Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Opiniões e Críticas Secretas

Opiniões e Críticas Secretas

Apesar de estar adoentado foi-me impossível ficar indiferente a transmissão pela RTP,  este Domimingo dia 15 de Fevereiro; do concerto dado pelo grande Conan Osíris no Coliseu dos Recreios há alguns meses atrás e onde o talento do mesmo cantor foi mostrado e quem viu, de certeza ficou com vontade de ver o próximo trabalho deste Rapaz do Futuro que também nome de deus egípcio que...ressuscitou.

Neste mesmo concerto o vencedor do Festival RTP da Canção 2019 andou por várias nuances musicais até dando um beijo a músic clássica quando apresentou a sua música mais conhecida com um arranjo delicioso com orquestra de cordas que me deixou de queixo caído.

E logo no início do concerto foi impossível não fazer uma ponte entre António Variações e Conan Osíris porque ambos foram cuspidos e apedrejados pela crítica, apesar de ganharem fãs com o passar o do tempo e ambos nunca tiveram medo nem de pensarem diferente nem de irem contra a mesmice em que a música que é considerada como aceite nas respectivas eras de existência.

Esta ponte se notou de forma sensível quando o mesmo Rapaz do Futuro chamou os Pauliteiros de Miranda lembrando o fascínio que Variações tinha pelo folclore e ao reforçar esta ponte, o mesmo Rapaz de Futuro além da música clássica ainda contou com música africana, chinesa e bengali. Para culminar esta ligação ao homem que estava sempre além....Osíris conseguiu completar o passo que Variações não conseguiu...fazer um dueto perfeito com uma fadista, não foi Amália, mas sim Ana Moura que esteve à altura do Rapaz do Futuro...

Para os críticos  que atacam Osíris e bajuladores do Novo Nacional-Cançonetismo recomendo um pequeno remédio é que voltem aprender a ler e leiam as letras de cada música de Osíris e entendam a mensagem ou mensagens que cada uma contém.

Para encerrar o grande espectáculo dado no Coliseu dos Recreios, Conan Osíris cantou e encantou com a sua hiponotinizante balada dedicada a rainha do fado de seu título "Amália" e com o encore do sua obra maior "Telemóveis" na sua versão mais conhecida e como sempre com uma humildade que apenas o coloca num estatuto mais elevado fez questão de partilhar o palco quando agradeceu ao público que encheu a plateia num concerto 360º dado na principal sala de espectáculos da capital da Lusitânia.

 

Apenas peço uma coisa: Que a carreira de Conan Osíris nunca pare e nunca pare de nos encantar e que o mesmo lance mais discos no futuro.

 

Para os críticos que o atacam, botas de elástico, e outros afins deixo uma citação da Bíblia: Bem-aventurados os humildes de espírito, porque deles é o reino dos céus...

 

Post-Scriptum: Começo a desconfiar que escolha do nome artístico Conan Osíris tem a sua mensagem... o Rapaz do Futuro num mundo após-apocalíptico e ... o deus egípcio que ressuscitou dos mortes e começo a pensar se este Osíris não será a forma da música nacional ressuscitar do actual estado de mumificação que se encontra de Novo Nacional-Cançonetismo 

 

Post-Scriptum 2: deixo dois vídeos do que vi na RTP tirado por um sortudo ou sortuda que foi ao concerto:

 

 

 

 

 

 

Após quase dois meses de espera depois de ter feito a pré-compra dos bilhetes ... fui este domingo assitir, na reonvada Sala 4 do cinema Nos Colombo ao talvez último capítulo da Saga Star Wars; A Ascenção de Skywalker

Os vários supostos leaks e teasers que apareceram ao longo do tempo ainda me aguaçaram mais o apetite para assistir ao talvez último capítulo da saga criada por George Lucas a mais de 40 anos.

Não quero dar spoilers neste meu artigo de opinião sobre um dos filmes do ano que foram exibidos nos cinemas da Lusitânia, o garantido é que este filme atou muitas pontas soltas de capítulos anteriores e ao mesmo tempo abriu espaço para possíveis sequelas do capítulo IX da saga Star Wars.

A equipa dirigida por JJ Abrhams se superou e fez uma película que foi a chave para toda a saga e que o som ATMOS da sala 4 do cinema Nos Colombo ajudou a completar o prazer de assitir a um grande filme e a aclamação com um aplauso final foi geral, nota que esta aclamção não aconteceu no capítulo anterior da saga. Star Wars VIII - Os Últimos Jedi.

Este capítulo aparetemente final foi uma viagem no tempo para aqueles que cresceram ao ver saga principal e a prequela porque esta obra-prima foi o fechar de um ciclo e o abrir de outro e ficou a expectativa que algo mais está para vir para atar as pontas que ficaram por atar....

Valeram os 7,00 € do bilhete as cercas de 3 horas que o filme dura (intrevalo incluído), mas o filme é tão bom que nem se dá pelo tempo passar e o final que deram a mítica personagem Leia... é algo digno desta saga que cativa milhões em todo o mundo e nos ensina a ser melhores pessoas.

 

Que Força esteja convosco

 

Post Scriptum: todos qur puderem vão ver esta obra prima do cinema

Esperei muito pelo dia em que conseguisse ver um dos melhores filmes portugueses algumas vez feito senão mesmo o melhor filme português alguma feito de seu nome "Variações"

Esta brilhante película realizada por João Maia e protagonizada de uma forma para além do brilhante por um excelente actor de seu nome Sérgio Praia que encarnou na perfeição o cantor mais fora da caixa que existiu em Portugal durante a década de 80 e que teve uma passagem meteórica pelo panorama musical português, todavia apesar de meteórica e rejeitada pela "intelectualidade" musical da altura deixou um legado eterno.

Confesso que ao ver os trailers do mesmo filme fiquei com uma vontade terrível de ver o filme e andei a batalhar para ter bilhetes para o mesmo filme que não era o facto de ser português que lhe iria tirar o mérito e até poderia aumentar o mérito tanto da equipa técnica como de todo o elenco que encarnou os respectivos papeis na perfeição.

Agora entrando a sério no filme....

Para mim foi outra viagem no tempo como foi Bohemian Rhapsody onde foi pincelada numa grande tela a vida do brilhante cantor do seu nome artístico António Variações e os seus altos e baixos na sua vida em duas horas e onde muitos momentos marcantes do cantor foram mostrados de uma forma que deixou colado na cadeira da Sala 5 do Cinema NOS do Colombo.

Fiquei com a mesma sensação que tinha entrado no DeLorean DMC 12 de "O Regresso ao Futuro" e estava a flutuar numa dimensão paralela onde acompanhava os pontos mais marcantes da vida artística de António Variações e o Actor Sérgio Praia e escrevo Actor com letra maíscula porque o merece soube vestir a personagem ao ponto de cantar algumas músicas de António Variações disponíveis em CD e Cassete e acho que também dá para ouvir no Spootify.

Para não vos dar spoilers apenas digo que este filme é uma verdadeira Rapsódia Bohemia bem lusitana e que a Obra-Prima Variações tem todo o direito de ser inscrita nas canditdaturas para o Oscar de Melhor Filme Estrangeiro e o Actor Sérgio Praia fez um papel único, brilhante e épico praticamente sem paralelo no cinema português que apenas a dupla João Arrais/Miguel Borges estiveram próximos quando desempenharam o papel do maior herói português da I Guerra Mundial, o Soldado Milhões.

Ao dar um olhar atento a saga artística de Variações que foi curta, mas intensa e icônica, não deixei de reparar na rejeição que o mesmo sofreu pelo intelectuais da música da altura e praticamente em Portugal só lhe deram o devido valor depois da transmigração para o Valhalla dos grandes ícones e anda por aí um rapaz que se fez a si mesmo como cantor e que a nova geração de intelectuais da música o rejeitam, mas o público no geral o aceitam,  e uma vez alguem me disse que a História é um ciclo e tudo se repete... apenas espero que o reconhecimento do Rapaz do Futuro com apelido egípcio não seja semelhante ao que teve Variações....ou seja só lhe deem mérito apenas depois de ter uma existência apenas espiritual

 

Deixo apenas a recomendação que comprem o disco ou cassete, no caso não puderem oiçam pelo menos pelo Spootify e vão ver o filme porque é magnífico

 

E que esta Obra-Prima seja inscrita na lista de canditatos de Oscar de Melhor Filme Estrangeiro.... pelo menos 

 

 

Post-Scriptum: o próprio Sérgio Praia canta todas as músicas que constam do CD da banda sonora

Há coisa de 3 / 4 meses quando Bruno Lage, veio substituir Rui Vitória como treinador do Benfica, os arautos da desgraça já tinham crucificado o emblema lisboeta e que já estava fora da conquista ou da reconquista do campeonato, dado que nunca tinha dado a reviravolta a um campeonato com o Porto em primeiro lugar no final da primeira volta com 7 ou mais pontos de desvantagem.

E eu como acompanhante de futebol americano tenho assistido a várias quebras de estatísticas como a mítica remontada da edição 51 do SuperBowl onde os vencedores, New England Patriots, recuperaram de uma diferença de 25 pontos (algo que nunca tinha acontecido na história do evento) ou o Euro 2016 e da forma como Portugal o ganhou só com uma vitória em 90 minutos nunca deitei a toalha ao chão e apenas fiquei desiludido com Rui Vitória para não dizer pior.

Como diz o povo há males que vêm por bem e a entrada de Bruno Lage rejuvenesceu a equipa da Águias e as vitórias se somaram umas atrás das outras só havendo um tropeção com o Belenenses SAD, e dentro destas vitórias se inclui uma vitória no...Estádio do Dragão e outra contra do Sporting em Alvalade e uma esmagadora vitória sobre o Braga.

E esta soma de vitórias e com a ajuda de deslizes dos principais rivias colocaram o Benfica a um ponto de ser campeão quando antes da entrada de Bruno Lage, ninguém acreditiva nem nos seus sonhos mais psicadélicos.

Mas nunca devemos dizer nunca aos nossos sonhos e o impensável aconteceu, pela primeira vez o Befica fez a remontada na I Liga depois de estar com 7 pontos a menos em relação ao Porto e agora fica a faltar um ponto para a festa suprema e haver Santo António antecipado na Avenida da Liberdade....

E que se realize o sonho

A frase não é minha, é de um ídolo de uma vida chamado Jorge Perestrelo que caso fosse vivo e fizesse o relato do jogo de hoje entre Portugal e Polónia no Estádio Veledrome de certeza que teria uma reacção muito parecida a que teve há 12 anos atrás (ainda este blog era uma criança) iria provavelmente dizer a mesma voz embora o duelo de hoje entre os Patrícios modelo 2.0 e a Polónia tenha sido menos agitado que o duelo luso-britânico de há 12 anos atrás no Estádio da Luz.

O jogo foi marcado pelos dois golos em bola corrida e onde a defesa lusitana compremeteu e muito e foi graças a um destes muitos erros que apareceu o golo da Polónia logo aos dois minutos de jogo e o ataque dependeia muito de Cristiano Ronaldo e era feito de uma forma trapalhona até por alturas do minuto 30 da primeira parte onde o seleccionador nacional Fernando Santos acordou e deu ordens para que as linhas de meio-campo e ataque mudassem de posição e pouco tempo depois aparece o golo do miúdo da Musgueira, o novo menino de ouro do futebol nacional, Renato Sanches que ao receber a bola endossada por Nani, cheio de raiva remata a baliza polaca e o seu remate ainda ressalta na perna de um jogador polaco o que tornou ainda mais o indefensável remate que levava o selo de golo assim que saiu do pés do diamante lapidado na academia do Benfica e agora vai ser mais uma estrela na constelação chamada Bayern de Munique.

Depois dos golos o jogo viveu de ataques e contra-ataques onde a defesa portuguesa compremeteu e muito e a aselhice dos jogadores polacos também tiveram a sua dose de parte no resultado que se registava aos 90 minutos. Depois dos 90, mais meia hora de bola onde nenhum dos conjuntos arriscou em demasia para não dizer quase nada chegando o jogo a parar literalmente havendo uma surtida ali ou acolá mas sem grande perigo e o prolongamento se findou e veio a chamada lotaria dos penalties onde desta fez Portugal foi mais feliz do que há 4 anos e onde não houve ganâncias para saber quem marcava e após 3 penalties, Rui Patrício defendeu o quarto penalty dos polacos e um penalty de Ricardo Quaresma bem colocado marcado a la Koeman enviou Portugal para as meias-finais de dia 6 que vai jogar com quem sair do duelo entre Bélgica e País de Gales.

Pela terceira vez em quatro possíveis, está nas meias finais de um europeu de futebol e sinceramente, temos que começar a ver Portugal como potência regional do futebol porque mais nenhuma selecção tem as façanhas que Portugal tem que é ser a única selecção que esteve sempre nas fases a eliminar dos europeus de futebol desde que adoptaram o formato de grupos de 4 selecções em 1980 e para selar este papel de potência regional, só falta aos Patrícios 2.0 ganharem o caneco no dia 10 e quem chega as meias finais já pode acreditar em tudo e querer tudo de si.

A arbitragem foi um desastre completo e não foi digna do jogo de hoje que abriu os quartos de final do primeiro europeu de futebol com 24 selecções e fartou-se de fechar os olhos a várias faltas evidentes de ambos os conjuntos sobretudo cometidas pelos polacos ao ponto de roubar uma penalty a Portugal pouco antes do menino de oiro ter aberto o livro e ter atirado aquele tiro contra o marasmo em que se encontrava a selecção nacional e espero bem que nos jogos que se seguem hajam melhores árbitros.

 

Bem ; fica o marcador

 

 

 

 

Portugal 1 (Renato Sanches 34') - Polónia 1 (Lewandowski 2')

 

 

Penalties

 

Portugal  - 5 Polónia - 3
Cristiano Ronaldo (marcou) Lewadowski (marcou)
Renato Sanches (marcou) Milik (marcou)
João Moutinho (marcou) Gilik (marcou)
Nani (marcou) Błaszczykowski (falhou)
Quaresma (marcou)  

Há pouco tempo atrás foi a final do programa de caça talentos da RTP: The Voice Portugal e mais uma vez a bodega do R&B que marca o actual pop/rock mundial (estilo da Rhianna e Keisha e afins) foi o grande vencedor do programa em si ficando em terceiro lugar um cantor que deu o coiro no concurso com uma voz rara para tenor não-profissional....

 

Mas nos países mais civilizados do mundo como a Espanha ou a Roménia têm aparecido talentos à parte, verdadeiramente cósmicos e na versão infantil do mesmo programa em Portugal havia mais variadade de escolhas nas músicas por parte dos jovens cantores, mas desta vez vos trago dois vídeos que mostram a evolução de uma cantora espanhola que cantou com sete anos de idade uma música que para mim está no top 5 das maiores músicas da humanidade de todos os tempos: a ária Nessun Dorma da ópera Turandot que foi imortalizada por Luciano Pavarotti e que felizmente ganhou o programa da cadeia de tv espanhola Antena 3 e este número foi em 2010..... e o talento da cantora Lúcia García é algo divino.....

 

 

 

 

 

 

 

 

 

e depois canta Adágio com 12 anos....

 

 

e assim vemos como a civilização está aqui mesmo ao lado em Espanha enquanto nos perdemos em novelas sem fim e em reality shows.....

 

 

 

 

 

A escoha de hoje não podia ser outra porque além do que me aconteceu na quinta-feira me deixou quase assim, mas também dedicada a selecção do Chile que ganhou a Copa América nos penalties batendo a super-Argentina de Messi e companhia....

 

 

 

We Are The Champions - Queen

 

 

 

 

espero que seja do vosso agrado

 

 

 

 

 

 

Hoje passaram 50 anos de um dos discursos mais famosos da humanidade onde se defendia a igualdade racial entre os seres humanos e a paz no mundo e entre os homens; mas passados 50 anos nada saiu do mundo dos sonhos e basta ver um pequeno país assim como Portugal para ver que não há sonho nenhum e no mundo então é um pesadelo digno de filme de terror da Última Sessão ou algo parecido.

Em Portugal se alguém de alguma minoria faz algo de extremo, as notícias são censuradas e se alguém defende contra alguém das chamadas minorias é logo considerado racista e é o maior dos criminosos mesmo se alguém das minorias lhe mata um familiar ou lhe rouba algo de valor ou passa o tempo a fazer aquilo que agora se chama de Bullying; mas se um preto ou outro qualquer membro de uma minoria parte algo de valor ou comete qualquer crime raramente é apanhado e se é apanhado acaba quase sempre solto como fosse um político da república e Portugal do fim das contas está mais numa de ser um Portugal ao estilo de Malcolm X do que um Portugal ou mesmo lusofonia pluriracial e pluricontinental do Minho a Timor.

Não que todos os membros das minorias sejam uns escroques porque em todos os grupos humanos há gente boa e gente má, mas existe algo de demasiadamente mau que é o salvaguardar de qualquer maneira das minorias a conta da maioria e isto não é nenhuma democracia porque numa verdadeira democracia ou comem todos ou não come ninguém.

No mundo para cúmulo da ironia, um prémio Nobel da paz está a preparar mais uma guerra no mundo mas não é o único e cada vez temos menos o sonho e mais o pesadelo de uma humanidade que se está a esquecer que está a contribuir para uma antecipação do Armagedão e se esquece que no caso de existir um Deus lá em cima no Céu, do que Ele está a pensar do que estamos a fazer ao mundo que Ele criou; mas este mundo apenas usa a religião e a sua parte racional e idealista para interesses próprios o que viola quaisquer princípios sagrados.

Infelizmente não temos outro mundo para ir e a Lua é demasiadamente inóspita para acolher seres humanos que queira ter paz, enquanto os senhores da guerra andam a matar inocentes como fosse a abater cabeças de gado o que me faz sempre evitar os telejornais para não me enervar porque a fraca saúde não o permite.

Sim estou contra o uso de armas químicas na Síria e tal uso deve ser punido de forma exemplar, mas quando há tanta notícia contraditória na imprensa e nas redes sociais, o bom senso apenas recomendaria quanto muito a presença de vasos de guerra a uma distância considerada razoável de forma a servirem de medida de persuasão para que acabem os massacres e o uso de armas químicas e que a situação se resolva a bem.

Com toda a certeza não foi este o sonho que Martin Luther King teve há 50 anos, onde passado meio século, o mundo cada vez é mais um real pesadelo do que um utópico sonho de paz que teve reflexos em músicas intemporais como Imagine de John Lennon ou Is This The  World We Created ? dos Queen.

E ficam as minhas perguntas de sempre: Quando o sonho de paz se torna numa realidade ? Quando é que o mundo melhora ? Aonde está o sonho de King ? Que mundo é afinal este que estamos ? O aconteceu ao mundo que Deus criou ? O que fizemos com o mundo que Ele criou ?

Como sempre; vos peço para ler, comentar e divulgar