Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Opiniões e Críticas Secretas

Opiniões e Críticas Secretas

Hoje até que as notícias foram relativamente boas em realção ao coronavírus com menos casos novos do que ontem e um número que é o mais baixo em 3 semanas em termos de caos novos e ao ler os números dados pela DGS e se estes estiverem certos e correctos fica a ideia que já se entrou no tal pico ou planalto.

Mas os recuperados continuam na mesma e com um crescimento semelhante ao de ontem nos óbitos (+29) e sendo os mais atingidos os mais idosos e logo aí já têm uma pista de como podem ir levantado aos poucos as medidas restritivas se quiserem.

Todavia isto pode ser apenas aparência porque este vírus é recente e traiçoeiro e não se sabe se numa mutação do mesmo aparece alguma estripe que via deitar tudo a perder e vai haver uma crise semelhante a dos EUA ou Itália porque com vírus novos como o coronavírus nunca se sabe o dia de amanhã e nem se pode fazer qualquer tipo de previsão.

De dublinhar que já há países que estão a retomar as actividades económicas que estavam paradas de forma gradual para evitar que a economia dos mesmos fosse para a fossa e ao mesmo para manter a sanidade dos seus habitantes e esta reactivação está a ser gradual para evitar um efeito tsunami na economia que poderia ter um efeito perigoso na mesma economia.

A ministra da saúde, Marta Temido diz que o "a expectativa do regresso a vida normal tem que ser tempreada"  (com quê?) e que se deve esperar até a descoberta da vacina, ou seja, mesmo em modo de carro de F1 uma vacina para estar segura para um humano leva 1 ano e esta barbie loira quer que o país continue em isolamento durante 1 ano, bem se ela me pagar o salário e os anti-depressivos por inteiro eu agradeço.

Esta senhora não tem mesmo noção do país onde vive e não sabe que Portugal não estômago em termos económicos para aguentar uma paragem muito longa e até o ministro Centeno, conhecido como Cristiano Ronaldo das Finanças Públicas diz que o PIB perde 6,5% por cada dia 30 dias úteis de economia parada, bem se esticarem mais o estado de emergência então temos que ligar para a Troika para entrar em Portugal de novo.

Já é chegada a hora das empresas colocarem meios de proteção a disposição dos funcionários e a actividade económica em Portugal ser retomada de forma gradual porque senão vamos ter mais uma vez o cinto apertado a conta dos socialistas, mas é o governo de direita que se segue a eles que é o mau da fita...com sempre

 

 

Com o chamado isolamento social, todas as actividades consideradas de risco e/ou que sejam propícias a ajuntamentos estão supsensas como eventos públicos ou as aulas escolares.

E neste ponto as mesmas têm que ser dadas a distância a todos os níveis de ensino e depois da febre do Mangalho com nome de navegador português ao serviço do reino de Espanha e que não chegou a terminar a viagem que foi uma das grandes "obras" do Sr. Sócrates Pinto de Sousa (eh lá, o herói da Ana Gomes também não é Pinto??) que para funcionar como deve ser, se tinha que ser um verdadeiro McGyver dos computadores e ter-se a pachorra do Mr. Robot para se lidar com tal dispositivo que pouco mais servia do que para jogar por que se carregasse muito a memória do dispositivo o mesmo queimava.

O mesmo dispositivo só dava para se escrever alguns textos em Word e jogar uns jogos para quem tivesse até 10 anos de idade, porque trabalhar com imagem no mesmo dispositivo era um desafio hercúleo e eu tive que ajudar e com todo o gosto uma colega minha do último curso do IEFP que frequentei a fazer um trabalho com imagem num Magalhães e foi um pesadelo mesmo para mim que já tinha formação informal na área num emprego que tive no passado.

E menciono um dos maiores buracos socialistas porque uma fatia generosa dos alunos da escolaridade obrigatória não tem acesso a meios informáticos nem a internet e quando milhares correm o risco de encherem os cursos do IEFP para ganharem um extra durante algum tempo, aparece o primeiro-ministro a prometer um computador para todos já para o próximo ano lectivo.

Esta promessa me fez lembrar o Mangalho e ao mesmo tempo me fez lembrar que todos os operadores de internet móvel têm agora tráfego limitado e quem tinha contratulizado tráfego sem limite ainda mantém estas condições mesmo que renove a fidelização o qual ainda não me foi proposto apesar de estar próximo dos dois anos de contrato, mas esta situação do coronavírus altera tudo que é regra.

Gostava de saber que chá ou que produto estranho o senhor presidente do conselho usou para ter tamanha ideia quando a nação está a braços com a maior pademia desde da chamada Gripe Espanhola porque as suas barbies da saúde não souber prevenir os contágios e estes confinamentos provavelmente ainda irão fortalecer o vírus porque este vai voltar reforçado pela gripe sazonal ou outra qualquer maleita corrente.

Deixo apenas um comentário final e uma recomendação: 

1) Não se fiem nas barbies da saúde porque de saúde elas não pescam grande coisa e pensem sempre ao contrário do que elas dizem

2) Vejam os videos de João Tilly no Youtube

 

 

Ansi on  parlait Nitzsche

 

Ontem li um artigo acompanhado de uma sondagem onde se mostra que em Portugal se lê cada vez menos e onde antes se culpava a crise e a troika pela a fuga da leitura por parte dos habitantes do rectângulo a beira-mar plantado, agora com a suposta retoma da gerigonça, a descida nas vendas de livros continua e fica a pergunta no ar: o que motiva os portugueses a lerem cada vez menos.

Talvez possa arrsicar alguns motivos que não passam pelo lado económico, mas sim pelos comportamentos, pelos media e pelas redes sociais.

Indo por partes, um dos motivos que cada vez se lê menos livros em Portugal é que para algumas mentes brilhantes, ler livros está fora de moda e é antiquado, que se é betinho de se ler um livro qualquer; outro motivo são as horas sem fim que se passa a verem programas "nutritivos" para inteligência humana como "Casa dos Segredos" ou então passam a vidinha agarrados aos telemóveis nas redes sociais nos mexiricos.

E este vício de telemóvel é transversal a todas as idades e quando estou em qualquer local a ler e grande massa das pessoas que se encontram agrradas ao telemóvel a jogarem um um jogo qualquer ou numa rede social qualquer e já vi casos de pessoas com mais de que um smartphone em vez de estarem a ler nem que seja um alfarrábio e eu no meu canto a ler, com o meu leitor MP3 a debitar um som que seja do meu agrado a ler sinto-me como deslocado, inadpatado.

Depois esta iletracia da nação se reflecte em coisas tão simples como o não saber preencher um declaração do IRS ou não saberem ler uma qualquer notícia de jornal ou fazer outras coisas simples do quotidiano de qualquer pessoa e depois esta ignorância se mostra nos concursos de televisão de cultura geral onde se mostra a qualidade do ensino por um lado e como cada vez se lê menos numa nação que supostamente está em retoma, mas que dão mais atenção a um bispo que esconde casos de pedofilia na sua diocese do que se a cultivar a si mesma.

Uma nação que dá corda a um ser que dá cobretura a casos de pedofilia cometidos por padres na sua diocese e ainda tem o descaramento de dizer que os mesmos são piadas sobre meteoritos e por outro lado foge de ler livros quando é a única nação da lusofonia que tem um Nobel da Literatura e tem um escritor multipremiado e que apenas é atacado porque mordeu os calcanhares ao establishment socialista e maçónico; é uma nação sem futuro brilhante.

Se esta nação não começar a ler e a cultivar-se vai cada vez mais estar na mãos de corruptos e manhosos e vai regredir a vontade pelo menos 50 anos no ano em que se festejam 45 anos da suposta democracia que cada vez parece mais uma ditadura.

E ficam as perguntas de resposta desconhecida: Se estamos em retoma, então porque lê menos do que nos tempos do resgate na troika? Estamos a regredir em termos culturais? Será mesmo preciso partir os telemóveis? Que caminho Portugal leva?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

Não sou muito de teorias da conspiração, mas quando li o romance de José Rodrigues dos Santos com o título "A Mão do Diabo" inspirado nesta crise mundial desplotada pela crise do sub-prime dos EUA e que depressa espalhou pelo mundo atingindo com especial e dolorosa violências as economias mais frágeis e periféricas como Portugal, Grécia ou Espanha e na luta do criptanalista Tomás de Noronha e como ele foi levado para a investigação que é uma das duas narrativas principais do romance e que leva também a sua conclusão deveras desconcertante ao mesmo tempo demasiadamente próxima da actualidade para ser ignorada.

No mesmo romance de José Rodrigues dos Santos se fala numa sociedade secreta que manipula por detrás da cortina os poderes políticos e económicos na Europa, sobretudo na UE e que foram os causadores da crise que se sentiu na Europa, crise a qual foi desplotada pela crise do sub-prime nos EUA e que atingiu com especial dureza os chamados PIGS (Portugal, Irlanda, Grécia e Espanha) levando a pacotes de austeirdade e a planos de resgate que reduziram ainda mais a soberania dos países atingidos.

Dos quatro, o único que conseguiu sair da crise de forma airosa foram os celtas porque os outros ainda sofrem com a austeridade e em termos políticos estão numa de já nem sabem o que querem ou quem votar nas eleições gerais e no caso português foram os gastos em obras públicas, muitas delas de utilidade duvidosa e as PPP que apenas uma tem verdadeira utilidade e chama-se Fertagus e talvez a Lusoponte, porque as outras apenas servem para encher uns quantos mamões a nossa conta, na Grécia foram as contas falsificadas pelos socialistas para permitir a entrada da Grécia no euro e esta mentira deu o estoiro e para uma pessoa querer alguma coisa na Grécia sobretudo dos serviços públicos tem sempre que "molhar" a mão de alguém senão não leva porra nenhuma e a Espanha caiu, tal como Portugal, na armadilha do crédito barato, mas em vez de gastar em obras públicas, alimentou como a Irlanda uma bolha imobiliária que estoirou assim que se deu a crise do sub-prime nos EUA.

Acontece que José cherne Durão Barroso estava a frente da Comissão Europeia quando a crise estoirou e quando este senhor tomou das rédeas da UE tinha sido convidado para um dos misteriosos jantares do Clube Bilderberg (pela primeira vez) e o papel de cherne Barroso foi dar rédea solta a chamada troika e esteve-se nas tintas para os interesses da nação.

E esta rédea solta parece ter dado grandes frutos porque cherne Barroso foi convidado para presidente um dos bancos que muitos apontam tanto em romances como na imprensa como um dos culpados da crise do sub-prime e das suas consequências de seu nome Goldman Sachs e o senhor Cherne acetiou o cargo no Goldman Sachs apesar de se saber do papel do mesmo Goldman Sachs nesta mesma crise.

Todavia não nos podemos esquecer que esta é apenas mais uma traição que Cherne Barroso faz a Portugal porque a primeira foi quando ele largou a nação para ser presidente da Comissão Europeia que eu até estupidamente elogiei a escolha feita pela UE neste mesmo blog, mas aprendemos com erro e foi um erro que cometi e depois de ter deixado Portugal se afundar e o mesmo Cherne não soube travar os pacotes do austeridade como presidente da Comissão e sobretudo como cidadão português que deixou o seu país se afundar sem deitar a mão e agora foi se juntar a um dos culpados da crise.

Lembra o principal vilão do romance que é presidente da Comissão Europeia e é líder de uma sociedade secreta e manipula tudo para que a crise aconteça e não nos podemos esquecer que Durão Barroso tem um percurso um todo de nada semelhante ao de Cherne por que este último foi pelo menos a um dos misteriosos jantares do Clube Bilderberg e JRS nas notas finais do livro "A Mão do Diabo" coloca a palavra Ficção entre aspas e quando um livro seja qual for assenta que nem uma luva na realidade, a coisa pode estar feia.

Como sempre ficam as minhas perguntas sem resposta: Porque Chene Barroso acetiou o cargo no Goldman Sachs? Será que o livro "A Mão do Diabo" é mais verídico do que se poderia pensar? Quais os verdadeiros interesses de Cherne Barroso? Como é possível este senhor ter condecorações do governo da república? É isto que a república defende?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

 

Com os socialistas no poleiro tinha que voltar a baderna ao poder político da república um grupo de deputados socialistas e sociais-democratas (21 do PS e 9 do PSD) requeram ao Tribunal Constitucional a inconstitucionalidade da medida que acabava com as reformas dos políticos que não estão em funções e entre os deputados signatários se encontra o antigo presidente do governo regional da Região Autónoma dos Açores, Mota Amaral... e da antiga ministra da saúde depois da igualdade (ministério o qual não se sabia para que servia) e utilizadora de laca compulsiva e além disso tudo, candidata a presidente da república e amiga de velhinhos em lares....Maria de Belém.

Os comunistas num raro acto de dignidade nesta república, os deputados da bancada da CDU se apressaram a recusar o regresso da subvenção e este regresso foi aprovado e faz jurisprudência e agora os deputados que têm a dignidade de a recusar não sei como vão fazer esta mesma recusa, mas deve haver algum documento ou algo parecido e Maria de Belém assume em altura de campanha eleitoral que assinou o pedido e esta reposição vai custar 10 milhões de euros aos portugueses e se saber isso em semana de eleições presidenciais e com a troika a vir aí é o belo e o bonito.

A lista dos meninos bonitos que assinaram o requerimento é a seguinte: Alberto Costa (PS), Alberto Martins (PS), Ana Paula Vitorino (PS), André Figueiredo (PS), António Braga (PS), Arménio Santos (PSD), Carlos Costa Neves (PSD), Celeste Correia (PS), Correia de Jesus (PSD), Couto dos Santos (PSD), Fernando Serrasqueiro (PS), Francisco Gomes (PSD), Guilherme Silva (PSD), Hugo Velosa (PSD), Idália Serrão (PS), João Barroso Soares (PS), João Bosco Mota Amaral (PSD), Joaquim Ponte (PSD), Jorge Lacão (PS), José Junqueiro (PS), José Lello (PS), José Magalhães (PS), Laurentino Dias (PS), Maria de Belém Roseira (PS), Miguel Coelho (PS), Paulo Campos (PS), Renato Sampaio (PS), Rosa Maria Albernaz (PS), Sérgio Sousa Pinto (PS) e Vitalino Canas (PS); e esta lista ilustre e no caso dos socialistas são todos socratistas o que não deixa de ser interessante.

Pago para ver qual vai ser a reacção da esquerda espartaquista que serviu de bengala para a subida ao poder a António Costa e qual a reacção do líder da oposição, Passos Coelho; porque no caso da esquerda tirar o tapete a António Costa, este vai ficar nas mãos de Passos Coelho e se este quiser uma vingançazinha poderá dar ordem aos seus deputados para seguirem o sentido de voto da esquerda e aí o governo vai cair ainda antes da posse do sucessor de Cavaco Silva no Palácio de Belém e não sei qual a ferramenta constitucional que poderá ser usada se um governo cair no hiato que vai da eleição de um novo presidente da república até a sua eleição.

Vamos ver quais vão ser as reacções a esta medida dos juízes do Palácio Ratton que é uma cacetada nos nossos impostos para satisfazer a aristocracia da república que tem roubado Portugal nos últimos 106 anos e vai continuar a roubar e uma medida que seria um alívio para este roubo foi anulada por um abaixo-assinado de meia dúzia de aristocratas da república e ironicamente quando uma qualquer petição junta milhares de assinaturas quase nunca é votada no parlamento e quando o é, o pedido feito na petição é sempre recusado e são petições em muitos casos que ultrapassam as 20 mil assinaturas.

Não sei qual o valor democrático desta decisão porque foram apenas 30 aristocratas a  pedir a revogação de uma lei, sobretudo quando esta lei vai prejudicar o povo e um dos signatários se afirma socialista e defensora do país real e ao assinar tal peitção mostra que não deve ser assim como ela diz ser algo como fosse um Paulo Portas de saias e sem submarinos para ser massacrado pelos espartaquistas que deram o braço a António Costa para este ser Führer da nação chamada Portugal que vai a caminho do pântano e da bancarrota a passos largos e mais uma vez com a ajuda do PS como pareceio habitual das entradas da troika em Portugal e dos respectivos resgates para afundar um pouco mais a moral nacional já de sim na fossa.

Como sempre ficam as minhas perguntas de sempre quase sempre sem resposta: Onde está o interesse democrático dos signatários deste pedido? Quem vai pagar a factura deste pedido? O que a troika vai achar desta ideia? Será que a troika vai aprovar? Porque não canalizam estes 10 milhões de euros para outras despesas públicas mais importantes?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

Sim meus amigos este governo de socialistas que agora rege Portugal nem tem 6 meses já vai ter uma visita da troika e esta chega a território português dentro de semana e meia e na mala traz uma lista de 18 exigências ao desgoverno do Füher Costa e vem porque as medias que António Costa tomou depois que tomou posse como Führer de Portugal fez regredir os acorodos assinados ainda em tempo de Sócrates e cumpridos de forma que se pode considerar radical por Passos Coelho.

As medias de António Costa não cairam bem em algumas cabeças pensantes da troika e daí a lista de exigências que não vão agradar com toda a certeza a bengala espartaquista que colocou Costa no poleiro da república e estas medias que foram revogadas em parte foram as mesmas que a troika vem agora questionar o porquê de António Costa as revogar, bem como o caso do Novo Banco e do Banif que deram muita azia em Bruxelas e nada tem a haver com as couves com nome da cidade capital da UE e da Bélgica.

Resultado no terceiro exame da troika pós-saída e após termos tido nota positiva em dois, vamos quase com toda certeza bater com os cornos no chão e com força graças as medidas de Costa e vamos ver quanto é que nos vai custar este re-entrar da troika e da austeridade porque se fosse seguido o plano de Coelho de pagamento da verba emprestada em 2017 ou 2018 estaria tudo pago e em 2019 teríamos dinheiro para aumentar reformas e fazer obras de expansão no metro de Lisboa, entre outras necessidades da nação que ficaram para trás para pagar as golpadas da banca e do sr. Sócrates Pinto de Sousa entre outros.

Vamos ver como é que a esquerda vai reagir a estas 18 medias e quem vai pagar a factura destas mesmas 18 medidas que já sei que nos vão explodir no colo com toda a certeza e depois vamos ver se movimentos como o APRE e outros que apareceram no consulado de Passos Coelho e ficaram eufóricos com a subida de Antóno Costa ao poder vão ficar quando virem que agora lhes vão a regueifa, mas com mais violência do que Passos Coelho fazia e se assim acontecer estou numa de poker e digo que pago para ver se vão também para a rua ou se ficam calados que nem mulas submissas ao seu patrão ou então se fazem como o aio de D. Afonso Henriques e em vez de se apresentarem acorrentadas ao rei de Leão (nada a ver com o Bruno de Carvalho, mas sim com o soberano da actual região de Espanha, que foi reino independente até ao casamento dos reis católicos) e em vez de irem a Massamá pedirem desculpa a Passos Coelho vêm para a rua pedirem desculpa por terem apoiado António Costa ou mostrar arrependimento.

No caso da esquerda espartaquista, este arrependimento vai ser mostrado da forma habitual que vemos na república, e vão tirar o tapete debaixo dos pés de António Costa e vêm dizer que ele é do piorio e quem sabe ainda aparecem a dizer que António Costa acaba por ser pior que Passos Coelho e talvez saia uma moção de censura por parte da CDU ou do Bloco de Esquerda e o PSD e o CDS têm duas opções: ou deitam o governo abaixo votando a favor desta possível moção de censura ou por outro lado abestêm-se, matendo Costa no poleiro mas com custos polítcos para este porque vai ter que revogar as medias que tomou para agradar a Jerónimo de Sousa e a Mariana Mortágua.

Falta semana e meia para o terceiro da exame da troika pós-resgate e se chumbarmos, vai ser lindo ver como António Costa se vai explicar perante a troika, as coisas que fez no 18 de Brumário para subir ao poleiro de forma maquivélica e no fim das contas vai ficar mesmo entre a espada e a parede e com as eleições presidenciais a se aproximarem porque já vão ser no próximo domingo dia 24 e se as sondagens se confirmarem, vai ser um aviso para Costa que não é tão do agrado dos portugueses e depois de dia 24 e com presidente novo eleito, vamos ver qual será o futuro de António Costa como Führer de Portugal e não é cá por coisas, mas estou a ver a coisa muito preta para os lados de António Costa se as sondagens acertarem no vencedor apontado por elas.

Sim, estou a prever que António Costa vai cair da cadeira como o outro António que esteve numa cadeira parecida durante 36 anos e que ao contrário deste, sabia mais de finanças públicas do que o resto do governo, embora se tivesse sido um pouco mais mão aberta estaríamos a frente da Espanha no IDH, mas não aconteceu e com esta e queda da cadeira se levantam algumas questões como quem é que vai para a cadeira, quem vai aparar a queda e quem vai ser o responsável pela queda.

Como sempre as perguntas: Qual vai ser a resposta de António Costa perante o incumprimento do que foi assinado pela nação? Qual vai ser a resposta de António Costa perante os portugueses se a austeridade doer mais do que no tempo de Passos Coelho? Qual vai ser a reacção da esquerda espartaquista? Se as 18 medidas forem impostas e Antóno Costa ter que as cumprir, será que vai conitnuar no governo?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

Dizem que saímos da recessão mas a anuciada falência do Banif - Banco Internacional do Funchal que já era uma tragédia anunciada a muito, pelo menos quando o seu fundador, Horácio Roque, por motivos de saúde teve que se afastar da direcção do Banif e passou a pasta ao seu brço direito Jorge Tomé e a a situação se foi agravando de forma muito subtil que nem se deu por este agravamento que foi intensificado com a crise do sub-prime em 2009 e com a crise portuguesa quando os juros da dívida pública dispararam para os 10% e na volta aconteceram as três quedas da banca nacional, BPP, BPN e BES e o Banif que já tinha sofrido com a queda dos outros dois porque um foi salvo de forma algo que bizarra pelo desgoverno de Sócrates e depois teve continuidade com Passos Coelho, com a desaculpa do risco sistémico porque ainda se fala que mais valia o BPN ter caído, se vendia a massa falida e se dividia esta pelos credores do banco e a coisa ficava resolvida e com o BPP houve uma peixarada monumental para um banco com presença residual no mercado bancário da república a volta da massa falida que pelo que se soube pelos jornais não era grande coisa e ninguém foi punido de forma exemplar por gestão danosa.

Sabendo-se que o Banif já não estava grande coisa depois da morte de Horácio Roque, gostava de saber porque o Banco de Portugal não tomou medidas preventivas no caso do Banif e evitava a sua quase certa queda quando esta já era anunciada na bolsa quando o valor da cotações das acçõs do banif começaram a despencar sem que ninguém tomasse medidas para travar a queda das acções porque já aí havia um sinal que algo não ia bem no Banif e com os sinais de crise na banca a fiscalização deveria de intervir logo em prevenção e deixaram a coisa andar ao ponto das acções do Banif valerem 0,00015 € actualmente e nos príncípios da febre bolsista em Portugal haviam regras estritas para valorizações e desvalorizações de acções ao ponto das mesmas poderem serem retiradas do mercado e as empresas investigadas para se saber se as variações bolsistas eram devido a especulações, movimentos normais de mercado ou por problemas nas empresas investigadas.

Mas como em tudo na vida, tudo que é bom acaba depressa e esta regra foi revogada e a bolsa de valores se transformou na lei da selva e agora se faz o que se quer na bolsa porque a fiscalização nem parece que existe e as notícias que vinham do Banif ainda antes da crise pediam intervenção das devidas entidades, mas tudo ficou a dormir e agora a coisa vai ficar feia porque ao contrário dos lesados do BES que agora com o governo de esquerda se calaram e que em muitos casos foram gulosos que mudaram as suas poupanças de uma vida para obrigações e outrtos títulos semlehantes na mira de grandes negócios e no fim ficaram a chuchar no dedo; no caso do banif são mesmo poupanças de uma vida e apesar de haver o fundo de garantia bancária que garante os depósitos até cem mil euros por pessoa, muitos já começaram a retirar as suas poupanças do Banif e colocá-las noutros bancos.

Entretanto o novo Führer da república já veio apelar a calma e o seu governo vai alterar a fiscalização aos bancos mas isto tem um custo duplo para os contribuintes otários pagantes que vão tapar o buraco e a esquerda que serve de bengala ao governo de António Costa está calada nem dá a mínima opinião sobre o caso quando se pede um intervenção de fundo antes que se repita outro caso BES, embora já hajam sinais parcos que a situação pode ser resolvida sem que haja a liquidação do banco insular, o assunto ainda está em cima da mesa como apenas hoje depois das várias quedas das cotações a CNMVM (Comissão Nacional de Mercados de Valores Mobiliários) supendeu as transações das acções do banco insular.

António Costa que foi colocado por aclamação da esquerdas espartaquista no poleiro da república já está dizer que vai ser normal se os contribuintes paguem o buraco do Banif e a mesma esquerda espartarquista está caladinha e assim se vê como a esquerda é "tão amiga" dos mais necessitados e as reposições de reformas que muitos esperam são trocos porque o dinheiro que poderia vir para estes desgraçados vai para tapar o buraco do Banif e a esquerda cala-se mostrando a sua verdadeira face de falsidade que sempre os rodeou.

Como sempre as perguntas: Quem vai pagar a queda do Banif? Será que vamos ter a troika a nos bater a porta? Porque não usaram medidas preventivas? Porque estes casos se estão a tornar fruta da época?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

A extrema-direita francesa pelas mãos da Frente Nacional deu um murro do estômago dos socialistas e dos seus aliados, os afastando da segunda volta das eleições regionais francesas deixando os partidos de esquerda fora da contenda obrigando tudo que é esquerda a engolir um enormíssimo sapo tal como quando foi a eleição para o segundo mandato de Jacques Chirac como presidente da república francesa, onde a esquerda levou nas orelhas onde na primeira volta mas neste caso Chirac ficou no limite de ser eleito a primeira volta e no segundo lugar ficou o antigo líder da Frente Nacional, Jean Marie Le Pen e toda a Europa submissa a Berlim acorreu a Paris para dar o seu apoio a Chirac.

Agora não aconteceu este apoio massivo porque são eleições regionais e não presidenciais e desta vez o mega-sapo está a ser engolido pela esquerda que apela que se vote em massa no partido de Sarkozy e de Chirac, o antigo RPR (partido gaulista) agora chamada Les Republicans para evitar que a FN imponha uma super-derrota a esquerda e aos submissos a Berlim que agora estão juntos.

Mesmo que a FN perda e consiga mais de 40% nas eleições regionais, para a Frente Nacional é uma vitória porque mostra que os franceses estão fartos do euro e da austeridade e têm mais tomates que os Portugueses, porque quando chegam as eleições sejam elas quais forem ficam em casa a ver tv ou votam nos mesmos de sempre e depois se queixam que lhes dói no bolso e o recente acordo entre o PS e a esquerda espartaquista assinado não num documento só, mas sim cada partido ficou com a sua versão da história do PS e deram a bengala para o mais um 18 do Brumário e esta existência de 3 documentos separados em vez de um acordo conjunto vai dar com toda a certeza em queda de governo em curto prazo porque as divisões entre os membros desta aliança se estão a dividir em leis e medias nucleares para a gestão da nação e já se fala em austeridade, algo que o PS na oposição era contra e agora parece ser a favor e não sei se a esquerda espartaquista vai no jogo.

Mas voltando ao que me traz aqui; a FN em França está a gnhar os seus votos não só a conta dos franceses e habitantes da Gália que estão fartinhos da austeridade de Berlim, bem como soube capitalizar o medo dos franceses em relação ao terrorismo depois dos ataques de Sexta-Feira 13/11 enquanto o resto do poder político em França, sobretudo os socialistas não souberam como lidar com a situação ou até mesmo tomar medidas preventivas com mais força do que as foram tomadaas e ao mesmo tempo que a França se levantava do choque continuaram a chegar mais refugiados sírios que teoricamente fogem do ISIS/DAESH e ao mesmo tempo o próprio DAESH afirma que tem infiltrados nos refugiados e com estas afirmações todo o cuidado é pouco e o facto da FN ganhar a primeira volta das eleições regionais em França mostra este medo dos franceses levarem com outro atentado e ao mesmo tempo fartos das imposições de Berlim e não foi para isso que os aliados lutaram 6 anos contra o verdadeiro eixo do mal liderado pela Alemanha e agora com o euro e com as medidas de austeridade a Alemanha está a se vingar das derrotas nas duas guerras mundiais de uma forma traiçoeira e quem for muito ceguinho é que não quer ver isso e os franceses não se incluem nesta lista.

E se em Portugal o PNR não tem mais força é por culpa própria em parte porque deveria de mudar o seu discurso demasiadamente xenófobo e usar algumas das armas do BE para o esvaziar de eleitores e ao mesmo tempo conseguir votos suficientes para eleger uns quantos deputados para que os fantoches de Bilderberg e da maçonaria aprendam o que é o verdadeiro voto popular e como tão lixados da cabeça estão os portugueses no geral; mas eleitoralmente falando os portugueses têm surtos de masoquismo extremo como se provou nas mais recentes eleições gerais que no final das contas foram colocar o lugar-tentente do Sucateiro Sócrates no poleiro e o mesmo já fala em austeridade e tanto o Bloco de Esquerda como a CDU estão calados que nem umas mulas dando a estranha sensação que para eles a austeridade imposta pelo PS é mais doce do que a austeridade imposta pela coligação PSD/CDS embora o texto seja o mesmo e vamos ver se não voltamos a ter uma nova visita da troika e o PNR deveria de detonar este tipo de acordo nos seus tempos de antena para que numa próxima eleição de carácter nacional como as eleições municipais que vão ser em 2017 ou mesmo nas presidenciais davam um apertão de calos a esta suposta democracia que não passa de uma franquia maçónica associada aos Bilderberg.

Enfim espero que a FN pelo menos mantenha estes quarenta e tais por cento dos votos nas eleições regionais em França e se ganhar uma região ou outra serve para os senhores em Berlim verem que não são assim tão podersos como pensam porque estão a roubar a soberania de todos os países e se alguém puramente contra Berlim e que não se vende por 30 dinheiros como aconteceu com a chamada esquerda portuguesa e que parece mais honrar os caídos em combate na Segunda Guerra quando combatiam contra a Alemanha é um aviso que o poder de Berlim está para acabar, basta as nações quererem e parece que a França quer mesmo ou alguns franceses querem numa enorme maioria silenciosa.

E ficam as minhas perguntas sem resposta: Qual o medo da FN ganhar as eleições em França? Têm medo que aconteça o mesmo em Portugal? Quem tem mesmo medo da FN?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

A esquerda espartaquista que se uniu ao PS para derrubar o governo do Führer Coelho parece que está ainda sob o efeito de algum anestésico forte porque ainda não viu que Costa não vai dar tudo aquilo que a esquerda queria e usava como suas bandeiras principais como o caso da redução das sobretaxas de IRS apenas para falar o mais doloroso no bolso dos portugueses comuns.

Nada que eu não esperasse porque com os socialistas não se pode esperar nada de bom, muito pelo contrário apenas podemos esperar tudo de mau e de infame que nos possa passar pela cabeça sem ser preciso ser um grande teórico da conspiração, apesar disso a greve do metro foi desconvocada embora ainda hajam outras marcadas todas contra a privatização dos transportes públicos das duas maiores cidades da república e que poderia valer uma entrada de dinheiro fresco nas respectivas empresas cronicamente deficitárias e cujo buraco é tapado com o dinheiro dos nossos impostos.

A privatização está na cabeça dos socialistas embora seja feita em moldes diferentes das ideias que o governo de Passos Coelho queria e com estas crispações lactentes entre o PS e as suas bengalas não estou a ver o governo de António Costa durar mais do que seis meses porque este é o tempo que o presidente da república precisa de esperar para dissolver o parlamento e convocar novas eleições gerais no mais breve trecho possível como manda a lei fundamental que tem sido evocada por tudo e por nada.

Vamos ver se a esquerda que se diz defensora dos mais fracos e da classe operária e por aí fora se vai manter a cassete ou se se vai render aos encantos do antigo edil da maior autarquia da república e neste segundo caso como é que as direcções partidárias irão esplicar aos seus militantes e simpatizantes que assinaram acordos que afinal não passam de prolongar da austeridade imposta por Passos Coelho a ordens de Berlim e que afinal mais valia terem ficado quietos e terem deixado o governo Passos Coelho acabar o seu segundo mandato; mas não nos podemos esquecer que quase todos são doutores, mas são daqueles doutores que quando vão a um concurso de televisão nem sabem quem foi o primeiro rei de Portugal ou coisa parecida e com tão raras inteligências como pode andar para a frente a nação que leva quase mil anos de idade e tem sido tão mal tratada nos anos mais recentes com governos de competência duvidosa.

Nestas jogadas sabemos quase todos que há sempre poderes escondidos e que são estes que mandam em Portugal porque quase nem adianta se ir votar porque vão sempre votar nos mesmos em vez de votarem numa outra qualquer força política que não sejam os mesmos, mas que não seja o PAN, porque o caso do PAN é mesmo aquilo que podemos chamar um partido de empatas ou que só serve para encher chouriços porque ainda não os vi a lançar uma ideia para ajudar a nação e estão mais preocupados com os bichinhos do que estão preocupados com as pessoas.

Estou numa de expectativa para saber qual vai ser a resposta da esquerda em relação as medidas anunciadas pelo desgoverno dos socialistas e para ver se o PC através da CDU vai votar a favor de mais austeridade e assim caia a máscara e mostrem a verdadeira face da CDU e todos os partidos que derrubaram Passos Coelho porque nem a portagem das SCUT vai tirar e e vai manter a situação tal como estava nos tempos de Passos Coelho e vamos ver agora como é que a esquerda vai reagir porque ainda está em choque com a queda do chavismo na Venezuela e tem enviado mensagens de apoio a um ditador em queda e nas costas deles, o Costa faz o que quer como fosse o dono do terreiro e não dependesse de ninguém para ser Führer de Portugal e quem votou na esquerda espartaquista deve estar a pensar agora na bodega que fizeram ao correr com o Coelho do poleiro porque afinal, o Costa é mais do mesmo e nada vai mudar a não ser que mudem as moscas porque o estrume continua a ser o mesmo e ainda vamos ver a troika a entrar de novo e de novo vamos ver um governo a cair e desta vez provavelmente teríamos eleições gerais e duvido que desta vez houvesse uma maioria de esquerda porque muitos eleitores se vão sentir enganados pela esquerda que está a servir de bengala a um governo do PS que cada vez está mais parecido com o governo anterior e a coisa ainda vai ficar pior.

E ficam as minhas perguntas de sempre: Quanto tempo vai durar o governo de António Costa? Qual vai ser  a reacção da esquerda espartaquista as traições de Costa? Será que este novo governo vai durar 4 anos?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

Está mesmo visto, Portugal está com a portagem paga na auto-estrada para o inferno e agora vamos até haver algum anjo que nos resgate do inferno como aconteceu com Fausto......

 

 

 

 

da Austrália, a mensagem em forma de música sobre o destino próximo de Portugal.....

 

 

 

 

 

Highway to Hell - AC/DC (legendado)