem parece que se passa e ataca o governo de direita por tudo e por nada e quando temos um governo do PS amansa um pouco os seus maus fígados embora continue activo e me lembro bem numa manifestação liderada pela Fenprof e na altura o actual ministro dos negócios estrangeiros, Augusto Santos Silva, na altura ministro dos assuntos parlamentares nos tempos de Sócrates, que ao reagir a manifestação de Mário Nogueira o reduziu a um papel de insigne insignificância.

Parece que este episódio deve estar esquecido na mente de Mário Nogueira e com esta amnésia este mesmo Mário Nogueira aceitou o maior aumento de professores sem turma dos últimos 4 anos como fosse algo natural apontando a baixa natalidade que existe em Portugal em vez de apelar aos seus novos amigos para que se criem mais turmas no ensino público, turmas mais pequenas que iriam aumentar a qualidade do ensino e ao mesmo tempo permitir que mais professores trabalhassem e os mais idosos se reformassem; mas este senhor está numa hibernação e apareceu apenas para contestar os contratos de associação dos colégios com o Estado e alguns colégios que estavam dependentes destes mesmos contratos fecharam e lançaram mais uns quantos professores no desemprego, mas o senhor sindicalista Mário Nogueira se calou.

Este estado de silêncio de Mário Nogueira em relação aos milhares de professores sem colocação mostra que este senhor é mais leal ao partido (no seu caso o PCP) do que aos seus colegas de profissão para os quais Mário Nogueira se está marimbando tirando aqueles que são do seu sindicato e mesmo assim fico na dúvida porque a minha irmã que sofreu um despedimento sem justa causa e pediu ajuda ao sindicato e no fim das contas não lhe serviu de nada porque a coitada ficou sem o emprego e parece que nem recebeu a indemnização.

Este senhor Mário Nogueira é aquilo que se chama um feijão-frade, tem duas caras e vamos ver como o mesmo vai reagir se por alguma hipótese se a Gerigonça çevar uma tremenda derrota nas eleições municipais de 2017 e o governo da gerigonça seguir o mesmo caminho do governo de Guterres e tal como o candidato a Secretário-Geral da ONU, António Costa apresentar a demissão ao presidente da república Marcelo Rebelo de Sousa e depois fica tudo nas mãos do inquilino de Belém que tanto pode seguir o que Sampaio fez e aceita a demissão ou a recusa mantendo a Gerigonça durante algum tempo no poleiro.

Estou mesmo a ver o sr. Mário Nogueira a acordar da hibernação no caso de Portugal voltar a ter um governo de direita e vai começar a deitar cobras e lagartos pela boca fora mesmo que este hipotético governo consiga reduzir o número de professores sem colocação por algum milagre vindo sabe-se lá de onde, mas que poderá acontecer de alguma forma e se este milagre acontecer de haver menos ou mesmo nenhuns professores sem colocação, pago para ver qual será a reacção deste senhor que já largou a escola a tanto tempo que já poderia pedir a reforma da Função Pública devido ao tempo que tem passado no sindicato.

Ficam as minhas perguntas: Qual o contributo de Mário Nogueira para a Educação Pública e para o sistema de educação? Este senhor já pensou em voltar a dar aulas? Porque não critica a Gerigonça quando há mais professores por colocar do que havia no tempo de Passos Coelho? Este senhor se esqueceu como foi tratado pelo ministro Santos Silva nos tempos do Sucateiro Sócrates?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

A esquerda parlamentar insiste que o Estado deve recapitalizar a banca, mas quando falo Estado, falo nos otários dos contribuintes portugueses que já pagam poucos impostos e apesar dos buracos na CGD que são maiores do que os buracos no queijo suíço, os respectivos administradores foram aumentados e querem encerrar agências e já se fala em despedimentos embora o governo o negue.

A oposição quer uma investigação profunda ao banco do Estado, mas a gerigonça do poleiro não quer que se saibam os podres do banco do Estado que são mais do que muitos e nós a pagar os dinheirinhos que cairam no bolso dos amigos da gerigonça e que não convém qiue se saiba porque se forem do conhecimento estes dinheirinhos que cairam nos bolsos dos políticos sejam eles de que nunace forem.

Dizem da gerigonça que é para evitar uma exposição sistêmica da Caixa Geral de Depósitos, mas o que ninguém explica é o prejuízo da Caixa e ao mesmo tempo que os gerentes levam aumentos dignos de jogadores de futebol da primeira divisão e trabalhando menos do que os mesmos atletas mencionados atrás e por outro lado querem correr com várias centenas de funcionários e fechar balcões e em algumas agências há funcionários que têm tantos anos de serviço que fazem parte "mobília" embora sejam novos para a reforma, mas velhos para trabalhar.

Não deixa de ser curioso como a esquerda parlamentar quer evitar que se siabam os podres do banco do Estado, mas não é a única voz contra este inquérito porque se juntou Manuela Ferreira Leite neste coro esquerdista contra a investigação sobre os buracos do banco do Estado que mais parece o Tripitz quando foi bombardeado pelos ingleses na Segunda Guerra Mundial.

O que se passa na CGD tem de ser e deve ser investigado para bem geral da nação e já se falam em grandes calotes ao banco do estado sobretudo nos tempos de Sócrates e que são a génese primária deste buracos que no final das contas vamos ser nós povo otário e pagante a pagar e nem podemos contar com a esquerda para "ajudar" o povo porque esta quer atirar areia para os olhos do povo ao recusar a investigação aos buracos da CGD.

Esta negação dá para desconfiar que a esquerda tem um lado sombrio ainda mais sombrio do que o Lado Negro da Força do Universo Star Wars e que afinal a esquerda não passa de uma armada Sith a nos seduzir para o sempre sedutor lado negro da força, mas não se sabe ao certo quem aqui faz o papel de Imperador Palpatine e muitos menos sabemos quem são os lordes Sith neste clone de "O Império Contra-Ataca".

Apenas se sabe que muito dinheiro desapareceu do banco do Estado e não houve nenhum grande assalto como aquele que fizeram ao comboio dos correios britânicos nos anos 60 do século passado e pelo que ainda sei não existe nenhum Gulbenkian com interesses no petróleo do Beato para que o banco do Estado, o banco de todos nós tenha as contas em estado calamitoso e ninguém queira saber o porquê e ao mesmo tempo nada é investigado, enfim o Portugal Secreto no seu melhor.

Como sempre as minhas perguntas: Porque não querem que se saiba a verdade sobre a CGD? Quem é a face oculta neste filme? O que se esconde na CGD? Quem andam a proteger? Porque são sempre os mesmos a pagar?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

Muito se reclamou quando vieram os sindicatos reclamar o regresso as 35 horas na função pública embora o desejável fosse as 35 horas para todos os trabalhadores, os casos particulares da função pública como na saúde em que a redução não pode ser feita de forma automática, os sindicatos de cada sector vai negociar caso a caso em sede de concertação social.

Acontece que o desgoverno da gerigonça resolveu eliminar uma das medidas mais consensuais que a troika tinha imposto a Portugal que foi o tecto salarial para os altos cargos do Estado incluindo os administradores da Caixa Geral de Depósitos que se têm servido a seu bel prazer do banco do Estado e as contas do maior banco comercial nacional têm apresentado uma coisa chamada imparidades que em linguagem comum quer dizer buraco.

E estas chamadas imparidades têm vindo a aumentar ao longo do tempo em vez de se punir esta gestão ruinosa do maior bem do Estado sem serem os impostos que é a CGD, deixa-se a coisa andar solta e as imparidades aumentam de forma escandalosa sem que a fiscalização bancária se mexa para travar este sumidouro de dinheiro dos contribuintes.

Aqui em Portugal ninguém fala em produção nacional ou algo parecido, mas sim se fala em salvar os bancos a toda força seja a que custo for e depois de dois bancos pilares da economia terem caído (BANIF de forma duvidosa e o BES) para se considerar que a banca está mesmo em queda falta cair o Santander-Totta, o Millenium-BCP, o Montepio, a CGA, as Caixas de Crédito Agrícola Mútuo e o BPI.

 O Montepio já teve um mau rating há algum tempo atrás antes das eleições dos seus corpos directivos e as agências de rating deram algum benefício da dúvida a nova gerência do Montepio, mas não deve ser coisa que dure.

Outro facto que vai tornar esta situação ainda mais estranha é o facto da esquerda parlamentar não querer que a CGD seja investigada ao contrário do que defendem os partidos da coligação que foi apeada do governo no golpe de estado de  Novembro-Dezembro de 2015 e esta negação a investigação do banco do Estado torna a situação do banco do Estado ainda mais nebulosa porque esta negação á a sensação que a esquerda caviar que está no poleiro não é assim tão impoluta que quer se pense e também tem os seus podres porque para se ser a mulher de César não basta ser séria, tem-se que parecer séria também e não é esta imagem que sai da esquerda parlamentar.

Estou de acordo que se crie uma uma comissão de investigação a CGD e as suas várias gestões, sejam elas de que partido forem para que se saiba a verdade ou parte da verdade sobre estas imparidades que mais tarde ou mais cedo nos vão sair do coiro mesmo que não sejamos clientes do banco público e felizmente não sou e nem quero ser por estes e muitos outros motivos.

Ainda vamos pagae esta factura e com juros e depois não venham dizer que a culpa é do Passos porque o Passos já se afastou e muito do poleiro e agora quem manda é o Costa do Castelo e agora ele é o responsável maior pelas imparidades da CGD e pela escolha dos seus corpos gerentes e não se a CGD ganharia mais se fosse privatzada nem que forma parcial porque assim talvez alguns dos abusos e do nepotismo acabariam na maior instituição bancária nacional.

Confesso que fiquei siderado quando a esquerda caviar chumbou a criação da CPI para serem investigadas estas imparidades na CGD eainda mais siderado fiquei quando soube que os administradores da CGD fossem executivos ou não iriam ser aumentados e ainda por cima podem até ganhar mais do que o presidente da república ou o primeiro ministro e ao mesmo tempo querem aumentar a função pública e por outro lado nada de criação de emprego ou de cursos de formação profissional porque o IEFP está parado devido a dança das cadeiras.

Gostava de saber porque a esquerda caviar não quer a CPI sobre a CGD a não ser que tenha muitos rabos de palha no banco do Estado porque só assim se pode explicar porque a mesma gerigonça da esquerda caviar não quer que se faça esta investigação a CGD e esta investigação tem que ser feita por que por cada imparidade que existe na CGD pagamos nós e sai muito mais caro do que subsidiar colégios de meninos bem.

Como sempre deixo as minhas perguntinhas: Porque a esquerda não quer que a CGD seja investigada? Que segredos querem esconder? Quem ganha e quem perde com estas imparidades na CGD? Que caminho vai levar o banco do Estado? Será que vamos ter a troika à porta? Será que a república e o seu presidente ainda nos vale de alguma coisa ou não nos serve para nada?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

 

Com os socialistas no poder podre da república começam a surgir casos de ajudinhas aos amigos do partido, bem como acontecia quando o PSD estava no poleiro, acontece com os socialistas os amigos são mais e é preciso arranjar tachos e panelas para mais gente que está sempre a aparecer por todos os lados e mais alguns e volta ao baile a questão dos vistos dourados que muito deu e ainda vai dar que falar.

Desta vez é o cidadão Luís Goes Pinheiro, jurista e envolvido no caso dos Vistos Gold e que foi nomeado chefe de gabinete do secretário de Estado do Conselho de Ministros, este cidadão teve a sorte de António Figueredo, presidente do IRN lhe ter metido uma cunha (a grande instituição nacional) a um membro da Comissão de Recrutamento e Selecção para a Administração Pública (Cresap) que por acaso é outra envolvida no caso dos vistos dourados, Maria Antónia Anes; que era secretária-geral do ministério da Justiça e que foi acusada de mais casos de cunhas, ou seja, foi apanhada em flagrante a meter cunhas como se bebe água-pé no São Martinho. Esta senhora era amiga de Paula Teixeira da Cruz, antiga ministra da justiça do anterior governo.

Se sabe que o concurso público no qual foi nomeado Luis Goes Pinheiro tinha melhores concorrentes com currículos bastante mais apreciáveis, com experiência dada e provada em cargos de chfia tanto no ministério da Justiça como em outras pastas aparentemente sem qualquer mácula em termos de cadastro ou de incompetência, mas Luís Goes Pinheiro tinha uma coisa que talvez os outros concorrentes não tinham que é um cartão de militante do PS com as quotas em dia e este verdadeiro cartão de crédito platinum lhe abriu as portas de par em par de um alto cargo público e relativamente bem pago.

Está claro que niguém quer assumir a culpa da manipulação do concurso ou quem sabe contestar o seu resultado, embora o no caso de contestação, os lesados se calhar nem sabiam que que Luís Pinheiro tinha o cartão platina da república que abre todas as portas para altos cargos que é o cartão de um militante do partido que estiver no poleiro ou que possa ter este acesso ao poleiro, ou seja, do PS ou do PSD e sem saberem isso poderiam ter deixado passar os prazos para contestar o resultado do mesmo concurso público e terem sabido do caso da cunha pelos jornais como todos nós e tenham ficado surpreendidos pela decisão e da forma como a decisão foi tomada, todavia a mim já nada me surpreende em Portugal em termos de podridão porque é fruta da época em especial quando os socialistas estão no poder porque parecem aparecer mais casos com estes senhores no poleiro e até podem aparecer milhões destes casos nos jornais e nas televisões mas apenas servem para nos colocar indignados contra uma certa submissão do sistema judicial aos interesses instituídos que são o verdadeiro poder em Portugal.

Interesses que têm vindo a aumentar a sua presença ao passar dos anos e torna o sistema que se diz democrático numa não-democracia dominada há 106 anos pela aristocracia republicana que aos soluços tem vindo a tomar conta dos nossos destinos guiando os votos ao sabor do seu vento por muita contestação haja na rua; e esta divulgação de uma cunha com os socialistas no poleiro é apenas mais um de centenas para não dizer milhares de casos de cunhas dadas por socialistas e sociais-democratas quando estes estão na cadeira do poder e que fazem parte do pão de cada dia dos cargos públicos em Portugal.

Mas agora puxar alguém para um alto cargo e que está metido numa investigação sensível a qual ainda não está arquivada nem prescrita é ser reles demais mesmo para uma república podre e senil como a portuguesa e mostra assim a verdadeira face do que é o poder republicano em Portugal onde a cunha partidária abre todas as portas mesmo daqueles que não têm qualquer mérito para ter acesso a um qualquer cargo de chefia como é este caso em particular embora se desconfie que existam mais casos semelhantes pois que isto é mesmo fruta da época.

Não deixa de ser irónico a troca de mimo entre PSD e PS em relação as cunhas, embora se saiba que ambos fazem o mesmo embora as proporções conhecidas possam ser diferentes, mas fazem o mesmo e excusam de atirar pedras uns aos outros neste ponto porque ambos os partidos têm telhados de vidro e não podem mandar pedras uns aos outros porque se o vão fazer acabam por ficar sem telhas e se fica saber as verdades sobre as cunhas.

Como sempre as perguntas que ninguém sabe responder: Quando é que esta situação vai mudar? De quem é a culpa? Quem será capaz de mudar esta situação? Quem ganha e quem perde com esta situação?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

Com os socialistas no poleiro tinha que voltar a baderna ao poder político da república um grupo de deputados socialistas e sociais-democratas (21 do PS e 9 do PSD) requeram ao Tribunal Constitucional a inconstitucionalidade da medida que acabava com as reformas dos políticos que não estão em funções e entre os deputados signatários se encontra o antigo presidente do governo regional da Região Autónoma dos Açores, Mota Amaral... e da antiga ministra da saúde depois da igualdade (ministério o qual não se sabia para que servia) e utilizadora de laca compulsiva e além disso tudo, candidata a presidente da república e amiga de velhinhos em lares....Maria de Belém.

Os comunistas num raro acto de dignidade nesta república, os deputados da bancada da CDU se apressaram a recusar o regresso da subvenção e este regresso foi aprovado e faz jurisprudência e agora os deputados que têm a dignidade de a recusar não sei como vão fazer esta mesma recusa, mas deve haver algum documento ou algo parecido e Maria de Belém assume em altura de campanha eleitoral que assinou o pedido e esta reposição vai custar 10 milhões de euros aos portugueses e se saber isso em semana de eleições presidenciais e com a troika a vir aí é o belo e o bonito.

A lista dos meninos bonitos que assinaram o requerimento é a seguinte: Alberto Costa (PS), Alberto Martins (PS), Ana Paula Vitorino (PS), André Figueiredo (PS), António Braga (PS), Arménio Santos (PSD), Carlos Costa Neves (PSD), Celeste Correia (PS), Correia de Jesus (PSD), Couto dos Santos (PSD), Fernando Serrasqueiro (PS), Francisco Gomes (PSD), Guilherme Silva (PSD), Hugo Velosa (PSD), Idália Serrão (PS), João Barroso Soares (PS), João Bosco Mota Amaral (PSD), Joaquim Ponte (PSD), Jorge Lacão (PS), José Junqueiro (PS), José Lello (PS), José Magalhães (PS), Laurentino Dias (PS), Maria de Belém Roseira (PS), Miguel Coelho (PS), Paulo Campos (PS), Renato Sampaio (PS), Rosa Maria Albernaz (PS), Sérgio Sousa Pinto (PS) e Vitalino Canas (PS); e esta lista ilustre e no caso dos socialistas são todos socratistas o que não deixa de ser interessante.

Pago para ver qual vai ser a reacção da esquerda espartaquista que serviu de bengala para a subida ao poder a António Costa e qual a reacção do líder da oposição, Passos Coelho; porque no caso da esquerda tirar o tapete a António Costa, este vai ficar nas mãos de Passos Coelho e se este quiser uma vingançazinha poderá dar ordem aos seus deputados para seguirem o sentido de voto da esquerda e aí o governo vai cair ainda antes da posse do sucessor de Cavaco Silva no Palácio de Belém e não sei qual a ferramenta constitucional que poderá ser usada se um governo cair no hiato que vai da eleição de um novo presidente da república até a sua eleição.

Vamos ver quais vão ser as reacções a esta medida dos juízes do Palácio Ratton que é uma cacetada nos nossos impostos para satisfazer a aristocracia da república que tem roubado Portugal nos últimos 106 anos e vai continuar a roubar e uma medida que seria um alívio para este roubo foi anulada por um abaixo-assinado de meia dúzia de aristocratas da república e ironicamente quando uma qualquer petição junta milhares de assinaturas quase nunca é votada no parlamento e quando o é, o pedido feito na petição é sempre recusado e são petições em muitos casos que ultrapassam as 20 mil assinaturas.

Não sei qual o valor democrático desta decisão porque foram apenas 30 aristocratas a  pedir a revogação de uma lei, sobretudo quando esta lei vai prejudicar o povo e um dos signatários se afirma socialista e defensora do país real e ao assinar tal peitção mostra que não deve ser assim como ela diz ser algo como fosse um Paulo Portas de saias e sem submarinos para ser massacrado pelos espartaquistas que deram o braço a António Costa para este ser Führer da nação chamada Portugal que vai a caminho do pântano e da bancarrota a passos largos e mais uma vez com a ajuda do PS como pareceio habitual das entradas da troika em Portugal e dos respectivos resgates para afundar um pouco mais a moral nacional já de sim na fossa.

Como sempre ficam as minhas perguntas de sempre quase sempre sem resposta: Onde está o interesse democrático dos signatários deste pedido? Quem vai pagar a factura deste pedido? O que a troika vai achar desta ideia? Será que a troika vai aprovar? Porque não canalizam estes 10 milhões de euros para outras despesas públicas mais importantes?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

Fernando Medina, o novo edil de Lisboa, da maior autarquia da república, e que substitui no cargo António Costa, recentemente promovido a Führer da República; está com novas ideias para uma das mais concorridas vias da cidade de Lisboa e que separa os dois principais emblemas desportivos da capital e ideias que estão a sofrer mais contestação do que aprovação e são daquelas ideias que se costuma dizer que nem lembra ao diabo.

As ideias de Medida sobre a Segunda Circular passam pelo plantio de árvores nos separadores centrais o que já motivou a contestação da ANA - Aeroportos e Navegação Aérea porque a Segunda Circular é uma zona de aproximação ao aeroporto da Portela e as mesmas árvores irão ser um perigo para os aviões que se aproximam, além das árvores o mesmo Fernando Medina teve a ideia de repavimentar e melhorar a drenagem da mesma via; até aí nada demais, mas não há bela sem senão e o mesmo Medina quer reduzir o tráfego na mesma Segunda Circular, reduzindo a a largura em alguns troços da mesma via e se a ideia for para frente a coisa via ficar feia para os moradores da Avenida dos EUA, Avenida de Roma, Chelas e Avenida Marechal Spínola que vão levar com o tráfego que vai ser retirado da 2ª Circular.

Acontece que agora moram pessoas na Marechal Spínola e ainda antes desta ideia tive o azar de entrar de carro nesta bendita avenida quando uns conhecidos me deram boleia depois de ir resolver um assunto ao Parque das Nações (aka. Expo'98) e acontece que por volta das 16/17 horas a Marechal Spínola no sentido Chelas-Avenida dos EUA estava literalmente parada e ainda esperei uma boa meia hora para que o carro onde eu estava se movesse 1 metro e levei quase uma hora a sair daquele inferno; agora imaginem o inferno que vai ser canalizar o trânsito da 2ª circular para a Avenida Marechal Spínola e com pessoas a morarem nesta mesma avenida a levar com toneladas de gás de escape dos milhares de automóveis que passarão a circular numa avenida já de si problemática em relação ao trânsito e a conta disso a Prevenção Rodoviária já veio mostrar o seu desagrado com a ideia.

Nem sei o que se passou na moina do edil da maior edilidade da república quando se sabe que em Lisboa há problemas mais graves como a mobilidade no centro da cidade comprometida com as chusmas de Tuk-Tuk e as obras deixadas dos tempos de António Costa, bem como o problema da habitação social porque se sabe que existe em média 2 a 3 casas por cada lisboeta e casas devolutas nesta bendita cidade é coisa que não falta e a CML não mexe uma palha para alugar casa a quem precisa em vez da Santa Casa ou outras instituições estarem a pagar quartos em pensões e em alojamentos precários cujo custo chega a ser igual a uma renda de um T1 no centro de Lisboa, a CML poderia dar mais vida ao centro da cidade que cada vez se parece mais com um hotel gigante e artificial sem os genes da verdadeira Lisboa porque estes foram obrigados a migrar para os dormitórios da chamada Área Metropolitana que cada vez estão mais sobrelotados e devido ao facto de em muitas famílias, as crianças e jovens ficarem horas sem fim na escola a espera que os seus familiares os vão buscar ou em casa a espera que venham os pais depois de um dia de trabalho e de horas nas estradas de acesso a estes mesmos dormitórios.

Este senhor Medina está mesmo a meter o socialismo não na gaveta, mas no fundo de uma cave escura porque anda com obras faraónicas e se esquece do essencial e daquilo onde uma edilidade como Lisboa deve intervir como a habitação social ou a drenagem de ruas e avenidas que é sempre um pesadelo cada vez que cai uma bátega de chuva na capital da lusofonia e não se preocupar com obras faraónicas que cada vez tornam menos habitável a cidade que em séculos passados deu novos mundo ao mundo e chegou a ser o centro do mundo civilizado e que deu ao mundo várias figuras nas mais diversas áreas.

Este novo edil que nem sequer foi eleito em eleições intrecalares como foi o caso de António Costa se arrisca a ser um edil ainda mais incompetente do que foi Santana Lopes ou mesmo Carmona Rodrigues que foram o paradigma da incompetência como edil de Lisboa nos últimos 40 anos pelo menos e com o Senhor Fernando Medina este paradigma foi batido e foi recriado num padrão mais reles.

 Como sempre as minhas perguntas de sempre: O que se passa na CML? O que se passa na cabeça de Fernando Medina? Será que Lisboa é uma cidade para os seus habitantes ou é apenas um hotel? Para quando medidas para a cidade que sejam utéis?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar