Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Opiniões e Críticas Secretas

Opiniões e Críticas Secretas

Há um par de semanas comecei a ler uma obra-prima da literatura mundial na sua edição francófona que cujo título em português é "Assim Falou Zaratustra" de Friedrich Nietzsche.

Ao longo das páginas que já li desta obra prima do autor de origem prussiana e nas parcas páginas que já li, o sábio prussiano já avisava o mundo contra o totalitarismo de Estado antes de ser uma realidade quando este analisava a sua realidade nos tempos da Guerra Franco-Prussiana e nesta análise feito de forma precisa e acutilante lembrando aos latinos de alguma forma "O Sermão de Santo António aos Peixes" do Padre António Vieira avisava sobre os iluminados que no meio da sua luz traziam as trevas do totalitarismo.

Este novo totalitarismo trazido por aqueles que se dizem possuidores da luz e defensores da lei ou ainda que velam pelo meio ambiente e outras ideias que até são positivas, mas o seu ponto de vista é completamente distorcido e manipulado e tenta manipular as massas que numa nação como Portugal não é uma coisa difícil de se fazer.

Estes mensageiros das trevas que exercem o seu poder não-eleito e manipulam as massas conforme as suas vontades começam em ex-políticos mal-amados e que apenas querem atenção e tacho aos iluminados que dominam as massas ignorantes que se deixam levar por um qualquer mensageiro que aparece nos media a fazer lavagem de roupa suja porque nunca foram ninguém ou nunca fizeram nada de jeito pela nação e se julgam possuidores da sabedoria divina.

Outro tipo de iluminados são os supostos amigos do ambiente que querem impor uma dieta vegana as massas usando toda espécie de argumentos, desde de pseudo-estudos até ligações dúbias ao aquecimento global, mas na volta andam beber água engarrafada ou usam telemóveis de marcas conhecidas por usarem mão de obra escrava nas suas fábricas no Extremo Oriente.

Estes mesmos iluminados que se esquecem que existem milhares de pessoas a passar fome no mundo e que desabrigados no mundo dito desenvolvido cada vez são mais, mas em primeiro lugares estão os animais e as pessoas que se lixem e querem impor as suas ideias e esta nova eco-ditadura no caso português já chegou até a algumas universidades, mas na volta os estudantes que apoiam o reitor acabam a almoçar no McDonalds um belo Big Mac com batatas.

Os universitários iluminados chegaram ao ponto de eliminar a carne de vaca das cantinas ao mesmo tempo que as propinas universitárias em Portugal estão entre as mais caras do mundo se colocadas num rácio entre custo e salário médio de um trabalhador português e fico a pensar afinal para que servem estas mesmas propinas a não ser para sustentarem associações académicas que não passam de incubadoras para políticos.

Estes defensores do ambiente em Portugal não têm um par de olhos na cara para verem atentados diários como eu já disse em cima o uso intensivo de água engarrafada em garrafas de plástico, uma frota ferroviária dos tempos da Guerra da Coreia em algumas linhas e que ainda funciona a gasóleo,  os vários cruzeiros que invadem Lisboa e Funchal,  a deficiente frota de transportes públicos rodoviários, a falta de acesso a veículos automóveis amigos do ambiente, e a taxação e praticamente proibição de auto-produção de energia solar... que tudo junto supera a emissão de metano por parte do gado bovino.

E os iluminados que passam tempo a serem contra-natura e se transformaram em animais herbívoros de duas patas por opção e por moda e se esquecem que as plantações de arroz produzem mais metano do que uma vacaria intensiva devido as bactérias existentes nas águas estagnadas das plantações de arroz e se esquecem que as bebidas de soja e outras alternativas são transportadas por camiões que libertam toneladas de gases de efeito de estufa...mas a falta de vitamina B12 que é de origem animal lhes causa amnésia.

No poder da república e da gerigonça existem uns pseudo-iluminados que dizem defender a saúde e se lembraram de um imposto sobre os refrigerantes por boa parte daqueles que são consumidos são de origem norte-americana e usando de uma ideologia já derrotada há décadas resolveram, usando como desculpas a obesidade juvenil e a sustentabilidade do SNS, criar um imposto sobre estas mesmas bebidas que é um imposto abusivo e contra a liberdade individual porque estes iluminados cegos não conseguem ver as milhares de vítimas causadas pelas bebidas álcoolicas que no caso do vinho apenas paga 6% de IVA mas por outro ninguém morre por beber um copo de Coca Cola a acompanhar uma bifana e se os miúdos estão gordos a culpa é dos paizinhos que não sabem cortar as consolas e os smartphones dos meninos e metê-los numa qualquer colectividade a praticar desporto para compensar as calorias ingeridas a mais.

Na volta vai-se a ver e o imposto sobre os refrigerantes que os cegos borregos aplaudiram de pé e que ia para o SNS veio parar aos cofres do Ministério das Finanças e acaba em negociatas suspeitas e a salvar a banca e ninguém diz nada e se alguém se atreve a ser livre pensador e diz umas quantas verdades contra os iluminados é apedrejado no Facebook como fosse uma mulher adúltera num país islâmico.

Esta manipulação chega também na política com as sondagens que conseguem convencer o rebanho que as eleições já estão decididas o que faz com que muitos eleitores potenciais se abstenham ou que sigam a moda e para não parecerem derrotados votam naquele que está a "ganhar" para também evitarem eventuais represálias políticas.

Outra forma de manipulação dos cegos borregos são os críticos de televisão, música e cultura em geral que se armam em intelectuais e como a sociedade portuguesa se transformou num rebanho de borregos e ovelhas mais cegos e idiotas do que os mesmos animais retratados em "O Triunfo dos Porcos" de George Orwell; os mesmos borregos seguem esta mesma crítica como sua própria opinião.

Não compreendo nem consigo entender como uma nação que fala de peito feito ser uma nação que deu novos mundo ao mundo, tem nos seus habitantes, pessoas que não conseguem por si mesmos, pessoas sem opinião própria sem terem que ouvir iluminados e seguirem aquilo que a consciência diz. Uma nação com habitantes assim é uma nação de zombies ou proto-zombies.

O que distingue o ser humano dos animais ditos irracionais é mesmo esta pequena diferença que é o livre arbítrio, a liberdade de escolha e o agir conforme a consciência dos seres conscientes na pura liberdade de pensamento e não guiados por iluminados das trevas da ignorância e do totalitarismo e em Portugal boa parte da nação não pensa por si mesmo, mas sim seguem iluminados e não têm coragem de pensarem fora da caixa e depois do mal feito, depois do leite derramado berram e a existência destes iluminados já tinha sido prevista há coisa de 150 anos por Friedrich Nietzsche em "Assim Falava Zaratustra"

Será que já paga imposto cada um pensar por si e ter opinião própria sem ter que ouvir terceiros ou boa parte daqueles que habitam o território que dá pelo nome de Portugal não passam de uns borregos cegos que não sabem qual o caminho e que não têm qualquer espírito de consciência e de pensamento livre...e muitos se dizem seguidores religiosos mas se esquecem de uma coisa chamada livre arbítrio e igualmente se esqueceram que o 25 de Abril deu liberdade de pensamento, de acção e de expressão para todos e não para todos estarem fechados dentro da caixa porque é o facto de termos coragem de sair caixa é que nos torna humanos... e este sair da caixa é também pensarmos com a nossa a consciência e nunca seguir a opinião de outros

 

Assim falou Nietzsche.....

 

Ao observar os debates para as eleições gerais e ao ver os programas de cada ums dos partidos com assento parlamentar depressa cheguei a conclusão que nenhum é digno de formar governo nesta nação.

Para ainda mais aumentar o meu azedume anti-gerigonça já de si picado pela excessiva fiscalidade e incopetência gritante em áreas como a saúde ou educação, aparecem os media a serem manipulados de forma descarada pelos poderes ligados à gerigonça, sobretudo ao PS ao suspender os programas que são incómodos à Gerigonça e por outro lado aparecem sondagens que colocam o PS na maioria absoluta e depois aparecem a dizer que as mesmas são falsas.

Outra forma de manipulação são as iluminadas mentes dos comentadores e analistas que aparecem nos telejornais e outros programas de desinformação que manipulam as massas quais fossem um Gobbells e a estes se juntam os supostos estudos da Direção-Geral de Saúde sobre as supostas virtudes e defeitos de alguns produtos alimentares quando estas virtudes não existem e basta usar um pouco o senso comum para esta ausência de virtudes e a manipulação ser evidente.

O engraçado é quando se rebate estas manipulações nas redes sociais é como fosse a tentar pregar um prego em granito porque os borregos que se deixam levar por estas manipulações não gostam que se ataque as tretas em que são levados a acreditar e falar com estes borregos é perder tempo e nem vale a pena tentar trazer-los para fora das trevas das manipulação porque estão com os ouvidos e os olhos tapados.

Exemplos de forças de manipulação a favor da gerigonça destas massas que depressa se transformaram em borregos orwellianos: a ministra d saúde, a ex-eurodeputada Ana Gomes e a já acima mencionada DGS.

Sinto-me como um ser vindo dum universo paralelo quando vejo um país que está a beirar os 50 anos de suposta democracia e neste país vejo apenas um rebanho que não quer abrir os olhos para o sol da verdade e cada vez está mais cego pos estes iluminados e ao mesmo tempo vejo que Portugal está a precisar de alguém como o protagonista V de Vingança para que volte a acordar para a luz....

 

Nem comento muito mais

Esperei muito pelo dia em que conseguisse ver um dos melhores filmes portugueses algumas vez feito senão mesmo o melhor filme português alguma feito de seu nome "Variações"

Esta brilhante película realizada por João Maia e protagonizada de uma forma para além do brilhante por um excelente actor de seu nome Sérgio Praia que encarnou na perfeição o cantor mais fora da caixa que existiu em Portugal durante a década de 80 e que teve uma passagem meteórica pelo panorama musical português, todavia apesar de meteórica e rejeitada pela "intelectualidade" musical da altura deixou um legado eterno.

Confesso que ao ver os trailers do mesmo filme fiquei com uma vontade terrível de ver o filme e andei a batalhar para ter bilhetes para o mesmo filme que não era o facto de ser português que lhe iria tirar o mérito e até poderia aumentar o mérito tanto da equipa técnica como de todo o elenco que encarnou os respectivos papeis na perfeição.

Agora entrando a sério no filme....

Para mim foi outra viagem no tempo como foi Bohemian Rhapsody onde foi pincelada numa grande tela a vida do brilhante cantor do seu nome artístico António Variações e os seus altos e baixos na sua vida em duas horas e onde muitos momentos marcantes do cantor foram mostrados de uma forma que deixou colado na cadeira da Sala 5 do Cinema NOS do Colombo.

Fiquei com a mesma sensação que tinha entrado no DeLorean DMC 12 de "O Regresso ao Futuro" e estava a flutuar numa dimensão paralela onde acompanhava os pontos mais marcantes da vida artística de António Variações e o Actor Sérgio Praia e escrevo Actor com letra maíscula porque o merece soube vestir a personagem ao ponto de cantar algumas músicas de António Variações disponíveis em CD e Cassete e acho que também dá para ouvir no Spootify.

Para não vos dar spoilers apenas digo que este filme é uma verdadeira Rapsódia Bohemia bem lusitana e que a Obra-Prima Variações tem todo o direito de ser inscrita nas canditdaturas para o Oscar de Melhor Filme Estrangeiro e o Actor Sérgio Praia fez um papel único, brilhante e épico praticamente sem paralelo no cinema português que apenas a dupla João Arrais/Miguel Borges estiveram próximos quando desempenharam o papel do maior herói português da I Guerra Mundial, o Soldado Milhões.

Ao dar um olhar atento a saga artística de Variações que foi curta, mas intensa e icônica, não deixei de reparar na rejeição que o mesmo sofreu pelo intelectuais da música da altura e praticamente em Portugal só lhe deram o devido valor depois da transmigração para o Valhalla dos grandes ícones e anda por aí um rapaz que se fez a si mesmo como cantor e que a nova geração de intelectuais da música o rejeitam, mas o público no geral o aceitam,  e uma vez alguem me disse que a História é um ciclo e tudo se repete... apenas espero que o reconhecimento do Rapaz do Futuro com apelido egípcio não seja semelhante ao que teve Variações....ou seja só lhe deem mérito apenas depois de ter uma existência apenas espiritual

 

Deixo apenas a recomendação que comprem o disco ou cassete, no caso não puderem oiçam pelo menos pelo Spootify e vão ver o filme porque é magnífico

 

E que esta Obra-Prima seja inscrita na lista de canditatos de Oscar de Melhor Filme Estrangeiro.... pelo menos 

 

 

Post-Scriptum: o próprio Sérgio Praia canta todas as músicas que constam do CD da banda sonora

Fazendo analogia a série da RTP  "Os Filhos do Rock" sou um filho da geração dos Filhos do Rock e cresci durante a mesma geração, ou seja, posso-me considerar um Neto do Rock.

A Geração dos Netos de dos Bisnetos do Rock nem parecem que descendem da geração portuguesa mais fora da caixa e mais policamente incorrecta que pisou solo português nos últimos 40 anos, a geração que deu origem a geração actual pensavam pela sua própria cabeça e não seguiam as ideias de qualquer iluminado e agia como lhe apetecia e conforme mandava a sua consicência tanto para o mal como para o bem.

A geração dos Netos do Rock passam o tempo a ouvir as músicas enlatadas vindas dos EUA cuja letra e música valem menos do que estrume de vaca, mas dizem que são grandes músicas e os que não ouvem estes enlatados que não passam de mãos cheias de nada, ouvem os meninos-bem que saem das elites da sociedade a "cantar" um jazz que serve para embalar borregos e outras espécies de gado e ainda consideram isto música de qualidade.

A mesma geração que dá ouvido a uns quantos iluminados que dizem mal de outros quaisquer, atriando pedras e conseguindo atrair uns quandos fieis para a sua igreja se esquecendo da parábola que todos são pecadores e que quem deve atirar pedras é quem nunca pecou,  estes lapidadores da sociedade que aparecem nos media a atirar pedras têm hordas de seguidores sobretudo nas redes sociais que seguem a sua cartilha qual fossem borregos a seguirem o seu pastor.

Os mesmos borregos que ouvem outros iluminados que querem impor costumes em vez de sairem fora da caixa e pensarem por sua própria cabeça e depois se algum ser único pensa fora da caixa quase que é uma Maria de Magdala ou Madalena pronta a ser apredejada pelos seguidores do politicamente correcto e que não sabem pensar pela própria cabeça.

Um exemplo desta formatação são os chamados críticos musicais que dizem o que é bom e mau e estes "pastores" depresssa ganham gado para pastar na geração dos netos do Rock e estes apeas ouvem aquilo que os crítico dizem que é bom, mesmo que o que é bom para os críticos seja na realidade um grande tonelada de estrume.

A mesma geração que diz mal do Conan Osíris e de outros seres humanos que são fora da caixa e do sistema formatado e por outro lado não se olha ao espelho e nem olha para as músicas da juventude dos filhos do rock e não capta que eram muito melhores do que grande parte das músicas que hoje são feitas, mas como os críticos dizem mal delas,  já não são músicas.

Outros pastores são os cromos da DGS - Direção Geral de Saúde que se portam como uma espécie de PIDE de costume que impõe regras no que deve ser comido e bebido como a actua geração não passasse de uma cambada de autómatos seguidores das ordens da casta superior e a mesma DGS impõe regras que dizem ser para o bem da nação e das crianças como passasse um atestado de estupidez a geração dos netos do rock e regredisse na hsitória 50 anos para os tempos do Estado-Paizinho.

Uma coisa é certa, a geração dos netos da rock, sobretudo as gerações a seguir da minha são mesmo assim borregos na sua grande maioria e que muitos deles encaixotam os miúdos em creches e nas escolas e colocam os idosos em lares e se preocupam mais com os canitos e com os tarecos do que os seus entes queridos e assim que ouvem um qualquer iluminado ficam em estado de transe sem pensarem por sua própria consciência e vontade.

Mas se ainda fossem os netos do rock a pensar assim poderia-se falar num problema de gerações,  mas o mais grave desta ingnorância mental e filosófica é que atravessa várias gerações e é o espelho real de uma nação que perdeu a coragem de sair fora da caixa e dizer na cara podre que o vinho é ainda mais prejudicial que os referigerantes porque se o o vinho fosse tão bom anti-coagulante como pintam a manta, as farmácias não vendiam estes remédios dadas as quantidades épicas de vinho que se vendem em Portugal.

A mesma nação que no tempo do Estado Novo acreditava no lema que o vinho era mais nutritivo que uma posta de peixe ou uma bifana e que beber vinha dava de comer a cem mil portugueses e passados mais de 40 anos do 25 de Abril ainda se pensa da mesma forma porque só assim se acha lógica para se ter o vinho com o mesmo IVA das laranjas ou do pão quando na realidade deveria de ter IVA a 23%.

A mesma nação que atirou pedras a Amália Rodrigues, António Variações e a boa parte dos músicos de rock e agora depois de muitos deles já mortos ou retirados dizem maravilhas dos mesmos quando na volta passam o tempo a ouvir Lexotan Sobral e outros semelhantes.

A mesma nação que ignora a história e que se esqueceu que foi quando Portugal saiu da caixa foi quando foi uma nação maior perante as outras que ficavam dentro da caixa, mas a actual geração embalada pelo jazzz lexotan politicamente correcto e pelos enlatados sem qualuqer sabor está embriagada de estupidez.

A mesma nação que atira pedras Conan Osíris e outros seres que são fora da caixa mas que depois de forma hipócrita os aceita depois de mortos.

A mesma nação hipócrita que só se lembra dos outros no Natal e passa o ano todo nas tintas para os outros.

A mesma nação hipócrita que diz mal do governo mas não coragem para votar nos partidos que não constam do parlamento para mudar alguma coisa em Portugal.

A mesma nação hipócrita que se lembra que quer os shoppings fechados no domingo apenas porque um bispo de uma diocese conhecida por casos de abusos de menores disse e passa os mesmos domingos a coçar a micose e a ver reality shows  e depois se lembra que não tem pão para o pequeno almoço de segunda e se esquece de o ir pedir ao sr. bispo.

Quando é que esta nação deixa de de ouvir os iluminados que passam o tempo a falar mal de quem faz alguma coisa por esta nação e passam a pensar pela cabeça própria e manda os analistas políticos cavar batatas...?

Como não sou borrego, mando todos os fazedores de opinião cavar batatas para usar termos delicados e penso pela minha consciência e cabeça porque se existir um Deus que deu o livre arbítrio ao ser humano então que este seja usado e não venham os falsos profetas me chatear o juizo na televisão enquanto tento ver uma tourada ou beber um coca cola e mandar tudo passear.

..... leiam e opiniem quando puderem

 

Há coisa de dois meses descobri uma edição francesa de um policial escrita por um autor português cujo título em francês é "Mort Sur Le Tage" (Morte no Tejo) e que em português é "Ulianov e o Diabo" cuja história tem como personagem principal um imigrante russo, ex-operacional das Tropas Especiais Spetsnaz e que depois de largar a vida militar se veio a juntar a um grupo da máfia russa.

O mesmo vem com a irmã para Portugal e ele acaba por implodir por dentro o grupo ao ser informante das autoridades portuguesas tendo uma pena de prisão reduzida, e acaba como empregado de construção civil, ainda mantendo contactos com os seus velhos camaradas da Spetsnaz.

Entretanto, a irmã se dedica a profissão mais antiga do mundo e se cruza com dois meninos-bem do eixo Sintra-Cascais que não têm qualquer pingo de escrúpulos e deste encontro com este par de meninos-bem nasce a trama que é uma critica mordaz ao poder político da república sobretudo ao nível municipal, aos chamados tubarões dos media, aos meninos-bem da Grande Lisboa que têm sempre as costas quentes e as autoridades policiais que protegem os mesmos meninos-bem.

O autor é Pedro Miguel Rosado e me obriguei a comprar uma edição em francês porque as edições em português dos livros mais recentes e sobretudo de autores portugueses custam sempre mais de 20 euros enquanto uma edição em francês de um qualquer autor mal passa dos 10 euros e a grande ironia reside quando vamos a comparar as folha salariais de franceses de portugueses e quando o SMN gaulês é mais de mil euros e o português é de 600 euros.

Mas voltando a vaca fria este livro tem um leve toque de Stephen King e com o decorrer da leitura me lembra outro autor de policiais que descobri por acaso, o dinamarquês Jussi Adler-Olsen, mas com uma abordagem a narrativa muito mais leve do que o autor da terra do Lego o que torna mesmo a leitura da edição francesa algo mais suave de ser feita e dá asas a imaginação do leitor.

A edição em português que é de 2006 só se acha em sites de alfarrábios mas a edição em francês é muito mais fresquinha, apesar disso a narrativa em si não deixa de ser actual.

Quando se diz que se vivem tempos de retoma não estou a usar o custo dos livros como desculpa, mas nunca se leu tão pouco como nos últimos tempos e por vezes acho que sou um alienígena no comboio ou metro quando estou com os auscultadores na cachola a ouvir o meu som e a ler enquanto o resto da canalha está agarrada aos telemóveis e talvez seja por isso porque não foram a bola com o Conan Osíris porque ele mandou um murro na consciência dos alienados que não se reconhecem como tal.

E ficam os meus bolos porque adoro bolos e estes bolos se transformam em telemóveis prontos a serem partidos: Porque os portugueses comuns passam o tempo agarrados aos telemóveis e não leem mais? Afinal se não estamos em crise, porque raio se lê menos do que nos tempos de Passos Coelho? Será Portugal uma nação de borregos analfabetos onde meia dúzia de habitantes não fazem parte do rebanho?

Como sempre leiam e reflictam

 

Dia 17 passaram 3 anos que um desempregado fez aquilo que nenhum dos licenciados do que têm ido agora ao novo concurso da RTP fazem que é .... responder perguntas a rodos....

 

 

Vejam primeiro e opinem depois

 

 

 

 

Há vários anos, sobretudo depois da queda continuada dos preços do petróleo que nunca se sentiu em Portugal, os produtores e exportadores de petróleo de alguma forma tiveram as suas economias abaladas e sobretudo os petrodependentes como Angola ou a Venezuela que dependem das vendas do petróleo como grande fonte de receitas para as suas despesas básicas e algumas menos básicas.

Uns conseguiram contornar a situação com o seu jeito próprio como foi caso angolano, no caso da Venezuela se dedicou a cavar uma guerra com os EUA que no fim das contas com os mimos que foram distribuídos nos tempos de Hugo Chavez, quando o petróleo custava os olhos da cara, o custo dos mesmos está agora a sentir; e durante o governo de Chavez e os primórdios de Maduro se formou uma Nomenclatura partidária digna dos tempos da URSS, onde apenas os membros da elite do partido têm direito aos bens de primeira necessidade e aos serviços essenciais e os restante da população que não tem cartão do partido e nem faz parte da nomenclatura tem que comer o pão que o diabo amassou ou é acusado de tudo e mais alguma coisa.

Além dos que sofrem com as mais diversas necessidades que não parecem serem de um país que se diz ter um governo de esquerda e que se preocupa com o povo e com as necessidades deste, mas na realidade com o regime de Maduro se aplica a regra de "O Triunfo dos Porcos" que é "Todos os animais são iguais, mas uns mais iguais do que os outros"; e crise financeira provocada pela queda dos preços do petróleo e que a esquerda diz ser culpa de um suposto boicote dos EUA, não faz com que elite partidária deixe de andar com os maiores luxos e é quando andam com os artigos mais luxuosos que se possam pensar.

Entretanto Buda Guterres apenas se lembrou da situação da Síria e não olhou para os seus vizinhos de baixo que está a causar na América do Sul uma onda de refugiados semelhante a que vem da Síria, a diferença é quem em vez de morrem afogados, morrem de sede porque caminham milhares de kilómetros para fugirem da fome e do estado de guerra que se encontra a pátria fundada por Simon Bolívar que nada tem a ver com o ideário do militar crioulo que libertou a Venezuela do jugo espanhol há mais de 200 anos.

A gerigonça em Portugal, apesar de ver portugueses e luso-descendentes a sofrerem as consequências da crise venezuelana e nem falam nos casos de fome e de falta de meios na saúde e em outros sectores essenciais na Venezuela ao ponto de nem haver dinheiro para as pessoas comprarem pão ou papel higiénico e esta situação para quem estudou história é a mesma vivida pela a Alemanha de Weimar depois do crash da bolsa de Nova Iorque e depois veio a Grande Depressão e com esta a hiperinflação que depois foi uma das causas para a subida ao poder do Terceiro Reich. E a esquerda está esquecida ou se baldou a descarada as aulas de História e se está esquecer deste pequeno grande detalhe da História Universal e vamos ver se o que se passsa na Venezuela e também no Mediterrâneo não será o catalizador para o surgimento de ditaduras como as que existiam na Europa nos anos 30 do século XX.

Os Demo-liberais, socialistas e afins; se atiram que nem uns lobos a direita sobretudo a chamada populista por que esta toca nas feridas que estão abertas e os demo-liberais e a esquerda não têm a panaceia para estas dores e nem olham para outras feridas que estão igualmente abertas porque estas mesmas feridas foram abertas por camaradas desta mesma esquerda que faz parte da gerigonça que suporta o actual desgoverno da república e não pode ser olvidado que o Sr. sócrates Pinto de Sousa era grande amigo do Sr. Chavez e ainda andou a fazer uns negócios com uns Magalhães em troca de petróleo e outras coisas mais.

E a esquerda se cala e o Buda da ONU se cala e na América Latina se vive uma crise humanitária e o mundo está a assobiar para o lado e apenas se chateiam quando o Trump faz algum disparate em vez de olharem o que se passa no planalto das Guianas onde se está a meio caminho do estado de guerra como a Europa estava nos anos 30 do século XX e ninguém quis saber ou ainda piorava a situação, e no meio deste carnaval, ainda há quem apoie o regime de Maduro em vez de apoiar mudanças na Venezuela para ver se aquela nação volta a ter a força que tinha antes da crise dos preços do petróleo.

E ficam as minhas perguntas de sempre sem resposta: Como foi possível se chegar a este ponto na Venezuela? Porque a ONU não abre os olhos para esta tragédia humanitária? Quem ganha com ela? Porque a esquerda insiste em apoiar o regime de Maduro?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

Sim questiono a sanidade de quem está a frente do Instituto Português do Desporto e da Juventude porque resolveram decretar um jogo a porta fechada ao Benfica por este não ter as suas claques legalizadas; mas outros clubes que têm as suas claques organizadas devidamente licenciadas; são conhecidas por cometer de forma sistemática actos de violência gratuita e nada lhes acontece.

Ainda recentemente, instigados possivlemente pelo ex-presidente do Sporting, membros da Juventude Leonina, claque devidamente legalizada e apoiada pela direcção leonina não viu este apoio retirado depois dos eventos de Alcochete que deixarm o emblema de Alvalade no verdadeiro caos que levou em última instância a queda de Bruno de Carvalho do cargo de presidente do clube verde e branco.

Ou ainda dos vários casos de coação e ameaças feitas a árbitros de futebol por parte de elementos ligados aos Super Dragões, claque organizada do Futebol Clube do Porto, liderados por Fernando Madureira que tem a alcunha de Macaco e que nem sei porque carga de água é o chefe da claque organizada da selecção nacional de Portugal de futebol masculino e tanto a claque portista como a claque sportinguista não acontece nada, nem um joguinho sequer a porta fechada.

Acontece que as claques do Benfica não são nenhuns santinhos, todavia, quando existem claques organizadas que cometem de forma sistemática crimes e actos violentos e têm cadastrados nas suas hostes por crimes violentos e ainda tem membros das mesmas claques presos pelas autoridades e estão em prisão preventiva por actos violentos en terrorismo e o estádio de Alvalade não teve decretado nenhum jogo a porta fechada e muito menos o Dragão devido a violência exercida sobre os árbitros.

E se for entrada nas chamadas modalidades ditas amadoras, então o panorama dos rivais do Benfica ficam mais negro por que sobretudo os Super Dragões saõ conhecidos por actos de violência em pavilhões dos rivais ou mesmo nos pavilhões que usa como seus, como aconteceu numa final da liga dos campeões de hóquei em patins no Pavilhão Rosa Mota que na altura funcionava como casa dos Dragões; depois da derrota do emblema da casa perante o Barcelona, os catalães tiveram que ser escoltados pelas autoridades devido aos objectos que choviam das bancadas...e apenas o Comité Europeu tomou medidas e considerou impróprio o Rosa Mota para jogos de hóquei e em Portugal nada se fez.

Se sabe que quem manda do IPDJ teve que se afastar de uma das candidaturas das próximas eleições para a presidência do Sporting Clube de Portugal e isto cheira a troca de favores à alguém porque quem manda do IPDJ não tivesse nenhuma ligação ubmlical a nenhum clube esta suspeição não se levataria embora se questione o castigo porque poderia ter vindo por exemplo no caso do Very Light e não surgiu ou porque então não punem os clubes quando as suas claques cometem actos de violência sistemática e quando a justiça tem dois pesos e duas medidas não há verdade desportiva em parte nenhuma e esta interdição surgiu quando o clube da águia parece estar num renascer de forma; terá sido coincidência... e vos digo que não.

Os ditos rivais ainda com 3 jornadas de campeonato cumpridas estão a tentar na secretaria aquilo que não conseguem no pavilhão ou no estádio, que são as vitórias desportivas que ainda são poucas e há modalidades que ainda nem começaram as respectivas épocas desportivas. Esta atitude do IPDJ que se pode classificar de facciosa vai na regra de : não se morre do mal, se morre da cura; dado que esta interdição no caso de transitar em julgado vai dar azo a represálias e vinganças e o desporto português não merece ficar manchado pela violência porque um iluminado resolveu trocar uns favores.

E ficam as minhas perguntas da esfinge: Quem ganha com isto? Porque não punem os outros clubes de igual forma quando estes cometem actos de violência que até mete as autoridades policiais no meio? Afinal quem manda no desporto em Portugal?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

Devido aos trágicos fogos do último Outono, se gerou uma corrente solidária nesta nação para ajudar as vítimas dos incêndios do Pedrógão Grande que fizeram tanto vítimas mortais como vítimas materiais.

Acontece que parte destes dontivos acabaram no bolso no desgoverno da gerigonça que os usou para as obras nos hospitais da Universidade de Coimbra e outra parte se sublimou como fossem cistais de iodo expostos ao ar e dezenas de milhões de euros se sumiram no ar, sem ninguém saber onde pararam e nem as casas prometidas a quem tinha ficado desabrigado tinham sido construídas.

Passado quase um ano desta tragédia, uma reportagem da TVI, colocou o dedo na ferida e conseguiu descobrir que o dinheiro que sobrou do que não desviado para nenhuma obra de última obra como a dos HUC, ficou nas mãos da edilidade local e ainda mais grave, o edil está a pedir e a fazer o jeitinho para quem não tinha a sua morada principal na área afectada pelos fogos, transferirem a sua morada para esta mesma zona; de forma a terem as obras de reconstrução das suas casas de férias completamente gratuitas pagas pelos dontivos que os portugueses e outros cidadãos do mundo deram para mitigar esta tragédia.

O mesmo edil resolveu processar o canal de televisão, embora não tenha dado qualquer explicação sobre o destino dos dinheiros e na imprensa têm aparecido vários casos de cunhas para a obtenção de ajudas para a reconstrução de casas de férias enquanto quem precisa mesmo fica para trás e quem recebe normalmente tem alguma ligação partidária ou de amizade ao mesmo edil.

Por outro lado o Perfeito Vazio de Belém que está a banhos apenas diz que é preciso apurar saber o que se passou sobre este desvio dos donativos; mas palavras leva-as o vento e este refogado pede acção antes que comece a cheirar mais a esturro e se exige medidas profundas e radicais para se apurar responsavéis destes mesmos desvios e puní-los de forma exemplar e jamais os deixar soltos, porque gente desta tem que ir para a cadeia pagar pelo que fez o pelo que está a fazer.

O que esta situação vai levar é que a proxima angariação que ocorra através dos meios de comunicação social e que tenha suporte do presidente da república ou de outra entidade pública acabe em fracasso e tenham que ser privados que por sua iniciativa levem os donativos em géneros (exemplos: alimentos, rações para animais ou roupas) ou financiarem directamente a reconstrução de casas que não sejam habitações de férias como está acontecer em Pedrógão Grande.

Duvido que no futuro, próximas angariações de fundos para ajudar vítimas de incêndios ou de outras tragédias que envolvam dinheiro voltem a ter a mesma mobilização do que teve a causa do Pedrógrão por que agora quem quiser doar vai querer doar em géneros do que doar um céntimo que seja por que os possíveis doadores ficam desconfiados do real destino dos donativos em dinheiro porque estes podem não acabar para onde devem ir e vão para o sítio errado.

Estas situação do Pedrógão tem que ser investigada doa a quem doer e não são vãs palavras que vão fazer a máquina judicial andar, mas sim acção, acção contra aqueles que enganaram uma nação e vários cidadãos de outras partes do mundo que entraram com milhares de euros para ajudar as vítimas desta tragédia épica e que nos deveria de fazer pensar no fim do tremendo eucaliptal que existe em Portugal e numa real política de prevenção de fogos e não na pura demagogia como foram as medidas apresentadas pela gerigonça para a limpeza de florestas.

E ficam os engimas da esfinge: Por onde param os donativos para as vítimas do Pedrógão? Para quem é este compadrio que a imprensa denuncia? Porque raio não é investigado? Porque o pefeito vazio de Belém não aperta a sério com as instituições para saber o que é feito dos milhões doados?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar

O jornal I largou hoje uma verdadeira bomba quando publicou como notícia de capa que o Metro de Lisboa vai desviar dinheiro apurado com a venda de bens imóveis do Metro de Lisboa como antigo Parque de Manutenção de Oficinas I situado em Sete Rios e onde se situa agora o terminal rodoviário que complementa a Gare do Oriente e que veio substituir o caótico terminal da Casal Ribeiro e que teria como objectivo o fundo de reformas do Metro de Lisboa para as obras do Metro.

 Este desvio está a causar mal estar entre os empregados e segundo o mesmo jornal já se fala em greve no Metro de Lisboa porque os funcionários estão a ver o fundo de reformas que é a garantia da suas reformas após uma vida de trabalho em risco porque o que consideram o CR7 das finanças, numa medida clara de austeridade a favor não sei de quem ou de quê, mas de certeza não é a favor da nação.

Devido a estas mesmas cativações, não há dinheiros públicos para as obras do Metro e como o Sr. das Cativações não abre os cordões à bolsa numa esdrúxula lembrança salazarenta onde não se gastava dinheiro para se defecar e sem outra fonte de dinheiro e para evitar o uso do crédito bancário, a administração do Metro vai buscar o dinheiro que teoricamente estaria cativado para as reformas dos funcionários do Metro, vai para as obras do Metro, sejam elas de renovação como a criação do aberrante anel que ninguém quer a não ser a própria administração municipalizada do Metro de Lisboa.

Como tanto o desgoverno da gerigonça é liderado por socialistas e a edilidade de Lisboa é liderado por socialistas; o edil de Lisboa não via bater o pé ao seu camarada do desgoverno e que foi o seu superior hieraquico na CML e vai mexer no dinheiro das reformas dos funcionários do Metro de Lisboa e podemos ter uma guerra laboral no Outono graças as cativações que ninguém faz ideia para que servem a não ser que tenham o mesmo papel que teve a contabilidade paralela na Grécia quando foi a introdução do euro na Grécia.

Os outros membros da gerigonça ainda estão calados feitos umas mulas e ainda não reagiram e estão com uma calma extraordinária que é um ordinário silêncio e que mostra para aqueles que acreditaram na gerigonça, que afinal esta mesma gerigonça acaba por ser tão infame como o governo anterior, usando eufemismos para as mesmas políticas usadas pelo desgoverno anterior e com este desvio no dinheiro que os funcionários do Metro tinham como certo para as suas reformas para as obras do Metro devido as cativações do Sr. Centeno é apenas mais uma infámia de um governo que subiu ao poleiro porque três partidos de esquerda e outro que nem é carne nem peixe, enogliram um sapo maior do que o território da Rússia para colocarem no poder alguém que já lá passou nos tempos de Sócrates Pinto de Sousa, conhecido como "O 44".

Vamos ver se os sindicatos do Metro vão aparar esta situação e se a extrema-esquerda vai reagir antes da festa do Avante por que é uma situação que nunca passou pelas ideias mais parvas dos tempos de Passos Coelho por que é algo que pede uma reacção da classe profissional afectada e não uma submissão a gerigonça por que se os sindicatos ficarem calados perdem todo o crédito perante os trabalhadores e duvido que haja alguém que queira fazer greves no Metro de Lisboa convocadas pelos sindicatos dado que estes estão dominados pela gerigonça.

Como utente dos transportes públicos ou colectivos, fico a espera do que vai render esta guerra entre galos do mesmo partido, embora já saiba que o dinheiro do passe já se encontra no bolso dos Transportes de Lisboa e agora estou a espera até onde estes erros de gestão e as cativações do Sr. Centeno nos vão levar, mas quase que advinho que não nos vão levar a bom porto.

E ficam os engimas da esfinge: Porque vão mexer no dinheiro do fundo de reformas se o Centeno tem milhões cativados? Porque não apertam com o Centeno numa de se ele não libertar a massa, não há obras? Afinal que país é este?

Como sempre vos peço para ler, comentar e divulgar