Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Opiniões e Críticas Secretas

Opiniões e Críticas Secretas







Ministério Público arquiva processo dos submarinos


 


 


 


O vice-primeiro-ministro, Paulo Portas, aparecia referido como um dos “intervenientes com papel relevante na forma como foram negociados e adjudicados os contratos de aquisição e de contrapartidas”.


 







Uma comissão que acaba, outra que começa e um nome em comum: Paulo Portas

 

 

 

 

 

 

O inquérito aos submarinos terminou, mas as comissões pagas pelos construtores alemães ao Grupo Espírito Santo são tema na nova comissão parlamentar. O vice-primeiro-ministro é o primeiro depoente na lista do PCP.

 

 

 

(Fonte: Público)

 

 

 

A comissão parlamentar de investigação das contrapartidas de compra de material militar nos tempos de Portas como ministro da defesa encerrou os seus trabalhos recusando seguir o rasto do dinheiro envolvido quando toda a imprensa fala ou falou de comissões pagas a ESCOM (uma subsidiária do Grupo Espírito Santo) e a membros da mesma família de comissões de consultadoria para as contrapartidas de aquisição.

Pelo que se sabe a ESCOM não fez nada nas costas das chefias do Grupo Espírito Santo e quando se está literalmente a milímetros de se chegar aos 30 milhões em comssões que foram parar ao GES e aos seus directores a mesma comssão cessa funções quando muito ficou por explicar e quando a cúpula do GES não foi ouvida com ouvidos de ouvir embora os deputados lamentem não terem poderes para poder dar voz de prisão ou julgarem de alguma forma este caso porque este direito está reservado aos tribunais.

Pouco mais se sabe deste assunto a não ser que o relatório preliminar da mesma CPI estará pronto no dia 7 para possíveis correcções e respectiva votação do projecto final e esta CPI foi como as outras que não levaram a lado nenhum e sempre deu um bónus extra nos salários dos deputados da república por estarem numa CPI.

E ficam as mesmas perguntas intrigantes: Porque fizeram isto ? Porque não quiseram saber por onde param os 30 milhões ? Quem andam a proteger ? Afinal para que servem as CPI em Portugal ?

Como sempre vos peço para ler comentar e divulgar

Outro caso que está de novo a voltar a estar na moda é o caso dos Submarino que por sua vez está ligado ao caso BES porque foi numa reunião da cúpula do Grupo Espírito Santo que começou a guerra entre os primos José Maria Ricciardi e Ricardo Salgado e ao mesmo tempo se soube neste não muito distante 7 de Novembro de 2013 que cada uma das faccções da família Espírito Santo recebeu como comissão do serviço de consultadoria feito pela ESCOM, subsidiária do GES; cinco milhões de euros cada uma em comissões.

Este começo de guerra que no fim acabou com a queda do grupo Espirito Santo foi a aplicação daquele provébio que diz: "Se zangam as comadres, se sabem as verdades" e esta comissão quem sabe se foi o princípio da queda do GES e por tabela do centenário Banco Espírito Santo e vamos ver, porque a notícia é mesmo fresquinha como os gelados; quem mais recebeu nesta negociata e quem ficou a ganhar e ao mesmo tempo me admiro como nem as finanças nem outra qualquer entidade se mexeu para evitar que este negócio verdadeiramente mafioso fosse feito ou depois de feito nnguém deu caçada aos responsáveis dando a bela imagem de inutilidade do sistema judicial da república bem como da fiscalização financeira em todos os seus apsectos e formas.

No fim das contas quem está a pagar esta treta toda é o otário contribuinte que passa desde que existem governos constituicionais a apertar o cinto para que estas grandes negociatas se façam e ainda queriam que se apertasse mais o cinto; mas alguém viu que já era demais ou que o português comum estava a ficar demasiadamente parecido com as vespas e que tal aspecto não seria positivo de alguma forma para a nação; mas o mal está feito e agora recuperar o que se perdeu é que vai ser o cabo dos trabalhos porque ninguém quer assumir este trabalho de forma que seja feito de uma forma justa e muito menos querem assumir as culpas.

Pouco ainda se sabe, mas se sabe que a coisa é feia e segundo alguns jornais a PJ já anda em cima de Paulo Portas (pelo menos segundo o Correio da Manhã) e a imprensa dá a entender que esta investigação que nem ata nem desata vai avançar desta vez, nem que seja para o arquivo como é da praxe das investigações quando metem gente grande no meio nem que seja por acidente.

Como não poderia deixar de ser, as perguntas de sempre: Até onde isto vai dar ? Quem ficou a ganhar mesmo com este caso? Porque ainda ninguém respondeu em tribunal sobre este caso ? Qual a verdadeira ligação entre o caso dos submarinos e o caso BES ? Quanto é que nos custou esta brincadeira ? É para isso que pagamos impostos ?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

Volto de novo ao caso dos submarinos que como se sabe começou a ser desenhado ainda em tempos de Guterres pelo simples motivo que os dois submarinos que Portugal tinha a uso na Marinha de Guerra na altura tinham sido construídos em França ainda nos anos 60, entre 1967 e 1969 e que foram comprados novos pela marinha portuguesa e que cujo desenho se assemelhavam aos últimos submarinos do Terceiro Reich e a segurança dos mesmos 4 submarinos era constantemente questionada porque nenhum deles tinha instrumentação digital e nem computador de bordo de origem e a muito que já tinham passado do tempo útil de vida e um deles tinha sido satirizado pelo programa Malucos do Riso quando o submarino Barracada afunda e as comunicações do mesmo simplesmente deixam de funcionar (piada directa um dos submarinos que se chamava Barracuda).

Na CPI que está a investigar a compra dos novos submarinos da Marinha de Guerra da República, António Guterres respondeu por escrito e na sua resposta, Guterres afirmou ter sido contactado de forma insistente pelo Chanceler Gehard Schroeder que também é socialista que prometeu mundos e fundos a Guterres caso este escolhesse o consórcio liderado pela Ferrostal quando o mesmo Guterres estava virado para um consórcio francês embora tenha levado pressões tanto do lado francês como do lado alemão; mas nada se soube sob a responsabilidade da escolha segundo as palavras de Guterres.

Se sabe que o PSD culpa o ministro da defesa de Guterres, Rui Pena; e o PS culpa o ministro da defesa de Cherne Barroso, Paulo Portas; uma coisa é certa um deles fez a escolha que acabou por lesar as finanças públicas e ninguém quer assumir que errou na escolha embora esta tivesse que ser feita; o problema é que quem paga no fim os erros do poder político da república são os otários dos contribuintes e este caso dos submarinos dá para ver de que massa são feitos os políticos da república que provam ser de muita má rés e não valem um tusto furado porque em vez de servirem a nação, se servem da nação até ao final dos seus dias de vida.

Não consigo saber porque fogem das responsabilidades e depois se armam em santinho que nada têm a ver com aquilo que falta nos cofres públicos e depois passam décadas a falar em crise como Portugal fosse o Brasil que praticamente vive em crise permanente ou algum outro país mais atrasado do que Portugal sobretudo na matéria económica.

E ficam as minhas perguntas de sempre: Quem tem a culpa do caso dos submarinos ? Porque ninguém a assume ? Quem paga a conta ? De onde surgiram estes políticos boçais ? Para que nos serve a república e o seu presidente ?

Durão nega encontros com alemães da Ferrostaal, mas um deles disse o contrário

 

 

 

 

 

Ex-primeiro-ministro diz não ter tido qualquer contacto com representantes do consórcio. Admite um almoço com “numerosos” empresários alemães. Um destes disse no Parlamento ter estado com o social-democrata.

 

 

 

 

 

 

 

 

(Fonte: Público)

Mais cabos submarinos a ligarem negócios sujos ou enevoados o caso dos submarinos e o que se tem passado no grupo Espírito Santo nos tempos mais recentes e a comissão parlamentar de investigação está a mostrar ligações ocultas e submarinas entre os dois factos que a primeira vista pareciam não existir.

Hoje foram ouvidos dois responsáveis da ESCOM, um dos activos tóxicos do GES: Helder Bataglia e Luís Horta e Costa (curioso, há um analista de sondages na SIC com o mesmo apelido, e  existem vários cabecilhas do mundo financeiro e político com o mesmo apelido) que apesar de quase se terem fechado em copas, deixaram escapar um facto desconhecido dos deputados que é o facto da ESCOM que estava com o dossier das contrapartidas rescindiu o contrato com GSC Consortium porque logo depois de terem ganho o concurso público dos submarinos quiseram mudar as condições das contrapartidas e para ajudar a festa, o GSC sub-contratou vários consultores os quais foram pagos pelos consultores da ESCOM.

Estes outros consultores são advogados que o senhor Bataglia diz serem adovgados e que são do conhecimento do GES e ainda se soube que houve fluxo de dinheiros para contas em off-shores e que o Banco Espírito Santo financiou a compra dos submarinos que foi pensada ainda em tempos de Guterres e teve continuação durante estes anos todos e dá para ver o que se passa naquele parlamento e que não são coisas boas com toda a certeza.

Vejamos, a ideia da compra dos submarinos vem desde dos tempos de Guterres e com alguma razão porque os dois submarinos que faziam parte da Armada portuguesa: Barracuda e Delfim; eram ainda antes do 25 de Abril e ainda Guterres estava no poleiro, o Delfim foi abatido porque não havia peças de substituição e já não oferecia segurança a sua guarnição e o Barracuda tinha visto a sua duração prolongada de forma artificial e era tão antigo que nem computador de bordo tinha e nem sei se chegou a levar tal "luxo"; todavia o caso ficou em banho-maria porque ninguém se entendia no ministério da defesa no como fazer a coisa.

Em 2001, o governo muda e começa a negociata com Paulo Portas na pasta da defesa e continua durante o consulado de Sócrates que fez o favor de tornar ainda mais lodoso um negócio de si lodoso e agora depois dos submarinos entregues e que no início apresentavam defeitos de fabrico, se estão a saber umas verdades e uns podres incómodos, que por sua vez vão ligar a casos recentes de corrupção da república que como sempre dão em águas de bacalhau e ficam todos soltos como passarinhos.

E ficam as minhas perguntinhas: Existe mais alguma ligação do GES a algum caso mal explicado da república ? Quem vai pagar esta factura ? Afinal quem são os culpados no caso dos submarinos ? Será que vai aparecer mais alguém ? Afinal quem é que fica a ganhar ? Para que nos serve a república e o seu presidente ?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

De novo os submarinos entram neste recanto depois do antigo ministro Álvaro dos Santos Perereira do PSD disse na CP dos submarinos ter dito que as contrapartidas eram uma falácia e de Luís Amado, actual director do BANIF e antigo ministro dos tempos de Sócrates não ter dito nada de proveitoso na mesma CPI.

O que é certo andam uns a taparem uns aos outros e quem está por baixo é quem se lixa e neste jogo do empurra nada se apura em abono da verdade e muitos perguntamos de que lado está a verdade num caso que nunca mais está resolvido e apenas se vê um joguinho de bastidores bem nojento e onde o dever cívico dos eleitos está mesmo na gaveta como está o socialismo no Largo do Rato.

A novidade é que o ex-ministro da econmia do presente desgoverno foi aconselhado a deixar o caso dos submarinos em banho-maria e não se sabe quem deu este precioso conselho e se soube também que o arquivo da comissão das contrapartidas que era presidida pelo deputado Rui Neves foi parar ao escritório do advogado Sérvulo Correia e a Escom, uma empresa do Grupo Espírito Santo tem ou tinha os contratos das contrapartidas e o advogado Sérvulo Correia tem ligações especiais ao arco do poleiro tanto a socialistas como a sociais-democratas (pelo menos) não se sabe aonde param os dinheiros envolvidos na contrapartidas; uma coisa é certa no bolso não caiu nada e nem na grade parte dos portugueses.

Tantas ligações ente os casos polémicos que abrem os telejornais quase todos os dias e fazem capa de revistas e jornais é no mínimo estranho e mostra que a justiça da república deve estar a dormir ou com os olhos cegos, mas numa cegueira interesseira porque nunca quer caçar os tubarões e assim se mostra que em termos de justiça e quanto o assunto ou o crime se trata de corrupção e dinheiro; tudo acaba em águas de bacalhau tanto agora como no tempo do Estado Novo e a única diferença é que agora se sabe mais porque a censura não é tão apertada ou visível como era antes do 25 de Abril; mas não posso entender estas ligações estranhas e muito submarinas que ninguém de bom senso pode tolerar.

E ficam as minhas perguntinhas: Quem ganha e quem perde com isto ? Será que a honestidade paga impostos ? Quem paga estas brincadeiras ? Será que alguém vai ser condenado nesta brincadeira ? Para que nos serve a república e o seu presidente ?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

Apesar da praça de touros de S.Bento estar fechada para férias, o caso dos submarinos ainda tem mais conversa para dar e agora enquanto a palhaçada que é feita no palácio de S. Bento vai entrar em férias até mais ou menos a festa do Avante, um dos casos mais lodosos da república volta a vir a tona com avanaços que parecem ser mesmo para encher chouriços.

Agora os deputados socialistas que fazem parte da CPI dos submarinos querem mandar uma missão a Munique para saberem mais detalhes sobre o caso dos submarinos e esta vontade foi criticada pelos outros partidos na CPI do submarinos e se sabendo que este caso dos subamarinos começou a fermentar ainda em tempos de Guterres.

Os deputados classificam esta vontade como digressão ou "petit tour" e esta vontade teve como semente a recusa do ministério público para enviar para CPI dos submarinos em relação as contrapartidas para Portugal neste negócio e pelo que se sabe a parte alemã do caso está a ser resolvida ou foi resolvida e os envolvidos da parte alemã estão para ser punidos e em Portugal tudo está atolado na lama sem andar nem desandar e em vez de verem o que se passa em Portugal e achar uma solução para a resolução da parte portuguesa do caso dos submarinos; pensam em passear.

Há acusações de afunilamento da investigação, mas tanto bate boca que se vê, mas não se vê nada feito e este caso dos submarinos parece ser uma face oculta do CDS-PP e as ligações a outros casos que têm aparecido na nossa praça aparece em todos os jornais e pasquins e fico com a sensação que os socialistas se querem livrar de mais uma bronca que venha dos tempos deles no poleiro e agora querem passar a batata quente para cima dos outros que embora não sejam santos, também não têm as costas largas e estas ligações apenas provam que a república está a dar os seus últimos e derradeiros estretores de vida e que algo tem que ser feito a bem da nação porque eu e muitos estamos fartos de ver os nossos impostos irem para os lados errados e ao mesmo tempo ainda se tem que pagar para ir a um hospital público, a educação obrigatória não é gratuita e andamos nesta troca de mimos quando na realidade todos roubaram o seu pedacinho de lucro nesta novela.

E ficam as perguntas de sempre: O querem os socialistas ? Querem mais circo a volta dos submarinos ? Até isto nos vai levar ? Quando é que esta novela acaba de uma vez ? Será que vamos ter condenados ? Quem ganhou mesmo com isto ? E quem ficou a perder ? Quando é que passa a haver transparência e honestidade em Portugal ? Será a república uma quadrilha de percevejos malfeitores ? Para que nos serve afinal a república e o seu presidente ?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulga