Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Opiniões e Críticas Secretas

Opiniões e Críticas Secretas

Hoje ainda estou em estado de choque por causa do caso da Valentina e nem vi o Telejornal nem o Jornal da Tarde e nem vi muito a conferência da imprensa com as bonecas da saúde porque ontem me deitei cansando apesar de não ter trabalhado ontem e quis acordar tarde de propósito.

Só vi os números há pouco e foram números interessantes e nem vale a pena falar o que aqueles cromos falam porque é uma chuva de disparates pegados onde nada se aproveita e as vezes chego a pensar que não passa tudo de uma grande mentira digna de algum livro distópico porque as contradições são mais do que muitas e estas contradições deixam qualquer pessoa a pensar.

Foi um dia que fiz por evitar as notícias mais dolorosas e deu para ver que esta reconstrução é uma tremenda trapalhada e que a corda vai romper para o lado mais fraco e que se voltou a ter uma nação dependente da sopa do Sidónio ou algo semelhante e das vezes que isto aconteceu houve sempre revoltas em Portugal.

Não sei se a Gerigonça tem noção do efeito borboleta causado pela incompetência descarada da DGS e do ministério da saúde e do que em caso extremo pode se gerar quando em termos políticos uns são filhos e outros são enteados mesmo sendo de partidos diferentes só para se manter um regime de mentira e isto é regredir 60 anos na História de Portugal e pensei que o 25 de Abril fosse exactamente o oposto.

Sinto-me cansado de tnata ignorância numa nação que não tem eira nem beira e onde o povinho não passa de um rebanho de ovelhas e borregos obedientes do regime como era antes do 25 de Abril até aparecerem umas ovelhas negras e começarem a deitar tudo a perder e o regime mudar e parece que querem que apareçam estas ovelhas negras e acontece que a História Universal mostra quando são as ovelhas negras que se mostram supostamente ser o oposto de uma regime que se diz democrático, a coisa acaba sempre mal...

Por favor leem mais e revejam a matéria de História escrita por verdadeiros historiadores e não doutrinadores como aquele racista do Livre que foi para a Telescola revisitada....

Parlamento aprova reposição de cortes na função pública e redução de pensões

 

 

 

 

 

Diplomas devem seguir na próxima semana para Belém.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

(Fonte: Público)

Nesta semana que antecedeu a Semana Santa que coemçou hoje, muito se falou de mais cortes que tnham sido acordados com a troika que foram acordados tanto nas costas dos deputados da república, bem como nas costas do povo, cortes salariais, prováveis despedimentos em massa na função pública, cortes nas reformas e o prolongar da vida laboral conforme a economia do país porque um trabalhador ou miltar tem que dar o tempo devido para ter a sua reforma, mas não tem garantida a chamada reforma por inteiro e para ter esta, pode estar sujeito a ter que dar 40 ou mesmo 50 anos de descontos (se não forem mais) e mesmo assim não é certo que irão receber o têm direito por uma vida de descontos para uma hipotética reforma.

Estes cortes antes foram negados pelo governo, mas afinal existem e estão para ser aplicados, mas os cortes nem vão ao Banco de Portugal nem ao topo do poder político da república que ainda levam aumentos e anda compram carros de luxo pagos a pronto e depois dizem que troika manda apertar o cinto e manda o pior é quem aperta o cinto são aqueles que já o têm apertado e os o que tem solto não o apertam e algumas mentes birlhantes tanto da troika como sem ser da troika devem estar a viajar no ácido ou algo parecido.

O pior deste mafiosos dá pelo nome de Subir Lall e é de origem indiana que deve pensar que os funcionários do Estado e os reformados devem trabalhar por uma malga de arroz como é na sua terra e vem com corte e mas cortes quando quem deveria de cortar não corta e ainda se enche mais que é o caso da classe política da república que nada tem a ver com liberdade ou democracia e não passsa de uma versão republicana da nobreza e da burguesia dos tempos do absolutismo em Portugal e que abusa e contra-abusa de quem trabalha porque agora pela forma de ver do desgoverno e do senhor Lall uma pessoa nem sabe agora quando se pode reformar transformando assim Portugal no maior campo de concentração do mundo que ultrapassa e muito em superfície os laogai chineses, os campos de reeducação da URSS e os campos de concentração nazis todos somados e não foi para isso que se fez o 25 de Abril e esta nação já a está sofrer demais por causa dos roubos que foram feitos no passado aos cofres públicos em especial nos últimos anos com as negociatas de Sócrates e os cortes de Passos Coelho que deixaram as contas púbicas no mesmo desastre de quando tivemos Mário Soares como primeiro ministro ou como nos tempos da primeira república.

E estes senhores do poder político da república se esqueceram dos tempos em que estudaram história porque se tivessem estudado como deve ser saberiam que as ditaduras dos anos 30 subiram ao poder graças a medidas de austeridade e situações de miséria que vivemos hoje e que não se poderia contar com a esquerda para nada a não ser para armar peixarada que boa parte das vezes acabava mal e Portugal está nesta situação e se querem evitar que Portugal regrida ainda mais no tempo é simples: basta acabar com o estado a que chegamos, mesmo que se tenha que eliminar ou trocar a república pela monarquia; mas esta nação não merece de novo outra ditadura porque os supostamente democráticos em vez de governar o povo, se andam a governar as custas do povo.

E cada vez mais está na hora de algo ser feito por esta nação antes que seja tarde demais porque aí então nada se poderá fazer de forma pacífica e civilizada e este prazo está cada vez mais curto como nunca esteve e vamos ver se não vai ainda ficar mais curto e se as Forças Armadas irão cumprir com aquilo que andaram por aí a espalhar.

E ficam as perguntas de sempre: Porque não cortam nos luxos da república ? Porque não cortam nos salários e nas reformas dos políticos ? Porque não querem que os capitães de Abril falem no parlamento ? O que querem arranjar com tantos cortes ? Querem outra revolução ? Foi para isso que se fez o 25 de Abril ? Aonde estão a liberdade e a democracia em Portugal ? Para que raio nos serve a república e o seu presidente ?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

Só hoje achei um pouco de cabeça para escrever sobre o protesto deste Domingo, dia 16, da chamada Família Militar que serviu para unir forças e ao mesmo tempo para ser uma espécie de despertar de consciências sobre a situação dos militares e também para enviar uns quantos recados velados, tanto para o poder da república como para dentro dos quartéis.

Apesar de mostrar a raiva contra os cortes extremos aplicados as Forças Armadas sobretudo nos salários, pensões e serviços sociais, o protesto deste Domingo foi relativamente pacífico embora se tenha não só o protesto das alunas do Instituto de Odivelas e respectivas mães, bem como o protesto de todos os militares ao activo e reformados contra os cortes que chegam a ultrapassar os mil euros mensais e que coloca em causa a dignidade dos mlitares segundo os mesmos manifestantes.

Não nos podemos esquecer que há relativamente pouco tempo publiquei aqui neste mesmo recanto que há casos de militares a pedir os restos das messes para terem que comer e/ou terem comer para as suas famílias devido aos cortes sádicos feitos em nome de uma dívida que cujos culpados apenas são os percevejos que constituem o poder político da república desde 1910 com uma ou outra variação ao longo dos anos e a Família Militar saiu para a rua de forma pacífica mas não de forma submissa e muito menos silenciosa porque começou ao som de uma música que marcou não a presença portuguesa na Eurovisão, mas sim marcou uma certa data numa certa e esquecida Primavera de há 40 anos atrás com o título "E Depois do Adeus" intrepertada por Paulo de Carvalho e depois junto ao parlamento cantaram outra pérola de Abril "Grândola, Vila Morena" e outras músicas de Zeca Afonso além do hino nacional e de novo se ter cantado "E Depois do Adeus".

O relativo silêncio foi subitamente interrompido pelas alunas do Instituto de Odivelas que vieram protestar contra o encerramento do Instituto de Odivelas se fizeram ouvir com um verso inspirado pela malha dos Quinta do Bill "Filhos da Nação" que foi assim: "Estas são as filhas da nação, já adultas podem crer, ansiosas por saber, se o IO tem solução".

Além das canções de protesto houve discursos que foram verdadeiros recados para quem quisesse ouvir começando pelo presidente da Associação de Oficiais das Forças Armadas, Coronel Pereira Carcel fez a lista das situações que  "vão afectando a vida profissional, mas também social e psicológica dos militares": a redução das remunerações, a "redução cega" de efectivos, as alterações à situação de reserva, a implementação de normas e procedimentos àquilo que já tinha sido contratuado, a dupla penalização nas reformas, a extinção do fundo de pensões, entre outras situações "de um processo de empobrecimento forçado". O que, nas palavras de Cracel, desmotiva e indigna os militares, provocando-lhes "sentimentos de revolta nada recomendáveis", ou seja, os oficiais estão no limite do ponto de ignição para algo que poderá acontecer.

Mas não são os únicos porque todas as patentes protestaram não só contra as situações críticas que o General Pereira Carcel apontou bem como tocaram no novo brinquedo favorito do Führer Passos Coelho que são os cortes que no caso das Forças Armadas chegam aos mil euros; além disso os militares elogiaram a polícia que guardava o parlamento e o General Pereira Carcel ainda acrescentou algo que o poder da república esqueceu: que os militares foram os primeiros responsáveis pela presente Constituição e acusa o desgoverno actual de "desconjurar" a mesma Constituição.

Na mesma linha o Sargento Lima Coelho, Presidente da Associação de Sargentos disse que não pretendia subir as escadarias do parlamento e as únicas escadarias que pretende subir são as da justiça e não ficou por aqui porque ainda disse: "As Forças Armadas estão serenas mas não estão submissas" e com estas palavras que tanto são para consumo externo como são para consumo interno das Forças Armadas como fossem mensagens para os quartéis e também foram recados para o poder político da república que não passa de um colchão cheio de percevejos como disse Ramalho Ortigão e que urge eliminar antes que surjam parasitas mais perigosos em Portugal porque este poder político da república não respeita nem nunca respeitou aqueles que serviram de alavanca para os tachos que têm; uma alavanca chamada Forças Armadas que há 40 anos alavancaram a subida ao poder do presente poder político da república num suposta democracia que está eclipsada pela ganância e pelos interesses particulares e de certos grupos mais ou menos secretos.

E ficam as minhas perguntas sem resposta: Porque não respeitam as Forças Armadas ? Porque raio o poder político da república não respeita as Forças Armadas que foram os mesmos que nos deram a liberdade ? Será que o poder político da república tem alergia a liberdade e a democracia ? Que caminho leva Portugal ? Aonde isto nos vai levar ? Será que vamos ter algo mais que uma simples manifestação nos tempos mais próximos ? Que raio de comadante supremo é o presidente da república que promulga cortes que fazem com que parte generosa dos militares ande a pedir restos nas messes ? Que porra é esta de nação ? O que é feito do 25 de Abril ? Para que nos serve a república e o seu presidente ?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

 

Hoje veio na imprensa diária que os Capitães de Abril só vão as comemorações oficiais do Dia da Liberdade se os deixarem discursar nas cerimónias oficiais que acontecem todos os anos na assembleia da república e este pedido da palavra é a forma que os Capitães (os que ainda estão vivos) demonstrarem o seu descontentamento com o estado a que chegamos e recusam ser apenas figuras decorativas na cerimónia em questão.

A ira entre os capitães é de tal forma grande que os mesmos capitães mesmo separados no 25 de Novembro de 1975 estão juntos nesta contestação geral ao desgoverno de Passos Coelho e até Otelo Saraiva de Carvalho chega a afirmar no caso de haver condições repetia ou que fez há 40 anos atrás naquel dia de Primavera qu foi o primeiro dia do resto das nossas vidas e Vasco Lourenço ainda acrescenta tudo aquilo que já vimos há muito por parte dos desgovernos mas recentes que é o facto das Forças Armadas serem tratadas abaixo de cão e Otelo anda acrescnta qu não faz outro 25 do A porqu Portugal está formalmente numa democracia embora esta esteja a ser estragada pelo poder político.

Estas palavras foram ditas num debate que acontecu hoje na Câmara Municipal de Loulé e que cujo moderador foi o próprio edil da cidade algarvia e est dabte na minha sincera opinião teve um lado bastante postivo, pois que juntou duas facções distintas do MFA num ponto comum: qu não se admite o estado a que chegamos e qu a democracia em si corre sérios riscos de ficar arruinada e com todas as consequências qu poderão vir desta ruína.

Até aí muitos de nós chegamos, mas também estamos fartos da mesma conversa quando chega o 25 de Abril, mas não aparece nada feito numa nação que em muitos pontos está pior que nos tempos supostamente negros do Estado Novo e qu algo tem que ser feito em prole da nação e até agora nada foi feito para que o lodo em que Portugal se encontra se suma de uma vez e a democracia conquistada em Abril e consilidada durante o PREC volte a ser uma realidade pura e dura e não uma simples utopia que possa vir nos manuais escolares de história ou em alguma coluna jornalística sobre o dia da Primavera lusitana tão crónica e oca como são as marchas de Santo António ou as passagens de ano pela televisão, em especial nos canais privados de televisão.

Eu como português estou mais do que farto do estado a que chegamos e sei de consciência tranquila que algo tem que ser feito e depressa, senão ainda pode haver algum desvio extremista que mataria de vez a democracia em Portugal ou mesmo o pouco que ainda resta das conquistas reais do 25 de Abril.

E ficam as minhas perguntas de sempre: Aonde está a democracia em Portugal ? Será necessária uma nova revolução ? Quem ganha com o estado a que chegamos ? Por que raio os capitães nunca têm voz no parlamento durante os festejos oficiais ? Porque matam a liberdade ? Para que nos serve a república e o seu presidente ?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

400 polícias aguentaram protesto de colegas e oposição exige soluções

 

 

 

Oposição critica o Governo considerando que deve dar melhores condições aos polícias. Cavaco Silva lembra que “nunca se pode ignorar as vozes que se fazem ouvir na rua, quaisquer que elas sejam”.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

(Fonte: Público)

No dia seguinte ao da manifestação da polícia que foi semelhante a uma troca de latidos entre cães ou algo muito semelhante mas onde nada de especial aconteceu como muitos temiam que acontecesse como o facto de haver subida das escadarias ou mesmo a ainda mais temida invasão do parlamento que poderia fazer lembrar outros eventos que acontecem lá fora e que aqui em Portugal teriam consequências que ninguém conseguiria prever se soube de um facto que é de bradar aos céus.

Hoje, se soube através de uma mensagem/documento que as três associações de militares (Associação dos Oficiais, Associação dos Sargentos e a Associação dos Praças) que entregaram no Tribunal Constitucional, que os problemas económicos nas Forças Armadas ultrapassaram e muito os limites do tolerável sobretudo com estes cortes feitos, não em nome da nação, mas sim em nome da troika e estes cortes estão a levar os militares para situações humilhantes como é o caso de haver militares, segundo a mesma missiva, que mendigam os restos de comer nas messes para alimentar os seus parentes e até mesmo para os próprios militares se alimentarem e nestes casos de falência familiar há militares que não conseguem pagar as despesas mensais das suas casas ou ter uma refeição digna.

Com as Forças Armadas da nação chamada Portugal se chegou a uma situação limite para aqueles que numa distante  Primavera nos trouxeram a liberdade e a paga que o poder político da república lhes deu foi apenas miséria, fome e falta de respeito por uma classe que é a cobaia de todos os cortes e mais alguns que depois se vão reflectir nos civis e por este caminho vamos ver muita boa gente com salários razoáveis a começar a ir aos caixotes para comer porque apesar da quase deflação do euro, cada vez se tem menos dinheiro para uma refeição digna em Portugal graças a uns cortes que ninguém sabe para que servem, mas se sabe que os maiores chulos e ladrões da nação nunca fazem cortes.

Se sabe por enquanto que vai haver um protesto da Família Militar no dia no 15 do presente mês de Março na escadaria da assembleia da república e que os militares afirmam que vai ser um protesto semelhante ao dos polícias, porque também trata de problemas sociais, mas que vai ter moldes diferentes do protesto dos policias que podem contar com o apoio e a solidariedade dos militares de todos os níveis.

Ao se confirmar este apoio solidário ainda se levantam mais dúvidas porque motivo, os polícias ontem não foram mais longe no protesto, todavia no protesto dos militares peço que haja alguma calma porque muitos trazem as famílias e não seria bom para ninguém se num acto de inconsciência alguma mulher ou criança fosse ferida por algum acto estúpido das forças da ordem; e vos digo isto porque se soube que os polícias que guardavam ontem o parlamente tinham ordem para repetir outro "Secos e Molhados", ou seja, fazer uso da força.

Vamos ver se aguma mente perversa vai mandar a polícia de choque para cima de crianças ou adolescentes, bem se o fizerem, apenas resta uma solução que é simplesmente acabar-se com o estado a que chegarmos e se por algum motivo a verdadeira democracia, o respeito pelo ser humano em especial aquele que se sacrifica pelo próximo ou pela nação não existe de forma nenhuma, este respeito tem que ser imposto como foi feito no 25 de Abril e se esta mesma reposição tiver como custo o fim da república, então que se acabe com a república porque não existe nenhuma república no mundo que valha o sacrifício da liberdade e dos direitos humanos.

E ficam as minhas perguntas de sempre: Como foi possível se chegar a este ponto ? Quem é o culpado ? Quem ganha com isto ? Quando é que esta nação é uma nação de gente civilizada ? Quando é que se acaba com este estado a que chegamos ? Porque todos se calam ? Foi para isso que fizeram Abril ? Para que nos serve a república e o seu presidente ?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

A escolha de hoje é devida a estas agitações que têm acontecido nos tempos mais recentes e que poderá também acontecer em Portugal

 

 

 

 

 

 

 

Call To Arms - Manowar (versão legendada)

 

 

 

espero que seja do vosso agrado

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Enquanto a situação na Ucrânia está-se a aproxmar de uma certa acalmia, embora os cães do costume ladrem muito, mas sabem se se morderem se aleijam os dois e continuam a ladrar embora a quererem-se dar bem, para bem de toda a humanidade já farta de tanta guerra por este mundo fora que reduz a civilidade dos seres humanos no seu todos como animais ou seres de uma raça animal inferior ou atrasada entre o animal irracional e o animal racional, mas que consegue pensar menos na vida do que um cão ou um gato.

Amanhã vai haver na Praça de S. Bento, na base das escadarias da assembleia da república, mais uma manifestação por direitos que lhes são roubados de forma sistemática pelos desgovernos da república, mas que nunca se tinha chegado ao ponto que se chegou e os conflitos entre o (des)governo da república, não aqueciam tanto desde do triste episódio dos "Secos e Molhados" onde o desgoverno da altura liderado por um tal de Cavaco Silva, colocou polícias contra polícias, apenas porque alguns polícias queriam ter o direito ao seu sindicato e passados 25 anos (bolas que o tempo voa) do "Secos e Molhados", um certo medo da repetição dos eventos de 1989 se volta a levantar do lado sobretudo dos sindicatos das forças da ordem.

Este receio tem a sua lógica porque o número de manifestantes confirmados vai ser muito maior do que no protesto de Novembro de 2013 e continuam a ciruclar pelas redes sociais apelos a violência e a revolta entre os membros das forças da ordem é cada vez maior e além deste aumento da revolta entre as forças da ordem que cada vez passam mais fome e cada vez mais estão desesperados e agora ainda mais quando se ouve falar ainda em mais cortes e já se sabe que quem paga estes cortes são sempre os de sempre, ou seja, os que ganham menos como é o caso das forças da ordem que em Portugal cada vez mais ganham pior.

Por uma daquelas coincidências que ninguém explica hoje comecei a ler com olhos de ver, as primeiras páginas do livro "Mein Kampf - A Minha Luta" de Adolf Hitler e muito do que serviu de gérmen ao  surgir do nazismo está a acontecer agora em Portugal e o caso das forças da ordem é apenas a ponta do tentânculo da miséria e da desigualdade que existe na nossa sociedade porque há uns poucos que têm todo o apoio do poder decadente e que têm todo o dinheiro a custa daqueles que trabalham por umas moedas e existem os outros que trabalham e que cada vez têm menos para comer.

Apenas espero que este protesto das forças da ordem seja um protesto não apenas só das forças da ordem, mas que estas também façam pensar na enorme maioria silenciosa e silenciada que existe em Portugal e que passa fome e que não tem voz e cada vez existem mais esfomeados a conta de muitos burgueses e privilegiados...

Como sempre, as perguntas: Será que vamos ter um protesto pacífico ? Ou vamos ter um novo Secos e Molhados ? Será que mais alguma classe vai sair a rua ? Até quando esta situação vai durar ? Foi para isso que se fez Abril ? Para que nos serve a república e o seu presidente ?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

 

Ainda ontem falei aqui em limtes que foram ultrapassados por este desgoverno a falta de respeito que existe em relação as Forças Armadas numa reunião que se realizou há poucos dias e esta reunião juntou "apenas" 700 oficiais que deixaram ponto assente que algo vai ser feito no próximo mês de Março que já está marcado pelo menos com a manif das polícias e afins no dia de 6 de Março.

Os oficiais das Forças Armadas decidiram nesta mesma reunão que vão fazer tudo que lhes for possível para reverter os "problemas" que estão a afectar os militares e que em breve vão definir acções para mudar o rumo das coisas e segundo o presidente da Associação dos Oficiais, Pereira Carcel; ainda disse que estas acções irão ser decididas o mais depressa possível.

Com este tipo de conversa é simplesmente conversa de quem está a preparar uma revolução ou quanto muito um pronunciamento militar porque este desgoverno que se limita a fazer cortes a todos menos a si mesmo está a pedir medidas radicais porque o desgoverno da ditadura Passos Coelho está a pedir um correctivo para aprender qual a verdadeira definição de democracia porque parece a terem esquecido e como tal tem que voltar a aprender nem que seja a espadeirada e pelo que se lê nos jornais e nos sites das rádios é o que deve acontecer porque não há outra forma de o resolver e o presidente da república não passa de uma múmia exposta no Palácio de Belém e que de entre outros defeitos conhece a máfia do BPN e foi PIDE, resumidamente um bom rapaz.

Está mais do que visto que vamos ter ago mais do que militares na rua a contestarem os cortes feitos à classe que mais tarde ou mais cedo acertam nos civis e este protesto poderá tomar contornos que lembram uma distante Primavera nos anos 70 e o escaldante Verão que se seguiu a esta mesma Primavera onde por muito pouco não comçava tudo a batatada e até o governo da altura fez greve porque estava farto de ser lixado por na altura era o povo que lixava os politicos e não o que se vê agora.

Vamos ver o que esta agitação castrense vai dar porque correr no facebook a convococação de manfestação de antigos combantentes para dia 1 de Março, a qual se junta a dos polícias e GNR's e restantes forças da ordem no dia 6 e agora os militares do QP andam com reuniões que podem lembrar temos agitados dos quais este ano se comemora 40 anos.

E ficam as perguntinhas de sempre: O que nos espera ? O que vem para aí ? Será que vamos ter uma nova revolução ? Será que o presente estado da nação tem os dias contados ? Para que nos serve a república e o seu presidente ?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar